Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

AULA STARTUP ENXUTA

LEAN STARTUP GESTÃO PARA EMPREENDER E INOVAR UNISINOS
by

Andris Schmitz

on 2 July 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of AULA STARTUP ENXUTA

STARTUP EXUTA (RISE, 2012)
MÉTODO LEAN STARTUP
PROCESSO DE CRIAÇÃO DE EMPRESAS
Borges, Filion e Simard (2010), elaboraram uma pesquisa no Canadá visando identificar diferenças no processo de criação de empresas tecnológicas. Assim, criaram um quadro do processo baseado em trabalhos de diversos autores.
O QUE HÁ DE ERRADO?!
MÉTODO TRADICIONAL
Naturalmente, tendo sido bem-sucedidas e provadas na construção de produtos tangíveis, as técnicas de engenharia foram tomadas como ponto de partida para organização de projetos de software, inaugurando uma nova área do conhecimento que não surpreendentemente foi batizado de “engenharia de software”. Essa modelagem com fases distintas de design e implementação não é ótima ao ser aplicada em software.
O cliente raramente sabe de antemão tudo que precisa antes que possa experimentar o software em uma situação real e tende a se basear em suposições; além do que as especificações, necessidades de negócios e mesmo a tecnologia disponível mudam com o tempo
.
O risco de construir algo inadequado ou obsoleto cresce quanto maior for a duração do projeto de software com escopo fixo; também crescem os custos de mudança quanto mais tarde uma necessidade de alteração de especificações for identificada
(RISE, 2012, pg. 125).
E TEM MAIS...
PLANO DE NEGÓCIOS
Conforme Bangs (apud Dornelas, 2008, p. 97), algumas perguntas chave devem ser focadas em qualquer plano:
a) em que negócio você está?
b) o que você (realmente) vende?
c) qual é o seu mercado-alvo?

Consoante Dornelas (2008, p. 97-98) ainda comenta que através do plano de negócios é possível:

a) Entender e estabelecer diretrizes para seu negócio;
b) Gerenciar de forma mais eficaz a empresa e tomar decisões acertadas;
c) Monitorar o dia a dia da empresa e tomar ações corretivas quando necessário;
d) Conseguir financiamentos e recursos junto a bancos, governos, investidores, capitalistas de risco, etc;
e) Identificar oportunidades e transformá-las em diferencial competitivo para a empresa;
f) Estabelecer uma comunicação interna e eficaz na empresa e convencer o público externo (fornecedores, parceiros, clientes, bancos, investidores, associações, etc).
"...análise estratégica, descrição da empresa,
produtos e serviços
, plano operacional, plano de recursos humanos,
análise de mercado, estratégica de marketing
, plano financeiro e anexos..." (Dornelas, 2008)
...sumários executivos,
produtos e serviços
,
análise de mercado, estratégia de negócios
, organização e gerência do negócio e planejamento financeiro. (Salim, 2001)
"...o plano deve ser composto pelo sumário executivo,
definição do negócio, produtos e serviços, mercado-alvo
, competidores, análise SWOT,
estratégia competitiva
..." (Chér, 2002)
UM PLANO DE NEGÓCIOS É CHEIO DE HIPÓTESES.
Você realmente sabe...
Quem é seu mercado-alvo?
Qual o tamanho do seu mercado?
O produto/serviço será aceito pelo mercado? Se o produto não possui um mercado consolidado para observar? (HIPÓTESE DE VALOR)
Qual é o produto?
Se você não conhece o mercado-alvo e muito menos seus desejos, como definir qualidade para um consumidor que você ainda não conhece?
CONSTRUIR
MEDIR
APRENDER
CONSTRUIR-MEDIR-APRENDER
No método de gestão do Eric Rise (2012), denominado startup enxuta, a gestão é baseada no sistema construir-medir-aprender, onde a startup transforma a ideia em produtos e aprendem medindo como os clientes reagem devido marcos da contabilidade de inovação. Após o feedback do cliente, a empresa pode, a partir da contabilidade de inovação - que identifica os trabalhos que realmente criam valor ao cliente -, pivotar, mundano de direção; ou perseverar, caso as hipóteses sejam comprovadas, ocasionado um ciclo intenso de feedback.
IDEIA
PRODUTO
DADOS
CONSTRUIR O PRODUTO
CONCEITO/PLANO DE NEGÓCIOS
TESTE ALFA/BETA
WATERFALL
LANÇAMENTO
O MVP (sigla em inglês para produto mínimo viável) é aquela versão do produto que permite uma volta completa do ciclo contruir-medir-aprender, com o mínimo de esforço e o menor tempo de desenvolvimento. O produto mínimo viável carece diversos recursos que podem se provar necessários mais tarde. No entanto, de certa forma criar um MVP requer trabalho extra; devemos ser capazes de medir seu impacto. Por exemplo, construir um protótipo que não seja avaliado por engenheiros e designers apenas em função da sua qualidade interna. Também precisamos colocá-lo diante dos possíveis clientes para validar a reação deles. Pode até ser preciso tentar lhes vender o protótipo. (RISE, 2012, pg. 70).
TESTAR HIPÓTESES

a) hipótese de valores, que busca averiguar se o produto ou serviço fornece valor ao cliente;
b) hipótese de crescimento, que busca testar com novos clientes, ou os adotantes iniciais, descobrirão o produto ou serviço, podendo ser através do crescimento viral, crescimento recorrente, crescimento pago, entre outros (RISE, 2012).
EXEMPLO 1
Para medir o real interesse e a reação de reais consumidores antes de qualquer centavo ser investido em real desenvolvimento e produção. O fundador da DropBox criou uma página na web com vídeos e com uma detalhada descrição do produto, exatamente como se o produto já existisse. Mas não havia produto. Era apenas uma ideia. Ele então mediu a reação de reais potenciais consumidores. E concluiu que havia potencial, pois uma grande quantidade de pessoas demonstrou interesse. Só então o empreendedor decidiu então investir tempo e dinheiro. E mais: com o resultado do teste, conseguiu mostrar a potenciais investidores que efetivamente havia interesse na ideia, o que facilitou o aporte de investimentos.
PROJETO = EXPERIMENTO
Compravadas as hipóteses, o ciclo continua...
Eric vai ainda mais longe...
Ele diz que deve-se vender o MVP sem ter criado ele.
Ou enganar o usuário de uma forma que ele acredite que a inovação (MVP) já existe. Ou seja, mesmo sem gastar 1 hora se quer escrevendo um código ou desenhando um produto, você deve tentar vende-lo.
EXEMPLO 2
Grupon 1.0 - Blog (E-mail com PDF)
Riscos
Food on the Table - Criar planos de refeições semanais e listas de compras que se baseiam nos alimentos que sua famílias gosta e, em seguida, acessar os supermercado buscando os melhores preços.

Desafio:

Banco de dados enorme de todos os supermercados dos Estados Unidos. (Promoções);
Algoritmo complexo;
Chef's para elaborarem as receitas.
NÃO PRESTE ATENÇÃO NAS 8 PESSOAS NOS BASTIDORES...
EXEMPLO 3
Uma startup queria construir um sistema de buscas para perguntas subjetivas.

"Qual é um bom lugar para beber um drinque depois do jogo na minha cidade?"
Teoricamente o usuário enviaria a pergunta para o programa que procuraria nas redes sociais a resposta. (AMIGOS)

Desafio : Algoritmo Complexo

Teste Mágico de Oz (Aprender)

Vendido por US$50 milhões para a Google.
Definição do baseline e evolução do produto através de testes a startup pode determinar a assertividade das decisões.

Determinar qual foi o resultado da adição do recurso X ou Y no MVP e priorizar as ações pertinentes à estratégia. Ainda, consoante o autor, o ciclo de construir novos recursos e obtenção de feedback deve ser rápido e pode se valer de testes comparativos A/B ou multivariado, onde diversas versões do produto com características diferentes são disponibilizadas aos clientes. Assim é possível fazer conclusões acerca do impacto das diversas variações.
O processo acaba por excluir o uso de métricas de vaidade, que são métricas erronias e sem fundamentação empírica do sucesso de um negócio (RISE, 2012). Por exemplo, em momentos onde há o aumento do volume de usuários, o departamento de marketing tende a achar que a causa seja uma de suas campanhas de marketing, enquanto a engenharia tende a achar que o aumento ocorreu devido a um novo recurso que os engenheiros adicionaram ao produto. Só a partir da avaliação das métricas certas a startup saberá se deve pivotar ou perseverar.
PIVOTAR OU PERCEVERAR?
a) Feedback do cliente constante.
Mudar a estratégia, modelo, produto, etc.
PIVOTAR


a) Otimizar o trabalho.

b) Fazer somente aquilo que gera valor ao cliente.
PENSAMENTO ENXUTO
b) Sair do prédio.
Beterraba = Risco
HIPÓTESE DE CRESCIMENTO
Mecanismo de Crescimento / Motor de crescimento

a) Crescimento viral - Ex: HOTMAIL.

b) Modelo de publicidade – paga-se 5 reais para ter uma quantidade de visitas suficientes para conseguir um cliente. Se ele compra 10 reais, teoricamente você tem outros 5 reais para investir no negócios. A taxa de conversão é positiva.

Se poucos realizam compra em um site de e-commerce a taxa de conversão se torna cara. Logo, o negócios e insustentável

Isso tudo é diferente de pagar por uma propaganda na Globo, que é um evento não sustentável Um novo negócio não pode depender de eventos. Exemplo: Propaganda Luciano Huck. O negócio deve ser escalar.

c)Assinatura e retenção.
O sistema de manufatura enxuta considera o gasto de recursos para qualquer outro objetivo que não a criação de valor para o cliente final como um desperdício, e portanto, um alvo para a eliminação.
Em particular, o sistema concentra-se em estrategicamente colocar pequenas pilhas de inventário, conhecidas como kanban.
A filosofia da lean startup é baseada na lean manufacturing, traduzível como manufatura enxuta, a filosofia de produção otimizada desenvolvida na décade de 1980 pelos fabricantes de automóveis japonêses.
Várias empresas de alta tecnologia promissoras têm começado a publicamente implantar a filosofia de Lean Startup, incluindo, Intuit, DropBox, Wealthfront, Votizen, Aardvark (engenho de busca), IBM e Intel e Grockit. Os princípios da Lean Startup também são ensinados na Harvard Business School e são implementados no governo municipal através do Code for America.
VAMOS ENTENDER..
.
a) 2 mil visitantesem um dia, e daí? Quantos realizaram negócios?

b) Vendi 30 mil reais, e gastei 100 mil reias com propaganda (Luciano Huck)

Faça uma mediçõa boa – Defina seu baseline
MÉTRICAS ÚTEIS X MÉTRICAS DE VAIDADE
a) PEQUENOS X GRANDES LOTES DE TRABALHO

b) KANBAN
RISCOS
a) Patente;

b) Marca.
FIM!
MVP não é uma fase BETA.
The last one!
Full transcript