Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PRECIPITADOS COLOIDAIS E PRECIPITADOS CRISTALINOS

No description
by

Mariana Fagundes

on 12 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PRECIPITADOS COLOIDAIS E PRECIPITADOS CRISTALINOS

Ocorre quando o composto tem baixa solubilidade;
Tem maior superfície de contato e são porosos;
Adsorvem com mais facilidade impurezas
Condições em que se formam precipitados coloidais
Nos precipitados gelatinosos as partículas não crescem além de um certo tamanho, medem cerca de 0,02 µ ou menos.
Como na análise gravimétrica é preferível compostos facilmente filtráveis, é necessário induzir os coloides a se aglomerarem em partículas maiores, unidas por forças de coesão relativamente fracas e para mantê-las assim é necessário lavagem com eletrólito.
Os sistemas coloidais são estabilizados por solvatação ou hidratação.
Outro fator que favorece a coagulação é o aumento da temperatura da solução.
Alguns precipitados não ocorrem crescimento das partículas com o aquecimento, como em precipitados gelatinosos como o Fe(OH)3 devido à solubilidade ser pequena.
As impurezas dos precipitados coloidais podem ser retirados a partir da lavagem do mesmo.
A coagulação de soluções coloidais pode ocorrer por qualquer eletrólito cujo íons, com cargas de sinais opostos, descarregam as micelas, sendo adsorvidos por sua superfície, permitindo que as micelas fixam-se umas nas outras.

Após a coagulação do precipitado é necessário uma lavagem adequada para que as partículas não se dispersem novamente para a forma coloidal e ultrapassem os poros do papel filtro. Esse efeito é conhecido como peptização,
PRECIPITADOS COLOIDAIS E PRECIPITADOS CRISTALINOS
Solução menos supersaturada possível em relação à substância de interesse que irá precipitar;
No decorrer da precipitação, é necessário aumentar sua solubilidade;
Para a formação de compostos cristalinos é interessante deixá-los em repouso durante várias horas ou dias.
Precipitados Cristalinos
Condições em que se formam precipitados cristalinos


São os mais favoráveis para fins de análise gravimétrica;
Ocorre quando a solubilidade da substância de interesse não é muito baixa;
São facilmente filtrados, e possuem tamanho de 0,1 a 1,0 µ
De acordo com as propriedades individuais dos compostos precipitados e atendendo em primeiro lugar sua solubilidade e às condições que se dá a precipitação, o crescimento das partículas se dá por duas vias diferentes
Processos os quais favorece a nucleação há formação de coloides quando há favorecimento do crescimento das partículas, há formação de cristais.
Pepitização
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS- CAMPUS DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS HENRIQUE SANTILLO
Precipitados Coloidais
Acadêmicos:
Danúbia de Oliveira
Ligiane Frazão
Pedro Simão
Rodrigo Alves
Prof ª Dra.: Cleide Sandra Tavares Araújo
Curso: Química Industrial
Disciplina: Química analítica quantitativa

São divididos em dois grupo

Colóide liófilo: são sistemas coloidais na qual a substância se dispersa espontaneamente no dispersante.
Colóide liófobo: são sistemas coloidais na qual a substância não se dispersa espontaneamente no dispersante
Full transcript