Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Farmacologia do SNC

Prof. José Afonso Corrêa da Silva
by

jose afonso

on 22 November 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Farmacologia do SNC

FARMACO
LOGIA SNC

Prof. José Afonso Corrêa da Silva
79
79
79
Obri
gado...

CONTROLE
SISTEMA
ENDÓCRINO
SISTEMA
NERVOSO

FUNÇÕES
METABÓLICAS
RESPOSTAS

RÁPIDAS
ÓRGÃO SENSORIAIS
RESPOSTA ESPECÍFICA
RECEPTORES SENSORIAIS
- auditivos
- táteis
- visuais
etc...
Resposta imediata;
Memória para respostas futuras.
SISTEMAS
Dopamina
Noradrenalina
Serotonina
Histamina
GABA
Glutamato
CATECOLAMINAS
INDOLAMINAS
AMINAS BIOGÊNICAS
Acetilcolina
AMINOACIDÉRGICOS
Encefalina
Endorfina
Vasopressina
Ocitocina
Orexina
Substância P
...

COLINÉRGICOS
NEUROPEPTÍDEOS
Precursor
Pré-percursor
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Recaptação
Feedback
Mobilização
Vesicular
Tirosina
Fígado
Fenilalanina
Norepinefrina
Epinefrina
Dopamina
Catecolaminas
Excitatórios e inibitórios
Periférico e SNC
Contração cardíaca
Vasos de musculos esquel.
Estômago
Árvore brônquica
Contração da musc. lisa dos
vasos, pele e mucosas.
Indolaminas
Triptofano
Serotonina (5-HT)
(90%)
Enterocromafins
Gastrointestinais
(10%)
Plaquetas
SNC
5-HT3 - Vômito
5-HT4 - Peristaltismo
5-HT5/7 -
5-HT6 - Antidepressivos
Sistema Límbico
Aminoacidérgicos
Glutamato
GABA
GAD+Vit B6
GABA-T
GABA - inibitório
GLUTAMATO - excitatório
Colinérgico
Colina
Acetilcolina
Acetil
transferase
Acetil-CoA
Gânglios autônomos
Musculo-esqueléticos
Periférico e SNC
Receptores muscarínicos
Receptores nicotínicos
Modulação do sono,
estado vigília,
Aprendizado e memória,
Plasticidade neuronal.
Sistema GABAérgico e Glutamatérgico
GABA
A
Sedação;
Ansiólise;
Hipnose;
Neuroproteção.
Síntese do GABA
Liberação do GABA
Metabolismo do GABAa
Agonistas do GABAa
Antagonistas do GABAa
Moduladores do GABAa
Agonistas GABAb
Alilglicina, isoniazida
Toxina tetânica
Tiagabina, vigabatrina
Muscimol, gaboxadol
Bicuculina, picrotoxina
BDZ, barbitúricos
Baclofeno
IMPORTÂNCIA TERAPÊUTICA
ANTICONVULSIVANTE
ANTICONVULSIVANTES
ANSIOLÍTICOS
HIPNÓTICOS
ANESTÉSICOS
RELAXANTE MUSCULAR
Sistema GABAérgico e Glutamatérgico
Alteração do metabolismo do GABAa
Tiagabina (bloqueio do GAT-1),
Vigabatrina (inibição do GABA-transaminase).
Confusão
Sedação
Amnésia
Ataxia
TRATAMENTO:
- Eplepsias parciais resistentes a outros anticonvulsivantes;
- Monoterapia em Sindrome de West (espasmos infantis).
Agonistas GABAb
Baclofeno
TRATAMENTO:
- Espasmos musculo-esqueléticos (esclerose múltipla);
- Facilita a cateterização e fisioterapia, melhora o padrão do
sono, melhora a atividade da bexiga e esflíncter.
Moduladores do GABAa
BDZ, barbitúricos
Sistema GABAérgico e Glutamatérgico
Princípios da ação
GABA
GABA
GABA
GABA
GABA
HIPERPOLARIZAÇÃO, DIMINUIÇÃO DA EXCITABILIDADE
BDZ
BAR
GABA
GABA
GABA
GABA
GABA
GABA
GABA
GABA
BDZ
BDZ
BDZ
GABA
GABA
Conc. X Tempo X Efeito
BAR
BAR
BAR
BAR
GABA
BAR
BAR
GABA
GABA
GABA
Comportamento
emocional
BDZ
Ansiolíticos
Alprazolam
Diazepam
Bromazepam
Ansio/Hip/Amnésico
Midazolam
Hipnóticos
Clonazepam,Estazolam, Triazepam,
Flurnitrazepam
Anticonvulsivantes
Lipossolúveis
P450 (CYP3A4)
(Cetoconazol, Macrolídeos)
Aumento
da potência
(Omeprazol, Nifedipino)
Diminuição
da potência
Indicações clínicas
Indicações clínicas
Indicações clínicas
ANSIEDADE
INSÔNIA
OUTRAS...
Diazepam, Alprazolam:
Anestésico geral adj.
Abstinência de álcool.

Clonazepam:
Anticonvulsivante.
Ansiedade patológica;
Transtorno fóbico-ansioso;
Fobias sociais;
Fobias específicas;
Transtorno obsessivo-compulsivo;
Transtorno de estresse pós-traumático;
Transtorno de ansiedade generalizada.
- Tratamento psicoterapia
cognitivo-comportamental.
- Drogas a médio e longo prazo.
Antidepressivos x BDZ
TRANSTORNO DO PÂNICO
FOBIA SOCIAL
OBSESSIVO-COMPULSIVO
ANSIEDADE GENERALIZADA, ANSIEDADE PATOLÓGICA
Imipramina-
150-250mg/dia, 1x noite
Clomipramina-
100-200mg/dia 1x noite
--Paroxetina, Sertralina,
Venlafaxina.
Alprazolam- 3-6mg/dia
4x (meia vida curta).
Clonazepam- 1,5-4mg/dia
3x (meia vida média).
Paroxetina- 40mg/dia
2xdia.
Clonazepam- 3mg/dia
Bromazepam- 30mg/dia.
Maclobemida (Aurorix, IMAO).
300-600mg/dia
Clomipramina-
100-200mg/dia 1x noite
Ansiedade leve/moderada
sem sintomas depressivos
Uso prévio
de BDZ?
Sim
Não
Buspirona
ou AD
(imipramina, venlafaxina, paroxetina)
AD
(imipramina, venlafaxina, paroxetina)
Ansiedade intensa
com sintomas depressivos
e ataques de pânico (AP)
BDZ de alta potência
+
AD (imipramina,
venlafaxina, paroxetina)
Boa resposta
Resposta insuficiente
efeitos adversos
intoleráveis
Retirada gradual
do BDZ
Kava, antipsicóticos
antihistamínicos
beta-bloqueadores.
Tratamento 6-8 meses
Retirada
gradual
Insônias;
Sonolência excessiva;
Comportamentos anormais
no sono.
Dificuldade de iniciar e manter
o sono.
Sonambulismo, enurese (crianças).
Disturbio comportamental no sono
REM.
Apneia.
Não responsivo
ao tratamento
não-farmacológico
Clonazepam;
Lorazepam;
Flunitrazepam.
Zolpidem (BDZ-1), Zoplicona (GABAa).
Potentes
E.adversos
Primária
Secundária
Insônia
Estado depressivo
-ansioso
Psicose
Situacional
Antidepressivo
Trazodona - 50-150mg
Antipsicótico
BDZ,não-BDZ
Curto prazo.
BDZ
não-BDZ
Evitar "I" da recaptação de SER.
Clorpromazina, Levomeprometazina,
Olanzapina.
Tolerância funcional
Ocupação crônica do receptor GABA
GABA
BDZ
1ªSono
2ªAnticonvulsivante
3ªAnsiolítico
Diminuição do:
BDZ
GABA
Uso prolongado ------ Modificação alostérica --- Dessensibilização
GABA
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
BDZ
Aumento da dose, retorno
dos sintomas...
Barbitúricos
1ª Anticonvulsivante: 1903 - Fenobarbital.
2ª Anestésico coadjuvante:Amobarbital.

3ª Déc. 70: Maior causa de morte atribuída a medicamentos.
1963 - Clordiazepóxido (BDZ), mudança na utilização de sedativos -hipnóticos.
Antiepiléticos

1ª Crises parcias
2ª Convulsões generalizadas
Tônico-clônicas, ausências
Mecanismos:
Potencialização da ação do GABA;
-Fenobarbital, BDZ-
Inibição do gaba-transaminase.
-Vigabatrina
Inibição da função dos canais de sódio,
-Fenitoína, carbamazepina, valproato e lamotrigina.
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Impulso
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Na
2+
Carbamazepina
Topiramato
A
B
Lamotrigina
Zonisamida
A
Fenitoína
Recuperação
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Impulso
A
Etossuximida
Valproato
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
Ca
2+
B

Valproato

Degradação
do GABA
Sistema GABAérgico e Glutamatérgico
Glu
Glu
Glu
Glu
Glu
Glu
Glu
AMPA: hipocampo, córtex.
NMDA: hipocampo, córtex e medula.
Cainato: hipocampo, cerebelo
Ìons
Rápidos
2º Mensageiros: todos no encéfalo
Alguns estados patológicos geram uma retroalimentação de glutamato.
= Neurotoxicidade
Ex: Esclerose lateral amiotrófica (ELA); DEMÊNCIA; DOENÇA DE PARKINSON; AVC; HIPERALGESIA;
EPLEPSIA.
Glu
(ELA)
Ex: Degeneração neuronal
do corno ventral medular
Glu
Hiperatividade NMDA, AMPA
Alterações motoras, fraqueza...
NEURODEGENERAÇÃO
Glu
Glu
Degeneração SNC
(DEMÊNCIA)
Redução da transmissão dopaminérgica
para o estriado. Doença de Parkinson.
Piora da doença de
Parkinson
AVC: Oxigênio, desequilíbrio
do gradiente iônico.
AVH: Sangue com quande
quantidade de Glutamato.
Tramatismo: rompimento
das reservas de glutamato.
Morte
Neuronal
Sistema Glutamatérgico e Colinérgico
Doença de Alzheimer
Memória de curta duração (MCD)
Memória de longa duração (MLD)
Córtex
Hipocampo
Amígdala
Consolidação
Eletrofisiológico
Potencial de Longa Duração (PLD)
Acetilcolina
Receptores NMDA
Receptores M1
A ativação de receptores M1+NMDA = plasticidade neuronal de lonja duração.
Aumentando a preservação da memória.
Acetilcolina
Acetilcolinesterase
Acetato + Colina
Rivastigmina, Donepezila = anticolinesterásico
Reações Adversas: náuseas, problemas gastrointestinais;
confusão, depressão, perda de apetite.
Sistema Serotoninérgico
- sintomas emocionais: aflição, apatia e pessimismo, baixa autoestima,
sentimento de culpa, inadequação e feiúra, indecisão e perda da motivação; incapacidade de vivenciar o prazer.
Distúrbios Afetivos
(depressão e mania)
- sintomas biológicos: retardo do pensamento e da ação, perda da libido, distúrbio do sono e perda do apetite.
Unipolar
ou
Bipolar
Déficit
Transmissão
NOR/5-HT
Aumento
5-HT
NOR
5-HT
NOR
MAO
5-HT
5-HT
5-HT
NOR
NOR
5-HT
NOR
NOR
5-HT
5-HT
NOR
Antidepressivos tricíclicos (ATC)
Inibidores não seletiva da recap. de
monoaminas.
Imipramina, amitriptilina
Inibidores da recap. de serotonina
Fluoxetina, paroxetina, sertralina
Citalopram.
Inibidores da recap. de 5-HT e NOR
Venlafaxina, duloxetina
Outros
Mirtazapina, Bupropiona, Trazadona
Depressão típica = (perda de apetite, exclusão social) = IRSR.
Depressão atípica = (ganho de apetite, busca por prazer) = IMAO, Bupropiona, Velafaxina.
Depressão melancólica = (indiferença social) = IRSR, Mirtazapina, ADT.
Episódios maníacos = (bipolaridade) = Estabilizantes de humor.
5-HT
NOR
DA
Inibidores do armazenamento de 5-HT
Anfetaminas:
Impedem a capacidade de
armazenamento
Anfetamina, Metilfenidato, Modafinila.
Inibidores da MAO
Fenelzina, iproniazida (irreversíveis)
Maclobemida. befloxatona (MAO-A)
Selegilina (MAO-B).
IMAO = intoxicação de tiramina, (MAO metaboliza tiramina no figado).
TIRAMINA = simpaticomimético, crise hipertensiva (liberação de cate).
5-HT¹ = potente vasocronstritor cerebral.
Alvo de agonistas serotoninérgicos.
Sumatriptana, zolmitriptana, rizatriptana
5-HT³= sistema nervoso entérico, zona do gatilho.
Ondansetrona
Depressão maior = fácil evolução para transtorno bipolar utilizando A.depressivos.
Sistema Dopaminérgico
Doença de Parkinson
Estabilizantes de humor: internamente aumentam a serotonina e diminuição da dopamina e noradrenalina = toxicidade.
Região frontal orbital
Dopamina e noradrenalina e 5-HT
5-HT
NOR
DA
5-HT
NOR
DA
Efeitos adversos: agitação, diminução do apetite, euforia, nervosismo, insônia e hipertatividade simpática = hipertensão, taquicardia e hipertermia.
É um doença neurodegenerativa, com etiologia desconhecida
Envolve:
Diminuição dos níveis de dopamina estriatal.
Degeneração de neurônios dopaminérgicos no circuito nigroestriatal.
Sinais
importantes:
Rigidez da musculatura esquelética, acinesia (ou bradicinesia).
Face inexpressiva e tremor de repouso
1- Movimento
Os neurônios que se projetam da substância negra para o estriado (setas em pontilhado) regulam o movimento.
2- Inibidor de prolactina
Os neurônios que se originam no hipotálamo e projetam-se para a hipófise (seta azul) são tonicamente ativos e inibem a secreção de prolactina.
3- Ativador do vômito
DA na área postrema ativa os centros do vômito do cérebro e constitui uma das causas de vômito. Os fármacos que bloqueiam os receptores D2 de dopamina são utilizados no tratamento da náusea e dos vômitos.
4- Controle dos sentidos
Acredita-se que os neurônios dopaminérgicos que se projetam da área tegmental ventral para o sistema límbico e o córtex pré-frontal desempenham papéis na regulação do humor e do comportamento.

Doença de parkinson
DOPAMINA
Tratar a diminuição de Dopamina. - 1ªopção
Precursores
Levodopa
Altamente degradada antes do SNC, pela DOPA-descaboxilase
+
Carbidopa
Inibidor da DOPA-descarboxilase
Uso contínuo = discinesia, cardiopatia, vômito, náuseas, transtornos pscicóticos, hipotensão ortostática.
Opção: - Efeitos adversos, mas existentes.
Agonistas D¹ e D² = Derivados do esporão de centeio
Não derivados do esporão de centeio
Bromocriptina, pergolina
Pramipexol, ropinirol
Tratar a diminuição de Dopamina. - 2ªopção
Aumentar ainda mais os níveis de dopamina
Inibidores do metabolismo da dopamina no SNC
SNC
MAO-B
Rasagilina, Selegilina
COMT
Tolcapona
Periferia
COMT
Tolcapona, entacapona
Insônia
Com a diminuição da via dopaminérgica, a via colinérgica fica exacerbada, produzindo os movimentos involuntarios.
- antagonistas colinérgico dos R.Muscarínicos
Triexifenidil
Psicoses (Doença mental)
Realidade
Delírios e Alucinações
Transtorno esquizofeniforme
Sintomas até 6 meses.
Esquizofrenia
+ de 6 meses.
Psicose
Orgânica
Transtorno esquizoafetivo
Bipolaridade ou depressão + sintomas de esquizofrenia.
Dopamina
Transtorno delirante (paranóia)
+ de um mês, - sintomas que a esquizofrenia.
Tratar o aumento da Dopamina.
Agentes antipsicóticos
Antagonismo de receptores D² mesolímbicos.

Antagonismo de receptores D² nigroestriatais = perda do movimento.

Típicos:
Antagonismo de receptores D² na hipófise = produção de prolactina.

Butilferonas: Haloperidol, droperidol (adjuvante a anestesia, Vômito);
Fenotiazidas: Clorpromazina, tioridazida, flufenazina, tiotixeno.
Síndrome maligna neuroléptica: catatonia, estupor, febre, óbito).
Atípicos:
Antagonismo de receptores D² e 5-HT².
Risperidona, Clozapina, Olanzapina, Quetiapina,
Ziprasidona, Aripiprazol.
Transtornos
Psicóticos;
Transtornos
bipolares.
Benzodiazepínicos (BDZ)
1955
- Descoberta do Clordiazepóxido (ação 1-3 dias)
1963
- Diazepam (ação 1-3 dias)
Alta lipossolubilidade
- Exceto Midazolam e Lorazepam
Alto metabolismo hepático
- Exceto Lorazepam, Bromazepam
Met. CYP3A4, 3A5, 3A7
, GABA
B
Local dos receptores BDZ
Sistema límbico (hipocampo)
+
Bulbo olfatório
= ação ansiolítica
Núcleos
talâmicos
= ação hipnótica-sedativa
Córtex
= ação anticonvulsiva
Ciclo Sono-vigília
Sono: estado de inconsciência, interrompido por
estímulos sensoriais.
Coma:
não responde a estímulos
sensoriais.
(1)
Sono de ondas lentas
: não-REM; maior parte da noite, não ocorre consolidação dos sonhos na memória, sono produndo, diminui o tônus muscular periférico, PA (10-30%), e diversas funções vegetativas.
(1)
Sono REM (rapid eyed movements):
25% do sono total e recorrente a cada 90min. Quanto mais a pessoa está repousada mais o sono REM aumenta. Há consolidação da memória. Tônus muscular mais deprimido. Movimentos musculares irregulares. = sono paradoxal, com aumento de 20% a atividade
cerebral em comparação a vigília. Aumento de acetilcolina.
Teorias básicas do sono
Fadiga
do
sistema ativador reticular
do tronco, como um processo
passivo
.
1ª Teoria
2ª Teoria (atual)
Através da transecção medio-pontina do tronco, gera-se um cérebro que nunca dorme.
Determinou-se que alguns núcleos abaixo do nível medio-pontino são responsáveis pela
inibição ativa
do cérebro.
São eles:
Núcleos da rafe:
inibição mediada pela serotonina.
Núcleos do feixe solitário:
região sensorial do bulbo e da ponte, para sinais sensoriais das visceras. Excitam os núcleos da rafe.
Núcleos inferiores talâmicos e hipotalâmicos.
Base da neurotransmisso do sono
As alterações eletroencefalográfica do estado de sono REM-nREM, são fruto de alterações neurotransmissores tálamo-corticais.
Núcleo supraquiasmático (NSQ)
Hipotálamo (fotoperiodismo)
Luz
Melatonina
(glândula pineal)
GABA
VLPO (área pré-optica ventro lateral)
Vigília
Sono nREM
Sono REM
tuberomamilar
substância cinzenta pariqquidutal ventral
núcleos tegmentares
hipotálamo
lateral
prosencéfalo
basal
SRAA
(sistema reticular ativador ascendente)
Glutamanto
sublocus coerules
dopamina
acetilcolina
excessiva
Aumenta a adenosina
Inibidor da acetilcolina
relaxamento
da musculatura
Ansiedade
Insônia

Farmacocinética
Boa absorção oral - 80-100%;
Não são altamente ligados à
proteínas plasmáticas;
Meia-vida longa;
Fortes indutores enzimáticos.
Fármacos anticonvulsivantes
Fenitoína
Carbamazepina/Oxcarbazepina
Valproato de sódio
Fenobarbital
Alternativos
: Lamotrigina, Pregabalina, Gabapentina, Topiramato, Vigabatrina, Levitiracetam, Zonisamida.
Fenitoína
Meia-vida - 12-36h;
Saturação no metabolismo hepático,
pode gerar toxicidade;

Capacidade de alterar a
ritmicidade cardíaca.

Dose: 300mg/dia, aumento de
25-30mg por vez.


Neuropatias Periféricas Dolorosas
Prevalência de 2-8%
Origem metabólica, infecciosa, inflamatória, nutricional.
Tratamento = controle da hiperexcitabilidade neuronal. NNT (número necessário para tratar).
• Bloqueio de canais de sódio e de cálcio;
• Aumento da transmissão gabaérgica;
• Inibição da liberação do glutamato;
• Inibição da formação do óxido nítrico;
• Aumento da ação serotoninérgica
Fármacos de primeira linha para dor neuropática.
1ª : Antidepressivos tricíclicos e IRSN
ex:
Amitriptilina
é eficaz para neuropatia diabética e neuralgia pós-herpética.
Duloxetina
e
Venlafaxina
.
1ª : Ligantes de canais de cálcio alfa-2-delta,
Gabapentina
e
Pregabalina
. Antes prescritos como opção anticonvulsivantes.
2ª - Tramadol, opióides;
3ª - Outros antidepressivos e anticonvulsivantes
: carbamazepina, lamotrigina, topiramato, ácido valpróico.
Carbamazepina
Ligação às proteinas plasmática de 70%
Meia-vida de 36h
Indutor enzimático, pode causar: ataxia, visão dupla, anemia.
Pró-farmaco = Oxcarbazepina
- Menos capacidade de indução enzimática.
Limitações do uso de alguns anticonvulsivantes
Etossuximida
Não se liga à proteínas plasmáticas

Meia-vida de 40h
Bloqueia canais de cálcio abaixo do liminar
principalmente na região talâmica.
= principal tratamento das crises de ausência.
Fenobarbital
Sonolência, tremores, agitação.
Vigabatrina
Sonolência, ganho de peso, defeito no
campo visual.
Lamotrigina
+ Crises de ausência, pode causar: cefaléia,
náusea e tontura.
Causa efeitos gastrointestinais importantes.
Ácido valpróico
Eficaz em crises de ausência com ou sem
associação de crises tônico-clônicas
- Utilizado em enxaquecas e transtorno bipolar.
Contraindicado na
gravidez.
Presentes na maioria dos
neurônios excitatórios
Receptores:
Tratamento da "demência".
progressão da doença apesar do tratamento...
Inibidores da colinesterase. (hipótese colinérgica)
Rivastigmina (em pacientes avançados aumenta a
inibição simultânea de BchE e AChE
,
não met.p450
).
Donepezila (seletivo para AChE, reversível,
met.p450
).
Tacrina (1º geração,
ligação reversível
com a butirilcolinesterase e acetilcolinesterase,
hepatotóxico
em altas doses).
Galantamina (seletivo para AChE e

recep.nicotínicos
,
auxiliando do aumento da cognição,
met. p450
).

Antagonistas de receptores de glutamato
(hipótese glutamatérgica)
Glu
Glu
Glu
Glu
Na+
Na+
DESP.
Mg²+
Ca²+
Ca²+
Na+
Na+
Na+
Na+
Níveis normais = controle da sobrevivência celular.
Níveis elevados = neurotoxicidade, apoptose.
Morte
Neuronal
Antagonistas de receptores de glutamato
(hipótese glutamatérgica)
Memantina: antagonista do NMDA, não interfere na
neuroplasticidade
, apenas na
neurotoxicidade
.
Dose:
5mg/dia - 10mg 2x dia
Não metabolizado pela p450


+ Donepezila = ganho terapêutico
Até os anos 80, existiam apenas os ADT e os IMAO's
Efeitos adversos e letalidade em altas doses
Isocarboxazida, fenelzina e tranilcipromina = irreversível e não seletivos.
IMAO (MAOa, MAOb)
Moclobemida (seletivo e reversível, MAOa)
Clorgilina (Seletivo MAOa, irreversível)
Selegilina (seletivo MAOb, reversível).
Início do efeito = 7 - 10 dias
Intoxicação com reversíveis
= 5-10dias de recuperação.
com irreversíveis = 7-14 dias.
Taquicardia, palpitação, tontura, diarreia...
Antidepressivos tricíclicos (ADT).
Aminas secundárias:
nortriptilina (++NE)
Aminas terciárias:
imipramina, amitriptilina (++5-HT).
Aminas quaternárias:
maprotilina (+NE, +5-HT).
Inibidores não seletivos de recaptura de monoaminas
Receptores:
muscarínicos
histaminérgicos;
alfa2 e beta-adren.
Efeitos adversos
(Receptores 5-HT1, pré)
(Receptores pós)
Capacidade de dessensibilização
dos receptores de b1-adrenérgicos e serotoninérgicos.
5-HT2 pós
Boca seca, visão turva, retenção urinária
disfunção sexual, ganho de peso.
Sonolência, sedação, fadiga, tontura.
Hipotensão postural, taquicardia, tremores
Desrregulação do sono, irritabilidade
Antidepressivos tricíclicos (ADT).
Inibidores não seletivos de recaptura de monoaminas
Principais indicações atípicas:
Antienurético
= Imipramina (pela ação anticolinérgica).
Antiobsessivo
e no
transtorno do pânico
= Clomipramina, inibição da serotonina e bloqueio a2 e b-adrenérgicos de disparos noradrenérgicos oriundos do
locus ceruleus
.
Antinevrálgica
= Amitriptilina, diminuição central de todas as monoaminas e efeito indireto no sistema dos opióides endógenos.
Lipossolubilidade, met. Hepática.
Antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS's).
Eficácia = aos ADT's, porém com menos EA's
Diferenças no perfil farmacodinâmico e farmacocinético!!
Sertralina
Fluoxetina
Paroxetina
Citalopram
Meia-vida 26h 5d 10h 33h
“steady-state” 7d 6-8semanas 7d 7-14d
Todas são inibidoras enzimáticas (especial a fluoxetina).
Tem a capacidade de deslocar outros fármacos das prot. plasmáticas.
Náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia), psiquiátricos (agitação, ansiedade, insônia, ciclagem para mania, nervosismo), alterações do sono, fadiga, efeitos neurológicos (tremores, efeitos extrapiramidais), perda ou ganho de peso, disfunções sexuais, reações dermatológicas
Antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina e noradrenalina (ISRSN's).
Venlafaxina:
Maior capacidade de inibição maior para sertralina.
Os efeitos colaterais mais freqüentemente relatados com o uso da venlafaxina são: náuseas, tonturas, sonolência; com doses acima de 225 mg/dia podem aparecer sintomas como hipertensão.
Antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina e antagonistas alfa-2 (IRSA's).
Nafazodona, Trazodona
EA's = hipotensão, arritmias.
Maior indicação no tratamento de insônia.
Antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de dopamina (ISRD).
Bupropiona:
Indicado para abstinência ao Tabaco, em caso de
pontuação alta no Teste de Fagerström.
A nicotina aumenta a quantidade de dopamina na região do bem estar, quando ela diminui, reduz os níveis de dopamina e aumenta a necessidade de fumar.
Antidepressivos noradrenergico e específico serotoninérgico (ANES's).
Mirtazapina:
O medicamento pode causar insônia, boca seca, cefaleia e, em casos mais graves, convulsões, urticária e manchas na pele (rash cutâneo).
Bloqueador alfa-2 pré-sináptico, 5-HT2 e 5-HT3 pós-sináptico.
O ANTIPSICÓTICOS, são igualmente eficazes em doses equivalentes.
AP's de baixa potência mais sedativos
AP's de alta potência
Menor custo, +++ efeitos extrapiramidais (EXP)
Menos efeitos EXP, indicado para pacientes agitados.
+++ efeitos colinérgicos
AP + benzodiazepínico
AP's atípicos
Vias dopaminérgicas
Inibe e produção
de prolactina
Motivação
Cognição
(sintomas negativos)
Diminuição da hiperatividade
(sintomas positivos)
Controle dos
movimentos finos (sistema extrapiramidal)
Receptores de dopamina:
Acoplados a proteína G.
D¹, D², D³, D, D
4
5
histamínicos,
α-adrenérgicos
muscarínicos
+ atuante nos
antipsicóticos
O antagonismo colinérgico
ajuda na diminuição dos disturbios no movimento.
Típicos (
neurolépticos
), efeito apenas nos sintomas positivos e com muito efeito extrapiramidal.
Primeiro antipsicótico atípico: Clozapina.
Primeiro antipsicótico atípico: Clozapina.
- efeitos extrapiramidais,
+ efeito nos sintomas negativos
Típico/Atípico
Teoria de Meltzer: afinidade com receptores 5-HT²
Teoria de Kapur: menor afinidade com o receptor D² (<60%).
Membrana mantém a
eletronegatividade.
Despolarização da
membrana.
Clozapina - agranulocitose;
Olanzapina - sedação e ganho de peso.
Risperidora - ganho de peso e hipotensão
Psicoestimulantes: Metilfenidato
Mecanismo
: ativação dos receptores alfa-adrenérgicos, no
locus ceruleus
, região responsável pela atenção. Aumento da noradrenalina no córtex. Que mantém o córtex pronto para novos estímulos. (córtex pré-frontal, estímulo relevantes).
Efeitos adversos:
Redução do apetite;
Insônia.
Longo prazo:
Dependência, efeitos cardiovasculares e possível
redução da estatura (???)
Full transcript