Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Evolução do trabalho

No description
by

Alexander Rodrigues

on 14 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Evolução do trabalho

A Idade Contemporânea é um tempo histórico em aberto. Compreendendo o final do século XVIII até os dias atuais. Com o advento da Revolução Industrial, êxodo rural, concentração dos meios de produção, a maior parte da população não tinha nem ferramentas para trabalhar como artesãos. Sendo assim, restava às pessoas oferecer seu trabalho como moeda de troca. É nessa época que a noção de emprego toma sua forma. O conceito de emprego é característico da Idade Contemporânea, porém começou a ser desenvolvido na Idade Moderna.
Os séculos XV e XVI marcam o começo de um período histórico chamado Idade Moderna, que se estende até o final do século XVIII. Três grandes acontecimentos se destacam nesse período: a Expansão Marítima, o Renascimento e a Reforma Protestante.
Esses acontecimentos alteraram profundamente a política, a economia, a sociedade e a cultura. Em consequência disso, as pessoas passaram a adotar modos de vida bem diferentes daqueles dos homens que viveram na Idade Média.
Até então, a conotação do trabalho era negativa, o trabalho era considerado uma atividade inferior e sem valor algum, destinado aos escravos. Com o surgimento da burguesia, há o início da valorização do trabalho e da crítica à vida ociosa. A partir dos avanços científicos do século XVII, da passagem do feudalismo ao capitalismo e de todas as mudanças sócio históricas daí advindas, a prática do trabalho se consolida na sociedade.

Havia uma divisão simples do trabalho de acordo com a idade e o sexo. Onde as mulheres cuidavam das crianças e juntamente com elas eram responsáveis pela coleta de frutos e raízes, os homens caçavam, pescavam e defendiam o território, sempre realizadas as tarefas em grupo.
Acreditam os estudiosos que existia algum tipo de hierarquia que distribuía
o trabalho. Tudo que caçavam, pescavam ou coletavam eram divididos entre
eles.
Evolução do trabalho
No contexto histórico
O trabalho é um conjunto de atividades realizadas, é o esforço feito por indivíduos, com o objetivo de atingir uma meta. O trabalho também pode ser abordado de diversas maneiras, e com enfoque em várias áreas, como na economia, na física, na filosofia, etc. O trabalho também possibilita ao homem concretizar seus sonhos, atingir suas metas e objetivos de vida, além de ser uma forma de expressão. É o trabalho que faz com que o indivíduo demonstre ações, iniciativas, desenvolva habilidades e é com o trabalho que ele também poderá aperfeiçoá-las. O trabalho faz com que o homem aprenda a conviver com outras pessoas, com as diferenças, a não ser egoísta e pensar na empresa e não apenas em si.

O trabalho faz com que o indivíduo aprenda a fazer algo com um objetivo definido, desde a época do trabalho escolar no colégio, e com isso, o ser humano começa a conquistar seu próprio espaço, respeito e consideração dos demais. Quando a pessoa realiza um trabalho bem feito, também contribui para a sua autoestima, satisfação pessoal e realização profissional.
A Idade Média pode ser definida como o período compreendido entre a queda do Império Romano do Ocidente, em 476, e a queda de Constantinopla, capital do Império Bizantino.
Prevaleceram na Idade Média as relações de vassalagem e suserania. O suserano era quem dava um lote de terra ao vassalo, sendo que este último deveria prestar fidelidade e ajuda ao seu suserano. O vassalo oferecia ao senhor, ou suserano, fidelidade e trabalho, em troca de proteção e um lugar no sistema de produção. As redes de vassalagem se estendiam por várias regiões, sendo o rei o suserano mais poderoso.
Todo os poderes jurídico, econômico e político concentravam-se nas mãos dos senhores feudais, donos de lotes de terras (feudos).


Idade Antiga é um período compreendido entre (aproximadamente) 4000 a.C., com o aparecimento da escrita, até 476, com o fim do Império Romano do Ocidente. A Idade Antiga é dividida entre Antiguidade Oriental (Mesopotâmios, Egípcios, Hebreus, Fenícios e Persas) e Antiguidade Ocidental (Grécia e Roma).

Leonardo da Vinci pode se dizer
Pré-história
O Período Pré-Histórico abrange toda a época anterior a 4000 a. C., desde o aparecimento dos primeiros seres humanos, por volta de um milhão de anos atrás. Naquele período podemos encontrar os primeiros vestígios do que hoje é definido como trabalho.

Idade Antiga
Idade Média
Idade Moderna
O homem começa
a criar e a aperfeiçoar,
os instrumentos do trabalho, por exemplo, as lanças
ou os machados, em pedra ou em bronze ou ferro.
mais tarde, o homem domina a natureza, com a
descoberta da pecuária e da agricultura. E sai do
nômade para se tornar sedentario
O trabalho no feudalismo era exclusivo dos servos, que não eram escravos, ou seja, não podiam ser vendidos nem comprados, mas também estavam presos ao feudo... Tinham que pagar tributos em forma de produtos ao senhor feudal, dízimos a igreja, etc. Além disso, tinham que fazer seus próprios móveis e roupas, pois os feudos eram mundos fechados ao exterior.
que era um homem que vivia do trabalho, por não só atuar mais se tornar um profissional em diferentes áreas como: a anatomia, a engenharia, a matemática, a música, a história natural, a arquitetura, a escultura, a pintura e ainda
se revelaria um talentoso inventor.
Idade
Contemporânea
Na Antiguidade, não existia a noção de emprego. A relação trabalhista que existia entre as pessoas era a relação escravizador-escravo. Podemos tomar as três civilizações mais influentes de sua época e que influenciaram o Ocidente com sociedades escravistas, a egipcia, a grega e a romana. Nessa época, todo o trabalho era feito por escravos. Havia artesãos que poderiam ser comparados aos profissionais liberais de hoje, já que trabalhavam por conta própria sem ter patrões. Para os artesãos não existe a relação empregador-empregado. Nessa sociedade, havia uma serie de trabalhadores, mais eram os escravos, propriedade do senhor, que faziam os serviços pesados para seus donos, sendo que esses escravos e suas famílias podiam ser submetidos à venda, troca, aluguel e até doação. Então a força de trabalho escrava da época era vista como objeto e não como pessoa.

No decorrer do trabalho falamos sobre as relações trabalhistas tendo em vista os cinco períodos históricos: ,pré-história, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea; para que ficasse visível a lógica da divisão da História em quatro períodos. Cada período histórico é marcado por uma organização social, política, econômica e cultural própria. O fim do século XX é o início de um período de transição de onde passaremos da idade contemporânea para uma Idade pós-Contemporânea. As mudanças que vêm ocorrendo graças à tecnologia, principalmente a tecnologia da telecomunicação, estão modificando as relações econômicas entre empresas, empregados, governos, países, línguas, culturas e sociedades. Essas mudanças parecem estar caminhando para uma situação tão diferente existente no final da Segunda Guerra Mundial, que podemos dizer que um novo período da História está se esboçando.
Hoje, com a construção de um mundo sem fronteiras e com a globalização da economia, impõe-se, revolucionariamente, a microeletrônica e a robótica trazendo inovações a uma velocidade meteórica. Porém, ainda vivemos uma transitoriedade para as novas tecnologias, pois o mundo da
produçãoainda convive com os paradigmas tradicionais do taylorismo/fordismo. Por outro lado,
vivencia também a automação, a flexibiliidade e a integração.
De uma época em que se cultuou o trabalho como meio pelo qual o
homem afirmava sua soberania perante a natureza, dominando-a e construindo um novo mundo – a época moderna -, chegou-se a um
tempo em que o culto não é mais o do trabalho, mas o do lazer, do
tempo livre – a época contemporânea.
Idade Antiga
Idade Média
Idade Moderna
Pré-História
Idade Contemporanea
Evolução da linha
do tempo

Prof.ª:
Alexander Imperio
Elisa Meireles
Isabella Façanha
Lucas Guimarães
Lucas Sebastyan
Aldinea Sevilha
E
Maria José T. Gomes
Conclusão
Full transcript