Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Estruturação e tipos de parágrafos.

No description
by

Tiago Bode

on 22 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Estruturação e tipos de parágrafos.

Parágrafo
Você já observou aquele símbolo (§) no canto esquerdo da folha para marcar, em alguns textos, os intervalos de ideias? E o espaço na primeira linha em relação à margem esquerda da folha?
São dessas formas que identificamos um parágrafo. O símbolo § caiu em desuso, substituído pelo afastamento no início da linha, contudo, ainda é utilizado na redação das leis:

“Art. 3º Serão asseguradas às mulheres as condições para o exercício efetivo dos direitos à vida, à segurança, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, à moradia, ao acesso à justiça, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, (...)
§
1o O poder público desenvolverá políticas que visem garantir os direitos humanos das mulheres (...).
§
2o Cabe à família, à sociedade e ao poder público criar as condições necessárias para o efetivo exercício dos direitos enunciados no caput.” (Lei Nº11.340, 07/08/2006.)
O que é o parágrafo?
É o conjunto de frases que formam uma sequência com sentido, com lógica. Pode ser assinalado graficamente, como o exposto, ou ainda oralmente, quando se faz uma pausa maior dos fatos ou quando iniciamos um novo assunto. Nele se desenvolve determinada ideia central, ou nuclear, a que se agregam outras, secundárias, intimamente relacionadas pelo sentido e logicamente decorrentes dela. Veja:
Estruturação de parágrafos.
Pode-se dizer que o parágrafo obedece a uma estrutura hierárquica:
Tópico frasal
Também chamado de frase-síntese ou período tópico, orienta o resto do parágrafo. É o roteiro do escritor na construção do parágrafo, pois contém a frase-chave do desenvolvimento da ideia/tema/assunto. Dirige a atenção do leitor diretamente para o tema central, ajudando-o a seguir o raciocínio do escritor. Pode introduzir o assunto e aspectos deste, ou a ideia que poderá gerar ideias e períodos secundários. É a enunciação argumentável, afirmação ou negação que leva o leitor a esperar uma explicação, uma prova, detalhes, exemplos, para completar o sentido do parágrafo. Assim, o tópico frasal supõe desdobramento ou explicação e, apesar disso, pode representar sozinho todo o parágrafo.
Exemplos
Ao cuidar do gado,
o peão monta e governa os cavalos sem maltratá-los
. O modo de tratar o cavalo parece rude, mas o vaqueiro jamais é cruel.
Ele sabe como o animal foi domado
,
conhece as qualidades e defeitos do animal, sabe onde, quando e quanto exigir do cavalo. O vaqueiro aprendeu que
paciência e muitos exercícios são os principais meios para se obter sucesso na lida com os cavalos
, e que não se pode exigir mais do que é esperado.
Tipos de tópicos frasais
TF desenvolvido por enumeração:
A televisão, apesar das críticas que recebe, tem trazido muitos benefícios às pessoas, tais como: informação, por meio de noticiários; diversão, através de programas de entretenimento; cultura, por meio de filmes, debates, cursos.
TF desenvolvido por descrição de detalhes

É o típico desenvolvimento de um parágrafo descritivo:
Era o casarão clássico das antigas fazendas negreiras. Assobradado, erguia-se em alicerces o muramento, de pedra até meia altura e, dali em diante, de pau-a-pique (...), da entrada ia ter uma escadaria dupla, com alpendre e parapeito desgastado. (Monteiro Lobato)
TF desenvolvido por confronto.

É estabelecer um confronto entre duas ideias, fatos, seres, seja por meio de contrastes das diferenças, seja pelo paralelo das semelhanças:
Embora a vida real não seja um jogo
, (...), o xadrez pode ilustrar o fato de que, numa relação entre pais e filhos, não se pode planejar mais que uns poucos lances adiante. No xadrez, cada jogada depende da resposta à anterior, pois o jogador não pode seguir seus planos sem considerar os contra-ataques do adversário (...). O mesmo acontecerá com um pai que tentar seguir um plano preconcebido, sem adaptar sua forma de agir às respostas do filho (...) (Bruno Betelheim, adaptado)
TF desenvolvido por razões

Apresentam-se as razões, os motivos que comprovam o que afirmamos no tópico frasal:
As adivinhações agradam particularmente às crianças. Por que isso acontece de maneira tão generalizada? Porque, (...), representam a forma concentrada, quase simbólica, da experiência infantil de conquista da realidade. Para uma criança, o mundo está cheio de objetos misteriosos, de acontecimentos incompreensíveis, de figuras indecifráveis. A própria presença da criança no mundo é, para ela, uma adivinhação a ser resolvida. Daí o prazer de experimentar de modo desinteressado, por brincadeira, a emoção da procura da surpresa. (Gianni Rodari, adaptado).
TF desenvolvido por análise
É a divisão do todo em partes:
Quatro funções básicas têm sido atribuídas aos meios de comunicação: informar, divertir, persuadir e ensinar. A primeira diz respeito à difusão de notícias, relatos e comentários sobre a realidade. A segunda atende à procura de distração, de evasão, de divertimento por parte do público. A terceira procura persuadir o indivíduo, convencê-lo a adquirir certo produto. A quarta é realizada de modo intencional ou não, (...) para ampliar seu acervo de conhecimentos. (Samuel P. Netto, adaptado)
TF desenvolvido pela exemplificação
Consiste em esclarecer o que foi afirmado no tópico frasal por meio de exemplos:
A imaginação utópica e inerente ao homem, sempre existiu e continuará existindo. Sua presença é uma constante em diferentes momentos históricos: nas sociedades primitivas, sob a forma de lendas e crenças que apontam para um lugar melhor; nas formas do pensamento religioso que falam de um paraíso a alcançar; nas teorias de filósofos e cientistas sociais que, apregoando o sonho de uma vida mais justa, pedem-nos que “sejamos realistas, exijamos o impossível”. (Teixeira Coelho, adaptado)
Exercícios
Full transcript