Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Revolução Inglesa

No description
by

Higor Ferreira

on 2 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Revolução Inglesa

Revolução Inglesa
Inglaterra
Séc XVII
Absolutismo inglês
Absolutismo é uma teoria política que defende que o monarca deve ser detentor de um poder absoluto, isto é, independente de outro órgão. É uma organização política na qual o soberano concentra todos os poderes do estado em suas mãos.
buscando constante fortalecimento
Elizabeth I
GUERRA CIVIL
KNIGHTS
ROUNDHEADS
Cavaleiros
Cabeças redondas
Carlos I
Oliver
Cromwell
New Model Army
Diggers
Levellers
Carlos I
foi morto por meio de decapitação
Toda esta sequência de eventos revolucionários é conhecida como a
Revolução Puritana
Como os RoundHeads
conseguiram vencer?
Dever de casa:
1. Quem eram os soldados do New Model Army?
2. O que foi a República de Cromwell?
3. Aponte e explique algumas características da República de Cromwell.
4. O que foi a Revolução Gloriosa?
Os

primeiros

defendiam uma reforma agrária espontânea que garantisse o acesso dos camponeses à terra. Já o
segundo grupo

buscava a total igualdade jurídica entre os cidadãos e a liberdade de culto religioso. Dessa maneira, as camadas populares inglesas se fizeram presentes no debate político da época.
Tinha revolucionários de duas correntes políticas diferentes
cavadores
niveladores
República de Cromwell
Os grupos de apoio como os
diggers
e os
levellers
são deixados de lado e Cromwell vai cada vez mais centralizando o poder. Ou seja, se o objetivo da revolução era ampliar a participação do parlamento e do povo em geral, podemos dizer que nem tudo andou como o esperado quando Cromwell assumiu a república.
Reforçando o poder
Promovendo avanço
Cromwell se torna
Lord Protetor
no ano de 1653
Ato de Navegação (1651)
Conquista de domínios coloniais
Ja
ma
ica
Mas, como ninguém é eterno...
Oliver morre e seu filho Richard, que assumiria hereditariamente o cargo, não é um sujeito que inspira confiança para tal cargo político, decidindo abrir mão da posição.
A opção é recolocar os STUART no poder e reestabelecer a Monarquia
Carlos II
Jaime II
1660-1685
1685-1688
Ambos mantiveram tensões com o parlamento, tanto no que diz respeito à política, quanto a religiosidade, inclusive tentando restringir o culto puritano. Como a situação para o parlamento era mais favorável que em outros tempos, Jaime II, logo no início do seu reinado foi retirado em favor de Guilherme de Orange, seu próprio genro.
Mudanças decisivas:
Fim da dinastia STUART
Assinatura da Bill of Rights
"O rei reina mas não governa"
REVOLUÇÃO GLORIOSA
RESPOSTAS:
1. Eram os oposicionistas ao governo de Carlos I.
A oposição era composta de camponeses, puritanos e o PARLAMENTO. Dentro do New Model Army havia duas correntes políticas distintas, que eram os
diggers
(cavadores) e os
levellers
(niveladores).
2. Foi um período onde o líder político foi Oliver Cromwell, este ocupava o cargo de
LORD PROTETOR
. Este cargo era supostamente hereditário, mas Richard (Ricardo), seu filho, não foi capaz de manter o poder.
3. O poder pouco a pouco foi sendo centralizado, o que se assemelhava ao poder absoluto dos reis - Carlos I. Ele se tornou
LORD PROTETOR
.
Em termos econômicos foi criado o
Ato de Navegação
. Além disso foram conquistadas novas colônias, como por exemplo a Jamaica.
4. Foi a Revolução que determinou que o rei não mais governaria, dando o poder ao parlamento, na figura do primeiro ministro. O ponto culminante foi a assinatura da
Bill of Rights
.
RESUMO DE REVOLUÇÃO INGLESA:
ATENÇÃO: ESTE RESUMO ESTÁ FOCADO NAS QUESTÕES QUE SERÃO MAIS PERTINENTES PARA O TESTE BIMESTRAL. USEM-NO COMO MAIS UM ELEMENTO DE AUXÍLO, MAS NÃO COMO O ÚNICO.

O principal dilema inglês, que acabou gerando o que conhecemos como REVOLUÇÃO INGLESA, foi a tensão existente entre o rei Carlos I (da dinastia STUART) e o parlamento. Enquanto o rei desejava intensificar o seu poder e exercer maior controle sobre decisões políticas – como a cobrança de impostos, por exemplo – o parlamento desejava ter sua posição política respeitada.

Como sabemos, o fato de existir um parlamento na Inglaterra naquele momento (século XVII – 1601 a 1700) era consequência de antigos acordos que concediam ao parlamento o direito de interferir nas decisões do governo. Logo, era desrespeitoso da parte do rei Carlos I (que ficou no poder de 1625 a 1649) esta tentativa de impor suas vontades a qualquer custo. Bom, pelo menos era isto o que o parlamento achava, pois o rei por sua vez acreditava que era totalmente acertada a decisão que tomava.

Mas aí vem a pergunta, ele agiu de modo totalmente injustificado? Será que ele não tentou criar explicações que dessem a ideia de que suas atitudes estavam acertadas? Ora, é claro que ele tentou explicar suas atitudes, ele tentou fazer com que elas parecessem legítimas, ou seja, tentou fazer com elas fossem socialmente reconhecidas como corretas e aceitáveis.
Uma das justificativas era já o próprio fato dele ser rei, o que não é pouca coisa. Além disto, ele também buscou justificar o seu poder através de argumentos religiosos. A ideia de que o rei era um escolhido de Deus era uma das formas de justificar o poder absoluto dos monarcas e Carlos I fez questão de usar este argumento. O seu apoio neste sentido vinha da igreja anglicana.

Observação: o anglicanismo é religião cristã típica da Inglaterra criada bastante tempo antes pelo também rei Henrique VIII.

Isto gerava muita desconfiança por parte do parlamento e também dos puritanos. Os puritanos eram outro setor religioso, também cristão, mas que criticava esta crença de que o rei era um escolhido de Deus para o povo. Sendo assim vemos dois grandes problemas no reinado de Carlos I. Um deles político e outro religioso, ambos convivendo mutuamente.
Isto explica o descontentamento de parlamentares e puritanos. Outros grupos como pequenos burgueses e nobres de menor importância que detinham algumas terras também se viam insatisfeitos, pois não eram privilegiados pela política do rei Carlos I que buscava a todo instante criar impostos e beneficiar apenas aos grupos que o apoiavam.

As tensões cresceram de tal modo que o rei Carlos I decidiu em algumas ocasiões simplesmente fechar o parlamento. Em dado instante o clima ficou insustentável, o que acarretou numa guerra que dividiu a Inglaterra. De um lado os partidários do rei, os chamados KNIGHTS (cavaleiros) e do outro os oposicionistas, os ROUNDHEADS (cabeças redondas).

A oposição foi comandada por Oliver Cromwell, líder do NEW MODEL ARMY.
O NEW MODEL ARMY ou EXÉRCITO DE NOVO TIPO, com tradução para o português, foi uma organização militar que serviu como exército de oposição às tropas de cavaleiros do rei Carlos I. O grupo era formado por setores sociais insatisfeitos com o poder centralizador do monarca, setores estes já citados anteriormente. O objetivo era vencer as tropas reais (KNIGHTS) e diminuir o poder do rei. No entanto o que aconteceu foi ainda mais severo, uma vez que Carlos I foi decapitado.

Com sua morte se iniciou um período republicano na Inglaterra, a chamada República de Cromwell (de 1649 a 1658). A explicação do nome é simples, basta perceber que se tratou de um período republicano cujo líder era Oliver Cromwell.
Durante este período a Inglaterra conheceu certo crescimento econômico por conta da conquista de novas colônias, como a Jamaica, e por causa da criação do Ato de Navegação, que incentivou o avanço naval inglês, ao proibir que os carregamentos comerciais de outros países fossem feitos por terceiros.

A princípio o Ato de Navegação parece complicado, mas vamos fazer um exemplo para facilitar.
Digamos que um país qualquer da Europa quisesse transportar uma quantidade de produtos vendidos para a Inglaterra. Digamos que este país seja Portugal. Pois bem, antes do Ato de Navegação se Portugal quisesse vender um carregamento de qualquer produto para a Inglaterra qualquer país – ou seja, um terceiro – estaria autorizado a fazer o transporte. Neste caso, portanto, a mercadoria levada de Portugal para a Inglaterra poderia ser transportada pela Holanda, por exemplo. O exemplo, inclusive, não foi feito a toa, pois a própria Holanda era acostumada a fazer isto. Sendo assim, ela conseguia algum lucro e ainda via o avanço de seu poder naval. No entanto, com o Ato de Navegação nenhum terceiro, ou seja, nenhum país que não fosse ou o vendedor ou o próprio comprador poderia fazer este transporte. Então no caso de haver novamente um carregamento vindo de Portugal rumo à Inglaterra, somente Portugal ou a própria Inglaterra poderiam fazer este transporte. Lembremos, contudo, que isto diz respeito apenas ao comércio inglês, se o comércio fosse entre quaisquer outros dois países que não a Inglaterra estas regras não se aplicariam.

Esta mudança animou os investidores ingleses que passaram a fazer mais investimentos navais, o que elevou a qualidade da marinha inglesa e ainda propiciou lucros para o país e para os investidores.
Oliver Cromwell fez mais, se tornou o líder máximo da Inglaterra e ainda virou Lord protetor inglês, centralizando o poder político, a despeito de ser esta uma de suas grandes críticas ao já decapitado rei Carlos I.

Após a morte de Oliver, seu filho Richard não conseguiu se fazer de herdeiro político do pai. A saída foi convidar novamente os STUART para o poder. Os reis Carlos II e Jaime II (Carlos II – 1660 a 1685; Jaime II – 1685 a 1688) não conseguiram fazer de seus reinados um mar de rosas; os problemas persistiram. A solução só veio em 1688 quando o rei Jaime II foi retirado do trono. Desta vez não foi preciso derramamento de sangue, o próprio rei se retirou do cargo a convite do parlamento. Guilherme de Orange, genro de Jaime II, foi convidado para o cargo. Contudo, isto não foi tudo, foi assinado neste instante a chamada BILL OF RIGHTS (declaração de direitos) que resumidamente dizia que a partir daquele instante o rei inglês seria simplesmente figurativo, não sendo mais responsável pela política. Ou seja, ele é um representante de estado, mas não um responsável pelo governo. Costuma-se dizer que a partir da BILL OF RIGHTS o “rei reina, mas não governa”.
Full transcript