Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Cresc Pop_Palestra:

No description
by

Patricia Macedo

on 27 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Cresc Pop_Palestra:

Crescimento Populacional
Professores: Lau e Guto
CRESCIMENTO
1 DC - 250 milhões de habitantes

1650 - 500 milhões de habitantes

1850 - 1 bilhão de habitantes

1950 - 2,5 bilhões de habitantes

2000 - 6,4 bilhões de habitantes

Crescimento populacional
DEBATENDO AS QUESTÕES DINÂMICA POPULACIONAL
ENEM 2013 - O processo registrado no gráfico gerou a seguinte consequência demográfica:

A. Decréscimo da população absoluta.
B. Redução do crescimento vegetativo.
C. Diminuição da proporção de adultos.
D. Expansão de políticas de controle da natalidade.
E. Aumento da renovação da população economicamente ativa.
 (Enem 1999) O número de indivíduos de certa população é representado pelo gráfico a seguir.














Em 1975, a população tinha um tamanho aproximadamente igual ao de:
a) 1960.
b) 1963.
c) 1967.
d) 1970.
e) 1980.
Obrigado!
Malthus

Thomas Robert Malthus – Pastor da Igreja Anglicana, publivcou em 1798 o livro “Um ensaio sobre o princípio da população”
Final do Sec.XVIII – Revolução Industrial
Sua teoria: o ritmo do crescimento populacional mundial não seria acompanhado pelo aumento da produção de alimentos, ou seja, haveria fome no planeta.
Ele dizia que numa situação de normalidade a população dobraria a cada 25 anos.
Esse crescimento se daria em progressão geométrica (1,2,4,8,16,32,64...) enquanto a produção de alimento cresceria em progressão aritmética (2,4,6,8,10,12...).
Soluções propostas: abstinência sexual (sujeição moral) para os mais pobres.
CRÍTICAS À TEORIA DE MALTHUS
O crescimento geométrico da população previsto por Malthus não ocorreu;
A produção de alimentos ultrapassou os 3% e a média do crescimento populacional anual, nos últimos vinte anos, ficou em torno de 2%;
A Europa e as demais áreas desenvolvidas do mundo mostraram que o desenvolvimento econômico, reformas de bem-estar social são fórmulas para deter o crescimento populacional ;
A emancipação progressiva da mulher (certamente não prevista por Malthus) tem sido decisiva no controle da natalidade (a mulher passou a decidir o número de filhos que quer ter);
A maior parte das terras agrícolas dos países subdesenvolvidos (grandes propriedades rurais) é utilizada para culturas de exportação, nem sempre atendendo às necessidades alimentares das populações locais;
O desenvolvimento científico e tecnológico ocorrido no campo da agropecuária e da genética tornou possível produzir alimentos suficientes para suprir as necessidades de toda a humanidade

POPULAÇÃO TOTAL
O CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO:

1804: a população mundial atingiu o seu primeiro bilhão de habitantes;
1927: 2 bilhões;
1959: 3 bilhões;
1974: 4 bilhões;
1987: 5 bilhões;
1998: 6 bilhões;
2011: 7 bilhões.


Observe o número de população (em milhões) em alguns continentes em 2000 e 2050:

Neomalthusianos
Pós-Segunda Guerra Mundial, os índices de crescimento atingiram níveis elevados.
Causa: Redução das taxas de mortalidade pela Revolução médico-sanitária.
Resgatam-se as idéias de Malthus dando origem à Teoria Neomalthusiana.
Segundo esta corrente, a fome e a miséria se explicam pela existência de uma população numerosa. Assim a solução seria o fim da pobreza através do rígido controle da natalidade nos países pobres. A causa então, do subdesenvolvimento era o crescimento populacional.
O Brasil é prova contrária disto, reduziu o crescimento populacional e não saiu da condição de subdesenvolvimento.
O QUE DEFENDIAM OS NEOMALTHUSIANOS?
Atribuíam a culpa pela situação de miséria dos países subdesenvolvidos ao acelerado crescimento populacional;
Concordavam que a agricultura era capaz de produzir alimentos suficientes para todos;
Defendiam programas rígidos e oficiais de controle da natalidade, em geral rotulados de planejamento familiar, como o emprego de diversos métodos, as pílulas anticoncepcionais, a ligadura de trompas, o DIU (dispositivo intrauterino), o aborto e a vasectomia .
TEORIA ECOMALTHUSIANA
No contexto da Teoria Neomalthusiana, surge a Teoria Ecomalthusiana, que utiliza uma argumentação de cunho ecológico ou ambiental, ressaltando o quanto o crescimento populacional pressiona o ambiente natural.
O grande crescimento populacional intensifica a utilização dos recursos naturais para garantir o abastecimento da população, provocando grandes problemas ambientais;
O controle populacional nos países pobres, localizados em sua maioria na zona intertropical, justifica-se pela necessidade de preservar a riquíssima biodiversidade dos ecossistemas tropicais, pois, segundo eles, o crescimento nesses países “sufoca” o ambiente natural.
O QUE DEFENDEM OS ECOMALTHUSIANOS?

CONTRADIÇÃO DA TEORIA ECOMALTHUSIANA
Vale lembrar que os grandes devastadores das florestas tropicais e de muitos outros ecossistemas foram os países ricos, ao longo do processo de colonização na Ásia, África e América Latina.
“Nós deveríamos nos preocupar de verdade com questões como se existirão alimentos, água limpa, moradia digna, educação e uma vida decente para cada criança”, alertou. “Se a resposta for não, seria melhor que as pessoas buscassem uma maneira de reduzir essa explosão populacional”. Eric Tayag

97% do crescimento populacional acontece hoje nos países subdesenvolvidos, onde os índices de escolaridade, os serviços de saúde e o planejamento familiar ainda são muito precários. É uma desigualdade brutal, uma vez que os mais pobres, que representam 80% da população mundial, detêm apenas 20% da riqueza.
TEORIA REFORMISTA OU MARXISTA
Em resposta ao neomalthusianismo, os reformistas diziam que o atraso econômico era o responsável pelas altas taxas de natalidade e pela falta de condições adequadas de saúde, saneamento e educação. O investimento na área social seria a solução.

Os reformistas, que defendem teorias demográficas marxistas, ao contrário dos neomalthusianos, consideram a própria miséria como sendo a responsável pelo acelerado crescimento da população .
O QUE DEFENDEM OS REFORMISTAS?
A necessidade de reformas socioeconômicas que permitam a elevação do padrão de vida;
Melhoria da distribuição de renda e de alimentos;
Aumento da escolaridade, que resultaria num planejamento familiar e na diminuição da natalidade e do crescimento vegetativo .

“A POPULAÇÃO NÃO É A CAUSA DA FOME E SIM CONSEQUÊNCIA DELA”.
DISTRIBUIÇÃO
DENSIDADE DEMOGRÁFICA MUNDIAL
33 habitantes por km²

ÁREAS ECÚMENAS

ÁREAS ANECÚMENAS
Dificultam a fixação de população ( desertos, regiões polares,altas montanhas...)

FATORES
FATORES NATURAIS
Clima, solo, relevo,vegetação, hidrografia

FATORES HISTÓRICOS E CULTURAIS
Colonização, civilizações

FATORES ECONÔMICOS
Trabalho, indústrias, riqueza...
Índice de Desenvolvimento Humano - IDH
1.Estrutura Ocupacional
da População:
População economicamente ativa (PEA) ou população ativa;

População economicamente inativa (PEI);
PAÍS POPULOSO
X
PAÍS POVOADO

ESTRUTURA OCUPACIONAL
População Economicamente Ativa (PEA):
É constituída pelas pessoas de 10 ou mais anos de idade que estão empregadas ou desempregados que estão à procura de emprego até 1 ano. (países desenvolvidos acima dos 15 anos e no Brasil - oficialmente - acima dos 16 anos).


População Economicamente Inativa (PEI):
É representada pelas pessoas que não estão empregadas (crianças, estudantes, aposentados, subempregadas e desempregados acima de 1 ano) ou que não exercem atividade econômica remunerada (dona-de-casa). Essa população requer grandes investimentos (hospitais, escolas, aposentadorias etc.)
POPULAÇÃO ABSOLUTA
Número total de habitantes de um lugar
.
POPULOSO: área com elevada população absoluta

CHINA - 1,380 bilhão
ÍNDIA - 1,332 bilhão
EUA – 325 milhões
INDONÉSIA – 262 milhões
BRASIL – 210 milhões
BRASIL
Regiões brasileiras populosas
Sudeste, Nordeste, Sul
Estados populosos
São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro
Cidades mais populosas do Brasil
São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador
Cidades mais populosas da Bahia
Salvador, Feira de Santana, V. Conquista

Outros dados...
O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida comparativa da qualidade de vida de diversos países do mundo.
Os critérios de avaliação são: renda per capita, alfabetismo e expectativa de vida
Quando o IDH de um país está entre 0 e 0,499, é considerado baixo.
Quando o IDH de um país está entre 0,500 e 0,799, é considerado médio.
Quando o IDH de um país está entre 0,800 e 1, é considerado alto
Taxas de mortalidade e expectativa de vida
Quanto maior é a expectativa de vida, menor é a taxa de mortalidade infantil, pois a situação econômica dos países ampara a população, ou não, dando ao recém nascido qualidade de vida e condição de vida longa.
Mortalidade infantil: óbito de crianças durante o seu primeiro ano de vida

Para facilidade de comparação entre as diferentes áreas da Terra, a taxa de mortalidade infantil é normalmente expressa em número de óbitos de crianças com menos de um ano, a cada mil nascidos vivos.
O índice considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 10 mortes a cada mil nascimentos.
{
Por setores da atividade econômica:

Países desenvolvidos: setores terciário e secundário;
Países subdesenvolvidos: setor primário;
Países subdesenvolvidos industrializados: setores primário, secundário e terciário;
Subemprego
: Emprego de baixa remuneração em atividades não regulamentadas que constituem a economia informal.
O grave problema do
trabalho infantil;
A globalização, as transformações no mercado de trabalho e o aumento do desemprego;
Os paraísos fiscais;
2. Estrutura Populacional e divisão do trabalho por sexos
Na maior parte dos países, a população feminina representa 50% ou pouco mais da população total;
O papel da mulher nas sociedades e a Geografia de Gênero;
A participação feminina na PEA é elevada nos países desenvolvidos e baixa nos países subdesenvolvidos;
PERFIL DEMOGRÁFICO DO BRASIL
MOVIMENTOS POPULACIONAIS
CAUSAS
Atração e repulsão





Migrações - Tipos

TAXAS DEMOGRÁFICAS
NATALIDADE
Nº de nascimento por grupo de mil habitantes ao ano (%0)

MORTALIDADE
Nº de óbitos por grupo de mil habitantes ao ano (%0)

CRESCIMENTO VEGETATIVO
Diferença entre natalidade e mortalidade

POPULAÇÃO ATIVA E SETORES DA ATIVIDADE ECONÔMICA
Setor primário:
compreende a pecuária, agricultura e o extrativismo (primitivo).
Setor secundário:
compreende atividades industriais (transformação, mineradora e construção civil)
Setor terciário:
compreende as atividades de serviços (bancos, comércio, escolas, prestação de serviços, funcionalismo público, turismo, transportes, propagandas etc.)
Setor quaternário:
está relacionado com a revolução tecnocientífica, compreende as atividades de pesquisa de alto nível (biotecnologia, robótica, aeroespacial etc).
Crescimento Vegetativo
Queda Da Taxa De Natalidade
Aumento Da Expectativa De Vida
Queda Da Mortalidade Infantil
*Diferenças Regionais Precisam Ser Consideradas

COMPLEXOS REGIONAIS
3. Pirâmides etárias

Principais elementos de uma pirâmide etária:

Base
– população jovem;
Corpo
– população adulta;
Ápice ou topo
– população idosa;
Abscissa
– quantidade de pessoas, em valor absoluto ou porcentagem;
à direita estão as mulheres e à esquerda os homens;
Ordenada
– faixas de idade;
{
FÍSICAS (secas, enchentes)
ECONÔMICAS (trabalho, renda)
ÉTNICAS
RELIGIOSAS
GUERRAS
3. Pirâmides etárias

Quanto à estrutura etária da população podemos classificar os países do mundo em três tipos principais de regimes demográficos:
1. Regime demográfico de população envelhecida.
Ex: Alemanha e França.
2. Regime demográfico de população em fase de envelhecimento (madura ou intermediária):
* Países desenvolvidos novos. Ex: Austrália e Estados Unidos;
* Países subdesenvolvidos industrializados. Ex: Brasil e China;

3. Regime demográfico de população jovem.
Ex: Chile e Tanzânia.
CRESCE O NÚMERO DE IDOSOS NO BRASIL...
Brasil 2000 e 2035
OUTRAS TAXAS
MORTALIDADE INFANTIL
Nº de crianças mortas antes de completar 1 ano de idade em grupo de mil (%0)

FECUNDIDADE
Nº de filhos por mulher em idade fértil

EXPECTATIVA DE VIDA (LONGEVIDADE)
Esperança de vida ao nascer em anos

{
DEFINITIVAS
Sem intenção de retorno
TEMPORÁRIAS
Condicionada ao retorno

MOVIMENTOS POPULACIONAIS
PRIMITIVOS
NOMADISMO
TRANSUMÂNCIA

MODERNOS
MOVIMENTO PENDULAR
MIGRAÇÃO SAZONAL
ÊXODO RURAL
Tipos de movimentos migratórios:
Migrações definitivas –
o migrante permanece para sempre no local de destino.

Migrações temporárias –
período indefinido, mas com retorno ao local de origem.


{
Subdivisão
a) diárias (pendular ou commuting);
b) Lazer (turismo);
c) Sazonais (transumância);
d) nomadismo;
e) Tempo indeterminado.

Classificação das migrações
a) Migrações Internas (dentro do país):
Êxodo Rural (campo-cidade)
Pendular (diária)
Transumância (sazonal)
Migração rural-rural
Migração urbana-urbana
Migração urbana-rural
Migração inter-regional
Migração intra-regional
b) Migrações Externas (internacionais):
Espontâneas (vontade do migrante);
Forçadas (contra a vontade do migrante).
Observação:
saída do país (emigração)
entrada no país (imigração)
Campo de refugiados, Tanzânia, 1994.

Causas das migrações:
Política
(desterritorialização);

Religiosa
(peregrinação);

Conflitos étnico-raciais;

Naturais
(fenômenos naturais);

Econômicos
(fatores estruturais ou conjunturais)

Consequências das migrações:
Contribui com o processo de ocupação;
Contribui com o processo de miscigenação e difusão cultural;
Contribui com o desenvolvimento, quando for de mão-de-obra qualificada (fuga de cérebro);
Concorrência com a mão-de-obra local, gera o xenofobismo;
Solução para problemas estruturais para o país de emigração.
Full transcript