Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O MOVIMENTO HIPPIE

No description
by

Dener Almeida

on 12 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O MOVIMENTO HIPPIE

O MOVIMENTO HIPPIE
O FESTIVAL DE WOODSTOCK
O festival de rock mais famoso de todos os tempos rolou em agosto de 1969, em uma fazenda na cidadezinha americana de Bethel, a cerca de 160 quilômetros de Nova York. Woodstock é o nome da cidade escolhida originalmente para abrigar os shows, mas acabou não rolando e, depois de idas e vindas, os organizadores desistiram da cidade e alugaram uma fazenda em Bethel mesmo, menos de um mês antes da abertura do festival.

Para não criar mais confusão, o nome original, Festival de Música e Artes de Woodstock, permaneceu. Os quatro rapazes (Michael Lang, John P. Roberts, Joel Rosenman e Artie Kornfeld) que organizaram o evento tentaram sem sucesso levar John Lennon, Bob Dylan, The Doors, Led Zeppelin e Frank Zappa ao palco da fazenda, mas isso não tirou o brilho do festival. Apesar de esses monstros sagrados terem ficado de fora, outras estrelas - The Who, Joe Cocker, Janis Joplin e Jimi Hendrix, entre outros (aceitaram o convite e fizeram shows históricos).

O festival, que estava previsto para durar três dias, acabando à meia-noite do domingo, mergulhou na semana seguinte. Para ter uma idéia, Hendrix começou a tocar na segunda-feira, às 9 da manhã. Alguns doidões que acamparam na fazenda continuaram lá por um bom tempo.
Mais de 400 mil pessoas invadiram a cidade de Bethel, de 2 300 habitantes.
Cercas delimitavam a área reservada a acampamento, mas, na prática, com a superpopulação, isso não funcionou. Havia barraquinhas, colchonetes e trailers espalhados pelos quatro cantos da fazenda e até nas propriedades vizinhas.
Como a organização esperava "apenas" 60 mil pessoas, somando o público de todos os dias, a saída foi improvisar postos de alimentação gratuitos quando eles se depararam com uma massa sete vezes maior. Cidades vizinhas doaram frutas, enlatados e sanduíches.
32 atrações, entre artistas e bandas, passaram pelo palco, que ficava na parte mais baixa de uma pequena colina, formando um anfiteatro natural. As chuvas do fim de semana detonaram a grama que cobria o local e formaram verdadeiras piscinas de lama, onde a galera mais chapada se lambuzava à vontade.
Cerca de 70 médicos e 36 enfermeiras fizeram 6 mil atendimentos durante o festival. Alguns pacientes foram levados para hospitais por helicóptero, mas "só" três morreram: um por overdose de heroína, outro por ruptura de apêndice e o terceiro, atropelado por um trator. Houve ainda dois partos.
Atrás do palco, ficavam os trailers da produção, os camarins e o heliponto, por onde chegavam os artistas - não fosse pelos helicópteros, muitos shows não teriam acontecido. Para chegar ao palco sem enfrentar a muvuca, cantores e bandas atravessavam uma passarela exclusiva.
O centro do movimento foi a cidade americana de São Francisco, na Califórnia. Por lá, os hippies alugavam casarões antigos, onde moravam até 30 pessoas. Eles faziam jus ao lema "sexo, drogas e rock'n roll", mas, ao contrário do que se pensa, também trabalhavam e tinham hábitos de higiene normais.
Na década de 60, o movimento hippie apareceu disposto a ir contra o "sistema" (a sociedade branca de classe média que pregava o apego aos bens materiais). Baseados nos princípios da não-violência e da cooperação, os hippies mais tradicionais costumavam viver em grupos.
A expressão "hippie" deriva da gíria americana "hip", que significa "bacana, antenado" e era usada pelos antecessores dos hippies, os beats (intelectuais rebeldes dos anos 1950), para indicar coisas legais.
O maior canal do movimento foi a música. Roqueiros como Jimi Hendrix, Janis Joplin e os Beatles aderiram ao "paz e amor" e ao experimentalismo psicodélico nas letras e sons. Com o fim da Guerra do Vietnã, em 1975, o movimento passou por uma desmobilização (afinal, o grande motor da união pacifista acabara).
Se as "sociedades alternativas" de São Francisco foram desmontadas, os ideais hippies influenciaram outros grupos que surgiram nos anos 1980 e 1990, como os movimentos ecológicos, de defesa dos direitos indígenas e femininos.
Bebendo dessa influência, professores e alunos de universidades da Califórnia fundaram o movimento hippie no começo dos anos 1960. Lutando contra a Guerra do Vietnã (1954-1975) e a convocação obrigatória, seus ideais pacifistas se espalharam pelo mundo ocidental e foram fundamentais no desenvolvimento da chamada contracultura (forma de expressão que combatia os valores do capitalismo).
Muitas comunidades tinham suas próprias bandas, que tocavam de graça nas ruas. Os hippies são associados aos grupos de rock psicodélico, mas também havia os conjuntos de música folk, um gênero mais acústico, com letras de protesto.
Os hippies pregavam a liberdade sexual: topavam "festinhas" com mais de dois parceiros e aceitavam o homossexualismo numa boa.
Nas comunidades, crianças eram incentivadas a descobrir o mundo por si próprias e raramente eram matriculadas em escolas.
Eles rejeitavam comidas industrializadas, preferindo frutas, verduras, legumes e sucos naturais. As comunidades rurais plantavam o que consumiam. O que sobrava era vendido a preço de custo para outros hippies.
Apesar dos cabelos compridos e desgrenhados, os hippies não eram "porcos". Tomar banho uma vez por dia era o mais comum. Eles só não eram chegados a desodorantes ou perfumes, considerados produtos supérfluos da sociedade de consumo.
Os hippies usavam dois tipos de drogas. As consideradas "leves", como maconha e haxixe, eram consumidas em festinhas ou reuniões. Algumas comunidades improvisavam pequenas plantações em armários para garantir seu "estoque".
Camila Rodrigues Loeffler, Dener Almeida, Hallana Souza, Helena Turcarti, Iriane Collovini, Mikaela Topalian & Paula Sovinski.
A MODA HIPPIE
A moda hippie surgiu quando os jovens da década de 60 começaram a rejeitar a tendência futurista inspirada pela era espacial, e começaram a utilizar peças mais simples, feitas a mão, adotando a filosofia de "volta à natureza" e reverenciando as fibras naturais. O espirito minimalista dos hippies resultou numa obtenção eclética do vestuário, com a estrutura das peças enraizada na sua forma mais simples.

Difundiu-se pelos seguidores do movimento hippe o uso do jeans simples, bordado ou com aplicações de flores, calças de algodão, boca-de-sino (abrindo em direção à bainha), camisas com estampas indianas ou simbolos e frases de amor, saias compridas para as mulheres e flores espalhadas pelos cabelos compridos. De um modo geral, observamos que a perspectiva de igualdade de papéis sociais levantada pelos hippies fez com que, principalmente o universo feminino, começace a impor um estilo de se vestir que procurava eliminar (até certo ponto) as diferenças até então existentes entre roupas de homem e roupas de mulher.

A grande marca da moda hippie foi a promoção de um estilo pessoal de vestir, encontrar peças que lhe caem bem, buscar o equilíbrio e a harmonia entre a roupa e o seu modo de ser. A influência dessa subcultura na moda foi tão grande que os estilistas foram forçados a olhar para as ruas pela primeira vez e entenderam que a moda se alimenta desse diálogo que leva em consideração as demandas de vários públicos. Desde então, eles nunca mais pararam de descer às ruas em busca de inspiração para suas coleções.

Um elemento da moda hippie feminina eram saias rústicas flutuantes e floridas, sarongues e lenços tie-dye. Vestidos estilo "Vovó" de gola alta também eram muito usados. Estampas exóticas e tropicais ganharam popularidade, quando os estilistas começaram a incorporar tendências de outras partes do mundo.
A moda masculina andava junto com a feminina, com túnicas largas, calças boca de sino e cores vibrantes. Os homens hippies também se vestiam com um estilo militar, usando calças cargo e jaquetas.
Os cabelos eram longos para dar um ar angelical e complementado com um headband.
Atualmente o estilo se enfraqueceu ao passar do tempo, porém, evoluiu para o "Hippie Chic" e ganhou um ar bastante moderno, mas sem perder a leveza das estampas antigas. Sua influência é maior entre as mulheres.
O símbolo foi criado pela Campaign for Nuclear Disarmament, na Inglaterra e posteriormente adotado pelo movimento hippie. Foi desenhado por Gerald Holtom, um designer inglês, em 1958. O símbolo é uma composição das letras N e D (Nuclear Disarmament).
INÍCIO DO MOVIMENTO
É um rock-musical escrito por James Rado e Gerome Ragni, também autores das letras das músicas criadas por Galt MacDermot. Produto da contracultura hippie e da revolução sexual dos anos 60, muitas de suas canções tornaram-se hinos dos movimentos populares anti-Guerra do Vietnã nos Estados Unidos.
HAIR: THE AMERICAN TRIBAL LOVE-ROCK MUSICAL
A profanação de valores embutida no musical, sua descrição do uso de drogas ilegais, tratamento da sexualidade, irreverência pela bandeira nacional e cenas de nu explícito, causaram enorme controvérsia. Ele trouxe o mundo dos musicais a novos parâmetros, criando o "rock-musical", usando a integração racial para compor o elenco e convidando a platéia a interagir com o espetáculo, subindo ao palco na cena final.
Hair conta a história da "Tribo", um grupo de hippies cabeludos politicamente ativos da 'Era de Aquário', que levam uma vida boêmia em Nova York e lutam contra o alistamento militar para o Vietnã. 'Claude', seu bom amigo 'Berger', sua amiga 'Sheila' e outros amigos hippies, tentam equilibrar suas jovens vidas, amores e sexo livre com a rebelião pessoal contra seus pais e a sociedade conservadora norte-americana. Em última análise, 'Claude' precisa decidir entre rasgar seu cartão de alistamento como seus amigos fizeram ou sucumbir à pressão de seus parentes (e da América conservadora) e servir no Vietnã, comprometendo seus princípios pacifistas e arriscando sua vida.
Após estrear off-Broadway em outubro de 1967 no The Public Theater - onde ficou por 45 dias - e fazer algumas apresentações numa discoteca no centro de Manhattan, a peça estreou na Broadway em 29 de abril de 1968 para uma carreira que duraria por 1750 apresentações. Produções subsequentes e simultâneas foram montadas em diversas cidades dos Estados Unidos e da Europa e a partir daí a peça foi apresentada por todo o mundo, incluindo a gravação de discos nas línguas locais, como a gravação original do elenco nova-iorquino, que vendeu cerca de três milhões de cópias nos Estados Unidos e ganhou o Grammy Awards de Melhor Álbum de Musical. Algumas das canções fizeram parte da lista de Top 10 da Billboard e um filme foi feito em 1979, dirigido por Milos Forman, baseado no musical.
Hair foi indicado ao prêmio Tony de melhor musical e melhor direção e ao Drama Desk Award de Melhor Música. Em 2009, sua elogiada remontagem na Broadway concorreu a oito Tonys e conquistou o de Melhor Remontagem de Musical.
Musicalmente, o tropicalismo unia uma mistura da cultura brega, do rock psicodélico, da música erudita, da cultura popular, entre outros, dando conta de várias manifestações da cultura nacional. O som da guitarra elétrica convivia com violinos e com o berimbau.Era o resgate do Movimento antropofágico de Oswald de Andrade aliado a um retorno às raízes das tradições nacionais.
NO BRASIL...
Principais Representantes do Movimento:
• Carmen Miranda
• José Celso Martines Corrêa
• Arnaldo Baptista
• Gal Costa
• Caetano Veloso
• Gilberto Gil
• Tom Zé
• Julio Medaglia
• Rita Lee
• Secos & Molhados
• Raul Seixasmentre outros.
Mr. Ford fez brilhantemente sobre a imagem de Cher em um lustroso, hippie ersatz - a mensagem é que não há necessidade de abandonar o materialismo se juntar ao seu clube hippie. Na verdade, uma forte relação para o capitalismo é praticamente uma exigência. (No momento em que realmente tem que conhecê-la, Cher era muito rico para se qualificar como um hippie, de qualquer maneira.)
"NEW HIPPY" GUCCI BY TOM FORD 1999
Full transcript