Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Apesar de você.... A ditadura militar no Brasil (1964-1985)

No description
by

Julia Oliveira

on 19 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Apesar de você.... A ditadura militar no Brasil (1964-1985)

Apesar de você.... A ditadura militar no Brasil (1964-1985)
Jânio Quadros governo por pouco tempo, exatos sete meses. No plano econômico Jânio não agradou nem à classe média, nem aos trabalhadores e ainda proibiu o uso de biquini, lança perfume e briga de galos. Do ponto de vista externo, Jãnio Quadros fez uma vistitia à Cuba, em março de 1960, e condecorou com a Che Guevara com a Ordem Cruzeiro do Sul, demonstrando autonomia política e ameçando os interesses da classe conservadora brasileira. Em novembro do mesmo ano, Carlos Lacerda, jornalista e político Carlos Lacerda publicou um artigo insinuando que Jânio daria um golpe. Na manhã seguinte, Jânio renuncia alegando que "forças terríveis" o obrigavam. João Goulart (Jango), que havia sido eleito vice presidente, assume a presidência.
A presidência
O golpe Militar
As medidas
Depois do AI 1, o AI 2 e 3 dissolveram os partidos políticos, colocando muitos militantes na ilegalidade e estabeleceu as eleições indiretas para presidente e governador. Apenas duas legendas partidárias foram permitidas: a ARENA (aliança Renovadora Nacional) e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro)
Em 1968, em Paris, estorou o "maio de 68" questionando as relações de poder existentes no mundo. No Brasil não foi diferente. Milhares de pessoas, sobretudo estudantes, intelectuais, jornalistas, foram as ruas questionar o sistema autoritário do governo como na conhecida "Passeata dos Cem Mil". Antes disso, o estudante Edson Luís foi morto durante uma manifestação no Rio de Janeiro. Em São Paulo, os estudantes de história e Filosofia da USP entraram em conflito com os estudantes do Mackenzie resultando em diversas prisões.
1968: um ano para não esquecer..
Muitos grupos de esquerda optaram pela chamada "luta armada" e pela guerrilha urbana e rural. Frente a isso, o AI 5 que aumentou drasticamente a repressão e da violência. Em 1979, o General Médici assume e coloca o período de maior endurecimento da ditadura com um crescente número de presos políticos presos, torturados e "desaparecidos".
AI 5: aumenta a repressão
Em 1964, Jango é deposto e o presidente da Câmara, Ranieri Mazilli, assume. Em seguida é editado, pelo exército e aeronáutica, o Ato Institucional nº 1 que altera a Constituição Federal aumentando o poder do Executivo e limitando o poder do Legislativo. É nesse momento que tem início a repressão política. Depois de 48hs, o COngresso Nacional realizou eleições indiretas colocando o Marechal Alencar Castelo Branco na presidência, dando início à cassação de mandatos políticos.
É também nesse período que o Estado aumenta a censura no país fazendo com que muitos artistas, como Chico Buarque, Elis Regina, Caetano Veloso e Gilberto Gil fossem presos e optassem pelo exílio. Viver no Brasil passa a ser um risco! Ao lado disso, o Estado investia na propaganda ideológica que afirmava: "Brasil, eu te amo! ou "Brasil: ame-o ou deixe-o"
Brasil: Ame-o ou Deixe-o!
Cálice!
Nesse momento, centenas de militantes de esquerda, professores, intelectuais, operários, enfim, a população que se opunha ao regime, incluindo alguns militares, foram presos, torturados e mortos. As técnicas empregadas iam dos choques elétricos ao afogamento, fazendo com que muitos morressem. Algumas destas mortes eram relatadas como suícidios e alguns presos foram considerados desaparecidos e o estão até hoje...
Em 1975, o jornalista da TV Cultura foi retirado pelos militares para prestar esclarecimentos e mais tarde foi dado como morto pelos militares, em um suposto suícidio. A foto retirada na cela causou revolta da população. Nesse período, a sociedade cívil passou a se organizar, ocupando pequenas brechas e espaços para manifestar o desejo pelo retorno às liberdades democráticas.
Herzog
Varrendo a corrupção!
A eleição de Jânio Quadros
Em outubro de 1959, Jânio Quadros, candidato do pequeno partido do PTN, ganhava as eleições presidenciais com expressivos 48% dos votos. Com um discurso de combate à corrupção, Jânio atraia a elite anti-getulista, a classe média desejosa da moralização dos costumes e da política, que sofria com o aumento do custo de vida, assim como a maioria dos trabalhadores. Afirmando-se como "a esperança do povo abandonado" tinha como slogan "varrer a corrupção do Brasil"
O Governo de Jango
É importante falaos que o Brasil de Jango e Jãnio Quadros não era o mesmo de Getúlio. Nestes anos cresceu fortemente no Brasil os movimentos sociais como o de estudantes (Une, JUC), as ligas camponesas e os sindicatos. Portanto, o novo presidente deveria dialogar com estes novos sujeitos sociais.
Jango criou as reformas de base que consistia na reforma urbana e agrária, na extensão do direito ao voto para os analfabetos e "inferiores" da Forças Armandas e uma intervenção maior do Estado na Economia, a exemplo da nacionalização de algumas empresas, uma proposta de modernização do capitalismo e de redução das desigulades sociais pelas mãos do Estado
A Anistia
A partir de 1975, com o "fim" da censura, o movimento feminino pela anistia ganha força e, em 1970, a Lei da Anistia foi aprovada. Essa concedeu "perdão" político à todos que estiverem envolvidos no regime militar, tanto à esquerda, quanto à direita!
E a comissão da verdade?

Essa foi aprovada em 2012 e, por conta da Lei da Anistia, tem apenas a função de investigar os crimes cometidos pelo Estado brasileiro contra os Direitos Humanos, no período que vai de 1937 a 1985. Contudo, a Comissão não pode prender, julgar e nndenar nenhum torturador!
Full transcript