Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Da Energia Elétrica à Energia Solar Fotovoltaica

No description
by

Leilaynne Pascoal

on 20 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Da Energia Elétrica à Energia Solar Fotovoltaica


MAS, COMO
A ENERGIA ELÉTRICA
É PRODUZIDA?

Do século XIX até o início do XX, várias descobertas e invenções impulsionaram a humanidade rumo ao uso crescente de energia elétrica. Depois da criação das pilhas e baterias e, em seguida, dos primeiros dínamos (geradores), várias possibilidades, até então inimagináveis, se tornaram viáveis, como a iluminação elétrica, o rádio e os motores elétricos. Nesse contexto, uma das invenções que mais marcou a chegada do século XX foi a lâmpada elétrica incandescente, criada pelo norte-americano Thomas Alva Edison.
Assistir TV, ouvir música,
navegar na internet ou secar o cabelo... O que essas atividades, tão corriqueiras da vida moderna, têm em comum?

Todas elas são possíveis graças à
ENERGIA ELÉTRICA!
Ela está presente em muitas atividades do nosso cotidiano, sendo uma das formas de energia mais difundidas em todo o mundo.
A ENERGIA ELÉTRICA
Em 1879, Edison conseguiu passar corrente elétrica por pequenos fios de algodão, protegidos do oxigênio, graças a um bulbo de vidro (caso contrário se queimariam imediatamente). Os filamentos, como viriam a ser chamados, permaneciam longos períodos de tempo brilhando, graças às elevadas temperaturas atingidas enquanto a corrente elétrica passava por eles. Por isso, essas lâmpadas foram chamadas de
incandescentes
.
Utilizadas ao longo de todo o século XX, as lâmpadas incandescentes evoluíram juntamente com a tecnologia nesse século. Porém, justamente o que faz a lâmpada incandescente funcionar representa sua maior limitação: para brilhar, o filamento precisa atingir altíssimas temperaturas (da ordem de milhares de graus). Por isso, a maior parte da energia que ela consome é dissipada no ambiente em forma de calor. Apenas uma pequena parte da energia consumida pela lâmpada é convertida em luz. Assim, elas acabam por desperdiçar muita energia elétrica.
O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, PROCEL, vem, desde 1985, investindo em ações que promovem o uso racional e eficiente da energia elétrica no Brasil. Um exemplo é a coordenação conjunta PROCEL/INMETRO do PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem) que classifica, até o momento, cerca de 60 tipos de equipamentos, sendo 11 relacionados à energia solar.
Há também outros tipos de lâmpadas econômicas, como as de gás e as de led, utilizadas na iluminação pública, em estádios, ginásios, etc.
Nos dias de hoje, utilizam-se três principais meios para se produzir energia elétrica!
Através de reações químicas (como nas pilhas),onde...
...DÍNAMOS!
Nessas usinas, como as hidrelétricas, termelétricas, eólicas, obtém-se energia elétrica a partir da energia mecânica. Mas, como isso se dá?
... duas ou mais substâncias (reagentes) são colocadas em contato, e, à medida que vão se combinando, novas substâncias vão sendo produzidas, numa reação química. De modo bem simplificado, o que essas reações fazem é acumular energia elétrica ao separar cargas negativas (elétrons) de seus átomos de origem, criando uma diferença de potencial, ou tensão elétrica. Assim, quando você liga algo (como uma lâmpada de lanterna) entre os pólos de uma pilha, essas cargas criam uma corrente elétrica, convertendo a energia elétrica acumulada em outra forma de energia, como luz, calor, som, etc. Além da energia química como fonte para a produção de energia elétrica, temos a energia mecânica, que é a fonte de energia nos geradores eletromagnéticos, ou...
A energia que abastece nossas casas e as indústrias é produzida em grandes usinas, que possuem vários desses dínamos. Esses geradores (também chamados de alternadores) produzem energia quando grandes enrolamentos de fios de cobre são postos para girar no interior de fortes campos magnéticos, produzidos por ímãs ou eletroímãs.
A fonte da energia que faz girar um gerador eletromagnético pode variar, mas seu funcionamento sempre se baseia na rotação de seus enrolamentos próximos a um ou mais ímãs. Assim funcionam os dínamos de bicicletas, por exemplo: o giro da roda faz girar um pequeno ímã preso por um suporte, atrelado a um enrolamento, ou bobina. A energia produzida carrega uma bateria e, consequentemente, faz funcionar um farol, uma buzina ou até mesmo carregar seu celular!
As usinas de geração de energia elétrica contam com grandes dínamos, que giram movidos por diferentes mecanismos. No Brasil, a principal fonte de energia das grandes usinas é a água. Acumulada em grandes represas, é direcionada até as pás presas aos geradores. Assim, após descer por grandes canos ou dutos, a água fornece a energia mecânica necessária para os geradores produzirem energia elétrica.
Dutos da Usina Hidrelétrica de Furnas - MG
E, FINALMENTE...
ENERGIA
SOLAR!

A terceira forma importante de se obter energia elétrica é através da energia solar. Alguns dispositivos, formados por pares de semicondutores têm a propriedade de produzir pequenas quantidades de energia elétrica quando são iluminados. Esses dispositivos, conhecidos como células fotovoltaicas são, então, montados em grandes placas, os painéis solares.
Porém, energia solar fotovoltaica ainda apresenta limitações. O custo das placas, bem como das demais instalações que permitem seu uso, são elevados, o que encarece o custo final da energia. Além disso, outros aspectos ainda estão em fase de pesquisas, que visam aumentar a vida útil e a eficiência dos painéis. Ainda assim, é crescente o uso da energia solar como fonte de energia elétrica, de modo que, acredita-se, em poucos anos essa fonte de energia se tornará cada vez mais viável.
Um aspecto interessante sobre a energia solar fotovoltaica é que, com o uso de placas fotovoltaicas, cada casa ou edifício pode se tornar uma pequena central de geração de energia elétrica, produzindo para si mesmo a energia necessária para seu consumo e, até mesmo, vendendo o excedente para a concessionária local.
Dessa forma, o uso do aquecimento solar de água não só diminui o consumo de energia elétrica, mas também reduz o uso de combustíveis que ainda são usados em academias de natação, hotéis e indústrias, como a lenha e o óleo diesel.

Esses combustíveis aumentam a concentração de CO e consequentemente, contribuem para o agravamento do efeito estufa no planeta. Ou seja, temos motivos de sobra para usufruir dessa energia tão fartamente disponível em nosso planeta, e principalmente no Brasil.
Com o passar dos anos e os consequentes avanços da ciência e da tecnologia, criaram-se as chamadas "LÂMPADAS FRIAS". Elas levam esse nome por dissiparem menos energia em forma de calor. Desse modo, essas lâmpadas consomem menos, produzindo a mesma quantidade de luz. Por isso, são popularmente conhecidas como lâmpadas
econômicas.
Daí a importância do consumidor dar preferência a equipamentos etiquetados pelo INMETRO. Os mais eficientes (classificação A) recebem também o Selo PROCEL.
FIM!
Rotor de um dos geradores da Usina de Furnas - MG
2
Banco de Imagens
Referências Bibliográficas
Full transcript