Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Coerção, Capital e Estados europeus

No description
by

Matheus Hebling

on 2 April 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Coerção, Capital e Estados europeus

Coerção, Capital e Estados europeus
Charles Tilly
Tilly
(1) grandes impérios multiétnicos pela força;
(2) dissolução em suas tribos elementares, nações ou grupos;
(3) evolução em "estados-nação" separados; e
(4) a união em (con) federações

Estado Nacional
O que explica a grande variação ao longo do tempo e do espaço nos tipos de Estados que prevaleceram na Europa desde 990 d.C.?

Por que os Estados europeus finalmente convergiram em diferentes variantes do Estado nacional?

Coerção, capital e Estados europeus
Teorias
Teoria do contrato social e o nascimento do Estado
estado de natureza
autoridade
Hobbes
Leviatã (1651)
Guerra Civil Grã-Bretanha
medo e egoísmo
segurança e ordem
absolutismo ?
Locke
refuta de Deus - direito divino
Revolução Inglesa (1640)
origen e extensão do governo civil
consentimento
unidade de análise - indivíduo
propriedade
sem poder e lei
Rousseau
O Contrato Social / Emile
felicidade e igualdade
propriedade privada
direitos, liberdade e igualdade

garantidos pelo Estado
método histórica
sociologia norte-americana 1960s - 2010s
estruturas
história + sociais
mecanismos causais
não-diferenciação fato # valor
relacional
comparações e processos
estatista (escolha racional) -
Waltz, Jervis, Bueno de Mesquita
sistema mundial -
Wallerstein, Frank, Taylor
geopolítica -
Rosenau
modo de produção -
Marx
Contexto Histórico
990 - 1490 - 1800 - 1992 d.C.

desagregação Império Romano

tamanho das Estados x densidade das cidades

Hungria (p. 96)

questões militares, judiciais e fiscais
"Organizações relativamente centralizadas, diferenciadas e autônomas que
reclamavam prioridade no uso da força dentro de territórios amplos, contíguos e
claramente circunscritos"
TILLY, C. Capital, coerção e Estados europeus 990 - 1992, p. 94
Discussão
1. Em Tilly, qual a influência da classe capitalista na condução do Estado?

2. Brasil: rota do capital ou da coerção?Qual diferença se fosse o oposto?

3. Ainda faz sentido pensar na ideia de Estado / importância da guerra discutida por Tilly?

4. É necessário revisar a ideia de Estado-nação?
Capital
comércio > receita
impostos
taxas alfandegárias
maior controle sobre proprietários
maior poder às cidades
Coerção funciona
exército x polícia
De onde vem o dinheiro?
Política externa
Teoria da origem divina
Teoria patriarcal
Teoria matriarcal
Teoria do contrato social
Análise estatista (realismo estrutural/escolha racional)
Análise geopolítica
Análise do sistema mundial
Teoria marxista (análise baseada no modo de produção)
Moore
Tilly
Origem divina
Sir Robert Filmer - Patriarcha (1680)
Contra jesuítas e calvinistas
Adão
Direito natural dos reis - poder político e religioso
Dois princípios: direito divino e obediência passiva

Patriarcalismo
“The elementary group is the family connected by the common subjection to the highest male ascendant. The aggregation of families forms the gens or the houses. The aggregation of houses makes the tribe. The aggregation of the tribes constitutes the commonwealth.” (p. 15)
Sir Henry Maine - Ancient Law (1861)
Matriarcalismo
John McLennan - Primitive Marriage (1865)
Lewis Morgan - Systems of Consanguinity and Affinity of the Human Family (1871)
Robert Briffault - Mothers (1931)
Em: Wimmer e Feinstein. “The Rise of the Nation-State across the World, 1816 to 2001” In: American Sociological Review, 75(5) 764–790.
Princípios de análise
ação coletiva
urbanização
desenvolvimento do capitalismo
governantes tentam defender e ampliar territórios dos seus Estado
ameaça de outros Estados fez com que governantes europeus entrassem em guerras interestatais;
pessoas comuns se recusaram a ceder recursos e homens necessários para a guerra;
modos de produção e estruturas de classe influenciaram como governantes extraíram recursos;
Estados se desenvolveram como consequência não-planejada dos esforços que os dirigentes envidaram para extrair os recursos e homens necessários para a prática da guerra.

1. Em que condições ocorre o governo militar?
2. O que leva os governantes de Estados que de outro modo seriam ineficientes a perseguir categorias inteiras de suas populações?
3. Por que se tomaram tão comuns as guerras civis?
4. Quando os Estados se democratizam?
5. Se os Estados não-europeus crescem ricos, o que mais lhes poderá acontecer?
6.
Hipótese central
: relações entre capital concentrado e coerção concentrada continuarão a compelir os tipos de Estados que emergirão em todo o mundo em décadas futuras, tal como fizeram ao longo da história europeia.

Fisiologia do Estado
maior poder, maior poder de controle de outros Estados
criação das estruturas organizacionais do Estado
classes sociais
Different Paths to the Modern State in Europe: The Interaction Between Warfare, Economic Structure, and Political Regime
KARAMAN; PAMUK
American Political Science Review Vol. 107, No. 3 August 2013
Hohenberg e Lees
praças centrais


pontos de redes urbanas
patrimonialismo
corretagem
nacionalização
especialização
Fases
"então Anu e Enlil me pediram que desse bem-estar ao povo,
a mim, Hamurabi, o príncipe obediente, tem ente a deus, que fizesse a justiça
reinar sobre a terra, que destruísse os maus e os iníquos, que o forte não prejudicasse
o fraco e que me erguesse qual o sol sobre o povo de cabeça preta,
iluminando a terra."



Frankfort 1946, p. 193
Full transcript