Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Seminário Estadual do Corpo de Bombeiros Militar

No description
by

Thiago Abdala

on 20 August 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Seminário Estadual do Corpo de Bombeiros Militar

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
14ª COMPANHIA INDEPENDENTE BOMBEIRO MILITAR

PARQUE ECOLÓGICO DA SERRA DE JARAGUÁ
LEGISLAÇÃO PERTINENTE
Lei Federal nº 9.985/2000 - SNUC
Lei Estadual nº 14.247/2002 - SEUC
Lei Estadual nº 13.247 /1998
Decreto nº 7.604 /2012
JARAGUÁ-GO
O município de Jaraguá está situado no Vale São Patrício, Micro região de Anápolis, a 112 km de Goiânia, sendo considerado atualmente “a capital das confecções” de Goiás. É servido pelas rodovias: BR153: Belém – Brasília; BR070: Cuiabá-Brasília; GO 427: Jaraguá à Itaguaru e GO 080: Jaraguá à Goianésia e/ou São Francisco. Sua população em 1980 somava 36.559 habitantes – e em 1991 havia decrescido para 28.184 habitantes – a partir daí começa uma nova fase de recuperação: em 2000 33.284 habitantes, e na contagem populacional de 2012 chegou a 41.000 habitantes.

Objetivos
Apresentar as particularidades do Parque Ecológico da Serra de Jaraguá facilitando o combate ;
Conhecer métodos e técnicas de combate a incêndio em Planaltos;
Particularidades das Unidades de Conservação com terrenos íngremes;
Apresentar técnicas de combate com apoio de moto adaptada para combate a incêndios florestais e abastecimento de mochilas costais;
Reconhecimento do terreno e ressuprimento aéreo com paramotor;
MÉTODOS DE COMBATE UTILIZADOS
O combate direto é sempre utilizado, devido, no interior do parque e na divisa do mesmo com fazendeiros
não haver aceiros
;
O combate indireto (
contra-fogo
) é dificultado por falta de faixas de contenção (aceiros naturais ou aceiros provocados pelo Homem), havendo poucas trilhas no interior do Parque, dificultando cercar a cabeça e os flancos do incêndio;
Combate misto;
Combate diurno e noturno é sempre utilizado;
Combate direto aos flancos ainda no alto da Serra;
Lançamento de água com Helicóptero (Bambi Bucket);

CARACTERÍSTICAS PECULIARES
O parque possui muitos paredões rochosos de difícil progressão no terreno (relevo planalto);
Vento norte nordeste (NNE) predominante;
O parque possui poucas trilhas bem definidas para utilização como aceiros e progressão no terreno;
Os fazendeiros não foram desapropriados, havendo propriedades rurais no interior do Parque (risco potencial de incêndio);
O acesso é dificultado por haver poucas estradas no interior do parque e sobre a Serra Jaraguá.
Os proprietários rurais efetuam fogo contra fogo sem conhecimento técnico;
Terreno íngreme e em seu lado sul existem várias propriedades rurais;
THIAGO ABDALA DE MORAIS - CAP QOC
Comandante da 14ª CIBM - Jaraguá-Go

Necessidades Urgentes
Criação de uma sede no parque, com fiscalização no interior do Parque;
Providenciar a desapropriação no interior do Parque;
Efetuar aceiros sobre a Serra e aproveitar as trilhas e estradas aumentando a largura das mesmas (propagação e acesso de tropas) ( dificuldade por ser Íngreme);
Plano de manejo da unidade;
Setorização do Parque através do plano de manejo;
( MATA MATO ????)
O Parque Estadual tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico. O Parque Estadual é de posse e domínio público, sendo que as áreas particulares em seus limites serão desapropriadas. Uso indireto.

A construção do aceiro deverá estar condicionado à suficiência de tempo, topografia e vegetação do local, levando-se em consideração os seguintes fatores:
I – o aceiro deverá ser contínuo, ou seja, sem a ocorrência de bolsões de vegetação que venham possibilitar a passagem do fogo pelo aceiro;
II – sempre que possível, as equipes deverão direcionar o fogo para aceiros naturais, tais como: rios, lagos, estradas, paredões rochosos e outros; e
III – estabelecimento, a pronto emprego, de uma ou mais rotas de fuga para uma zona de segurança.
ACEIROS
TÉCNICAS APLICADAS AOS COMBATES A INCÊNDIOS FLORESTAIS EM LOCAIS DE DIFÍCIL ACESSO.
TOPOGRAFIA
A inclinação de uma vertente pode interferir na velocidade de propagação do fogo, e na ação direta da tropa contra o sinistro. Quanto mais inclinado for o terreno mais se dobram as chamas no sentido da propagação, o que torna o trabalho de combate direto mais perigoso.

No aclive, o fogo queima com mais rapidez para cima, devido à ação de uma corrente de convecção produzida por gases quentes.
Nos declives íngremes, troncos incandescentes podem rolar, causando riscos para os bombeiros, quer pelo impacto com o material, quer pela possibilidade que eles têm de conduzir o fogo.
NECESSIDADES PARA COMBATE PADRÃO E PROGRESSÃO NO TERRENO
CONHECIMENTO DO TERRENO;
EQUIPE TREINADA PARA O COMBATE E PROGRESSÃO NO TERRENO; (ECONOMIA DE ENERGIA E ÁGUA );
LEMBRAR QUE A AGUÁ DA MOCHILA COSTAL NÃO É ESPECÍFICA PARA O COMBATE E SIM PARA DIMINUIR A INTENSIDADE DAS CHAMAS;
INTERCALAR EQUIPE COM MOCHILA E ABAFADORES;
CONHECER O TERRENO ATRAVÉS DE CARTAS TOPOGRÁFICAS E IMAGENS DE SATÉLITE; (GPS) e (BÚSSOLA).
O COMBATENTE
O combatente deve ser dotado de excelente preparo técnico, físico e psicológico, bem como elevada condição moral e sólida instrução militar capaz de fazê-lo suportar as adversidades do terreno, da natureza e do incêndio.
Podemos definir técnica como uma aplicação prática do combate a incêndio em vegetação, associada aos recursos disponíveis como pessoal e material previsto em um plano de ação pré-estabelecido.
Desta forma, o trabalho que possui um bom planejamento e um eficiente plano de combate ao incêndio consegue êxito com mais rapidez.

Em termos florestais, considera-se que declives até 10% são praticáveis pelas pessoas e veículos normais, entre 10% e 20% a marcha só é possível a passo e os veículos normais apresentam algumas dificuldades.
De 20% a 50% é possível a marcha a passo e apenas são praticáveis por veículos 4x4 e acima de 50% a marcha é
quase impossível
e só veículos especiais aí conseguem operar.
Quanto mais inclinada for (maior declive) maior é o efeito das colunas de convecção que aquecem a vegetação acima do incêndio, aumentando a velocidade de propagação no sentido ascendente.

PLANEJAMENTO DO ATAQUE
1ª FRASE "Comando vamos fazer fogo contra fogo"

Um dos erros mais frequentes é a precipitação na tomada das primeiras decisões.

Isto pode, às vezes, dificultar ou retardar a ação de combate, quando por exemplo se constroem aceiros em locais inadequados ou se criam novas frentes de fogo através de contra-fogos mal-colocados.

Os minutos gastos no diagnóstico preciso das condições do fogo e da área ao redor podem significar muitas vezes algumas horas de economia no combate ao incêndio.

ESTUDO DA SITUAÇÃO
A localização exata do incêndio e as características do terreno e vegetação;
A área, a forma e o tipo de incêndio;
Direção e velocidade do vento;
Os caminhos (rotas) de fuga;
A existência de faixas de contenção;
Estradas e locais para captação de água;
Os combustíveis que queimam e a direção do incêndio, e etc.
COMUNICAÇÃO ENTRE EQUIPES (TERRESTRE E AÉREA) EVITANDO O COMBATE DO CONTRA FOGO;
ALCANCE DE CONTROLE E COMUNICAÇÃO DA GCIF COM O COMANDANTE DA OPERAÇÃO OU CHEFE DE OPERAÇÕES;
INFORMAR " LOCALIZAÇÃO POR GPS" DA GCIF NO TERRENO CONSTANTEMENTE ;
DIVIDIR AS FUNÇÕES PRINCIPAIS ( SEGURANÇA, LOGÍSTICA, OPERAÇÕES);
TROPA BEM ALIMENTADA; ( RAÇÃO FRIA E RESSUPRIMENTO QUANDO NECESSÁRIO) ;
2ª Frase no local: " Comando não tem como chegar na linha do fogo, está muito íngrime".
'' Você é o líder de uma sobrevivência é mais fácil resgatá-lo inteiro do que em pedaços, o Rio só atinge o seu objetivo porque aprendeu a contornar os obstáculos''
LEMA DA SOBREVIVÊNCIA
Rescaldo muito importante!
Obrigado!
abdalamaut@gmail.com
RECONHECIMENTO DO TERRENO (AÉREO: HELICÓPTERO, AVIÃO, PARAMOTOR) (TERRESTRE: VIATURAS 4X4);
PROTÓTIPO DA MOTO DE COMBATE A INCÊNDIO
ESPECIFICAÇÕES DA MOTO:
MOTOR 200 CC;
BOMBA STHIL;
80 LITROS DE ÁGUA EM GALÕES DE 20 LITROS INTERLIGADOS;
COROA MAIOR: MAIOR TORQUE / MENOR VELOCIDADE;


UTILIDADES:
COMBATE A INCÊNDIOS EM LOCAIS DE DIFÍCIL ACESSO COM VIATURAS;
ABASTECIMENTO DE 04 (QUATRO) MOCHILAS COSTAIS;
Full transcript