Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A cultura da África

No description
by

rogerio arrais

on 18 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A cultura da África

A cultura da África reflete a sua antiga história e é tão diversificada como foi o seu ambiente natural ao longo dos milénios. África é o território terrestre habitado há mais tempo, e supõe-se que foi neste continente que a espécie humana surgiu; os mais antigos fósseis de hominídeos encontrados na África (Tanzânia e Quênia) têm cerca de cinco milhões de anos. O Egito foi provavelmente o primeiro estado a constituir-se na África, há cerca de 5000 anos, mas muitos outros reinos ou cidades-estados se foram sucedendo neste continente, ao longo dos séculos (por exemplo, Axum, o Grande Zimbabwe). Para além disso, a África foi, desde a antiguidade, procurada por povos em outros continentes, que buscavam as suas riquezas.
Línguas

Na África do Sul existem 11 idiomas oficiais, embora o inglês seja o mais usado. O afrikáans, derivado do holandês, também é muito utilizado pelos descendentes de holandeses. Além destes, existem outros idiomas oficiais usados por determinados grupos étnicos. Entre estes, podemos citar: tswana, swasi, ndebele, sesotho, tsonga, venda e zulú.
Culinária sul-africana

A culinária sul-africana recebeu a influência dos povos pré-colonização (khosai, xhosa e sotho) e dos britânicos e holandeses. A base da culinária é a carne (vaca, frango porco). O vinho também é faz parte desta culinária, sendo a África do Sul um importante produtor desta bebida.

Existe uma espécie de evento social tradicional sul-africano chamado de braai, cujo centro é a comida. Num braai, espécie de churrasco, os homens assam e grelham as carnes, enquanto as mulheres cuidam das saladas e sobremesas. No braai são grelhados diversos tipos de carnes e embutidos (salsicha, coxas de frango, costeletas, carne seca, rabo de boi, linguiça entre outros tipos).

O bitong também é comum na África do Sul. Trata-se de um bife de carne seca que, tradicionalmente, é muito consumido enquanto se assiste alguma atividade esportiva.
Religião

A África do Sul caracteriza-se por uma grande diversidade e miscigenação religiosa. No país convivem religiões tradicionais africanas, originárias dos povos antigos da região, com religiões cristãs, hinduísmo e islamismo. Porém, cerca de 70% da população sul-africana segue alguma religião cristã, originária dos europeus.

Principais feriados nacionais sul-africanos

- 27 de Abril: Dia da Liberdade (comemorada as primeiras eleições livres após o apartheid)

- 16 de junho: Dia da Juventude (quando ocorrem protestos em Soweto contra o apartheid)

- 24 de setembro: Dia da Hereditariedade (comemorada a diversidade cultural e étnica no país)
A África é o terceiro continente mais extenso (atrás da Ásia e da América) com cerca de 30 milhões de quilômetros quadrados, cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta. É o segundo continente mais populoso da Terra (atrás da Ásia) com cerca de um bilhão de pessoas (estimativa para 2005 1 ), representando cerca de um sétimo da população mundial, e 54 países independentes.
Apresenta grande diversidade étnica, cultural, social e política. Dos trinta países mais pobres do mundo (com mais problemas de subnutrição, analfabetismo, baixa expectativa de vida), pelo menos 21 são africanos.2 Apesar disso existem alguns países com um padrão de vida razoável, mas não existe nenhum país realmente desenvolvido na África.3 A Líbia, Maurícia e Seicheles têm uma boa qualidade de vida. Ainda há outros países africanos com qualidade de vida e índices de desenvolvimento razoáveis, como a maior economia africana, a África do Sul e outros países como Marrocos, Argélia, Tunísia, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.4
Grupo: Rogério Arrais,João Fernando, Ícaro Silva,Maykon Viana,Gustavo,Gabriel Maia,Lucas Gabriel.
Full transcript