Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TEMA: COMO AVALIAR A TEXTUALIDADE EM GÊNEROS DISCURSIVOS?

No description
by

Reinaldo Holanda

on 4 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TEMA: COMO AVALIAR A TEXTUALIDADE EM GÊNEROS DISCURSIVOS?


TEMA: COMO AVALIAR A TEXTUALIDADE EM GÊNEROS DISCURSIVOS?

COMO AVALIAR AS EXPOSIÇÕES ORAIS?
Assim como na produção escrita, no momento de avaliar o resultado das exposições orais, os critérios a serem considerados precisam também ser combinados com os alunos.
É importante que essa avaliação não seja feita somente pelo professor. Como o envolvimento dos interlocutores é um aspecto indispensável nessas apresentações, recomenda-se que eles possam manifestar-se sobre a qualidade do trabalho e desempenho dos expositores.
Os critérios de avaliação devem considerar os seguintes aspectos:
01- Articulação das diferentes partes da exposição (caracterização do assunto, detalhamento e encerramento);
02- Grau de formalidade;
03- A fluência da fala, a entonação e o volume de voz;
04- Os recursos utilizados para a apresentação;
05- O público;
06- A gestão do tempo.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A dimensão em que se enxerga a avaliação do trabalho de produção de textos na escola é muito ampla, complexa e multidimensional.
Talvez uma concentração maior no ensino, no êxito que se busca, coloque a avaliação na sua função maior de reguladora do processo de aprendizagem. A atividade de ensino é inerentemente interativa. Ensinar e aprender são duas faces de uma mesma realidade.
Os professores não pensem em apenas corrigir, mesmo quando estiver avaliando. O compromisso maior é facilitar, é promover a aprendizagem.
AULA APRESENTADA COMO PROVA DE DESEMPENHO (2ª ETAPA) DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DO IFPB- EDITAL N° 08/2015


CANDIDATA: TEREZINHA SEIXAS DE SOUZA BATISTA
OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO: UMA PROPOSTA DE AVALIAÇÃO DA TEXTUALIDADE EM GÊNEROS DISCURSIVOS
Considerando que os critérios à seguir não são os únicos possíveis, estes resumem as indagações que devem ser feitas a um texto com relação aos modos de estruturação e articulação dos elementos formais e de conteúdo no ato da avaliação
01-Avaliação do desenvolvimento do tema proposto
A produção de um texto em resposta a um tema proposto deve considerar alguns elementos básicos que definem tal tema: orientação geral apresentada, delimitação da questão a ser analisada, presença de informações que motivem a reflexão solicitada, entre outros.
O professor, ao preparar o tema, deve fazê-lo considerando qual(is) elemento(s) de um gênero específico (expositivo, argumentativo, descritivo, narrativo ou injuntivo) deseja enfatizar.
Se a inadequação ao tema for geral, deve-se questionar se o que era esperado estava claro na proposta. Caso o problema não esteja na definição do tema, pode-se detectar dificuldades de compreensão em algum aspecto trabalhado em sala de aula.
02- O uso dos elementos da coletânea
É muito difícil escrever um texto a partir do nada. Para produzir um texto sobre determinado tema, o procedimento natural a ser adotado é o de primeiro realizar uma pesquisa para, de posse das informações e dados selecionados, realizar a tarefa de escrever.
Ao apresentar uma proposta de produção de texto acompanhada de um conjunto de informações, o professor estará proporcionando melhores condições para que o aluno escreva e terá no momento da avaliação, a oportunidade de verificar a qualidade de sua leitura. O aluno na obrigatoriedade de utilizar dados extraídos da coletânea, perceberá que leitura e escrita são atividades interdependentes.
03- A estrutura característica do gênero discursivo a ser desenvolvido
É importante que ao longo dos estudos sobre os gêneros discursivos seja dada grande atenção à caracterização da estrutura dos gêneros apresentados.
Que a avaliação dos textos produzidos em resposta aos temas propostos leve em consideração a maneira como os elementos estruturais foram trabalhados pelo aluno, veja em que medida o aluno se vale da estrutura característica do gênero para organizar seu raciocínio e apresentar ao seu interlocutor uma produção convincente.
04- Aspectos gramaticais (o uso que o aluno faz da língua escrita)
A correção gramatical é um elemento muito importante do texto escrito, mas não deve ser valorizado excessivamente. É importante que o professor crie uma espécie de hierarquia gramatical, isto é, determinar quais são as inadequações que realmente comprometem a compreensão do texto e que evidenciam a pouca familiaridade do aluno com as estruturas próprias do texto escrito.
Avaliar o uso da modalidade escrita da Língua Portuguesa não deve significar, no entanto, uma mera contagem de “erros”. Cabe ao professor identificar tanto os erros quanto os acertos e ponderá-los ao fazer sua avaliação.
05- Coerência
Todo texto escrito deve apresentar uma unidade lógica. A avaliação da coerência de um texto está muito relacionada ao domínio que o aluno tem da estrutura característica do gênero do discurso a ser produzido e da qualidade da leitura que é capaz de fazer do tema e da coletânea.
06- Coesão
Ainda com relação à organização gramatical e semântica do texto, considera-se um último critério: a coesão.
Um texto coeso pode ser definido como aquele que apresenta unidade e uma perfeita relação entre todas as partes. Isso é possível quando o aluno faz bom uso de algumas estruturas que, na língua, cumprem a função de garantir a coesão textual.
O QUE SÃO CRITÉRIOS DE CORREÇÃO?
Critérios de correção são, no contexto específico da avaliação da textualidade em gêneros discursivos, os parâmetros que o professor estabelece para adequar os textos produzidos por seus alunos.

Sem parâmetros, ou critérios, se realiza uma correção holística. A avaliação terá como base a impressão geral causada pelo texto.
POR QUE UTILIZAR CRITÉRIOS DE CORREÇÃO?
A utilização de critérios predefinidos, ao avaliar um texto, contribui para garantir que, no momento de leitura, observe-se os diferentes aspectos da sua estrutura;

A produção escrita de um texto deve seguir etapas distintas e intercomplementares. Parte-se de um projeto de texto, no qual são definidos elementos básicos a serem trabalhados (ampliar repertório, delimitar tema, eleger objetivos, ordenar ideias e informações, prever leitores, considerar a situação em que o texto vai circular, etc.); em seguida, tem início a construção do texto propriamente dito, tudo de conformidade com o que foi planejado, observando o cumprimento dos itens previstos para a sua conclusão. Por último, é a etapa para o sujeito rever o que foi escrito, confirmar os objetivos desejados; avaliar a continuidade temática, a concatenação entre períodos e parágrafos; rever a fidelidade de sua formulação linguística às normas da sintaxe e da semântica; rever os aspectos da superfície do texto, como a pontuação, a ortografia e a divisão do texto em parágrafos.

IMPORTANTE:
Os critérios a serem utilizados na correção devem ser estabelecidos com os alunos. Assim, eles sabem como seus textos serão corrigidos.
AVALIAR COMO? AVALIAR O QUÊ?
Avaliar os resultados do trabalho de produção textual sempre representou um problema: Como avaliar de maneira objetiva?

O propósito da correção de textos deve ser, sempre, orientar o aluno sobre o que fazer para melhorar sua produção escrita em função dos seus interlocutores.

Há alguns procedimentos de avaliação da textualidade em gêneros discursivos que, se adotados sistematicamente, facilitam o trabalho de correção tanto para o professor quanto para o aluno. Trata-se do estabelecimento de critérios a serem utilizados durante o processo de avaliação, também muito importante, no caso de atribuição de notas.
TEXTO — TEXTUALIDADE — GÊNEROS
As concepções que nos convém adotar quando assumimos a tarefa de avaliar os gêneros discursivos produzidos pelos alunos na escola:
TEXTO
Texto é um todo organizado de sentido e com um objetivo. É o espaço de concretização do discurso. Trata-se sempre de uma manifestação individual, do modo como um sujeito escolhe organizar os elemento de expressão de que dispõe para veicular o discurso do grupo a que pertence.
TEXTUALIDADE
O conjunto de características que fazem com que o texto seja considerado como o tal, e não como um amontoado de palavras e frases. Segundo Beaugrande e Dressler, são responsáveis pela textualidade de qualquer discurso os fatores semântico/formal (coesão e coerência) e os fatores pragmáticos (intencionalidade, aceitabilidade, situacionabilidade, informatividade e intertextualidade).
GÊNEROS
Correspondem a certos padrões de composição de texto determinados pelo contexto em que são produzidos, pelo público a que se destinam, por sua finalidade, por seu contexto de circulação.
UMA PROPOSTA DE GRADE DE CORREÇÃO PARA OS CRITÉRIOS DEFINIDOS – TEXTOS ESCRITOS
PROPOSTA DE AVALIAÇÃO DE EXPOSIÇÕES ORAIS
Adequação ao tema proposto
Adequação à coletânea de textos
Adequação à estrutura do gênero dissertativo*
Aspectos gramaticais
Coerência: plano de conteúdo*
Coesão: plano da forma
* No caso de textos de outros gêneros discursivos, basta adaptar os princípios aqui estabelecidos para avaliar a articulação das ideias, já que os parâmetros acima foram estabelecidos tendo como referência um texto de natureza argumentativa.
* No caso de textos de outros gêneros discursivos, basta adaptar os princípios aqui estabelecidos para avaliar a estrutura das dissertações, observando os principais aspectos estruturais que definem tais gêneros.
Full transcript