Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sete pecados e meio na produtividade em Portugal

Sete pecados e meio na produtividade em Portugal
by

Rodrigo Teixeira

on 8 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sete pecados e meio na produtividade em Portugal

Pecado 2: Desenrascanço acompanhado de
parco planeamento e fraca organização Pecado 1: Pouca "lógica" Sete pecados e meio na produtividade em Portugal Problemas da produtividade em Portugal Pecado 3: O desperdício do potencial humano Pecado 4: Mata-se o mensageiro da má notícia, não se enfrenta a realidade subjacente à notícia Sete pecados e meio na produtividade em Portugal Autores: REGO, Arménio; CUNHA, Miguel Pina e Rodrigo Teixeira Nº. 10478 Pecado 1: Pouca "lógica" Focalizamo-nos insuficientemente nos resultados;
Não premiamos o alcance dos resultados;
Valorizamos quem "faz o que o chefe manda";
Somos resistentes à mudança. Problema Pecado 1: Pouca "lógica" Desenvolver mentalidades mais objectivas e lógicas;
Definir recompensas para quando se atingem os objectivos;
Definir acções e procedimentos apropriados. Solução Pecado 2: Desenrascanço acompanhado de
parco planeamento e fraca organização Somos algo desorganizados e fracos planeadores;
Temos de recorrer ao desenrasque muitas vezes;
Organizamos e planeamos mas não encaramos isso como meios para alcançar os objectivos. Problema Pecado 2: Desenrascanço acompanhado de
parco planeamento e fraca organização Aplicar melhor a capacidade de desenrasque mantendo assim o foco nos resultados;
Consciencialização da existência das organizações para obtenção de resultados. Solução Pecado 3: O desperdício do potencial humano Somos pouco predispostos à liderança participativa;
Não desenvolvemos as competências dos colaboradores porque não os envolvemos nos processos decisórios. Problema Pecado 3: O desperdício do potencial humano É fundamental implementar processos de liderança participativa;
Apesar das fracas qualificações dos trabalhadores é essencial aproveitar todo o seu potencial. Solução Pecado 4: Mata-se o mensageiro da má notícia, não se enfrenta a realidade subjacente à notícia Problema Confusão frequente entre discordância e inimizade ou ataque pessoal;
Os líderes muitas vezes "matam os mensageiros das más notícias";
Cultura da "yes-mania" por recearem penalizações. Pecado 4: Mata-se o mensageiro da má notícia, não se enfrenta a realidade subjacente à notícia Solução Comunicação entre líderes e colaboradores sem barreiras;
Na tomada de decisões complexas é importante analisar todos os pontos de vista;
Fomentar um clima organizacional de confiança em que os líderes dêem o exemplo. Pecado 5: Má gestão do tempo Pecado 5: Má gestão do tempo Problema O tempo é visto como um elástico, não como um dado objectivo;
Uma data limite é normalmente um ponto de referência. Pecado 5: Má gestão do tempo Solução Aprender a gerir melhor o tempo;
Não obriguemos os outros a esperar;
Sejamos mais organizados. Pecado 6: "Se é deles, porque hei-de empenhar-me?" Pecado 6: "Se é deles, porque hei-de empenhar-me?" Problema As pessoas não se identificam com a organização logo não se empenham;
Tomam a organização como sendo "deles", dos gestores. Pecado 6: "Se é deles, porque hei-de empenhar-me?" Solução Envolver os colaboradores nas decisões;
Proporcionar melhores condições de trabalho;
Dar recompensas justas quando são atingidos os objectivos;
Eliminar as disparidades salariais entre o topo e a base. Pecado 7: Não se valoriza suficientemente o mérito e o rigor Pecado 7: Não se valoriza suficientemente o mérito e o rigor Problema Rigor é fundamental, mas este não é valorizado;
Cultura de "chico-espertismo";
Penalização de pessoas que cometem erros por terem tomado iniciativas genuínas, empenhadas e sérias;
Cultura de aversão ao risco. Pecado 7: Não se valoriza suficientemente o mérito e o rigor Solução Incutir a ideia de que vale a pena ser produtivo, empenhado e honesto;
É necessário avaliar desempenhos e atribuir recompensas em conformidade. Pecado 7,5: Um frágil amor-próprio Pecado 7,5: Um frágil amor-próprio Problema Prendemo-nos à ideia que estamos na "cauda" da Europa;
Auto-flagelação constante. Pecado 7,5: Um frágil amor-próprio Solução Temos de nos ver no "dorso" da Europa caminhando para a cabeça;
Acreditar nos nossos méritos e capacidades. Politicamente correcto ou mesmo necessário? Empresas bem sucedidas precisamente por esta razão;
Necessidade de mudar milhares de episódios comportamentais. Sete pecados e meio na produtividade em Portugal Conclusão Premiar o mérito, aproveitar o potencial e valorizar o trabalho;
Sermos exigentes, rigorosos e focarmo-nos no alvo a alcançar;
Criar organizações feitas com as pessoas e não contra as pessoas. Sete pecados e meio na produtividade em Portugal 1 - Pouca "lógica";
2 - Desenrascanço acompanhado de parco planeamento e fraca organização;
3 - O desperdício do potencial humano;
4 - Mata-se o mensageiro da má notícia, não se enfrenta a realidade subjacente à notícia;
5 - Má gestão do tempo;
6 - "Se é deles, porque hei-de empenhar-me?";
7 - Não se valoriza suficientemente o mérito e o rigor;
7,5 - Um frágil amor-próprio. IN: Recursos humanos magazine. - Lisboa. - Editora RH. - Mar. / Abr. 2006
Full transcript