Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Libras em Estudo: Descrição e análise

No description
by

Bianca Sena

on 26 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Libras em Estudo: Descrição e análise

Estudos Linguísticos I
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro de Comunicação e Expressão
Departamento de Artes e Libras
Profª: Aline Pizzio

Libras em Estudo: descrição e análise
Beatriz B. Nogueira
Bianca Sena Gomes
Raniere Alislan A. Cordeiro
Vanessa Muller
Walquíria Peres de Amorim
Referências:
Feixe articulatório
CM
PC
FA
O
Localização
Parte da mão
Proximidade
Relação Espacial
Proximal [p]: indica uma localização
a poucos centímetros de uma região sobre o corpo Sinal: Sabado

Traços da proximidade
Medial [m]: indica uma
localização em frente
ao corpo cuja
distância é aproximadamente equivalente à de um cotovelo horizontalmente posicionado. Ex sinal de brincar e namorar
Distal [d]: indica uma
localização em frente ao corpo
cuja di
stância é aproximadamente equivalente à de um braço semi-estendido e horizontalmente posicionado Ex: PEGAR
Estendido [e]: indica uma
localização em frente ao corpo
cuja
distância é descrição e análise equivalente à de um braço totalmente estendido e horizontalmente posicionado.
Deslocamento Ipslateral
Dois graus de Afastamento da linha medial do corpo
Paralelo ao peito
Paralelo a extremidade do ombro
Deslocamento Epslateral (0)
Localização do sinal paralelo
a linha medial
Proximidade
Parte da mão
Ponto de contato
Determina que parte da mão está voltada ou conectada a locação
Mão dominante tem que
estar voltada para a mão não dominante

Só o indicador pode contactar a palma da mão passiva quando o sinal é realizado
(proximidade)
Proximidade
PC
Vai determinar se a parte da mão está
em contato com a localização
Positivo
compasso
Negativo
Proximal
Medial
Distal
Estendida
Ponto de contato
PC
Relação Espacial
Parte da mão está deslocada de uma localização
Região proximal
para uma ipslateral
Libras em estudo: descrição e análise / Neiva de Aquino Albres e André Nogueira Xavier (organizadores). – São Paulo: FENEIS, 2012
Descrição do
feixe articulatório

Liddell e Johnson (1989)
Configuração de mão (CM)
Ponto de contato (PC)
Face (FA)
Orientação (OR)
(/) = Uso do antebraço
Config. do
polegar
Config. de dedos
O que muda nos sinais?
...Apresentar esse uso possibilita diferenciar sinais...
ConfigDedos e Dedos 2º
dedos fechados
e abertos
Modo das juntas proximal e distal
(flexionado / Gancho)
JP
JD
Para identificar as CMs,
Liddell e Johnson,
elaboraram uma lista com 25 símbolos
Por exemplo....
[B] e [S].
1^
Face [FA] e Orientação [OR]
Orientação [OR] - parte da mão paralela ao plano do chão [HP].

Os sinais usam duas especificações


Face [FA] - parte da mão no ponto.
Conforme Liddell e Johnson (1989)
...Pesquisas como essas são muito importantes. Essa, por exemplo, auxília na distinção de pares mínimos!...
PONTO DE CONTATO - PC

Localização

Parte da mão

Promixidade

Relação espacial


O subfeixe articulatório ponto de contato é formado por quatro subconjuntos de traços a saber

PONTO DE CONTATO

Sobre o corpo;
Sobre alguma região da mão passiva e;
No espaço de sinalização, ou seja, na região em frente à cabeça e ao torso do sinalizador.

“Articuladores Passivos”

Por observarem a existência de sinais que não são articulados exatamente na região central de cada uma das localizações listadas no quadro (5), Liddell e Johnson incluíram entre os traços que descrevem o ponto de articulação de um sinal as especificações (2) e (4).

AS DIFERENÇAS

A combinação dos quatro tipos de especificações presentes no subfeixe localização produz pontos de articulação
que podem ser usados fonológica ou foneticamente pelas línguas sinalizadas. Esses pontos encontram-se representados em figuras retiradas de Liddell e Johnson (1989)

Quando o sinal é articulado sobre alguma região da mão passiva, o modelo de Liddell e Johnson utiliza outro esquema de descrição e outro conjunto de traços para descrever tal ponto de articulação.

Finalmente, quando um sinal é produzido no espaço de sinalização, a descrição de sua localização inclui traços que expressam: (i) a que distância perpendicular a mão está localizada em relação ao corpo; (ii) qual o grau de afastamento da mão em relação à linha medial do corpo; e (iii) em que altura a mão se situa em relação às localizações principais que se encontram ao longo da região central do corpo.


Proximal

Medial

Distal

Estendido



Proximidade – Deslocamento Ipsilateral – Localização Central

Pares de sinais
A Libras usa fonologia do subfeixe
face
[FA]
.
V
DOIS
X
Conclusão
Traço
palma
[PA]
Traço
dorso
[BK]
Pares de sinais
Outro subfeixe do uso fonológico:
Orientação
[OR]
.
OFICINA
JUSTIÇA
X
Parte radial
Palma
configuração de mão;
localização;
movimento;
orientação.
Por fim, o artigo foi baseado pelo modelo fonético-fonológico de Liddell e Johnson (1989). No entanto, o tal modelo de Stokoe (1960) e seus seguidores foi essencial, a sua descrição. Apesar disso, as diferenças do modelo anterior, Liddell e Johnson apresentam aspectos articulatórios na produção de sinais:
Eles tratam os aspectos específicos dotados de subaspectos com base nos contrastes lexicais.
Portanto, o modelo de Liddell e Johnson tem capacidade de analisar a
sequencialidade
de aspectos articulatórios durante a produção de sinais, ou seja, uma estrutura interna para os sinais definida em termos de segmentos que são realizados sequencialmente. Todavia, Stokoe propunha

uma organização interna do sinal pautada na
simultaneidade
.
Na configuração de dedos, a especificação [Relax], mostra uma mudança a respeito do relaxamento dos músculos dos dedos.

Configuração de dedos


[Rotação do polegar]: define se o polegar está adjacente (não-oposto), localizado ao lado dos demais dedos, ou paralelamente (oposto), a palma do polegar pode tocar, ou não, a palma dos outros dedos.
Adjacente Paralelo


Disposição do polegar

[Polegar 2°]: O polegar é capaz de flexionar-se nas juntas proximal e distal, podendo ser aberta, fechada, achatada e em gancho.


Disposição do polegar

Nos sinais “PROMETER” e “B”, a única diferença é a configuração do polegar.



Disposição do polegar

[Contato]: Determina se ocorre contato entre o polegar e os outros dedos, e qual a região de contato.

(a) [c]: contato realizado pela ponta do polegar;
(b) [p]: contato realizado pela almofada do polegar;
(c) [f]: contato realizado pela almofada do polegar na unha de outro(s) dedo(s);
(d) [t]: contato realizado pela unha do polegar na almofada de outro(s) dedo(s).



Disposição do polegar








Por meio desses traços é possível capturar diferenças entre configurações de mão que podem ser usadas distintivamente por uma língua sinalizada.


Disposição do polegar
Full transcript