Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Gravidez na Adolescência

No description
by

Cecília Pinheiro

on 7 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gravidez na Adolescência

Gravidez na Adolescência
Introdução
O que é
Adolescência
?
Riscos Fisiológicos da Gravidez na Adolescência
A gestação na adolescência é considerada uma situação de
risco biológico
tanto para as adolescentes como para os recém-nascidos.

Os extremos de idade da mãe (menos de 19 anos, especialmente abaixo de 15 anos e idade acima de 35 anos) têm sido tradicionalmente relacionados ao maior risco de MI por sua associação com a prematuridade e o baixo peso ao nascer (Institute of Medicine, 2003).

Atenção à Adolescente Grávida
Como deve proceder o
Pré-Natal
?
Conduta ética no atendimento à saúde
de Adolescentes
Princípios da

Bioética
:

Beneficência
Não-Maleficência
Autonomia
Justiça
Universidade Federal da Bahia
Faculdade de Medicina da Bahia
MEDB14 - Ética e Conhecimento Humanístico
Docente: Claudia Barcelar
Discentes: Ana Berenice Souza; Cecília Pinheiro; Cecília Tigre; Isadora Mesquita; Joana Pereira; Kaíque Campos.

Limites Cronológicos
Organização Mundial da Saúde (OMS)

Organização das Nações Unidas (ONU)

Ministério de Saúde do Brasil

No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)
Puberdade
Um período de transformações...
É na adolescência que ocorre a variabilidade e a diversidade dos parâmetros biológicos e psicossociais, com isso a puberdade é um período em que ocorrem mudanças biológicas e fisiológicas.
Puberdade Masculina e Femina: Mudanças
Maturação Sexual
A maturação sexual abrange o desenvolvimento das gônadas, órgãos de reprodução e caracteres sexuais secundários.
Pirâmide Etária no Brasil
Gravidez na Adolescência
O Papel do Pediatra
O profissional deve estar preparado para a possibilidade de diagnosticar uma gravidez.

Deve despir-se de qualquer crença ou preconceito.

Discutir as opções que a paciente possa trazer consigo.

Não taxar a gravidez da adolescente.
Pré-Natal Multidisciplinar
Maternidade na adolescência – problema de saúde pública.
Programas de assistência pré-natal.
O pré-natal multidisciplinar é um acompanhamento voltado às necessidades das adolescentes.
Deve ser composto por uma equipe com o maior número de especialidades possíveis.
O Pai Adolescente
O papel do parceiro é fundamental para a boa evolução da gestação.
Muitos mostram-se inseguros perante a nova situação.
Deve-se estimular sua participação no pré-natal.
O Parto
O parto deve ser realizado por obstetra capacitado, segundo as normas da Obstetrícia moderna.

É importante o apoio emocional a essas pacientes.

Conhecer previamente a maternidade.

A vivência do parto é revelada com o medo de parir.
"Estou com medo de como vai ser o parto..."
"Tenho medo da hora do parto..."

"Sinto uma coisa que me dá medo é do bebê morrer..."

"Na hora do parto o medo é de como esse menino vai nascer..acho que não tenho passagem."

"Não quero ficar sozinha na hora dele nascer..vem o medo"
Necessidade de um acompanhante – mãe.
Sentindo-se insegura
Falta de informações do que está acontecendo no trabalho de parto.
É de grande valia um pré-natal de qualidade, em que ela possa ter acesso as informações e cuidados.
Buscando ajuda no Ser Superior.
Pós-Parto
Deve ser realizado em alojamento conjunto.
Começa a aprender a cuidar da criança.
Se esclarecem as dúvidas da mãe.
A importância do aleitamento materno.
Melhorar a autoestima das jovens mães.
Educação Sexual
Grande parte das informações acumuladas sobre sexo pelos adolescentes é incompleta ou incorreta.

Educação sexual
deve ser sobre funcionamento normal do corpo, sexualidade, reprodução e contracepção.

Escola
é o ambiente mais adequado para educação sexual.
Qual o Papel do Médico na Educação Sexual?
Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos
Comportamento contraceptivo após primeira relação sexual.

Parceiro sexual recusa a utilização de métodos contraceptivos.
Correlação entre escolaridade e gravidez na adolescência.

Incidência maior nas classes mais economicamente desfavorecidas

Prevenção da gravidez e DSTs
Planejamento Familiar e Métodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
Preservativo

DIU

Métodos Hormonais
Evaluation of contraceptive knowledge among pregnant adolescents in a basic health unit of the Distrito Federal.
Camila de Fátima Duarte1, Luana Brito Holanda1, Michelle Loiola de Medeiros1


Privacidade
, caracterizada pela não permissão de outrem no espaço da consulta;

Confidencialidade
, definida como acordo entre profissional da saúde e cliente de que as informações discutidas durante e apos a consulta não podem ser passadas aos responsáveis sem a permissão do adolescente;

Sigilo
, regulamentado pelo Código de Ética Médica;

Autonomia
, contida no
Estatuto da Criança e do Adolescente
(ECA).
Princípios Éticos no Atendimento àAdolescentes
A análise de cada caso deve ser
prima facie
, ou seja, não pode haver regras sem exceção. Ou seja, diante da situacao dilemática é que se determinam quais os princípios mais adequados a serem utilizados.
Conduta Ética no atendimento à Adolescentes
Aspectos éticos no atendimento à adolescente grávida
→ Em todas as situações em que se caracterizar a necessidade da
quebra do sigilo médico
, o adolescente deve ser informado, justificando-se os motivos para essa atitude.


Art. 74 do CEM
. É vedado ao médico Revelar sigilo profissional relacionado a paciente menor de idade, inclusive a seus pais ou representantes legais, desde que o menor tenha capacidade de discernimento, salvo quando a não revelação possa acarretar dano ao paciente.



O que deve fazer, do ponto de vista da ética, o médico que tomar conhecimento pela sua cliente, uma adolescente, da sua gravidez? Contar aos pais , mesmo sem consentimento da sua jovem cliente?
O que fazer diante de conhecimento, suspeita ou confirmação de gravidez como resultado de abuso sexual?
→ Segundo o
artigo 13 do Estatuto da Criança e do Adolescente
, os profissionais de saúde têm o dever de denunciar esses casos.
→ A denúncia deve ser feita ao
Conselho Tutelar
ou
Vara da Infância e da Juventude
local, sem prejuízo de outras medidas legais.


Referências
Conselho Federal de Medicina (Brasil). Resolução no 1931, de 24 de setembro de 2009. Aprova o código de ética médica. D Of União. 24 set 2009;(183, seção I):90-2. Retificações em: D Of União. 13 out 2009;(195, seção I):173. Disponível em: www.in.gov.br.

Dias ACG; Teixeira MAP. Gravidez na adolescência: um olhar sobre um fenômeno complexo. Jan.-abr. 2010, Vol. 20, No. 45, 123-131. Disponível em www.scielo.br/paideia.

Duarte CF, Holanda LB, Medeiros ML. Avaliação de conhecimento contraceptivo entre adolescentes grávidas em uma unidade básica de saúde do Distrito Federal. J Health Sci Inst. 2012;30(2):140-3.

Eisenstein, E. Adolescência: definições, conceitos e critérios. Adolescência & Saúde. Volume 2, ano 2 junho 2005.

França, E. Lansky S. Mortalidade Infantil Neonatal no Brasil: Situação, Tendências e Perspectivas. Departamento de Medicina Preventiva e Social/Faculdade de Medicina//UFMG. Secretaria Municipal de Saúde - Prefeitura de Belo Horizonte

Freire CMV; Tedoldi CL. Hipertensão arterial na gestação. Arq. Bras. Cardiol. vol.93 no.6 supl.1 São Paulo Dec. 2009.

HERCOWITZ,Andrea. Gravidez na adolescência. Disponível em: <http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=2064&fase=imprime>.

Oliveira MW. Gravidez na adolescência: Dimensões do problema. Cad. CEDES vol. 19 n. 45 Campinas July 1998.

Oselka, Gabriel; Troster, Eduardo Juan. Aspectos éticos do atendimento médico do adolescente. Rev Ass Med Brasil 2000; 46(4): 289-311.

PARIZ, Juliane. A atenção e o cuidado à gravidez na adolescência nos âmbitos familiar, político e na sociedade: uma revisão da literatura. Disponível em: <file:///C:/Users/Cliente/Downloads/48750-59508-1-PB.pdf>. Acesso em: 08 maio 2012.

SILVEIRA, Maria. Humanização do parto em adolescentes – Aspectos emocionais. Disponível em: file:///C:/Users/Cliente/Downloads/1891-6360-1-PB.pdf.

Taquette SR. Conduta ética no atendimento à saúde de adolescentes. Adolesc Saude. 2010;7(1):6-11.

Vasconcelos AMN; Gomes MMF.Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiol. Serv. Saúde vol.21 no.4 Brasília Dec. 2012.

Uma Gestação de Risco
Fatores Psicológicos; Emocionais; Comportamentais

Fatores Biológicos
Fatores Psicológicos; Emocionais e Comportamentais
Fatores Biológicos
Algumas complicações, mesmo não sendo específicas da gravidez precoce, são agravadas nesse tipo de gravidez. Examinando alguns trabalhos na área, podemos identificar pelo menos seis complicações para a saúde da adolescente e do bebê (Beretta 1995; Brasil 1993; OMS 1994; SOF 1997)
1. Imaturidade anátomo-fisiológica: Baixo peso ao RN

2. Risco de Anemia

3. Retardo no Desenvolvimento Uterino
4. Toxemia Gravídica (3 últimos meses):

Eclâmpsia
Pré-eclâmpsia
Hipertensão Gestacional


5. Infecções Urogenitais: Partos demorados ou feitos em má-condições
Yazlle e cols. (2002) e Kassar e cols. (2006) consideram que a ocorrência de problemas de saúde tanto na jovem como na criança pode estar mais relacionada ao
estado de pobreza
do que à idade da jovem propriamente. Os autores observam que uma boa parcela da população de gestantes adolescentes encontra-se em
condições sócio-econômicas precárias
, o que por sua vez está associado a uma maior ausência de condições adequadas de higiene, habitação, alimentação e saúde.

Histórico
Nos últimos 20 anos vem observando-se aumento da incidência de gravidez na adolescência em todo o mundo, principalmente nos países em desenvolvimento e nos Estados Unidos.
Segundo a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde de 1996, a fertilidade no Brasil diminuiu cerca de 30% em todas as faixas etárias, com exceção da adolescência. Nessa mesma época, 18% das adolescentes brasileiras já tinham um filho ou estavam grávidas.
Segundo dados do Ministério da Saúde, desse mesmo ano, 40% dos abortos eram realizados por adolescentes. O coeficiente de mortalidade decorrente do aborto foi 2,5 vezes maior que nas mulheres adultas.
Em 1999, o Ministério da Saúde divulgou dados afirmando que 25,7% dos partos do Sistema Único de Saúde eram de adolescentes, sendo este procedimento a primeira causa de internação das meninas no SUS. A gravidez, o parto e o puerpério foram responsáveis por 80,3% das internações de adolescentes em todo o país.
Gravidez na Adolescência no Mundo
No
Brasil
a proporção de mães adolescentes (10-19 anos) passou de 23,0% em 1996 para 21,6% em 2005.
Fonte: França, E. Lansky S. Mortalidade Infantil Neonatal no Brasil: Situação, Tendências e Perspectivas.
Full transcript