Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Indivíduo e Identidades - Stuart Hall

No description
by

Lilia S Pintto

on 7 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Indivíduo e Identidades - Stuart Hall

A Questão da Identidade Cultural - Stuart Hall
Sujeito do Iluminismo
Surge entre o Humanismo Renascentista do séc. XVI e o Iluminismo do séc. XIII.
Movimentos Históricos
Reforma e o Protestantismo: a consciência individual das instituições religiosas da Igreja e a expuseram diretamente aos olhos de Deus;
Complexificação das sociedades;
Já não é mais possível explicar o mundo sem se dar conta das estruturas sociais, econômicas, políticas e culturais.
A centralização do sujeito nos vários processos da vida foi sendo deslocada;
Conclusion
Hall parte do pressuposto de que a transformação desses conceitos, ao longo do pensamento moderno, faz parte de um processo histórico.
Capítulo 2 - Nascimento e Morte do Sujeito Moderno
Descrição Sociológica Primária de Sujeito
Os sujeitos são formados subjetivamente por meio da participação em relações sociais e mais amplas e, inversamente, os processos e as estruturas são sustentadas pelos papéis que os indivíduos neles desempenham.
Sujeito Pós-Moderno
Influência dos movimentos estéticos e intelectuais associados com o surgimento do Modernismo.
A formação conceitual do sujeito moderno diante desses movimentos históricos
Ao tentar compreender o mundo, postulou 2 conceitos centrais e distintos, "substância espacial" (material) e "substância pensante" (mente). No centro da mente colocou o sujeito individual, constituído por sua capacidade de raciocinar e pensar.
O Sujeito Individualizado
Hall destaca que não há como negar que a noção de individualidade, no sentido moderno de ser, está relacionada com o colapso social, econômico e religiosa medieval.
Sujeito Sociológico
O sujeito humano foi "biologizado" - a razão tinha uma base na Natureza e a mente um "fundamento" no desenvolvimento físico do cérebro humano.
Principais mudanças nos conceitos "sujeito e identidade" no pensamento moderno ocidental.
Sujeito do Iluminismo
Sujeito Sociológico
Sujeito Pós-moderno
O sujeito individualizado surge, então, em consequência das transformações associadas à modernidade, as quais libertaram o indivíduo de seus apoios estáveis nas tradições e nas estruturas.
A noção de sujeito indivisível e único foi fruto de vários movimentos históricos que influenciaram o pensamento e a cultura ocidental.
Revoluções científicas: conferiram ao indivíduo moderno a faculdade e a capacidade de inquirir, investigar e decifrar os mistérios da Natureza;
Iluminismo: trouxe ao mundo o sujeito racional e científico.
Também definiu o indivíduo em termos da "mesmidade" (sameness) de um ser racional, ou seja, uma identidade permante e que segue contínua com seu sujeito.
Novas Ciências Sociais
A Sociologia forneceu uma crítica ao "individualismo racional" do sujeito cartesiano. Ela conseguiu localizar o indivíduo em processos de grupo e nas normas coletivas.
Economia e Psicologia
A Escola Interacionista
Apropria de forma radical dessa concepção primária de sujeito e tem como um de seus expoentes Parsons.
Essas vanguardas trouxeram um novo tipo de sujeito, isolado, exilado e alienado e que passaram a povoar as páginas dos principais teóricos sociais.
O descentramento do sujeito cartesiano e sociológico mediante as novas teorias e os movimentos sociais
Nova interpretação do pensamento marxista: a partir da concepção "os homens fazem a história, mas apenas sob as condições que lhes são dadas", compreendem que os indivíduos não poderiam de forma alguma serem agentes da história, uma vez que eles poderiam agir com base em condições históricas criadas por outros e sob as quais nasceram e pelas gerações anteriores.
Segundo Althusser, o marxismo corretamente entendido, aquele que coloca as relações sociais e não uma noção abstrata de indivíduo no centro de seu sistema teórico, faz com que Marx desconsidere que há uma essência universal e que essa essência é atributo de cada sujeito único.
A descoberta do Inconsciente por Freud
Conforme o psicanalista, nossa identidade, sexualidade e nossos desejos são apreendemos gradualmente, parcialmente e com dificuldade.

São formados em relação aos outros e é um processo que está sempre em andamento.
IDENTIFICAÇÃO
O linguista Saussure
Afirma que nós não somos os autores das afirmações que fazemos ou dos próprios significados que tentamos imprimir.

A língua é um sistema social e não individual, além disso, preexiste a nós.
Nas acepções de Foucault, o sujeito é produto do poder discplinar utilizado pelas instituições administrativas, do conhecimento especializado e afins.
Impacto do Feminismo como crítica e movimento social
Além de compartilhar a mesma pauta que os outros movimentos da década de 1960, o feminismo também clamou por uma identidade social, esse processo ficou conhecido como
Política de Identidade
.
Além disso, questionou a distinção entre "o público e o privado"; levou para o debate político entidades invisibilizadas, como a família, a sexualidade e afins; a contestação a formação de sujeitos generificados; trouxe à tona a formação da identidade sexual de gênero e também a questão da diferença sexual entre homem e mulher dentro do conceito de Humanidade.
Entende-se, por fim, que o conceito de sujeito e de identidade são construções epistemológicas que estão inteiramente associadas aos processos sociais e históricos.
Descartes
John Locke
Raymond Williams
Queda da Bastilha
Lutero
Newton
Rousseau
Darwin
Parsons
Picasso
Baudelaire
Kafka
Simmel
Kracauer
Schutz
Full transcript