Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A Revolução Farroupilha

No description
by

Bernardo Costa

on 24 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Revolução Farroupilha

Conclusão
Nesse periodo de guerras os revolucionarios perderam mais do que achavam que iam ganhar. O setor pecuarista foi um dos mais prejudicados. Logo após a derrota de Porongos, já fracos, os farroupos decidem fazer um acordo de paz com o império. Assim sendo formado o acordo de "Poncho Verde". Apesar da derrota, os farroupos conseguiram algumas coisas com esse acordo como: prisioneiros feitos pelos imperialistas foram liberados; sobretaxa de 25% na importação do charque; poderiam eleger seu próprio presidente da provincia; entre outras coisas. Outro bom resultado da parte dos farroupos que a partir dai a região (Rio Grande do Sul) passou a ter uma força politica grande. Tambem foi feito a reintegração da "república" ao estado e a "abosorção" das dividas revolucionarias pelo império.
A Guerra dos Farrapos foi uma revolução no Sul do Brasil, que depois de alguns meses tomou caráter separatista, objetivando a independência dos recém proclamados Estados Rio-Grandense e Juliano.
Ela aconteceu de 1835 até 1845, inspirada na revolução para a independência do Uruguai e composto por várias classes sociais, principalmente militares, latifundiários e os chamados políticos exaltados. Mesmo não tendo sucesso, ela é um dos movimentos separatistas mais recordados da história brasileira.
A Revolução Farroupilha
Antecedentes e causas
Insatisfação dos liberais quanto à Constituição de 1824
Alta tributação sobre as charqueadas rio-grandenses
Diferenças ideológicas entre o Império e a Assembleia Legislativa Provincial
Ideais republicanos espalhados pelo padre Caldas, revolucionário da Confederação do Equador
Fundaçao da sede da Sociedade Militar em Porto Alegre
Falta de nacionalismo, devido ao isolamento do resto do país
Inspiração nos ideais da Revolução Francesa e nas independências de países vizinhos
Príncipe Pedro tinha apenas 10 anos quando a Guerra começou, logo ainda não era o imperador do Brasil.
Guerra dos Farrapos
Um militar, maçom e revolucionário, foi o primeiro comandante da Guerra dos Farrapos pelo lado republicano.
Não queria uma separação da Província no começo, mas viu que essa seria a melhor saída. Foi proclamado 1° Presidente da República Rio-Grandense, mesmo estando preso na Bahia
Foi o comandante nas maiores batalhas em que os farropos sairam vitoriosos, como na do Barro Vermelho
Morre em 1847, dois anos depois do fim da Guerra dos Farrapos
Bento Gonçalves
Líderes da
Revolução
e o projeto
Antônio de Sousa Netto
Foi um político e militar brasileiro, general da primeira brigada do exército liberal republicano, participou da reunião que decidiu pelo inicio da Revolução Farroupilha
Foi ele o homem que declarou a independência da República Rio-Grandense, promovendo Bento como 1° presidente
Era um aboliscionista ferrenho, indo morar no Uruguai após as batalhas
Morreu devido a um ferimento na
Batalha de Tuiuti
Giusuppe Garibaldi
General italiano, guerrilheiro e patriota italiano, era um condottiero, ou seja ele liderava um grupo mercenário.
Foi muito importante nos planejamentos de ataques e no recrutamento de soldados para a Revolução Farropilha, sendo essencial nas guerras travadas no mar.
Participou de movimentos internacionais importantes depois da Farropilha
O começo da Revolução
Em 1836, inconformados com o descaso das autoridades , um grupo liderado por Bento Gonçalves exigiu a renúncia do presidente da província do Rio Grande, invandindo Porto Alegre. Porém, foram controlados por tropas imperiais
No começo, os revoltosos nao queriam uma separação do império, mas após a batalha de Seival, em setembro de 1836, os revolucionários venceram tropas imperiais e decidiram fundar a República de Piratini ou República Rio-Grandense. Com a fundação dessa República, os farropos transformaram suas reinvidicaçoes em objetivos a serem alcançados pelo governo do Estado.
Esse foi o presidente escolhido para comandar a Província do Rio Grande (por indicação de Bento Gonçalves) , porém causou insatisfaçao pública ao se mostrar contra os liberais e acusa-los de projetos separatistas. Perdeu muito poder nesse discurso, ainda mais porque passara muito tempo fora do país e não tinha uma base firme que o apoiasse totalmente. Foi deposto com a formação do Estado Rio-Grandense.
Antônio Rodrigues Fernandes Braga
David Canabarro
Militar brasileiro, virou o comandente da revolução depois que Bento Gonçalves se desligou da liderança. Perdeu apenas uma batalha em toda a Guerra, mostrando ser um líder exímio.
Recebeu proposta argentina de trocar parte do território gaúcho por reforços, mas negou afirmando ser patriota, mesmo que discordasse ideologicamente com o governo.
Não saiu totalmente derrotado da Guerra, mantendo os postos de seus soldados, entre outras coisas.


Classes participantes
Os revolucionários eram compostos, em sua maioria, por liberais, políticos "exaltados", elite agropecuária local e um forte braço militar.
Negros compunham boa parte do exército, principalmente a frente de batalha, pois recebiam a promea de serem alforriados se a Guerra fosse ganha.
O desenrolar
Bento Gonçalves foge do presídio na Bahia e assume a liderança do Estado, em 1837, que já dominava quase toda a província. Durante muito tempo, as batalhas dominaram as paisagens do Sul do Brasil, como você pode ver na seção anterior.
Em 1840, uma primeira negociação de paz foi enviada aos Farropos. Em resposta, Bento fez uma proposta com alguns pedidos e solicitou uma conferência com o presidente da Província, mas que foi recusada e teve como consequência a volta dos conflitos.
Em 1843, um projeto de constituição foi feito, mas sua disseminação foi muito prejudicada por conflitos internos, que acabaram fazendo Bento renunciar a presidência e foi comandar uma divisão do exército.


As batalhas
decisivas

A Batalha do Seival
A Batalha do Seival foi a primeira batalha da Revolução Farroupilha, em 1836. Ocorreu nas margens do arroio Seival, umconfronto entre os coronéis: Antônio de Sousa Neto, com 400 soldados farrapos e João da Silva Tavares, com mais de 500 soldados imperiais. Apesar da desvantagem e somente com lanças e espadas, os farrapos sairam vitoriosos. Assim, cresceu a idéia de criar a Republica Rio-Grandense.
A Batalha do Barro Vermelho
A Batalha do Poncho Verde
Travada em 1843, em São José do Norte, a Batalha de Ponche Verde foi a mais sangrenta de toda a revolucao. O lado que teve o maior numero de baixas foi o dos farropilhas, porém não a um lado que podemos chamar de vencedor. Ao fim da batalha, o coronel imperial Antonio Soares , recebeu uma carta de Bento Goncalves pedindo assistência médica para suas tropas, assim o fazendo,Bento liberou alguns prisioneiros. Essa batalha se destaca por marcar o início do fim da Revolução
A Batalha dos Porongos
A batalha de Porongos, aconteceu no atual municipio de Pinheiro Machado, em 1844. A unidade de guerrilha farroupa dos lanceiros negros (escravos libertos) estava acampando no cerro de Porongos, quando foi surpreendida por tropas imperiais, que massacraram-los. Essa batalha é muito conhecido pois diversas teorias apontam que David Canabarro e Duque de Caxias já teriam concluido o tratado de paz, mas nao sabiam o que fazer com os escravos libertos, dando um fim neles. Ela foi a última batalha da Revolução, o que dá indícios para o massacre ter sido planejado...
A Batalha do Fanfa
Ocorreu na ilha de Fanfa em 1836,quando as tropas farroupilhas de Bento Gonçalves foram encurraladas pela tropa imperial de Bento Manoel, pelo norte, e por barcos , pelo sul. Foram alguns dias de batalha, no qual terminou em um acordo. Porém, o líder das tropas imperiais traiu os revolucionários e prendeu-os desarmados. Entre os presos, estava Bento Gonçalves, que seria proclamado presidente enquanto estava na cadeia.
Batalha do Barro Vermelho se desenrolou ao redor da vila de Rio Pardo, em 1838. As tropas imperialistas estavam à espera dos farropos, que estavam acampados próximos, com aproximadamente 1700 homens. Contudo, quando os reforços farroupos chegaram, as tropas desse marcharam pela mata e improvisaram uma ponte para atravessar o Rio Pardo.
Eles então atacaram de surpresa as tropas imperialistas pela retaguarda. Foi uma grande vitória para os farroupos que conseguiram diversas peças de artilharia e munição. A cidade tinha o dorbro de habitantes de Porto Alegre e era fundamental para a conquista do interior. Lá foi composto o hino da República Rio-Grandense, pelo maestro mineiro Joaquim José Mendanha.
O Projeto Revolucionário
Mesmo não querendo uma separação no início, esse foi o caminho achado pelos farropos. Quando se decidiram, eles resolveram formar uma república democrática, queriam a abolição da escravidão e uma constituição justa para todos.
Inspirados em outras revoluçoes liberais, os maçons participantes (incluindo o líder Bento Gonçalves) se baseavam nos ideais de fraternidade, igualdade e liberdade.
Grupo
Edgard Guitton
Bernardo Meurer
João Francisco Kastrup
Breno Magela
Klaus Voss
Francisco Sadashiva
Turma 1005
Full transcript