Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Produção gráfica 09/09

Aula 4 - Birô (Bureau)/Fotolito, retículas/Provas de Impressão
by

Camila Ferreira

on 25 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Produção gráfica 09/09

Produção Gráfica
Pré-impressão
tudo que é produzido pelo birô de pré-impressão
O que é Birô (bureau)?
serviços acessórios da produção do impressso antes e sua ida para gráfica
envolve equipamentos, materiais, formação técnica e custos altos, por isso é terceirizada
Os Birôs de pré-impressão
serviço mais importante: produção de fotolito e provas impressas para conferência (qualidade do fotolito)
crescimento do uso do CTP (computer do press) gerou adaptações para provas digitais
nos dois casos são provas de contrato
Prova digital:
feita em impressoras de alta performance com programas de calibração de cor específicos gerados de arquivos ripados*
serviço de digitalizacão de imagem (muitas/pesado). Faz 2 versões (grande e pequena), usa uma no layout e troca na hora de mandar produzir
produção de provas de layout (alta resolução) para apresentação para cliente (grandes projetos)
impressão digital (laser, PB, cor, plotter)
Como escolher o Birô?
histórico (referências, experiências)
equipamento (não se prender a só isso)
atendimento/suporte (orientações, disponibilidade)
serviço de entrega (agilidade)
preço (pesquise, desconfie).
sintonia é sempre importante para agilidade
Relacionamento com Birô
histórico de desentendimentos
modernidade > processos mais claros

Fique atento:
envie uma cópia feita na sua impressora para o birô
não envie arquivos pesados de cara (teste o fornecedor)
se tem dúvidas sobre recursos que o layout demanda, pergunte, não há resarcimento se o erro for seu
divida arquivos grandes em vários menores (agilidade)
não recorte fotos em programas não específicos (menor, mais leve, mais rápido)
Produção de fotolito
serviço mais frequente do birô
até 1990 fotogravura mecânica
hoje gerados eletronicamente direto do computador que tem o layout (fotolitos eletrônicos)
produzido pelo equipamento
imagesetter
("impressora" laser, que queima o filme/papel fotográfico em alta resolução
Fluxo de produção do fotolito:
no birô o arquivo enviado é copiado para um computador que utilizando um programa RIP* "imprime" para uma imagesetter
aprovadas as provas (pelo diretor de arte - DA) são enviados para gráfica onde se produz a matriz para impressão
*programas RIP (rasterize image processor) interpreta os dados do arquivo convertendo tudo, inclusive fontes, em imagem, controlando seus feixes de laser que farão o filme
linguagem mais comum: Adobe PostScript
o mesmo programa é usado no CTP/CTPress nas provas digitais
esta conversão do arquivo recebido para "impressão" da prova/fotolito é chamada
ripagem (arquivo ripado)
Provas de Fotolito
caras, mas evitam prejuízos maiores
não aceite provas digitais para fotolitos (coisas diferentes)
Tipos de provas oferecidas pelos birôs:
Provas de prelo:
caras, muito fiéis (offset)
produz-se matriz de baixo custo que recebe tinta semelhante e imprime no papel
deve-se usar o papel real, mas se nao for avisado/fornecido, o papel padrão é o couché
Provas fotoquímicas:
mais barato que a prova de prelo
usam o próprio fotolito, mas com processos, tintas e suportes diferentes do final
4 tecnologias mais usadas:
Cromalen (DuPont)
Press Match (Agfa)
Matchprint (3M)
Signature (Kodak)
Traço / Retícula / Meio-tom
quadrinhos > traços e cores chapadas
dia-a-dia não vemos os limites, percebemos meio-tons (abruptos ou tênues) nos contornos e preenchimentos.
diferença nítida: quadrinhos - traços e cores / fotos - meio-tons
nos impressos os meio-tons são compostos por pequenos pontos que variam de tamanho e cor (imperceptíveis)
estes pontos simulam a variação natural de cor
estes pontos são organizados numa rede chamada
retícula
(pequena rede)
ou seja: meio-tons são produzidos por retículas
muitos processos gráficos usam retículas e reproduzem imagens fotográficas muito realistas (offset, rotogravura, digital)
se usarmos um
conta-fios
veremos os pontos
outros processos, como a serigrafia, não conseguem reproduzir pontos tão pequenos e por isso não trabalham meio-tons
Plotter usa meio-tons, mas não tão pequenos, por isso, só ficam bons vistos à distância
sem meio-tons a impressão é chamada impressão à traço (única tinta/cor). Ex.: Textos das páginas de jornal
Tipos de Pontos
formatos diferentes dependendo da retícula
mais comum são quadrados (mais fiéis ao meio-tom)
pontos em forma de elipse são bons para peles (claras ou morenas), usadas em revistas sofisticadas, livros de arte (exige bom equipamento)
pontos redondos são usados em altas tiragens (offset) coloridas com boa qualidade. Ex. revistas de banca
geralmente os tipos de retícula são definidos na pré-impressão em conjunto (DA, PG e cliente)
na dúvida o ponto quadrado é o padrão.

Ganho de Ponto
efeito gerado pela variação da forma dos pontos
sempre existe, mas se não for controlado pode gerar erros
erros comuns: retícula entupida, perda de detalhes, escurecimento de imagem, degradês ruins, textos ilegíveis
é preciso se utilizar de recursos para evitar tais erros, como por exemplo uso de um papel menos absorvente
jornal é uma superficie difícil de controlar, o ideal é que se faça adaptações no layout
algumas sugestões: fontes mais grossas, fotos sem muitos detalhes, ou muito pequenas.

Máximas, mínimas, meias tintas e neutros
3 tipos de retículas diferentes: máximas (sombras), meias-tintas e mínimas (alta luz)
Máximas:
mais pontos
mais carregada
mais escura
pode ser cor (máximo amarelo)
ocupa de 75% a 100%
100% > traço
Mínimas
altas luzes (luminosidade)
ausência ou escassez depontos
tons claros
cor do suporte
Ex.: reflexoa metálicos, estrelas do céu
ocupa até 25% do local
Meias-tintas
intermediárias
25% a 75%
meio-tom > qualquer retícula
meia-tinta > quantidade de retículas
Neutros
grises/grisé
tons de cinza (não precisa ser só preto)
pode ser formado de máximas (cinza escuro) ou de mínimas (cinza claro)

Próxima aula:
trazer recorte (jornal, revista) apontando
máximas, mínimas, meias-tintas e neutros

Temas da aula:
Relação entre Lineatura e DPI.
Como calcular a resolução ideal para os bitmaps. ATPS
Datas Importantes:
30/09
- Apresentação de Seminário: Técnicas de Impressão

07/10
- Entrega das Etapas 1 e 2 da ATPS por escrito (ABNT).

14/10
- Avaliação N1 – Entrega de Trabalho (Arquivo finalizado com etapas descritas)

Grupos do Seminário:
Impressão Tipográfica
Impressão digital
Offset
Rotogravura
Flexografia
Gráfica Rápida
Serigrafia
Termografia
Linoleografia
Hot-Stamp
site: FCG_Prof_CamilaFerreira
email: camila.fandrade@anhanguera.com
aulas: prezi.com/user/camilaferreira
Full transcript