Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Doenças Infectocontagiosas (ocupacionais) em Profissionais d

No description
by

Joyce Nascimento

on 2 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Doenças Infectocontagiosas (ocupacionais) em Profissionais d

Objetivos
Apresentar algumas das doenças que mais acometem os profissionais de saúde em suas atividades laborais;

Mostrar modos de transmissão, medidas de minimização de riscos,atentando para o uso de equipamentos de proteção adequados.
Doenças mais comuns...
Hepatite
AIDS
Tuberculose
Influenza
Metodologia
Trata-se de um trabalho com a finalidade de expor, de forma ampla e visual, a importância da execução do trabalho laboral dos profissionais de saúde de forma consciente. Sinalizando as principais doenças ocupacionais acometidas a esses profissionais quando não tomadas as devidas precauções. Para a realização do trabalho, foram utilizados como base artigos científicos, assim como dados de pesquisas científicas e campanhas relacionadas ao tema.
Medidas de Minimização dos Riscos
Vídeo
Doenças Infectocontagiosas (ocupacionais) em Profissionais de Saúde
Introdução
Considera-se preocupante o número de trabalhadores da saúde que se acidentam em suas atividades profissionais.

O profissional acaba voltando toda sua atenção para o paciente, deixando sua saúde e cuidado para segundo plano.

A convivência com riscos predispõe os trabalhadores a se tornarem enfermos e a sofrerem acidentes de trabalho, quando não adotadas medidas de segurança.

Lourdes Almeida
Lourdes Almeida
Joyce Nascimento
Hepatite
AIDS
Tuberculose
Influenza
Joyce Nascimento
Joyce Nascimento
Lourdes Almeida
Maria Gabriella Brito
Ana Carolina Machado
Maria Gabriella Brito
Referências
Ana Carolina Machado
Para a prevenção dessas doenças é necessário:
Uma administração dos riscos, por meio do acesso a informação, levando à busca de melhorias contínuas de qualidade no serviço e maior segurança no ambiente de trabalho.
Cumprimento da NR-32 dentro dos estabelecimentos de saúde e prestar assistência adequada não só de quem cuida, mas também ao cuidador;
Os serviços de medicina e segurança no trabalho, constituem um importante componente de controle de infecções.
Doença infecto-contagiosa que afeta principalmente os pulmões;

No geral causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK);

A tuberculose é transmitida por vias aéreas, na maioria dos casos, é uma transmissão direta, de pessoa para pessoa;

A doença pode-se apresentar de forma pulmonar e extrapulmonar.

ALGUNS SINTOMAS...
TRATAMENTO
O Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT) é responsável pelas normas de prevenção, diagnóstico, tratamento e pela distribuição dos medicamentos.
O tratamento da tuberculose à base de antibióticos é 100% eficaz, no entanto, não pode haver abandono.
Doença infecciosa aguda de origem viral;

Altas taxas de mutação;

Tipos A, B e C;

Agente etiológico: Myxovirus influenzae;

Também denominado vírus influenza;

Acomete o trato respiratório;

Forleo-NETO, Eduardo et al. Influenza. Rev. Soe. Bras. Med. Trop., Uberaba, v. 36, n.2, p. 267-274, abril de 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822003000200011&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 16 out 2015.
TRATAMENTO
CAMPANHAS
A higienização das mãos;

Uso de equipamentos de proteção individual (EPIs):

Luvas

Aventais

Óculos para proteção dos olhos

Sapatos, entre outros

Descarte, em locais apropriados, de seringas e agulhas;

Evitar caixa de luvas e materiais ao lado do paciente;

Quarto privativo quando há pacientes com secreção não contidas;

Transporte dos pacientes deve ser feito com o uso de mascaras.
A transmissão do vírus HIV pode ocorrer primariamente em três situações:
contato sexual com pessoa infectada;
exposição a sangue ou derivado contaminado;
e a partir da mãe infectada para filho.

É considerada a doença mais debatida quanto à segurança do trabalho na área da saúde, em relação à possibilidade de transmissão ocupacional.

Após o descobrimento do vírus, foram adotados precauções universais com sangues e outros fluidos corpóreos para evitar transmissões em profissionais de saúde. Entre elas:


Necessidade de vestimentas especiais dependendo do tipo de procedimento a ser realizado e intensidade do contato com paciente infectado;

Importância da lavagem das mãos antes e após contato com cada paciente ou secreções sanguíneas;

Além das agulhas jamais serem reencapadas.
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, como também é chamada, é uma doença viral;
Conclusão
Investir na saúde, nos equipamentos de proteção, treinamento dos trabalhadores do ramo, nas vacinas e medicamentos é de suma importância e uma medida necessária não só para controlar as infecções e promover a saúde dos trabalhadores, mas também de interesse direto da sociedade, que se beneficia dos serviços prestados por essas entidades e por esses profissionais.

TUBERCULOSE. Secretaria da Saúde do Estado do Paraná. S.d. Disponível em: <http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=939%20turbeculose>. Acesso em: 16 Out. 2015.
OBRIGADA!
OLIVEIRA, S.M.V.L. et al. Prevalência da Infecção Tuberculosa entre Profissionais de um Hospital Universitário. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 2007. Disponível em: <https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3283.pdf>. Acesso em 16 Out. 2015.

É uma inflamação do fígado que compromete as suas funções, podendo resultar até em morte;
Dentre as causas estão: uso de medicamentos, álcool, distúrbios metabólicos, vírus, etc.;
Sete tipos de hepatites virais: A, B, C, D, E e F; sendo B e C mais comuns em trabalhadores de saúde;
Ambas as hepatites (B e C) podem evoluir para um quadro crônico, resultando em cirrose ou até em câncer de fígado;
Hepatite B
Transmitida pelo vírus HBV;
Sua transmissibilidade é maior que a do HIV ;
É de difícil destruição.

Hepatite C
Transmitida pelo vírus HCV;
É mais perigosa, pois torna-se crônica na maioria dos casos;
Os sintomas agudos são geralmente leves ou ausentes.
SINTOMAS MAIS COMUNS
TRATAMENTO
Hepatite B:
Hepatite C:
Aguda: repouso, dieta, hidratação, não ingestão de álcool;
Crônica: além da não ingestão de álcool e dieta pobre em gordura, inclui remédios como Interferon e Lamivudina;
Tratamento feito com a ingestão de medicamentos específicos. Os medicamentos habitualmente receitados são o Interferon + Ribavirina.
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA
CURSO DE FISIOTERAPIA

Lourdes Almeida
Joyce Nascimento
Joyce Nascimento
Joyce Nascimento
Lourdes Almeida
Lourdes Almeida
Lourdes Almeida
Lourdes Almeida
Maria Gabriella Brito
Maria Gabriella Brito
Maria Gabriella Brito
Ana Carolina Machado
Ana Carolina Machado
Ana Carolina Machado
Fonte: http://www.tuasaude.com/hepatite/
Fonte: http://www.saude.rs.gov.br/conteudo/6310/?Artigo_-_Gripe_A%3A_preven%C3%A7%C3%A3o_e_tratamento
Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822003000200011
Fonte: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v26n1/10.pdf
Fonte: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v26n1/10.pdf
Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos/tuberculose.php
Fonte: http://www.tuasaude.com/sintomas-de-tuberculose/
Full transcript