Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teorias da formação do Universo e do Sistema Solar

Trabalho de BG
by

Macami Gaio

on 23 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teorias da formação do Universo e do Sistema Solar

Teorias da Formação do Universo e do Sistema Solar Teoria da Expansão Permanente Sistema Solar Estrutura do Universo Teorias da formação do Universo Quatro das teorias da formação do Universo: Teoria do Big Bang; Teoria da Expansão Permanente; •Teoria do Universo Pulsante ou Oscilante; •Teoria do Estado Estacionário. Big Bang é uma das teorias que propõe explicar a origem e evolução do Universo. Segundo esta teoria o Universo terá tido origem há cerca de quinze mil milhões de anos num ponto de densidade e temperatura muito elevadas, onde estava concentrada toda a energia. Teoria do Big Bang Depois da explosão a matéria começou a arrefecer e a espalhar-se permitindo a formação de estrelas de planetas e de todos ou astros.
Esta teoria não consegue prever se a expansão do Universo se dará continuamente ou se este irá sofrer uma contração, o chamado Big Crunch. Universo expandir-se-á para sempre, com as galáxias a afastarem-se continuamente umas das outras. Teoria do Universo Pulsante ou Oscilante Esta teoria defende que o Universo expande-se e contrai-se originando novos Big Bangs.
Nestes processos a matéria não é destruída nem criada, apenas rearranjada. Defende que o Universo não tem princípio nem fim e é sempre sensivelmente o mesmo, no espaço e no tempo.
Esta teoria rejeita o Big Bang, e defende que com o passar do tempo cria-se constantemente nova matéria entre as galáxias. Teoria do Estado Estacionário Pela observação dos céus, os astrónomos concluíram que as estrelas não estão aleatoriamente espalhadas pelo Universo mas sim agrupadas em milhares de milhões de galáxias. O nosso sistema solar é constituído pelo Sol e por todos os corpos que gravitam em torno dele, isto é, planetas, asteroides e cometas. Teoria da origem do sistema solar Algumas das teorias sobre a formação do Sistema Solar Teorias defendidas por: Buffon Chamberlain e Moulton Kant Laplace Houve, uma rápida expansão, acompanhada da libertação de uma enorme quantidade de energia, o que resultou na formação de muitos tipos de partículas (como o hidrogénio, o hélio e o lítio), galáxias, estrelas e outros corpos celestes. •Toda a matéria e energia estavam concentradas numa pequena esfera denominada por ovo cósmico;

•Deu-se uma grande explosão a que chamamos Big Bang. A teoria do Big Bang não é aceite por alguns cientistas pois há fenómenos que esta teoria não consegue explicar. Nas galáxias as estrelas agrupam-se em concentrações chamadas cúmulos estelares. Estas formações podem conter desde um milhar de estrelas, originadas numa mesma região e numa mesma época. Hoje considera-se que o Sol e os planetas do Sistema Solar evoluíram pelos mesmos processos e ao mesmo tempo que a Terra, há cerca de 4600 Milhões de Anos. Durante centenas de anos foram elaboradas teorias que procuraram explicar os factos então conhecidos. Teorias da formação do Sistema Solar Buffon Em 1749, Buffon defendeu que num dado momento da história do universo ter-se-ia registado uma catástrofe. Um cometa (na época era considerado com características de estrela) teria chocado com o sol e deste choque resultaria a emissão de um filamento de matéria solar que, arrefecendo e condensando, teria dado origem aos planetas. Chamberlain e Moulton Em 1900, Chamberlain e Moulton, defenderam que antes de existirem os planetas, uma outra estrela teria passado junto ao sol, arrancando parte dele.
O material ter-se-ia condensado em blocos que ficaram orbitando na direção em que haviam sido arrancados. Os pedaços ter-se-iam juntado, formando os planetas. Kant Em 1755, Kant defendeu que o sistema solar ter-se-ia formado a partir de uma nébula gasosa, da qual condensaram corpos que terão originado o sol e os planetas, girando todos na mesma direção. Laplace Em 1796, Laplace defendeu que a nébula giratória terá começado a arrefecer e a contrair, aumentando a velocidade de rotação. Formaram-se anéis que condensaram em planetas. Teoria Nebular No entanto, nos últimos anos, os astrónomos aceitam a Teoria Nebular, como a hipótese mais aceitável, embora com algumas alterações à Teoria Nebular original. Existe ainda a: Teoria da Colisão Hipótese de Chanberlain Teoria da Colisão Esta teoria dizia que o Sol foi a primeira estrela a ser formada, sem qualquer planeta na sua órbita, depois uma estrela que vagueava pelo espaço, chocou com ele, fazendo com que pequenos pedaços se soltassem do sol. Esses pedaços deram origem aos planetas depois de condensarem. Esta teoria acabou, passados anos, porque a matéria arrancada do sol a uma temperatura tão elevada, desintegrar-se-ia, pelo que não seria possível constituir planetas. Hipótese de Chanberlain A Hipótese de Chanberlain defendia a aproximação de duas estrelas, sem colisão, e que devido aos campos gravíticos, elas seriam tão deformadas, que pequenas porções seriam arrancadas, formando os planetas. Teoria do Big Bang Assim, foram propostas outras teorias para explicar o início do Universo: As galáxias são sistemas estelares isolados e podem ter as seguintes formas: Elíptica Irregular Espiral Teoria original: • Formulada em 1755 por Immanuel Kant e desenvolvida em 1796 por Pierre Simon de Laplace.
• O sistema solar tinha sido formado a partir de uma nuvem de gases e poeiras turbilhante e fria (referido por Immanuel Kant), essa nuvem tinha um movimento de rotação em torno de si mesma e como consequências das forças de gravitação da sua matéria, foi-se contraindo: as partículas centrais formaram o Sol e as restantes partículas formaram os planetas (desenvolvido por Laplace).
• Esta teoria ia contra as leis fundamentais da física, pois o Sol quando submetido a tal força gravítica, giraria cada vez mais depressa à medida que o seu volume fosse diminuindo, ou seja, a sua velocidade de rotação teria de ser superior à atual. Teoria aceite atualmente: • A atual teoria refere que o sistema solar começa com a formação de uma nuvem enriquecida com elementos pesados, fria, de dimensões muito grandes e constituída por gases e matéria interestelar, e que através da condensação da matéria, o seu núcleo foi aquecendo gradualmente e a nuvem começou a rodar.
• A sua velocidade foi aumentando o que fez com esta se começasse a achatar e com que muitas das partículas desta nebulosa se juntassem no centro formando o Sol.
• As partículas que rodeavam o Sol foram-se concentrando mais perto dele, onde as temperaturas eram mais altas, o que levou a formação de planetas telúricos (principalmente constituídos por materiais sólidos), e nas zonas mais afastadas do Sol, onde as temperaturas eram mais baixas formaram-se os planetas gasosos. Atualmente a Teoria Nebular está de acordo com as características gerais do sistema solar: Os planetas encontram-se, aproximadamente, no mesmo plano equatorial do Sol;
oAs órbitas dos planetas são quase circulares;
oOs planetas gasosos possuem velocidades de rotação muito elevadas devido ao movimento que a nebulosa lhes conferiu. Trabalho realizado por: Maria Inês Alegria, nº19 Mariana Gaio, nº20 Marcelo Salvador, nº16 Sara Valente, nº26 10ºC Trabalho de Biologia e Geologia Professora Teresa Silva 2012/2013 FIM
Full transcript