Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DO NOVO TESTAMENTO

No description
by

Josemar Modes

on 12 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of HISTÓRIA E GEOGRAFIA DO NOVO TESTAMENTO

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DO NOVO TESTAMENTO
Introdução Geral
O Novo Testamento é a segunda parte da Bíblia e é composto por
27 livros
. Ele cobre uma época de aproximadamente 100 anos.

Seu nome vem do latim:
Novum Testamentum
que por sua vez vem do grego Hê Kainê Diathekê, que signigica literalmente novo pacto ou aliança. A palavra testamento dá a idéia de último desejo, vontade (ex. Hb. 9:15-17).

O Novo Testamento foi escrito em Koiné - grego popular, entre 45 e 95 d.C., aproximadamente.

A ordem dos livros não é cronológica, mas segunda a tradição cristã e, de certo modo, segundo seu conteúdo: a vida de Jesus, o surgimento

Conteúdo
O Novo Testamento pode ser dividido em:
• Livros históricos: Mt, Mc, Lc, Jo e At.
• Livros doutrinários: Rm, 1 e 2 Co, Gl, Ef, Fp, Cl, 1 e 2 Ts, Hb, Tg, 1 e 2 Pe, Jd e 1 Jo.
• Livros pessoais: 1 e 2 Tm, Tt, Fm, 2 e 3 Jo.
• Livro profético: Ap.
Quanto a autores:
• Mateus - Mt
• João Marcos - Mc
• Lucas - Lc e At.
• João - Jo, 1, 2 e 3 Jo e Ap
• Paulo - Rm, 1 e 2 Co, Gl, Ef, Fp, Cl, 1 e 2 Ts, 1 e 2 Tm, Tt e Fm.
• Tiago - Tg.
• Pedro - 1 e 2 Pe.
• Judas - Jd.
• ???? - Hb.

Aceitação e Testemunho
a. Sua auto-aceitação e testemunho: 2Tm 3.16; 2Pe 1.20,21; Ap 22.18,19
b. Sua apresentação da realidade - mostrando os homens como realmente são.
c. Sua conservação até hoje!
d. O poder da Palavra: Rm 1.16
e. O cumprimento das profecias do Antigo Testamento: Lc 4.18-21.

Finalidade
A finalidade da Bíblia não é
histórica
, nem
científica
, nem
literária
, nem
filosófica
e também não é
legal
, ou seja, não pretende, em primeiro lugar, apresentar uma série de norma de conduta para o cristão. A finalidade principal da Bíblia como um todo e do Novo Testamento em especial, é a
SALVAÇÃO
- 2Tm 2.14-17

Mensagem Principal
Mostrar que Jesus realmente é o Filho de Deus. A ressureição é fator chave para isso (Rm 1.4, 1Co 15.14 e 20). Indícios que ajudam a fé:
a. O túmulo vazio: Mt 28.11 a 15
b. As muitas testemunhas: 1Co 15.4-8
c. A mudança de atitude dos discípulos: Jo 20.19; At 2.14
d. Os mártires

Período Interbíblico
Após o domínio persa, Alexandre, o Grande, da Grécia se impõe e se torna senhor do Oriente Médio.
Com isso há a expansão do helenismo (Hellas = Grécia)
 Helenismo - filosofia e cultura grega (Sócrates, Platão e Aristóteles) - língua grega
Após a morte de Alexandre, em 323/4 a.C., o reino se divide em 4 porções, sendo as duas mais importantes:
 Os ptolomeus - dominaram a Palestina 320 a 198 a.C.
 Os selêucidas - conquistaram a Palestina em 198 a.C.
- provocaram a revolta dos:
 Hasidim - "os piedosos"
 Macabeus - filhos do sacerdote Matatias, libertaram o povo judeu no sentido religioso, político e militar (167 a 37 a.C.).
Em 63 a.C. tem início o Império romano sob Pompeu
Sistema hierárquico romano:


Situação Política no tempo de Jesus
Pacífica - os romanos dominavam e subjugavam;
Caótica - áreas diferentes da vida tinham domínios diferentes:
Romanos - política e econômica;
Judeus - religiosa e educacional;
Crítica - os judeus queriam a liberdade;
Favorável à expansão do Evangelho:
A língua comum;
Facilidade de comunicações;
Pax Romana.

Ambiente do Novo Testamento
População
A população do Império Romano era de aproximadamente 60 milhões. Detes, 4 milhões eram judeus - 7% da população total. Apenas 700.000 judeus viviam na Palestina, o resto estava espalhado pelo mundo.

Ambiente do Novo Testamento
Idiomas
• Em Roma - Latin e Grego
• Na Palestina - Grego, Hebraico e Aramaico. O Hebraico era o idioma usado no culto.

Comunicações
• Havia boas estradas em toda a Palestina, assim como nos outros países. Roma favorecia tanto o transporte marítimo, como por terra, mantendo assim uma boa rede de comunicações.
• Nas estradas viajava-se a pé, a cavalo ou de burro.
• Havia veleiros que cruzavam o Mediterrâneo.
• Para enviar correspondências usava-se emissários.
• As cidades eram bem desenvolvidas na maior parte do Império, mas não na Palestina.

Classes sociais
• Ricos - Aristocracia e Sacerdócio.
• Pobres – Trabalhadores.
• Escravos - As vezes serviam como professores.
• Publicanos - cobradores de impostos, mal vistos por representarem Roma.

Família (Ef 5, 6; Cl 3; Tt 2.4
• Constituída por pais, filhos, avós e escravos
• O homem era responsável pelo sustento - sistema patriarcal
• A mulher era responsável pelo lar e pelas crianças
• A mulher tinha uma posição bem melhor entre os judeus do que entre os outros povos.
• Os pais escolhiam a esposa e o esposo dos filhos.
• O primogênito, se fosse menino, era favorecido com 50 % da herança.
• As crianças e os escravos eram bem tratados em relação aos outros povos.
Casamento
• Após a escolha da noiva, havia um período de noivado de 1 ano (desposar).
• Essa aliança era considerada importante e correspondia em muito ao casamento:
- se o noivo morresse, a noiva era considerada viúva.
- se houvesse adultério, a lei mandava apedrejar.
- se nascesse uma criança era considerada legítima.
• A família da noiva recebia um presente (50 siclos de prata) que era a sua segurança caso o noivo morresse ou desistisse - Era um contrato de casamento.
• A festa de casamento era muito importante.

Divórcio
• Direito do homem, por, praticamente, qualquer motivo (Mt 5.27-32. A mulher não tinha o direito do divórcio.
• Para ser líder na Igreja do N.T. era necessário saber cuidar bem de seu lar. (1Tm 3.1-5, 12).

Situação Religiosa
Gnosticismo
1. Origem: Vem do helenismo - 400 a.C. - dualismo grego
Platão fez a divisão entre o mundo invisível das ideias e o mundo visível da matéria que é apenas uma sobra do real.
2. Ensino: O mundo visível é obra do Demiurgo - o deus da matéria e do A.T. sendo portanto um mundo mau que deveria ser destruído e deixado.
O mundo invisível é dominado pelo Deus de amor e luz do N.T. para o qual a alma, ou a parte não-física do homem, deveria recorrer.
A ressurreição física não existe. mas o é espírito imortal se o homem alcança o conhecimento - gnosis - de doutrinas secretas.
Não há pecado, somente ignorância.
3. Resultados: O gnosticismo deu origem a duas formas de conduta:
A supressão dos desejos do corpo - ascetismo.
A indulgência quanto aos desejos do corpo - paixões físicas - libertinagem e sensualismo.
4. Expansão: O gnosticismo tornou-se forte nos anos 100 a 200 d.C., mas já encontramos as ideias fortemente divulgadas na época do N.T. (At 8.9-25; 1Co 15.34,35; Cl 2.8, 20-23; 1.15-23; Jo 1.10, 14; 8.32; 14.7).

Judaísmo
Origem
• O Judaísmo existente na época de Jesus tem sua origem após o exílio babilônico:
• baniu-se a idolatria;
• começou-se a estudar a lei - Torah - surgiram os escribas (ex. Esdras) que estudavam e interpretavam a lei;
• surgiu a sinagoga para as reuniões;
• surgiu o Talmude, devido à necessidade de novas regras com a mudança de vida rural para a urbana.

Teologia
A base da teologia judaica é o Antigo Testamento.
• Unidade e transcendência de Yhawé (Dt 6.4 - O shema);
• Paternidade de Yhawé (Is 63.16) - relação pessoal com Deus;
• O homem, criado por Deus (Dt 30.11-20);
• O judeu deve seguir: circuncisão, guarda do sábado, festas anuais, culta na sinagoga, etc.;
• Pecado é a relação errada para com a lei revelada de Deus;
• Há uma consciência pessoal do pecado (Sl 51);
• Quanto à vida após a morte a ideia era bastante obscura - sheol = estado intermediário;
• Messias - a esperança de restauração do reinado davídico;
• Exclusivismo - fé na sua eleição como o povo de Deus.

Sinédrio
Tribunal religioso e civil.
• Composto por 71 membros - Mc. 11:27;
• O Sumo-Sacerdote era o presidente;
• Era composto por:
- sacerdotes
- anciãos - das famílias mais influentes - saduceus
- escribas - alguns da classe mais alta
• O sinédrio tinha o poder religioso e jurídico em certos casos.

Seitas Judaicas
Fariseus
- maior e mais influente seita da época;
- tinha aproximadamente 6.000 adeptos;
- originados nos hasidim, logo após a revolta dos macabeus.
- faziam oposição ao helenismo, observando minuciosamente as leis mosaicas e rabínicas;
- criam no sobrenatural;
- legalismo acentuado - superficial - recebendo forte crítica por parte de Jesus – Ex. Mt. 23;
- usavam o método de interpretação alegórico - interpretavam como queriam.
- Note que nem todo fariseu era hipócrita.
- É a única seita que sobreviveu até hoje gerando o judaísmo ortodoxo moderno.

Seitas Judaicas
Saduceus
- tinham o poder político e dominavam a vida civil - oportunistas
- seguiam literalmente o Torah - e somente o Torah.
- racionalistas e anti-supernaturalistas, isto é, não havia anjos, espíritos, alma imortal ou ressurreição - Mc. 12:18;
- Paulo aproveitou-se da rixa entre fariseus e saduceus em At. 23.
Seitas Judaicas
Essênios
- aproximadamente 4.000 adeptos;
- uma fraternidade ascética exclusivista e fechada;
- alguns viviam como monges - p.ex. Qumram;
- mais rígidos do que os fariseus;
- doavam tudo ao grupo e praticavam o celibato;
- se achavam os "eleitos" e esperavam personagens escatológicos.

Seitas Judaicas
Zelotes
- nacionalistas fanáticos e revolucionários;
- geralmente eram fariseus e usavam a violência querendo se livrar de Roma.

Seitas Judaicas
Escribas
- não é uma seita - mas os escrivãos da lei que surgiram durante o exílio na Babilônia;
- copiavam as Escrituras e tornavam-se intérpretes da lei;
- geralmente eram fariseus;
- escribas que ensinavam eram chamados de Rabinos.

Full transcript