Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ergonomia de Software

No description
by

Lucas Carvalho

on 6 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ergonomia de Software

Agenda 5 1 2 3 4 Ergonomia mobile 0 + - = 9 8 7 1 2 3 4 5 6 c Ergonomia de Software Ciência que estuda conforto, utilização,
organização e documentação do software.

Objetiva facilitar e otimizar o trabalho do usuário junto ao computador. Método de avaliação de usabilidade, sem a presença de usuários, onde um avaliador examina a interface em busca de violações de um conjunto de critérios de usabilidade ou heurísticas.
A ergonomia para disposivos móveis é um leque novo para estudos, principalmente no que diz respeito ao tamanho dos elementos de interface.
(Ex: Botões, caixa de entrada de texto, etc ...)

Estes elementos não podem ser nem pequenos demais nem grandes demais. Isso vale para as teclas númericas do celular também. Obrigado !!! Bacharel em Ciência da Computação - Unifor

Mestrando em Informática Aplicada

Área de atuação: IHC - Interação Humano Computador

LUQS - Laboratório de Usabilidade e Qualidade do Uso de Software - NATI/Unifor

Laboratório de Inovação - NATI/Unifor Ergonomia de Software Bibliografia Lucas de Moura Carvalho Ergonomia
de
Software Ergonomia
e
Usabilidade Teste
de
Usabilidade Princípios
Básicos Avaliação
Heurística Ergonomia de Software Propõe padrões de:

apresentação de telas
diálogos
ferramentas de trabalho
menus
documentação
técnicas de otimização
auxílio (help) Ergonomia de Software Vantagens:

atração homem-máquina
programas mais bem documentados
redução dos custos de manutenção
software mais eficiente
software com funções mais poderosas
facilidade de aprendizado
redução de perturbações psicológicas do usuário em relação ao computador. Ergonomia de Software Desvantagens:

esforço adicional no desenvolvimento de software.
como toda novidade ainda afasta técnicos mais antigos.
Técnica nova, ainda em fase de maturação. Ergonomia e usabilidade Usabilidade: se refere à simplicidade e facilidade com que uma interface, um programa de computador ou um website pode ser utilizado. Ergonomia e usabilidade Princípios Básicos - Ergonomia de Software 1 - Esforço Mínimo do Usuário:

usuário deve desempenhar somente as funções absolutamente essenciais, e que não possam ser desempenhadas pelo sistema.

transferir para o software uma função mesmo que ela possa ser desempenhada pelo usuário.

não repetir trabalho já feito. Trabalho não produtivo deve ser eliminado
- Ex.: A data deve ser fornecida pelo sistema;

Facilitar acesso a informações sobre o sistema:
- Ex. "help"

Documentação escrita completa, mas apenas suficiente e necessária para a tarefa do usuário.

Instruções do sistema devem ser diretas e específicas, que não requeiram interpretação
- Ex. decifrar um código, somar... Princípios Básicos - Ergonomia de Software Vamos ver na Prática ? Exemplo - Esforço Mínimo do Usuário Vamos "tentar" fazer um pedido na Natura? Vocês conseguiram contar quantos clicks foram dados? Dá trabalho? Princípios Básicos - Ergonomia de Software 2 - Memória Mínima do Usuário:

O usuário deve ter que memorizar o mínimo possível.

deve ter que aprender o essencial para sua tarefa.

não deve ter que aprender a terminologia não relacionada à tarefa

a terminologia deve ser consistente por todo software com que o usuário vai interagir.

os comandos do usuário devem ter sintaxe natural e simples Vamos ver na Prática ? Buscar um produto, por exemplo um baton que esqueci o nome Ao digitar o nome, não aparecem sugestões de nomes de batons É dado sugestões de elementos que você possilvelmente você deseje Princípios Básicos - Ergonomia de Software 3 - Frustração Mínima:

evitar demora na execução de tarefas.

ao usar menus o sistema deve permitir que o usuário experiente vá direto à tarefa desejada.

a organização hierárquica de menus deve ser tal que o usuário não tenha que executar ou tarefas desnecessárias.

orientação ou help deve estar disponível de forma consistente em todo o sistema.

o usuário deve poder interromper ou terminar qualquer atividade a qualquer momento Vamos ver na Prática ? Será que vai demorar? Princípios Básicos - Ergonomia de Software 4 - Maximizar o uso de padrões e hábitos:

usar sempre certas teclas para as mesmas funções.

colocar sempre informações similares nas mesmas posições nas telas.

informação devolvida ao usuário como resultado de uma ação sua, deve ser posicionada no ponto onde o usuário a espera: em geral na próxima linha.

terminologia consistentes para todas as funções do usuário. Vamos ver na Prática ? O que seria das nossas vidas sem esses atalhos? Princípios Básicos - Ergonomia de Software 5 - Máxima tolerância para diferenças humanas:

os sistemas devem armazenar perfis sobre a forma em que cada usuário prefere executar as tarefas.

uso de métodos visuais e audíveis para chamar a atenção.

uso de formas gráficas para auxiliar a comunicação visual. Vamos ver na Prática ? Perfis e Notificações Suporte a mudanças Princípios Básicos - Ergonomia de Software 6 - Máxima tolerância para mudanças ambientais:

o sistema deve suportar mudanças do ambiente de hardware/software com um mínimo de esforço do usuário.

o sistema deve se re-configurar automaticamente no caso de adição ou retirada de unidades do computador. Vamos ver na Prática ? Princípios Básicos - Ergonomia de Software 7 - Notificação imediata de problemas:
notificar ao usuário sobre um problema tão logo seja detectado.
notificar problemas potenciais antes que ocorram.
antes da mudança permanente em informação armazenada, o sistema deve mostrar os resultados da mudança e requerer aprovação do usuário. Vamos ver na Prática ? Notificações de problemas Princípios Básicos - Ergonomia de Software 8 - Controle máximo de tarefas pelo usuário:
O usuário deve poder alterar uma tarefa.
deve poder definir opções "default” e o sistema deve "lembrar" estas definições no futuro.
o usuário deve poder armazenar e recuperar informações de forma consistente. Vamos ver na Prática ? Editar tarefa, recuperar informações de forma consistente e opção padrão Princípios Básicos - Ergonomia de Software Vamos ver na Prática ? 9 - Apoio máximo às tarefas:
o usuário não deve precisar de outros recursos para desempenhar a tarefa.
documentação da tarefa deve estar "on line" , estruturada hierarquicamente e bem indexada.
um usuário deve poder se comunicar com outros via facilidades do sistema.
o usuário deve possuir acesso a métodos "customizados" de obtenção de informações, tais como filtros para geração de relatórios. Ajuda disponível, filtros para gerar relatórios e comunicação entre usuários Avaliação Heurística 10 Heurísticas de Nielsen 1. Visibilidade do status do sistema
2. Compatibilidade entre o sistema e o mundo real
3. Liberdade e controle do usuário
4. Consistência e padrões
5. Prevenção contra erros
6. Reconhecimento em lugar de lembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Projeto minimalista e estético
9. Auxiliar na recuperação de erros
10. Ajuda e documentação
1. Visibilidade do status do sistema Refere-se ao fato do sistema manter os usuários informados sobre o que eles estão fazendo, com feedback imediato.
2. Compatibilidade entre o sistema e o mundo real
O sistema deve utilizar a linguagem do usuário, com palavras, frases e conceitos familiares a ele, fazendo as informações aparecerem em ordem lógica e natural, de acordo com as convenções do mundo real.
3. Liberdade e controle do usuário Estão relacionados à situação em que os usuários escolhem as funções do sistema por engano e então necessitam de “uma saída de emergência” clara para sair do estado não desejado sem ter de percorrer um longo diálogo, ou seja, é necessário suporte a undo e redo.
4. Consistência e padrões Referem-se ao fato de que os usuários não deveriam ter acesso à diferentes situações, palavras ou ações representando a mesma coisa. A interface deve ter convenções não ambíguas. 5. Prevenção contra erros O erros são as principais fontes de frustração, ineficiência e ineficácia durante a utilização do sistema.
6. Reconhecimento em lugar de
lembrança
Diz respeito à característica da interface de ter objetos, ações e opções visíveis e coerentes, para que os usuários não tenham que lembrar as informações entre os diálogos, ou seja, as instruções de uso do sistema devem ser visíveis ou facilmente recuperadas sempre que necessário.
7. Flexibilidade e eficiência de uso A ineficiência das tarefas de usuário podem reduzir a eficácia do usuário e causar-lhes frustrações.
8. Projeto minimalista e estético
Os diálogos não deveriam conter informacões que são irrelevantes ou raramente necessárias. Cada nova informação em um diálogo compete com as informações relevantes, diminuindo sua relativa visibilidade.
9. Auxiliar os usuários a reconhecer, diagnosticar e recuperar-se de erros As mensagens devem ser expressas em linguagem simples (sem códigos), indicando o problema e sugerindo uma solução.
10. Ajuda e documentação
Por melhor que seja a interface, pode ser necessário fornecer ajuda e documentação. Qualquer informação deveria ser fácil de achar, e estar focalizada nas tarefas do usuário. Também deve estar disponível uma lista das etapas concretas a serem realizadas (informações breves).
Teste de Usabilidade Método para compreender melhor a interação entre um usuário e um produto. Os testescom usuários servem para validar interfaces ou identificar problemas de usabilidade existentes recorrendo a um grupo de utilizadores que interagirá com o sistema.
Teste de Usabilidade Basicamente, aquilo que se procura saber com a realização de testes de usabilidade é:
1) Os utilizadores foram capazes de realizar as tarefas indicadas?
2) O tempo de realização das tarefas?
3) Os caminhos seguidos foram os mais eficientes?
4) Os utilizadores sabem o que estão fazendo?
5) Que problemas/dificuldades encontraram? Teste de Usabilidade - Metodologia 1) Definição de perfis dos participantes (amostra);

2) Definição de cenários e tarefas para os participantes executarem;

3) Elaboração de checklists e questionários pós-teste;

4) Preparar material para observar e registrar uso (ambiente de teste);

5) Executar um teste-pilotoe fazer ajustes;

6) Aplicar testes;

7) Compilar dados em planilha;
Mostrar Artefatos do Teste de Usabilidade
e da Avaliação Heurística Sites:

http://www.agner.com.br/download/pucrio/04MiriamDias.pdf
http://www.cafw.ufsm.br/~elisa/ihc/interface1_03_ergonomia.pdf
Full transcript