Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Redes Aula 7.2 - Coesão, Equivalência estrutural e similaridade

No description
by

Henri Siro Evrard

on 24 July 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Redes Aula 7.2 - Coesão, Equivalência estrutural e similaridade

Cohesion, equivalence, and similarity of behavior: a theoretical and empirical assessment
Mizruchi, M. S. Social Networks, v.15, 275-307, 1993
Conceitos de Coesão e Equivalência Estrutural
Coesão
Equivalência Estrutural
Durkheim (1893) - interdependência e interação social
Lazarsfed et al., 1944 - contatos sociais influenciando o voto
Coleman et al. (1966) - influência do meio social ou professional no uso de drogas
Homogeneidade social advém da influência da relação direta entre os atores.
Solidariedade de classes
Galaskiewicz (1985) , Lauman e Knoke (1987), Zeitlin (1974), Ratcliff (1980), Domhoff (1983), Useem (1984) - adotam estudos sociológicos com lógicas similares
Lorrain e White (1971) - um meio de descrever características de estruturas sociais
Homogeneidade advém da similaridade das relações entre os indivíduos em um sistema social.
Burt (1982) - a competição leva indivíduos a emulação de comportamento, o que caracteriza maior homogeneidade à partir da equivalência estrutural do que da coesão
Burt (1987) - re-analisa Coleman (1966) e Galaskiewics (1985) e conclui que atores agrupados à partir da equivalência estrutural se comportam com maior similaridade do que atores agrupados à partir da coesão da rede.
Alba, Kadushin (1976), Amba e Moore (1983), Friendkin (1984) criticam Burt.
1- Coesão deve ser considerada não somente os laços diretos. Burt se defende, dizendo que isso foi levado em conta.
2- A similaridade da equivalência estrutural advém do conjunto similares de influências. Burt (1983) aceita a idéia, mas depois, 1987, a rejeita.
VS
Operacionalização de coesão e equivalência estrutural
Coesão
Mizruchi - Os laços diretos do interlock de diretores
Equivalência Estrutural
1- White e colegas - quanto maior o coeficiente de correlação entre as colunas associadas a determinados atores
2- Burt - distância Euclidiana. A soma do quadrado das diferenças entre as colunas de cada ator configura o nível de distância da similaridade
O objetivo do estudo é examinar a capacidade de indicadores de coesão, equivalência estrutural e equivalência de papel na detecção da similaridade do comportamento entres firmas
Mizruchi - ambos podem ser utilizados.
1- para QUEM são feitas as doações
2- qual o VALOR que é feito em doações
Arabie et al. falam da impossibilidade de realizar correlações quando envolvem indivíduos isolados, ou seja, que não possuem variância e todas as médias são zeros. A distância Euclidiana não possui tal problema.
Dados
- 1596 relações diádicas
- 57 grandes indústrias da manufatura (Fortune 500)
- Tirando as isoladas, 990 relações diádicas e 45 empresas que possuem ao menos um interlock.
- 2 medidas de nós indiretos:
-50 maiores bancos comerciais 20 maiores seguradoras de vida
- nós entre as próprias manufatureiras

Similaridade (variável dependente)
Oscila entre 0 e 1
1- Nós indiretos inst. financeiras(3) + correl. c/ similidaridade(1) do que nós diretos firmas (2).
2- Nós indiretos firmas (4) + correl. c/ similaridades(1) do que nós diretos(2)
3- Equivalência estrutural (5) forte correl. c/ nós de "dois passos" (4). Isso sugere que ao considerar relações indiretas como coesão, a equivalência estrutural perde sua função explicativa. (Friedkin estava certo)
4- Distância Euclidiana (6) possui correlação positiva c/ contribuições mesmos candidatos (1)
5- a correlação entre as duas medidas de equivalência estrutural deveria ser fortemente negativa, porém é pequena, apesar de significativa (p<0,03)

As equações 2 e 3 são iguais as 5 e 6, porém sem os nós indiretos das empresas. O fato da equivalência estrutural não ser significativa quando o modelo roda com os nós indiretos, não significa que não seja um importante preditor de comportamento. Uma vez que empresas com grande distância Euclidiana tendem a contribuir para os mesmo candidatos, deve ser por que existe algum motivo que leva as empresas a se linkarem com outras empresas e possuírem comportamentos parecidos. Talvez seja pelo fato de empresas com altas quantidades de relações pela rede tenderem a possuírem uma maior distância Euclidiana, por mais que elas possuam relações entre si.
Proeminência
Para testar proeminência, existem 2 formas:
1- padronizar as medidas relacionais para levar em conta a propensão da empresa em se interconectar. A distância Euclidiana é padronizada. Assim, a tabela 3 abaixo é padronizado também o interlock direto, indireto tanto entre as empresas quanto entre as instituições financeiras. (agora como ele faz isso, não sei.)
Na equação 3, quando tem os nós indiretos e o de equivalência estrutural por correlação, então ambos se tornam irrelevantes. Na equação 4, os nós indiretos voltam a se tornam relevantes. A diferença entre a equação 5 e 6 demonstram também a diferença na relevância entre as duas medidas de equivalência estrutural
Para testar proeminência, existem 2 formas:
2- adicionar o fator proeminência na equação da regressão. Para tanto, é utilizado a medida de proeminência eigevenctor das duas firmas em uma diáde.
Diádes que incluem empresas com alto interlock terão uma maior tendência de similaridade do que diádes que contém empresas relativamente periféricas. Proeminência é a medida como uma função do número de nós, da força dos nós, e a proeminência do ator a qual está interconectado
Equivalência de Papéis
Assim, empresas tendem a se comportar similarmente mesmo que:
1- não possuam coesão
2- não possuam equivalência estrutural

Sailer (1978, Winship e Mandel (1983), White e Reiz (1983)
A equivalência de papéis advém do idêntico TIPO DE RELAÇÃO com outros atores.

Doreian(1987), Faust (1987), Everett e Borgatti(1988), Burt(1990) Classificam conceitualmente e matematicamente o conceito em 4 tipos de equivalência:
1- automórfiica
2- regular
3- posicional
4- papéis

STRUCTURES e UCINET
STRUCTURE (Burt, 1992)
Ao utilizar a equivalência automórfica junto com a relação direta de diretores, não dá como significativo. Mas o autor entende que é um boa dica de como medir a equivalência de papel, porém, não funcionou em sua base de dados.

Atores isolados possuem alta equivalência de papel, o que explicaria a distorção e o sinal de negativa da medida de equivalência de papel.
Hans Hummel e Wolfgang Sodeur
TRIAD CENSUS
6 simétricas
36 assimétricas
UCINET (Borgatti et al, 1991)
Possui uma medida de distância, calcada na idéia de equivalência automórfica, onde classifica as relações entre as mais fortes e as mais fracas. Atores que são mais próximos ao número similar de outros autores, terão maior nível de equivalência automórfica.
Diferenciar atores centrais de atores periféricos pode ser a chave para criar uma mensuração adequada de equivalência de papéis.
Full transcript