Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TCC

No description
by

Geovani Petter

on 17 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TCC

Geovani André Petter
AVALIAÇÃO DO RISCO À SAÚDE ATRAVÉS DE DIFERENTES PROTOCOLOS ANTROPOMÉTRICOS EM HOMENS ADULTOS ATIVOS
INTRODUÇÃO
A obesidade tem sido considerada um importante problema de saúde pública e, para a Organização Mundial da Saúde (OMS, 2012), uma epidemia global.

Desde 1980, mais do que dobrou em todo o mundo, sendo classificada como o quinto fator principal de morte (OMS, 2012). Indivíduos com obesidade "apresentam
As metodologias de identificação da adiposidade são diversas, e esses métodos se distinguem entre:
diretos;
Objetivos Específicos:
METODOLOGIA
CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES
CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
Orientador: Prof. Ms. Carlos L. Tiggemann

No controle da obesidade, a mudança comportamental, baseada na dietoterapia associada à prática de atividade física, deve ser priorizada conforme Guedes e Guedes (2003).

O acúmulo excessivo na região abdominal é um fator para o desenvolvimento de diversas doenças (Heyward e Stolarczyk, 2000).
INTRODUÇÃO
As ferramentas mais utilizadas para identificação do risco relacionado à obesidade são:
Índice de massa corporal (IMC);
Índice de cintura/quadril;
Índice de cintura/estatura,
Perímetro da cintura (PC);
Dobras cutâneas para estimar o percentual de gordura (%G).
Podemos observar que existem muitas diferenças entre os estudos e as conclusões dos mesmos no que diz respeito às ferramentas que se propõem a medir a adiposidade corporal e o risco que essa por sua vez traz a saúde humana.
OBJETIVOS


Verificar a existência de correlação entre protocolos de avaliação antropométrica, quanto ao resultado de risco à saúde em homens adultos ativos, entre 35 e 50 anos da cidade de Estrela.
Objetivo Geral:
Identificar o perfil antropométrico dos sujeitos através de diferentes protocolos de avaliação;

Verificar a capacidade de distinção de sujeitos com e sem risco à saúde, através dos diferentes protocolos;

Correlacionar as medidas obtidas entre os diferentes protocolos.
A metodologia utilizada no presente estudo foi quantitativa, descritiva, correlativa e de corte transversal.

Amostra foi composta por 31 homens praticantes de atividade física regular com idade de 35 a 50 anos, da cidade de Estrela (RS).

Enquadraram-se sujeitos que apresentavam IMC entre o padrão normal ≥ 18,5 kg/m² e obesidade I < 35 kg/m², e aparentemente saudáveis.
Procedimentos da coleta:

TCLE;
Massa Corporal;
Estatura;
Para o tratamento estatístico, foram utilizados:

Tabela com média, desvio padrão, mínimo e máximo;

Tabela de distribuição de frequência de % de indivíduos em risco à saúde;

Correlação de Pearson, adotado um nível de significância de p < 0,05, no pacote estatístico SPSS v.17.0
O perfil antropométrico dos indivíduos varia de região para região, assim como os resultados de uma equação e a sua validade, conforme Costa (2001).

Nos indivíduos que participaram da amostra, constatou-se que 58% dos indivíduos apresentava sobrepeso.
DISCUSSÃO
DISCUSSÃO
DISCUSSÃO
Percentual de Gordura (%G) de McArdle (1981) por perimetria apresentou forte correlação com os demais protocolos e semelhança na discriminação quanto ao risco à saúde.
Podemos concluir através do estudo realizado, que a discriminação dos indivíduos, quanto ao risco à saúde, é diferenciada.

A correlação entre os protocolos de avaliação antropométrica utilizados, de modo geral, apresentou-se alta, porém não se assemelharam em número de indivíduos considerados em risco.
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
OBJETIVOS
METODOLOGIA
METODOLOGIA
METODOLOGIA
RESULTADOS
RESULTADOS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
indiretos;
duplamente indiretos.
METODOLOGIA
Perímetros
Tabela 2 - Protocolo/Equação/Ponto de Corte
METODOLOGIA
Dobras Cutâneas
Gráfico 1 - Frequência de indivíduos em risco à saúde
RESULTADOS
Tabela 4 - Correlação de Risco à saúde
DISCUSSÃO
DISCUSSÃO
Correlação moderada/alta entre os protocolos utilizados.
DISCUSSÃO
Correlação e Frequência de Risco.
Petroski (1995) e Pollock et. al. (1976)
Correlação = 0,943
Frequência de Risco = 64,5% e 3,2%
Costa (2012) obteve o mesmo problema ao avaliar crianças em diferentes protocolos para verificação de síndrome metabólica, encontrando valores diferentes: 39,7, 51,2 e 74,4%.
METODOLOGIA
APLICAÇÃO PRÁTICA
APLICAÇÃO PRÁTICA
Gráfico1 - Mortalidade associada ao IMC. Fang (2003)
Perfil antropométrico
uma substancial elevação nos índices de mortalidade – 50 a 150%" (COSTA, 2001)
Este estudo encontrou diferenças de discriminação de risco à saúde em diversos protocolos, variando de 3,2% à 64,5%.

Sendo que 50% dos protocolos apresentaram uma média de 40% de indivíduos em risco à saúde, podendo estes serem mais indicados.

Entre estes protocolos existe um protocolo de %G por perimetria, o que pode facilitar a avaliação de indivíduos ao apresentar restrição de recursos materiais.

Contudo, ressalta-se a necessidade de estudos longitudinais para confirmação do risco à saúde encontrado neste estudo.
Full transcript