Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Identidade social, personalidade e gênero.

No description
by

Aline Brasil

on 5 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Identidade social, personalidade e gênero.

Aline Brasil
Bianca Alves
Amanda Euri
Nayara
Faryda
Jéssica
Diego
Dayanne Identidade social, personalidade e gênero Introdução Visual Enculturação: Self e identidade social Os recém-nascidos não conseguem atender sozinhos às próprias necessidades biológicas.

Mito: Esteriótipo Personalidade
do Grupo Valores Básicos Personalidade
Modal Caráter Nacional Ao verem a Prancha I, os testados frequentemente indagam sobre como eles devem proceder, o que eles estão autorizados a fazer com o cartão (por exemplo, girá-lo). Sendo o primeiro cartão, pode fornecer pistas sobre como abordar temas novos e uma tarefa estressante. Não é, porém, um cartão geralmente difícil. Nessa mancha, é comum dar resposta de máscara ou de cara de animal usando as áreas em branco como olhos e narinas. A Prancha III é geralmente percebida como contendo dois seres humanos envolvidos em alguma interação, e pode fornecer informações sobre como o sujeito se relaciona com outras pessoas (mais especificamente, a latência de resposta pode revelar dificuldades nas interações sociais). Essas pessoas podem parecer transsexuais por possuirem pênis e vagina, indicando como o entrevistado lida com a questão de gênero. Os detalhes vermelhos da Prancha II são muitas vezes vistos como o sangue, e são as características mais distintivas. Respostas a ela podem fornecer indicações sobre como um sujeito é capaz de controlar sentimentos de raiva ou danos físicos e sobre sofrimentos do passado. Este cartão também pode induzir uma variedade de respostas sexuais. Também é comum respostas sobre a área branca no centro como avião e diamante. Teste psicológico de Rorschach ou teste da "mancha" In Brazil they're freaky with big ol' booties
And they bounce in blue yellow and green No Brasil, elas enlouquecem com grandes bundas
E elas mexem em azul, amarelo e verde! International Love (PITBULL) senso comum: conjunto de opiniões ou idéias que são geralmente aceitas numa época e num local determinados. Dicionário Priberam Conjunto de traços de caráter que ocorre com mais frequência em uma população culturalmente limitada. Filmes ajudam a disseminar o carater nacional caráter :
1. O que faz com que os entes ou objetos se distingam entre os outros da sua espécie.
2. Marca, cunho, impressão.
4. Qualidade distintiva. Dicionário Priberam - Membros funcionais

- Papéis sociais distintos → Diferença de gênero Identidade Social
Teoria da tabula rosa


Folha em branco

↓Experiências após o nascimento

Formação do caráter

- Contradições da teoria →
fatores genéticos Estudos transculturais


Antropologia psicológica
Socialmente construída e aprendida

- Não é biologicamente herdada Cultura Enculturação Treinamento para Dependência
e
Treinamento para
Independência Treinamento para Dependência Os pais corrigem os filhos , exigindo a obediência total, fazendo com que ele aprenda a ser subordinado ao grupo.Isso ajuda com que o indivíduo coloque as necessidades do grupo acima das própias.
Obedecer, apoiar, não competir, ser responsável, permanecer no grupo, e não fazer nada que seja destruidor. Correção Treinamento para Dependência Significado: Praticas Educativas infantis que promovem submissão no desempenho de tarefas estabelecidas e a dependência do grupo doméstico, em vez da confiança em si.
Função: Faz com que as pessoas pense sobre si mesma de modo mais abrangente como grupo.
As decisões que um membro for tomar, os outros membros devem está de acordo.
O cônjugues que vinherem de outros grupos, devem se adaptar ao novo grupo, contando com a ajuda dos membros desse grupo.
Comum em sociedades de economia Agricula, famílias mais extensas. Margareth Mead Acontece conforme um conograma.
Foi observado que na América do Norte raramento os bebês são alimentados,adotam desde cedo os bicos artificiais (chupeta), para satisfazer a os instinto de sugar do bebê e acalmá-lo.Também a alimentação muda muito cedo, e os pais buscam ensinar os filhos a comer sozinho; e a dormirem só. É uma recompense por buscar apoio da família.Acontece de acordo com a necessidade da criança. Treinamento para Dependência Treinamento para Independência Amamentação Quando mais velhas as crianças recebem tarefas domésticas para obter benefício pessoal (receber uma mesada), e não para contribuir para o bem estar da família. Treinamento para Independência Treinamento para Dependência Desde cedo os filhos recebe, tarefas domésticas, que contribuem para o bem estar da família, e desde cedo apredem a conviver em grupo. Tarefas Domésticas “ VIVER SIGNIFICA GANHAR OU PERDER, E PERDER SIGNIFICA FRACASSAR.” Treinamento para Independência A Tolerância dos pais são maiores, eles enfatizam que os filhos devem conpetir e sempre ganhar.
Nos Estados Unidos as ecolas promovem eventos competitivos.
Ex: Esportes competitivos, concurso de soletrar, concurso de popularidade, etc… individual Coletiva
A CULTURA TAMBÉM TEM INFLUÊNCIA. (EX: OCIDENTAIS)
- Cada cultura oferece oportunidades diferentes e tem expectativas distintas para comportamento ideal ou aceitável. Porém com o tempo essa personalidade cultural pode mudar com o passar do tempo. DESENVOLVIMENTO
DA
PERSONALIDADE Personalidade
Realizou a primeira pesquisa comparativa sobre gêneros em três comunidades de Papua-Nova Guiné.
Arapesh, Mundugamor (ou Biwat), Tchambuli (ou Chambri).
- Arapesh: Os homens e as Mulheres possuem traços que para os Norte-Americanos são considerados traço femininos: Cooperação, Cuidado e Gentileza.
- Mundugamor: Os Homens e Mulheres possuem traços consideravelmente masculinos: Individualismo, segurança, versatilidade e agressividade.
- Tchambuli: As Mulheres dominam os Homens. ( Sua pesquisa gerou percepções sobre a condição humana, pois a dominação masculina é uma construção cultural e que arranjos alternativos podem ser criados.)
  Mundugamor ( Biwat) Arapesh Tchambuli (Chambri) AS EXPERIÊNCIAS DA INFÂNCIA TEM GRANDE INFLUÊNCIA. (EX: FREUD) A ECONOMIA INFLUÊNCIA NA PERSONALIDADE. (EX: Ju/’hoansi)
- A economia de uma sociedade pode estruturar o modo como uma criança é educada, e por sua vez influência na personalidade do adulto. A mudança nas condições sociais em que uma criança cresce influência no modo de interação entre um homem e uma mulher. Treinamento para Independência Independência Individual
Autoconfiança
Realização Pessoal
Cada um é respondável por sua própia sobrevivência.
Comum em sociedades mercantis, industriais e pós-industriais.Onde as realizações pessoais e a autossuficiência promovem o sucesso.
Incentiva os individuos a controlar a própia vida e chamar atenção, em vez de dispender cuidado com outras pessoas. Filhos
e Aspectos de Desencorajamentos Entre os inuítes netsilik, da região do Ártico canadense, a mulher que tem o parto difícil pronuncia o nome de pessoas falecidas e de caráter admirável.
Muitas culturas, a criança recebe o nome logo após o nascimento, mas pode adquirir outros nomes durante a vida.
Por exemplo, os navajos, que vivem no sudeste dos Estados Unidos, nomeiam crianças quando nascem, mas os tradicionais geralmente dão ao bebê um nome ancestral do clã depois que a criança sorri pela primeira vez.
Os nomes próprios são um aspecto importante para a autodefinição em todas as culturas. Sem nome, um indivíduo não tem identidade, logo, não tem self.
Muitas culturas consideram a escolha do nome um assunto muito importante, então realizam um evento especial, conhecido como cerimônia de nomeação.
Por exemplo, os índios Iamarás da comunidade Laymi, na Bolívia, não consideram a criança um ser humano verdadeiro até que um nome lhe seja dado. A autoconsciência não surge de repente, ela evolui com o desenvolvimento neuromotor.
Uma criança só aprende a distinguir o “EU” do “NÃO EU” quando se aproxima dos 2 anos de idade, um pouco mais tarde do que em outras culturas.
Nos Estados Unidos as crianças são acostumadas desde cedo a dormirem em quarto separado dos pais. Para eles esse aspecto é importante para torna-las, “dono” de si e de suas capacidades.
Porém nas sociedades tradicionais, as crianças dormem com os pais. Assim acontece com o povo Ju/’hoansi, que vive no deserto Kalahari, no sul da África. A enculturação é iniciada pela autoconsciência – a habilidade para se identificar como indivíduo, para se autoavaliar.
A autoconsciência permite responsabilizar-se pela própria conduta, aprender a reagir perante a sociedade.
Um aspecto importante desse tema é a conexão de valores positivos em relação a si mesmo. Orientação temporal: que dá sensação de localização no tempo, também faz parte do ambiente comportamental. Ex: calendário



Orientação normativa: a orientação normativa inclui padrões que indicam o tipo de comportamento aceitável para homens e mulheres em uma sociedade específica. Os valores morais, ideais e princípios, de origem puramente cultural, fazem parte do ambiente cultural de um indivíduo da mesma forma que as árvores, rios e montanhas. O desenvolvimento da autoconsciência requer orientações básicas que estruturem o campo psicológico em que o self atua. Elas incluem orientação de objetos, espacial, temporal e normativa.
Orientação dos objetos: cada cultura concentra a atenção em certas características ambientais, enquanto ignora outras ou as coloca em categorias mais amplas.
Orientação espacial: habilidade de se mover de um objeto ou lugar para outro. Ex: encontrar a chaves do carro ou indicar o ponto de ônibus mais próximo. Autoconsciência Identidade social mediante nomeação Self e ambiente comportamental Porcentagem das religiões na Índia População total de 1.166.079.217 de habitantes (2009)
1. 80,5 % são hindus (827.578.868);
2. 13,4% são muçulmanos (138.188.240);
3. 2,3% são cristãos (24.080.016);
4. 1,9% são sikhs (19.215.730);
5 .0,8% são budistas (7.955.207);
6. 0,4 % são jainistas (4.225.053);
7. 0,6% de habitantes pertencem a outras religiões: judeus, baha’is e zoroastrians (6.639.626);
8. 0,1% não se declarou (727.588) Alemão Esquimó Italiano Japonês Chinês Índio Espanhol Judeu Mexicano Francis Hsu Valores especialmente promovidos por uma cultura específica Traços de personalidade a eles relacionado Modelos alternativos de gênero sob a perspectiva trancultural ESQUIZOFRENIA:

- distúrbios químicos; hereditária;
- transtornos mentais;
- distorções da realidade;
- “concha psicológica”; TRASTORNOS UNIVERSAIS
KATHERINE A. DETTWYLER

- “ignorância é sinônimo de felicidade” SÍNDROME DE DOWN EM CULTURAS DIFERENTES
AFINAL, O QUE SIGNIFICA SER NORMAL? RELATIVIDADE CULTURAL DA ANORMALIDADE THDH
- desatenção; hiperatividade; impulsividade;

TRANSTORNO BIPOLAR
- variação de humor; hiperatividade mental e física; maníaco-depressivo; DISTURBIOS MENTAIS ATRAVÉS DOS TEMPOS E CULTURAS
MONGES ASCETAS OU SADHUS;
RENUNCIA SOCIAL, MATERIAL, SEXUAL; CULTURA HINDU SADHUS,
HOMENS SANTOS O QUE É NORMAL? E ANORMAL? PERSONALIDADE NORMAL E ANORMAL NO CONTEXTO SOCIAL ESQUIZOFRENIA PARANÓICA MEDITAÇÃO INTENSA YOGA PERSONALIDADE NORMAL

- IRVING HALLOWELL: “A normalidade envolve o desenvolvimento de um sistema ilusório não aprovado pela cultura.”
- é normal compartilhar ilusões tradicionalmente aceitas pela sociedade. PODE SER QUE SIM.... SER DIFERENTE PODE SER BOM? SOCIEDADE:
AGRESSIVO,
DESCONFIADO SUJEITO:
PASSIVO,
CONFIANTE SUJEITO:
AGRESSIVO,
DESCONFIADO SOCIEDADE:
PASSIVO,
CONFIANTE INSANIDADE
MENTAL ANORMAL NORMAL PADRÕES
CULTURAIS SOCIEDADE COSTUMES
NORMAS
CRENÇAS CULTURA
(BASE) PADRÕES CULTURAIS PERSONALIDADE CONFORMIDADE
SOCIAL
Full transcript