Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Memória, história e presente

No description
by

Priscila Ferreira

on 14 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Memória, história e presente

Futurismo
O futurismo deve ser entendido como a denominação do ponto de vista do futuro.

O
Manifesto futurista
mostra como podemos passar do futurismo ao presentismo ou como o futurismo é também (já) um presentismo.

"A história é feita em nome do futuro e deve ser escrita do mesmo modo.

Ascensão da beleza da velocidade = imediatismo
Presentismo
O presente se ergue contra o passado em nome da vida e da arte.

A história profissional teria que começar a demonstrar que o passado não era sinônimo de morte e que não desejava suforcar a vida.

A preocupação dos primeiros
Annales
: o trabalho do historiador sob o signo de um duplo movimento - do passado para o presente e do presente para o passado.
Memória e história
Sobre o autor
François Hartog é historiador, doutor em Historiografia Antiga e Moderna e professor das mesmas disciplinas na École des Hautes Études en Sciences Sociales na França. É membro dos importantes institutos de História e um dos fundadores de L'Association des Historiens - Associação de Historiadores da França.
As crises do regime moderno
A possibilidade de decifrar a Revolução Francesa como um conflito entre dois regimes de historicidade.

Pensar as características do regime moderno como a História. Koselleck:
"Para além das histórias, há a História".

A História em si que deve se tornar conhecimento de si mesma (Droysen)
Nosso percurso:
As crises do regime moderno
A ascensão do presentismo
Memória e história
O momento dos "Lieux de mémoire"
Memória, história e presente

Introdução do capítulo
Apresenta a discussão entre o diagnóstico sobre o presente entre Chateaubriand e Nora.

A diferença na relação com o tempo, em que os progressistas clamam por uma visão de tempo como aperfeiçoamento e progresso.
O tempo torna-se ator
Na
historia magistra
o exemplar livaga o passado ao futuro por meio da figura do modelo a ser imitado.

Com o regime moderno, o exemplar como tal desaparece para dar lugar ao que não se repete.

O futurismo
versus
o presentismo
A discussão do
entre
, em que podemos posicionar a história e a memória no intuito de servir-se uma a outra.

A análise das memórias coletivas:
"A análise das memórias coletivas pode e deve tornar-se a ponta da lança de uma história que se pretende contemporânea.

A aceleração da história: o efeito da aceleração é de uma ruptura com o passado - a ruptura com o campo da experiência {ascensão dos arquivos}.
François Hartog
"Les Lieux de memórie"
Les Lieux de memórie
só se tornaram possíveis a partir do duplo reconhecimento: a mudança do regime de memória e a entrada da história na sua idade historiográfica.

O lugar para Nora é construído e deve mesmo ser constantemente reconstruído.

O historiador parte dos lugares para reencontrar os "discursos" dos quais foram suportes.
O que faz o l
ugar de memória
é que ele seja um entroncamento onde se cruzam diferentes caminhos de memória.

Desativado ele não é mais do que a lembrança de um lugar.
Full transcript