Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Período Helenístico

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Período Helenístico

Epicuro (341-270)
Um dos principais filósofos deste período aconselhava que as pessoas se afastassem dos perigos e da intranquilidade da vida política e buscassem a felicidade em sua vida privada. "Viva oculto!" era um de seus mandamentos, defendia que o prazer é o princípio e o fim de uma vida feliz.
Os seres buscam prazer e fogem da dor. Ser feliz é sentir prazer.
Diferente do hedonismo (busca desenfreada dos prazeres mundanos) o epicurismo defendia uma adminsitração racional e equilibrada do prazer,pois os desejos insaciáveis terminam em sofrimento. Propõe a ataraxia (ausência de dor, serenidade).
A busca da felicidade interior
Período Helenístico

Com a conquista da Grécia pelos macedônios (322 aC), teve início o chamado período helenístico. Devido à expansão militar do império macedônico, efetuada por Alexandre Magno, caracterizou-se por um processo de interação entre a cultura grega clássica e a cultura dos povos orientais conquistados.
A Academia e o Liceu continuaram abertos e em plena atividade, mas os valores gregos começaram a mesclar-se com as mais diversas tradições culturais.
As preocupações com a política deram lugar às preocupações pessoais. Surgem diversas "filosofias de vida".

Pirronismo (365-275 aC)
Tudo é incerto, nenhum conhecimento é seguro, qualquer argumento pode ser contestado.
Propunham a suspensão do juízo, já que a busca da verdade plena é inútil
Aceitando que das coisas se pode conhecer apenas as aparências e desfrutando o imediato captado pelos sentidos, as pessoas viveriam felizes e em paz.
Um tipo de ceticismo.
Ecléticos
Apresenta elementos de várias escolas, tentando conciliar o melhor de cada uma delas

Ceticismo
O ceticismo é a última palavra da sabedoria antiga, desesperada por não ter podido resolver o problema da vida mediante a razão.
Critica o conhecimento sensível, bem como o intelectual, e também a opinião
Estóicos (pórticos)
Feliz é aquele que vive de acordo com a ordem cósmica, aceitando e amando o seu destino. O estoicismo compreende o universo ordenado, composto de um princípio passivo (matéria) e de um princípio ativo (logos) que permeia, anima e conecta todas as partes (Deus imanente).
Existem coisas que dependem de nós (fazer um bom trabalho e outras que não dependem de nós (ganhar na loteria).
Posso construir minha felicidade usando a vontade para querer apenas aquilo sobre o que tenho poder, que depende de mim e que me faz verdadeiramente feliz.
Coisas boas - virtudes (ser bom, corajoso, prudente, justo)
Coisas más - vícios e paixões (raiva, gula, injustiça, covardia)
Coisas indiferentes não dependem de nós, então não devem nos preocupar.
Dominar as paixões e controlar os pensamentos é fundamental (apatia e ataraxia)
Cinismo (como um cão)
Seus seguidores levavam ao extremo a tese socrática de que o ser humano deve procurar conhecer a si mesmo e desprezar todos os bens materiais; propuseram-se a viver como cães da cidade, sem qualquer propriedade ou conforto.
Diógenes (412-323) pensador mais destacado desta escola era conhecido como "Sócrates louco" por questionar valores e convenções de forma radical.
A prática de vida dos cínicos baseia-se no despudor deliberado: fazem sexo em locais públicos, comem sem utensílios e sem preparar os alimentos, não usam vestimentas, etc., isto é, não se adaptam às conveniências sociais e à opinião. Desprezam o dinheiro, mendigam, não querem posição estável na vida, não têm cidade, nem casa, nem pátria; são miseráveis, errantes, vivem o dia a dia.
Full transcript