Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

SOA

No description
by

Jonathan Muniz

on 11 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of SOA

Interoperabilidade
Reuso
Agenda
Motivação
Exemplos
Por que SOA?
SOA
Arquitetura Orientada à Serviços
O que é SOA?
Serviços
Panorama anterior ao SOA
Porque SOA?
O que é SOA?
Exemplos de Aplicação
Serviços
Orquestração de Serviços
Exemplo Prático
Arquitetura Tradicional de Um Software
O desenvolvimento de software está cada vez mais complexo
O cenário de TI nas Organizações
Muitas Organizações foram fundidas ou adquiridas
Diversidade enorme de sistemas coexistindo
Diferentes fornecedores de software
Diferentes plataformas e tecnologias
Os sistemas não estavam preparados para compartilhar seus dados além de suas fronteiras
Necessidade de Interoperabilidade
Felipe Rooke - Hugo Guércio - Jonathan Muniz - Phillipe Marques - Matheus Rabello
Responder a mudanças de mercado

Reengenharia de processos

Comunicação dinâmica

Integração de departamentos
Flexibilidade
Web Services
Orquestração e Coreografia
Características de um Serviço
Trata requisitos de baixo acoplamento

Distribuição indpendente de protocolo

Integra Aplicações

Desenvolve baseado em Padrões
Gerencia transações

Estimula política de seguranças

Permite a coexistência de sistemas em múltiplas plataformas

Integra sistemas legados
Elementos de SOA
Visão conceitual
Serviços
Tecnologia
Governança e Estratégia
Indicadores
Cultura e Comportamento

SERVIÇOS
TECNOLOGIA
GOVERNANÇA SOA
MODELO
ARQUITETURAL
COMPORTAMENTO
E CULTURA
INDICADORES
ESTRATÉGIA SOA
O que não é SOA?

Não é um produto!
Não é uma solução!
Não é um produto!
Não é uma solução!
Não é uma tecnologia!
Não é um software!
SOA
não
é Serviço!!!
"SOA é um estilo de projeto que guia todos os aspectos de criação e uso de serviços de negócio através de todo o ciclo de vida de desenvolvimento (desde a fase de concepção até a aposentadoria de serviços), bem como trata da definição e do provisionamento da infra-estrutura de TI que permite que diferentes aplicações troquem dados e participem de processo de negócio independente dos sistemas operacionais onde estas aplicações estão executando ou linguagens de programação utilizadas para suas implementações."
Newcomer e Lomow
é um estilo de projeto

guia todos os aspectos de criação e uso de serviços e negócios

trata da definição e do provicionamento da infraestrutura de TI

permite que diferentes aplicações troquem dados

permite que diferentes aplicações participem do processo de negócio

independe dos sistemas operacionais

independe das linguagens de programação utilizadas para suas implementações
HARDWARE
NEGÓCIO
SOFTWARE
Custos
Produtividade
Qualidade
Módulos de negócio ou funcionalidades das aplicações
Possuem interfaces expostas que são invocados via mensagens
Recursos de software são empacotados como serviços bem definidos
Serviços de negócio executam de uma função de negócio
Serviços técnicos ou de infra-estrutura são reutilizáveis por todos os processos de negócio
Seus problemas acabaram?
Visão Conceitual de SOA
Funcionalidades de TI planejadas, projetadas e entregues como serviços modulares;
Atingir um determinado benefício de negócio;
Inclui objetivos arquiteturais, de TI e de negócios bem definidos;
Modelo e políticas de governança para atingir padrões e requisitos tecnológicos
Serviços
Artefatos centrais de SOA
Definido um modelo de projetos de serviços

Reutilização
Integração
Interoperabilidade
Tecnologia
Essencial para suportar e alcançar SOA
Possibilita a implatação de SOA,
mas não é SOA
!
Permite evoluir a arquitetura de TI existente
Sistemas legados
Governança e
estratégia
SOA
Afeta a organização como um todo
Visão e objetivos sejam comunicados aos envolvidos
Alcançado de forma incremental
Regras e responsabilidades
Padrões e Políticas
Equipe central
Indicadores
Utilizados para medir os resultados alcançados
Devem ser planejados desde cedo
Processos de governança
processos
negócio
desenvolvimento
Cultura e comportamento
Conformidade a política
uso
Oferecem padrões de
desenvolvimento para
implementar funções de negócios que possam ser invocadas remotamente

A plataforma básica dos web-services é HTML com XML

Os elementos padrão dos web-services são: SOAP, UDDI e WSDL
Soa abrange toda a organização trazendo questões e desafios organizacionais
Quem são os proprietários de serviços?
Como deve ser o relacionamento entre áreas de negócios e áreas de TI?
Quem paga o desenvolvimento de um novo serviço?
Representam um padrão de transporte, interface e dados entre consumidores e provedores de serviço

Programas modulares, geralmente independentes e auto-descritivos

Localizados e invocados a partir da internet ou intranet corporativa

Baseiam-se no SOA
Mercado volátil
Óleo e Gás
Oportunidades limitadas
Ciclos curtos de aquisição
Muitas empresas compradas pela Valero também eram produtos de aquisições
Cada empresa com diferentes sistemas
Pessoas
Tempo
Dinheiro
Solução
Empresas criam serviços
Serviços anunciados na rede da organização
Serviço de gerenciamento de pedidos
Consumidor
Rentabilidade
Resultados
Durabilidade
Capacidade de
ser Localizado
Maior confiabilidade
Redução de dados duplicados
Simplificação das interfaces
Necessidades
Aumentar a satisfação dos clientes
Diminuir tempo do ciclo de operações
Flexibilidade para mudanças rápidas no sistema
Solução
Acoplamento Fraco
Melhorias nas políticas, conhecimento e habilidades existentes
Mudanças organizacionais
Gerência de transição baseada na comunicação
Resultados
Aumentou a satisfação dos clientes: maior velocidade no acesso à informação e reduzindo dados duplicados
Aumentou a agilidade pela manutenção do foco na governança: aumentou o compartilhamento da infraestrutura e serviços
Contratos bem Definidos
Maior integração com revendedores
Granuralidade
Adequada
Orquestração
Centralizado
Coreografia
Distribuído
Troca de mensagens
Síncrono ou assíncrono
Síncrono
Padrão: BPEL (Business process execution language)
Composição de serviços para criar um novo serviço
Nó central é um ponto único de falha
Cada nó sabe:
Quando atuar
Com quem interagir
Quais operações executar
Quais mensagens trocar
Quando se comunicar
Principais padrões: WSCI e WS-CDL
Especializar o que é único
Generalizar o que é comum
Uso Compartilhado!
Maior flexibilidade e velocidade em mudanças no processo de negócio
Otimização de negócios e redução de riscos

Informações comerciais, financeiras e de rentabilidade mais precisas por toda a cadeia de negócios
Benefícios
Reutilização
Produtividade
Flexibilidade
Integração
Abstração
Padronizado
mensagens (SOAP)
Referências
Hewitt, E. (2009), Java SOA Cookbook - SOA implementation recipes, tips, and techniques. , O'Reilly .
Marzullo, F. (2009), SOA Na Prática. , Novatec.
SOA-Consortium
Marks, E. & Bell, M. (2006), Service-Oriented Architecture (SOA): A Planning and Implementation Guide for Business and Technology , John Wiley & Sons .
Orquestração X Coreografia
Controlador Central

Mais difícil de escalar

Fácil controle do estado

Fácil identificar o erro

Mais comum e simples

Arquitetura mais simples
Controle Distribuído

Maior escalabilidade

Difícil controlar o estado

Difícil controlar o erro

Mais raro, mas o ideal

Arquitetura madura
Full transcript