Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Romantismo - Formas Musicais

No description
by

Josué Sena

on 26 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Romantismo - Formas Musicais

Século XIX - Movimento Romantico
O movimento Romântico teve inicio no decurso das últimas décadas do século XVIII, em primeiro lugar na Literatura e Filosofia, principalmente na Alemanha. O Romantismo surgiu como uma reação ao racionalismo iluminado e positivista da Europa da época, e representou a emergência do subjetivo, do irracional e do imaginativo, do papel do Homem e da Natureza, e da aspiração à beleza ideal, inatingivel, sublime.
A Música Romântica
Talvez seja conveniente recorrer às teorias dos intelectuais românticos para precisar até que ponto a música adquiriu neste período, um estato, alguns aspectos superior ao das outras artes. O caráter subjetivo, abstrato e intangivel da música convertam na linguagem artistica mais adequada para expressar a irracionalidade, o eu artista, o simples "compor música por música", foi subistituido sistematicamente pelo "Compor com sentimento", e, assim, Hegel afirmou:
Os Gêneros Musicais
(Formas)

Os géneros que o compositor romantico preferia centravam-se nas obras orquestrais (expansão do eu, a possibilidade de expressar desde os sentimentos mais grandioloquentes até aos mais sutis), na música de câmara, na qual sobrevivia a ânsia de exprerimentação formal do classicísmo, e nas obras para piano, o instrumento perfeito para transferir as sensações mais intimas.
No campo orquestral, as formas mais pareciadas pelos clássicos foram tambem aquelas que os românticos exploraram com maior agrado, como a sinfonia ou o concerto para solista e orquestra. Bem depois no inicio do século apareceu uma nova forma, o poema sinfônico, fruto de nosvas teorias erazadas obras de Bethoven (A Sinfonia 6 "Pastoral") e Mendelssohn, forma que, a partir de Liszt e Berlioz, se equiparou em importancia à sinfonia. A música de Câmara centrou-se sobretudo na cultura do trio, quarteto e das sonatas para piano e outros intrumentos (violino, viola, violoncelo). A Música para piano apresentou, assim como os concertos para solistas e orqustra, um novo fenonimo, o virtoosismo, fruto do gosto romantico pela individualidade, pelo gênio.
Trabalho de Estruturação
Prof. Luciana Carolina Faria

O Romantísmo -
Formas Musicáis

A própria etimologia da palavra (que provém de "romance") reflete o fascínio pelo misterioso, pelo sobrenatural, pela Fantasia, pelo exótico ou pelo passado, principalmente pela Idade Média.
Para os artistas romanticos, a Idade Média simbolizava as sombras, a obscuridade, o mitologico...Em A Barca de Dante (1822 Londres) de Eugene Delacroix vê-se como Dante e Virgílio, conduzidos por Plégias, atravessam o lago que rodeia a cidade infernal de Ditè.
Definição
" Música deve elevar a Alma acima de si própria, deve induzir-la a libertar-se por cima do seu objeto e a criar uma região na qual, livre de qualquer afã, possa refugiar-se sem osbitáculos no puro sentimento de si mesma".Hegel
Outro Romantico, Ernst Theodeordor Amadeus Hoffanmn, expressou-se: "Somente a Música desdenha o apoio e a intromissão de outras artes e expressa, de modo puro e exclusivo, a sua essência caracteristica. Esta é a mais romantica de todas as artes e poder-se-ia mesmo dizer que é a única verdadeiramente romantica, dado que seu único objetivo é o infinito".
Liszt Nascido a 22 de Outubro de 1811 na localidade Hungara de Raiding – O mago do piano romântico e o primeiro super -star da historia
Franz Liszt –
Schubert nascido em 31 de Janeiro de 1797 em Viena– A voz melódica do Romantismo.
Franz Schubert –
Weber nasceu em 1786 em Eutin (ducado de Odenberg, Alemanha) – O criador da Ópera alemão
Carl Maria Von Weber –
Mendelssohnnasceu na cidade de Hamburgo a 3 de Fevereiro de 1809 – Um romântico Inspirado na tradição
Felix Mendelssonhn –
Schumann nasceu na localidade saxónica de Zwickau a 8 de Junho de 1810- O Mestre do piano Romântico.
Robert Schumann -
Johann Strauss – nasceu na capital austriaca em 1804
Johann Strauss –
Wagner – O titã da Ópera - nasceu na cidade de Leipzig a 22 de Maio de 1813.
Richard Wagner –
Chopin – O triunfo do intimismo romântico - nasceu na localidade Polaca de Zclazowa Wola perto de Sochaczew que na época pertencia ao ducado de Varsóvia em 22 de Fevereiro de 1810.
Fryderyk Franciszek Chopin –
Nicolou Paganini – O fenómeno do virtuosismo - nasceu em Génova em 27 de Outubro de 1782
Niccolou Paganini -
Brahms – nasceu em Hamburgo a 7 de Maio de 1833.
Johannes Brahms –
Bruckner – O último sinfonista do Romantismo - nasceu a 4 de Setembro de 1824.
Anton Bruckner –
Bruch – Nasceu em Colónia a 6 de Janeiro de 1838
Max Bruch –
Principáis Compositores
Estudo -
Composição musical destinada a formação técnica de um intérprete, cada estudo tem a finalidade de sanar determinada dificuldade técnica do instrumentista. alguns estudos, escritos por compositores de renome. (Chopin, Schumann, Liszt...), tranfromaran-se em obras que costumam ser interpretadas em concertos públicos.
Improviso
Forma musical que tem por principal caracteristica a improvisação, isto é, a execução momentanea da obra sem a mesma estar escrita no pentagrama. É, portanto, uma obra de momento, que depende muito da capacidade criativa do compositor, de seu perfeito dominio do instrumento e dos elementos musicas. Existem, porem, imporvisos previamente planejados e que obedecem à célebre estrutura A-B-A. Alguns dos compositores mais destacados nesta forma são - Schubert, Chopin e Heller.
Intermezzo -
Forma musical que costumava ser interpretada entre os actos de uma tragèdia ou de qualquer obra teatral, e que a partir dos principios do Barroco se foi desenvolvendo até adquirir uma autonomia própria. Assim como o Prelúdio e o Interlúdio, a forma Intermezzo intercala os atos de uma Ópera sendo as vezes dançado ou pantominado. Alguns compositores adotam o termo Intermezzo a peças instrumentais de estrutura livre, feita para ser ouvida fora de uma obra maior.
Lied -
Termo alemão (Canção) que designa a canção em alemão, geralmente para uma voz, comacompanhamento de piano ou orquestra. Os Lieder surgiram no fim da idade Média, baseado geralmente em um A-B-A., represemta a pefeita união poesia e música, mas o genero eclodiu na segunda metade do século XVIII, com autores como Zelter ou Zumsteeg, e atingiu o seu apogeu com Bethoven, Schubert, Schumann, Brahms e Wolf. Estes músicos compuseram lieder para voz e piano.Schubert foi, inegavelmente, o maior mestre do Lied. Os seus incomparáveis dotes melódicos uniam-se a um instinto dramático seguro que se manifesta na sua escolha de harmonias e na disposição do acompanhamento. Abrangem todos os estados de espírito, da mais terna e delicada fantasia à emoção forte e tempestuosa. Posteriormente, a tradição continuou com Gustav Mahler e Richard Strauss, ou seja, com acompanhamento orquestral.
Capricho -
Peça instrumental que apresenta a forma de contraponto, de caráter instrumental, derivada da fantasia e da canzona. A partir do século XIX, o termo designa uma obra caracterizada pelo seu virtuosismo e pela liberdade que outorga ao compositor. Pode ser para instrumento solo, como no caso dos Caprichos do compositor Italiano Niccolò Paganini, ou então uma composição orquestral, como o Capricho Espanhol do compositor russo Rimsky-korsakov ou o Capricho Italiano do seu compatriota Tchaikovsky.
Poema Sinfônico -
Obra orquestral, geralmente de um só movimento, que se baseia num tema extra musical. O género manteve-se graças aos treze poemas sinfónicos compostos por Franz Liszt, e foi largamente utilizado pelos compositores pós-romanticos e nacionalistas.
Rapsódia -
Gênero nascido no século XIX, de forma livre, que se costuma associar a temas populares próprios de cada paisentre os mesmos e contribuem para o perfeito entendimento do todo. tratadas ligadamente atraves de modulações que emprestam coerência . Entre as mais Célebres salientam-se as Rapsódias Húngaras, de Liszt...
Balada -
Composição em estrofes de forma ligeira e de caráter lírico. No século XIII, o trovador francês Adam de la Halle compôs baladas; no século XIV o compositor e poeta Guilherme de Machaut: e no século XV, Binchois e Dufay. Na Inglaterra (ballad) e Italia (ballata) foi uma composição que usufruiu de grande dignidade. Os romanticos recorreram ao gênero em obras cantadas ou instrumetais (Robert Schubert, Robert Schumann, Frèdèric Chopin, Franz Liszt, Johannes Brahms dentre outros). Um dos grandes méritos do Romantismo foi a descoberta da enorme importância cultural da Idade Média, e é natural que muitos grandes poetas românticos revivessem as antigas baladas compostas pelos trovadores medievais.
Cultivadas pelos pré-romanticos alemães (tal como Gorrfried August Burger, Fridrich von Schiller e Johann Wolfgang von Goethe), esta forma poética marcou o início do Romantismo ingles, com a publicação entre 1898 e 1902, das Baladas Líricas de Wordsworth e Coleridge.
Sobre influencia de seu compatriota Mickiewicz, que Frèdèric Chopin compôs as quatro baladas mais famosas da música culta.
Termo francês (canção de embalar) que designa uma canção popular, de ritmo repetido e sereno vocal ou puramente instrumental sem estrutura definida que evoca, pela simplicidade melódica e por uma suave sonoridade, cantada padormecer crianças. A partir deste Género, numerosos compositores compuseram berceuses para piano ou parra voz, como Frèdéric Chopin, Johannes Brahms, Gabriel Fauré dentre outros....
Ópera -
Composição musical de caráter profano destinada a ser encenada. a ópera nasceu em finais do século XVI, pelas mãos dos compositores da Camerata Fiorentina, Pieri e Caccini, em particular. Durante o Romantismo, a eclosão de figuras como Weber, Bethoven e, sobrretudo, Wagner, que levou a cabo uma profunda renovação do género, no sentido de estabelecer a "a obra de arte total". Na Italia produziu-se uma continuidade com a produção dos séculos anteriores; a ópera romântica conta com um grande número de nomes, entre os quais convem citar Rossini, Donizetti, Bellini e Verdi. Paralelamente na França, distinguem-se Gounoud, Massenet, Bizet e Sain-Saens. Menção especial merecem compositores russos, como Mussorski, Tchaikovsky e Rimsky-korsakov, que cultivaram um genero profundamente enraizado na música de seu pais.
Paráfrase
Obra musical baseada numa composição já existente, geralmente célebre, muito voga no romantismo, Franz Liszt efetuou paráfrase para piano de obras de Giuseppe Verdi, Richard Wagner, Gaetano Donizetti e Frans Schubert.
Momento Musical -
Termo utilizado pela primeira vez em uma série de obras homónimas de Franz Schubert (célebre compositor do gênero), que designa uma peça autónoma, geralmente para piano, de estrutura livre e cuja duração costuma ser breve.
Noturno -
Composição de carater lírico, sonhador, de um só movimento, que pretende evocar, graças a um carácter sereno e melancolico, o ambiente da noite. O irlandês John Field foi o primeiro a utilizar o termo, aplicado desde então, de preferência, a composições para piano. O máximo cultivador do gênero foi Chopin.
Romance -
Comosição de estrurua livre que destaca-se pelo seu caráter cantante e melódico. São célebres os Romances sem plavras de Mendelssohn para piano.
Polonesa ou Polaca -
Dança de origem polaca, de ritimo ternário com acentuação no segundo e metade do primeiro tempo, de caráter solene, divulgada sobretudo pelos compositores almães do século XVIII (Telemann, Bach...). Durante o Romantismo, alcançou um grande auge graças as composiççoes para piano de Chopin e de Lizt e a sua inclusão em óperas, por parte de Tchaikovsky e de Rimsky-korsakov, dentre outros.
Fantsia -
Na sua origem na Renascença até o Barroco, peça musical de forma livre e de caráter improvisado, na qual uma ideia musical está ligada a outra sem uma dependência formal clarra. A partir do classicismo, e por oposição à forma sonata, muito maestrururada, "fantasia" designa uma peça livre que carece de estrutura rígida, carregada de harpejos, cadências e com uma linha melódica fantasiosa. Seu objetivo é fugir a toda e qualquer rigidez de uma construção musical.
Mazurca -
Dança de origem polaca, de ritmo ternário e de movimento moderado. Foi introduzida na música culta em principios do século XVIII, e esteve muito em voga durante a primeira metade do século XIX, graças a música de compositores como Chopin, Glinka Tchaikovsky.
Abertura -
Composição instrumental escrita como indtrodução para obras de maiores dimenções, principalmente uma ópera. No período romântico a forma-padrão da abertura mantém-se inalterada em relação à estrutura adoptada por Beethoven, mas surge como peça de concerto por direito próprio, cada vez mais independente da ópera.
Wagner escreveu várias aberturas de estrutura clássica - para "Rienzi", "O Navio Fantasma" e Tannhäuser" - mas nas suas obras posteriores - "Lohengrin", "Tristão e Isolda", "Die Mastersinger", o "Anel de Nibelungo" e "Parsifal" - chama à peça introdutória prelúdio e escreve de maneira mais livre e muitas vezes mais resumida. As aberturas de Verdi e de outros italianos são também, regra geral, independentes e imprevisíveis. Por outro lado, Mendelssohn, Brahms e muitos compositores do século XIX escreveram aberturas de concerto como, por exemplo, a "Abertura Trágica" de Brahms, sem qualquer relação com a representação em palco.A principal mudança a observar na abertura romântica diz respeito ao timbre e à orquestração.

Transição
Bethoven, o último dos Classicos, lançou, principalmente através de suas últimas obras, a semente romântica.
Rimsky Korsakov Capriccio Espagnol Op 34 Berliner Phil Dir Zubin Mehta
Chopin Etude Op 10 No.4
Pianista - Valentina Lisitsa
Schumann - Humoreske, Op.20
Pianista - Daria Rabotkina
Brahms Intermezzo Op. 118 No. 2
Pianista - Nikolai Lugansky
Lied "Gretchen am Spinnrade" F.Schubert
Soprano - M. Buchberger
LOHENGRIN - Richard Wagner
Liszt: Paraphrase on Ernani (Verdi)
Liszt - Les Préludes (poema sinfónico nº 3, S. 97)

Orquesta Sinfónica del Conservatorio Superior de Música de Aragón.
Juan Luis Martínez, director.
Rapsodia Húngara Nº 2 em Do menor Franz Liszt
Frédéric Chopin - Ballade Op. 23 in G minor
Berceuse -
Chopin Berceuse Op 57 D Flat Major
Piano - ValentinaLisitsa
Chopin Fantasy f minor Op 49
Piano - Valentina Lisitsa
Chopin Mazurka Op 30. No. 1
Piano - Alfred Cortot
Schubert Moment Musical No. 3 in minor
Piano - Horowitz
Chopin Nocturne E Flat Major Op.9 No.2
Piano - ValentinaLisitsa
F. Mendelssohn - Romances Sans Paroles- Presto Agitato- OPus 53.
Piano - Aldo Ciccolini
Chopin - Polonaise in A Flat 'Heroique'
Piano - Valentina Igoshina
Orquestra Jovem do Estado de São Paulo
Brahms - Abertura Trágica
Sala São Paulo
08/08/10
Regência: Paul Petter Spiering

Formas Musicais no Romantismo

Josué Campos de Sena
Full transcript