Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Linha do Tempo - IDADE MODERNA

No description
by

Ariane Martinkovics

on 14 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Linha do Tempo - IDADE MODERNA

1453
Idade Moderna
Tomada de Constantinopla
1789
Início-Revolução Francesa
Expansão Marítima
Processo histórico - XV e XVII
Expansão das atividades comerciais.
- Contribuiu:

Processo de acumulação de capitais na Europa.

Europa superrase a crise - séculos XIV e XV.

O contato comercial entre todas as partes do mundo (Europa, Ásia, África e América ).
Reino Português
Pioneiro - primeira nação a financiar expedições marítimas.
- O que contribuiu?

Familiaridade com o mar - pesca.

Burguesia rica e disposta a investir - para aumentar seus lucros.

Paz interna.

A Escola de Sagres
-Fornecia condições tecno-científicas para a navegação num oceano ate então desconhecido: o Atlântico.

Centralização do poder.
-Portugal foi o primeiro reino a se unificar, formando um estado nacional.


Fatores
A procura de especiarias.

A escassez de metais preciosos na Europa.

Aliança entre o rei e a burguesia.

A Catequese.

Avanços na Arte Náutica.
Reino Espanhol
Formado pela união dos reis Dom Fernando de Aragão e Dona Isabel de Castela.
- Motivos provocaram esse atraso:

Primeiramente: expulsar os mouros (muçulmanos) do território espanhol.

Precisavam descobrir um novo caminho para não utilizar a rota portuguesa.
1469 - Estado Nacional.
Cristóvão Colombo - teoria da esfericidade da Terra

-Acreditava na possibilidade de atingir as índias sempre navegando para oeste, então dirigiu suas três caravelas nessa rota.
Navegações Tardias
O atraso na centralização política = atraso na expansão marítima.
Inglaterra, França e Holanda.
Inglaterra: durante o reinado de Elizabeth I (1558-1603 ).

França: durante o reinado de Francisco I.

Holanda:
-Processo atrasado por ser um feudo espanhol.
-Enfraquecimento da Espanha.
- Processo de sua independência.
Intervenção católica
Descoberta da América: provocou disputa entre os reinos- interesse nas terras.

Portugal e Espanha - assinaram um acordo.
- julgado pelo papa Alexandre VI

- Tratado de Tordesilhas - estabeleceu que as terras encontradas a oeste dessa linha pertenceriam à Espanha e aquelas situadas a leste seriam de Portugal.

Por esse motivo, a esquadra de Pedro Álvares Cabral, que se dirigia às Índias, fez um desvio proposital para oeste para garantir ao rei português a posse das terras do Brasil.

Os outros países europeus desconsideraram esse tratado, que os excluía, e procuraram se estabelecer e explorar o novo continente.
Era dos descobrimentos ocorreu entre o século XV e o início do século XVII.
- Europeus exploraram o globo em busca de novas rotas de comercio.


Estabeleceram relações com a África, Américas e Ásia, - rota para as “Índias”.
-comercio de ouro, prata e especiarias



Exclusividade da rota marítima durou pouco : Inglaterra, França e Holanda.
-Ignoram o tratado que dividia a América entre as duas nações.
-Passaram a utilizar-se dos caminhos recém-descobertos para suas próprias transações comerciais.


Essa exploração resultou em uma nova mundivisão e no contato entre civilizações distantes, alcançando as fronteiras mais remotas.
Descobrimentos
Colonização portuguesa
Fez-se ao longo do litoral atlântico.
- Cultivo de produtos raros na Europa, como a Cana-de-açúcar, que encontrou condições de solo e clima propícios no Nordeste do Brasil, tornando-se a base da economia lusitana na época.

Necessidade de homens para a lavoura, homens que trabalhassem para donatários e não para seu próprio enriquecimento, alterou a relação inicial entre brancos e índios.

Livres, com valores culturais e estrutura social e econômica bem diversos dos colonizadores, os índios não se sujeitavam às imposições dos brancos.

Lutas entre colonizadores e índios condenaram o desaparecimento inúmeras nações indígenas.
1
492 - Chegada de Colombo a um novo continente, a América;
-Saiu do porto de Palos.
-Três pequenos navios: Santa Maria, Pinta e Niña.
-Chegou à ilha Guanaani. Estava descoberta a América. Visitou, na primeira viagem, Cuba e Haiti e regressou à Espanha

1504 -Américo Vespúcio;

- Afirma que a terra descoberta por Colombo era um novo continente;

1519 a 1522 - Fernão de Magalhães;
-Português a serviço da Espanha
-Realizou a primeira viagem ao redor da Terra.
-Morreu na Filipinas, com uma flechada, num conflito entre nativos.
Descobrimentos Espanhol



1415 -Tomada de Ceuta (importante centro de especiarias);
- Cidade marítima da Mauritânia
- Dominada pelos muçulmanos
- Caiu em poder dos portugueses,

1487 -Bartolomeu Dias e a transposição do Cabo das Tormentas;
- Contornou o Cabo das Tormentas (Tempestades) para descobrir um caminho para as Indias.

1498 -Vasco da Gama atinge as Índias ( Calicute );
- Comandou quatro navios,
-Continuação da viagem de Bartolomeu Dias
- 1502, estabeleceu o domínio português na costa africana oriental.

1499 -Viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil.
Descobrimentos Portugal
Colonização espanhola
Encontraram impérios indígenas ricos e evoluídos, como os dos maias, astecas e incas.
- Esses povos possuíam: conhecimentos de astronomia e geometria, cultivavam a terra utilizando o sistema de irrigação, além de terem um artesanato e uma arquitetura evoluídos.

Para dominar esses povos,
- Aproveitaram-se de suas armas e cavalos (desconhecidos para os nativos) e das rivalidades entre tribos.
- Tradições destruídas e cidades arrasadas, foram obrigados a trabalhar (encomienda).
- Cada comunidade indígena estava sob supervisão dos encomenderais (brancos).
- Mita - o trabalho forçado dos aldeões na realização das obras públicas e outros serviços ao governo.


Princípios econômicos: metrópole e colônia.

-As principais leis mercantilistas foram:

Metalismo:

Pacto Colonial:

Balança comercial favorável:

Protecionistas:

Monopólios:

Política econômica
Renascimento
Para os homens da Idade Média os aspetos e fatos da vida e da história se explicavam pela vontade de Deus.
-Toda a ciência, a literatura e a arte daquela época dependiam do pensamento religioso.

O termo Renascimento vem de renascer da Idade Média, isto é, renascer ou reviver os valores da Antiguidade clássica greco-romana.
Origens
Itália - desenvolvimento das cidades e do comércio.

- Abrigavam nobres senhores que, gozando de prosperidade econômica, resolveram financiar e proteger artistas, cientistas e literatos.

Esses protetores de artistas eram chamados mecenas.
EX:
Lourenço de Médici- Florença;
Gonzaga - Mantova
Sforza -Milão
Causas
A descoberta do Novo Mundo (Américas):

O humanismo:

A queda de Constantinopla:

A invenção da imprensa:

Abertura das universidades:

Criação, originalidade, novos ideais, renovação artística e intelectual.

Retorno à cultura greco-romana: Antigos valores são reaproveitados.

Racionalismo: O uso da razão, mais do que dos sentimentos.

Hedonismo: Os prazeres de viver a vida no dia-a-dia foram valorizados.

Neoplatonismo: Alguns valores da Igreja foram criticados e abandonados.
Características
Renascimento literário
Renascimento artístico
O papa Nicolau (1447-1455) reuniu no seu palácio mais de 5 mil manuscritos, que mais tarde viriam a formar a biblioteca do Vaticano, hoje uma das mais ricas do mundo.

A invenção da imprensa, em 1450, foi responsável pela impressão da Bíblia.

Grandes humanistas apareceram em toda a Europa e deram força ao movimento literário.



- Itália - Inglaterra

Nicolau Maquiavel (1469-1527)

William Shakespeare (1564-1616)









- Espanha - Portugal

Miguel de Cervantes (1547-1616) Luís de Camões (1524-1580)








Principal característica-libertação.
- Itália
Leonardo da Vinci (1452-1519) Rafael Sanzio (1483-1520)
Donatello (1386-1466) Michelangelo Buonarroti (1475-1564)
Renascimento científico
- Inglaterra - Itália
Isaac Newton (1642-1727) Galileu Galilei (1564-1642)
- França - Polônia
René Descartes (1595-1650) Nicolau Copérnico (1473-1543)
Copérnico colocou o Sol, e não a Terra, como centro do Universo. Essa teoria se chamou heliocentrismo.
Descobriu as leis da gravitação universal. Esboçou ideias da ciência natural, ao definir os conceitos de massa, causa, força, inércia, espaço, tempo e movimento.
Para ele, a Via-Láctea não dependia do nosso Sistema Solar. Estudou a aceleração nas quedas dos corpos e anunciou o princípio da inércia.
Criou a geometria analítica e fez descobertas na física.Na filosofia, escreveu vários livros, como Discurso do método, Meditações metafísicas.
Precursores
Revoluções Burguesas
Processos históricos que consolidam o poder econômico da burguesia, bem como sua ascensão ao poder político.
Burguesia: séculos XVII e XVIII- classe social revolucionária.
-Destruiu a ordem feudal.
-Consolidou o capitalismo.
-Transformou o Estado para atender seus interesses.

As chamadas Revoluções Burguesas foram:
-Revoluções Inglesas do século XVII ( Puritana e Gloriosa ).
- Independência dos EUA.
- Revolução Industrial
- Revolução Francesa.
Revoluções Inglesas
XVI e XVII - burguesia desenvolveu-se, graças a ampliação da produção de mercadorias e das práticas do mercantilismo.
- Desenvolvimento das forças produtivas - intervenção do Estado Absolutista nos assuntos econômicos = obstáculo para desenvolvimento do capitalismo.

- A burguesia passa a defender a liberdade comercial e a criticar o Absolutismo.
Absolutismo inglês desenvolveu-se sob duas dinastias.
- Dinastia Tudor.

- Dinastia Stuart.
Dinastia Tudor
-Grande desenvolvimento econômico inglês- principalmente no reinado da rainha Elizabeth I.

-Consolidação do anglicanismo

-Adoção das práticas mercantilistas.

-Início da colonização da América do Norte

-Processo da política dos cercamentos - ampliar as áreas de pastagens e a produção de lã.

-Os intensos conflitos religiosos.
A monarquia inglesa - anglicana - perseguia católicos e puritanos, gerando esses conflitos religiosos.


Durante
Dinastia Stuart
No século XVII, o Parlamento inglês contava com um grande número de puritanos- que representavam os interesses da burguesia- e não aceitavam mais a interferência do Estado Absolutista.

Com a morte de Elizabeth I, o trono inglês fica com os Stuarts. Foi durante esta dinastia que ocorreram as Revoluções Inglesas.
Jaime I ( 1603/1625) - uniu a Inglaterra à Escócia (terra natal).
-Insatisfação da burguesia e do Parlamento.

-Realizou uma intensa perseguição a católicos e puritanos calvinistas.
Virtude da perseguição - puritanos dirigiram-se ao Novo Mundo = fundação da Nova Inglaterra.
Carlos I ( 1625/1648) - sucessor de Jaime I.
- Reforçar o absolutismo estabelecendo novos impostos sem a aprovação do Parlamento.

1628 - Parlamento impôs ao rei a "Petição dos Direitos", que limitava os poderes monárquicos: problemas relativos a impostos, prisões e convocações do Exército seriam atos ilegais, sem a aprovação do Parlamento.

1629 - dissolveu o Parlamento e governou sem ele por onze anos.
1640: convocar novamente o Parlamento - ­necessidade de novos impostos.
- Diante da negação - procura dissolver o Parlamento, desencadeando uma violenta guerra civil na Inglaterra.
Revolução Puritana
- O partido dos Cavaleiros = apoiavam o rei: a nobreza proprietária de terras, os católicos e os anglicanos
- Os Cabeças Redondas = partidários do Parlamento - liderados por Oliver Cromwell.
A guerra civil mostrou dois lados da sociedade inglesa:
Após uma intensa guerra civil ( 1641/1649), os Cabeças Redondas derrotaram os Cavaleiros- aprisionando e decapitando o rei, Carlos I, em 1649.
-Após a morte - foi estabelecida uma república na Inglaterra, período denominado "Commonwealth".


A revolução puritana marca, pela primeira vez, a execução de um monarca por ordem do Parlamento, colocando em xeque o princípio político da origem divina do poder do rei- influenciando os filósofos do século XVIII ( Iluminismo).
No Reinado de Carlos II ( 1660/1685) -filho de Carlos I
-Parlamento dividiu-se em dois partidos: Whig, composto pela burguesia liberal e adeptos de um governo controlado pelo Parlamento e Tory, formado pelos conservadores e adeptos do absolutismo.


Morte de Carlos II - Jaime II ( 1685/1688) assumiu o poder e procurou restaurar o absolutismo monárquico, tendo oposição dos Whigs.
- 1688 - nascimento de um herdeiro ­filho de um segundo casamento com uma católica­
- Temendo a sucessão de um governante católico, Whigs ( puritanos ) e Torys ( anglicanos), aliaram-se contra Jaime II, oferecendo o trono a Guilherme de Orange, protestante e casado com Maria Stuart - filha do primeiro casamento de Jaime com uma protestante.


Guilherme foi proclamado rei quando aceitou a Declaração dos Direitos ( Bill of Rights ),que limitava os poderes do rei e estabelecia a superioridade do Parlamento.
-Determinou-se também a criação de um exército permanente, a garantia da liberdade de imprensa e liberdade individual e proteção à propriedade privada.


A Revolução Gloriosa foi um complemento da Revolução Puritana, garantindo a supremacia da burguesia, através do controle do Parlamento. Também garantiu o fim do absolutismo monárquico na Inglaterra e o surgimento do primeiro Estado burguês, sob a forma de uma monarquia parlamentar.
A Restauração e a Revolução Gloriosa
Mercantilismo
Nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII.

O mercantilismo originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os Estados.

Caracterizou-se por uma forte intervenção do Estado na economia.

Consistiu numa série de medidas tendentes a unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação de fortes Estados-nacionais.
Nos Séculos XV e XVIII - foi predominante no sistema político dos países da Europa e foi o responsável pelas mudanças ocorridas no final da Idade Média.

Características:
- Centralização do poder nas mãos do rei.
- Criava as leis sem a aprovação do povo.
- Impostos e tributos - criados conforme a necessidade do reino
- Burguesia - o apoiava e em troca o rei procurava unificar a moeda e fornecia segurança.
- Rei - interferia nos assuntos religiosos
- Usava de extrema violência sob o povo - tendo o direito de vida ou morte sobre qualquer um.

Alguns reis desta época: Henrique VIII e Elizabeth I da Inglaterra e Luis XIV, dinastia dos Bourbons
Absolutismo
Iluminismo
Movimento contrário ao absolutismo e as outras práticas da época que surgiram na Inglaterra, na França e na Holanda durante da Idade Moderna.

Objetivo era substituir a visão teocêntrica da Europa que foi espalhada na Idade Média por uma visão mais racional.

Ideia dos iluministas - iluminar as trevas em que a sociedade vivia, cercada de mistérios e crenças religiosas.
-Essa nova visão trazia uma liberdade tanto na área política, quanto na econômica.

O Iluminismo - tinha tendências lógicas, buscavam uma explicação científica para todo fenômeno percebido.


França e atingiu o seu apogeu no século XVIII, sendo chamado de Século das Luzes.


Humanismo
Humanismo, no sentido amplo, significa valorizar o ser humano e a condição humana acima de tudo.

Movimento intelectual iniciado na Itália com o Renascimento e difundido pela Europa, rompendo com o pensamento religioso da Idade Média -
Teocentrismo
(Deus como centro de tudo) e cedendo lugar ao
antropocentrismo
, passando o homem a ser o centro de interesse.

O humanismo procura o melhor nos seres humanos e para os seres humanos sem se servir da religião.

A filosofia humanista oferecia novas formas de reflexão sobre as artes, as ciências e a política, revolucionando o campo cultural e marcando a transição entre a Idade Média e a Idade Moderna.
Reforma Protestante
A reforma religiosa ocorreu no século XVI.
Lutero
Martinho Lutero - Foi um Monge Alemão

Foi um movimento de ruptura da Igreja Católica, que deu origem a outras igrejas cristãs.
A reforma aconteceu, inicialmente, em três países:
- Alemanha.
- Suiça.
- Inglaterra.
Lutero questionava a ação da igreja fazendo duras críticas à vendas de indugências, de relíquias sagradas e a simonia
Colocou estas e outras crítica nas suas 95 teses.
Foi expulso da Igreja Católica e excomungado pelo Papa.
Lutero com a proteção dos nobres alemães fundou a Igreja Luterana Alemã.
Curiosidade:
- 1º a traduzir a Biblia para uma linga nacional popular (o Alemão).
João Calvino
Desenvolveu suas ideias religiosas na Suiça.
Segundo o calvinismo as pessoas nasciam predestinadas à Salvação.

Qualidades:
- Trabalhador
- Poupador
- Seguidor da BÍblia
Ao reconhecer as virtudes do trabalho, o lucro e a prosperidade material, teve um grande apoio da Burguesia.
Rei da Inglaterra, fez a reforma anglicana.

Ele rompeu com a Igreja Católica para poder se separar e casar novamente.

No entanto, sua real intenção era confiscar as terras e os bens da Igreja para poder fortalecer a monarquia e consolidar seu poder.

No anglicanismo (Igreja Anglicana), o rei (ou rainha) é chefe da igreja.
Henrique VIII
A Igreja Católica reagiu à reforma através do CONCÍLIO DE TRENTO.


O Concílio de Trento foi uma reunião de todos os líderes da Igreja Católica em busca de soluções para impedir a expansão do protestantismo.

Dentre as medidas tomadas pela Igreja, destacam-se:
A criação do Tribunal do Santo Ofício
Manter os dogmas da Igreja, os sete sacramentos e a hierarquia do clero.
Confirmar o celibato.
Acabar com os abusos (indulgências, venda de relíquias, simonia, etc).
A criação da Companhia de Jesus.
Contra-Reforma

As primeiras descobertas - ilhas da Madeira, Cabo Verde, Açores, Porto Santo, no Atlântico;
Descobrimento do Brasil

Ocorreu no dia 22 de abril de 1500.
-Nesta data as caravelas da esquadra portuguesa, comandada por Pedro Álvares Cabral, chegou ao litoral sul do atual estado da Bahia.

-Era um local que havia um monte, que foi batizado de Monte Pascoal.

-No dia 24 de abril, dois dias após a chegada, ocorreu o primeiro contato entre os indígenas brasileiros que habitavam a região e os portugueses.

-De acordo com os relatos da Carta de Pero Vaz de Caminha foi um encontro pacífico e de estranhamento, em função da grande diferença cultural entre estes dois povos.


Revolução Francesa
Reflexo da luta da burguesia pelo poder político.
Termo "Francesa" - eclodiu na França.
-Por uma série de fatores.

"Os burgueses franceses de 1789 afirmavam que a libertação da burguesia era a emancipação de toda a humanidade" ( Karl Marx e Friedrich Engels ).
A sociedade francesa da segunda metade do século XVIII possuía dois grupos muito privilegiados:

Primeiro Estado:
-Alto Clero, 0,5% da população francesa, era identificado com a nobreza e negava reformas.
-Baixo Clero, identificado com o povo, e que as reclamava.

Segundo Estado:
-Camada palaciana ou cortesã, que sobrevivia à custa do Estado,
-Camada provincial, que se mantinha com as rendas dos feudos,
-Nobreza Togada, em que alguns juízes e altos funcionários burgueses adquiriram os seus títulos e cargos.


Esses dois Estados oprimiam e exploravam o Terceiro Estado.
- Burgueses, camponeses sem terra e os "sans-culottes"( artesãos, aprendizes e proletários)

Os impostos e contribuições para o Estado, eram pagos pelo Terceiro Estado - isenção tributária.

A situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luís XVI.

O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 14 de Julho de 1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.
Política:

-O despotismo dos Bourbons.

-Estado francês continuava fixado no absolutismo monárquico.

-Na França do século XVIII, o poder do rei ainda era considerado como de origem divina.
Causas
Econômica:

- Grave crise econômica, em virtude das péssimas colheitas e na falta de alimentos.

- Gravíssima crise financeira, graças ao envolvimento da França na guerra dos Sete Anos ( 1756/1763) e na guerra de independência dos Estados Unidos- que acarretaram enormes gastos, ampliando a dívida do Estado.

Para solucionar este quadro o Estado precisava aumentar sua arrecadação, o que implicava em um aumento dos impostos.
Social:
Etapas da Revolução
Camponeses- rebelaram-se contra os senhores:
- Invasão das propriedades.
- Queima de documentos de servidão.
- Assassinatos.
Reação ficou conhecida como: Grande Medo.
Em agosto de 1791 - lei que abolia os privilégios feudais.
- 26 -Assembléia aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.

Em setembro de 1791 - promulgada uma nova Constituição, que diminuía os poderes reais, e transferia o poder de decretar leis ao Parlamento.
- Direito voto - foi restringido em virtude de seu caráter censitário.
- Privilégios feudais foram extintos.
- Os bens da igreja foram nacionalizados.
- Clero transformado numa instituição civil e sustentado pelo Estado.
Nesta fase desenvolveu-se os seguintes grupos políticos:
- girondinos: representantes da alta burguesia.
- jacobinos: representantes da pequena burguesia.
O processo revolucionário francês não foi bem visto pelos regimes absolutistas da Europa.

A reação foi imediata: intervenção militar na França para sufocar a revolução.

O exército francês era sistematicamente derrotado.

Em 25 de julho de 1792, Robespierre acusou o rei de traição.

Em 09 de agosto o rei, Luís XVI, foi preso.

A Assembléia convocou novas eleições para uma nova Convenção Nacional.

O rei foi condenado à morte por traição, criação do Tribunal de Salvação Pública- para julgamento dos inimigos; foi decretado o fim da monarquia e proclamada a República.

Uma nova Constituição foi elaborada, sendo considerada a mais democrática de toda a Europa, instituindo o voto universal, tornou a educação livre e obrigatória.
Full transcript