Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PTFI

No description
by

on 8 July 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PTFI

Higienização

Protocolo Branemark
Falhas Mecânicas

PELISSER, 2003

Variações de temperatura
Variações de pH
Trauma (mastigação)
Trauma (bruxismo)
Fala
Movimentos musculares




COMPLICAÇÕES TÉCNICAS EM PRÓTESES TOTAIS FIXAS IMPLANTOSSUPORTADAS EM MANDÍBULA
Implantes longos interforames mentonianos
Ancoragem máxima no osso remanescente
Dentes posteriores a partir de cantiléver
Infraestrutura metálica rígida

http://www.inpn.com.br/Materia/Index/131978
(ALBREKTSSON et al., 1986)
(ASTRAND et al., 2008)
http://myrnabiondo.com.br
http://www.odontooralclin.com.br
http://clinicazamboni.com.br
http://esteticaintegrada.com
http://www.cesarmello.com.br
http://clinicadentalquiros.es
QUALIDADE VIDA
REABILITAÇÕES
FIXAS
DIMINUIÇÃO DO
DESEMPENHO
ESTABILIDADE
FUNÇÃO
BIOCOMPATIBILIDADE
Falhas Biológicas

FORÇAS (H,V,O)
INTENSIDADES
MAGNITUDES
DIREÇÕES

SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO
HOSPEDEIRO

Manutenção
Estabilidade





REVISÃO DE LITERATURA

fratura de componentes da prótese, dos parafusos e até mesmo do implante.

mucosites, periimplantites e até a perda do implante pela ausência de osseointegração
(SAKAGUCHI; BORGERSEN, 1995).
Complicações Mecânicas
BIOLÓGICAS
FRATURA OU AFROUXAMENTO DE PARAFUSO
Branemark (1981) - afrouxamento 2 fases:


- Carga direcionada gradual e efetiva sobre a união implante-intermediário.

- Carga que exceda o limite de resistência do parafuso, gerando vibrações
e micromovimentos.


ADELL et al, 1981)
Schwarz (2000)
estabilidade 3 critérios:

1ª-
Pré-carga adequada;
2º-
Precisão, adaptação e justaposição dos componentes sob os implantes;
3º-
Características antirrotacionais



Fratura do implante
Principais causas:
desadaptação do conjunto implante-intermediário
e sobrecarga oclusal
Goodacre, Kan e Rungcharassaeng (1999)
1,5% dos casos
https://www.nobelbiocare.com
http://www.ceraroot.com/titanium-implant-fractures-vs-ceraroot
causas principais:
Fratura de Cantiléver
sobrecarga oclusal
má distribuição tridimensional
extensão cantiléver
etapas laboratoriais
falta de passividade
implantes/pilares vestibularizados
ZEQUETTO et al., 2005;
DRAGO el al., 2012;
TELLES, 2014; )
http://www.dentalcv.pt
http://www.dundasdentureclinic.com/denture
SOLTURA DE DENTES DE ESTOQUE E FRATURA DO REVESTIMENTO ACRÍLICO
Atividade parafuncional

(ESPÓSITO et al. 1999)



Etapas laboratoriais
ZEQUETTO et al., 2005)




CAUSAS:


Retenções mecânicas,
Sulcos e ranhuras nos dentes
(ROCHA, 2012)


PLACA MIORRELAXANTE
OCLUSÃO EM
PROTOCOLO


oclusão é
BILATERAL BALANCEADA
, na qual permite uma maior estabilidade das próteses frente aos movimentos excursivos
prótese total:
dentes/próteses fixas:
Antagonista
a oclusão é
MUTUAMENTE PROTEGIDA,
onde dentes posteriores protegem os dentes anteriores nos movimentos cêntricos e os anteriores da mesma forma, previnem o contato dos dentes posteriores nos movimentos excêntricos.
(MICSH, 2009)
http://www.clinicaldent.pt
Manutenção
Santiago Junior et al., 2013)
Número maior de consultas no primeiro ano de instalação;
Maior frequência dos pacientes periodontais;
Motivação e comprometimento dos pacientes;
Programas de manutenção idividualizados;
"O SUCESSO A LONGO PRAZO ESTA ALIADO A MANUTENÇÕES CONSTANTES"
Espaço necessário para higiene das próteses;
Polimento adequado;
Orientações verbalmente e por escrito;
http://smileodontologia.com.br
EXCLUSÃO
Metodo
logia
Estudos laboratoriais e/ou;
com prótese unitárias ou parciais e/ou;
em maxila apenas;

http://www.akademiliv.se
OBJETIVO:
Descrever quais são as principais complicações técnicas de ordem mecânica encontradas no tratamento reabilitador de próteses totais fixas implantossuportadas em mandíbulas a partir de estudos clínicos.

Levantar as principais variáveis que podem conduzir a esses tipos de falhas, bem como nas situações que levem a necessidade de substituições protéticas e à alteração na taxa de sobrevida das mesmas
Frequência de falhas
Substituição de dentes acrílicos por desgaste e/ou fratura;

Fratura de revestimento acrílico;

Afrouxamento/perda de parafuso de retenção da PTFI;

Fratura de revestimento/dentes cerâmicos;

Perda da restauração obturadora dos parafusos de retenção;

Afrouxamento do parafuso do pilar intermediário;

Fratura de infraestrutura;

Necessidade de reembasamentos;

Fratura/ desgaste do parafuso de retenção da PTFI;

Desadaptação dos cilindros sobre os pilares;

Perda ou modificação protética por falha de implante;

Fratura de pilar intermediário ou parafuso de fixação do pilar;

Fratura em implante


http://straumannproarch.com/
ADELL et al. A 15-year study of osseointegrated implants in the treatment of the edentulous jaw. J Oral Surg. v.10, n.6, p.387-416, dezembro, 1981.
AGLIARDI, E.; CLERICÓ, M.; CIANCIO, P.; MASSIRONI, D. Immediate loading of full-arch fixed prostheses supported by axial and tilted implants for the treatment of edentulous atrophic mandibles. Quintessence Int. v.41, n.4, p.285-93, abril, 2010.
ALBREKTSSON, T., et al. The Long-Term Efficacy of Currently Used Dental Implants: A Review and Proposed Criteria of Success. J Oral Maxillofac Implants. v.1, n.1, p.11-25, 1986.
ALFADDA, S. A.; A Randomized Controlled Clinical Trial of Edentulous Patients Treated with Immediately Loaded Implant-Supported Mandibular Fixed Prostheses. RCT of Immediate Loading with Fixed Prostheses, v. 16, n. 6, 2014.
ASTRAND, P.; AHLQVIST, J.; GUNNE, J.; NILSON, H. Implant Treatment of Patients with Edentulous Jaws: A 20-Year Follow-Up. Clinical Implant Dentistry and Related Research. v.10, n.4, p.207–217, december, 2008.
AYUB, K. V.; AYUB, E. A.; VALLE, A. L.; BONFANTE, G.; PEGORARO, T.; PEGORARO, L. F. Seven-Year Follow-up of Full-Arch Prostheses Supported by Four Implants: A Prospective Study. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants, v. 32, n. 6, p. 1351-1358, 2017.
BACCHIOCCHI, D.; GUIDA, A. The Ball Welding Bar: A New Solution for the Immediate Loading of Screw-Retained, Mandibular Fixed Full Arch Prostheses. International Journal of Dentistry, p. 1-9, 2017.
BARRIO, R. A. L.; COSYN, J.; BRUYN, H.; MARCANTONIO, E. J. A prospective study on implants installed with flapless-guided surgery using the all-on-four concept in the mandible. Clin. Oral Impl. Res., v. 24, p. 428–433, 2013.
BRÅNEMARK, P. I. Osseointegration and its experimental background. J Prosthet Dent. v.50, n.3, p.399-410, setembro, 1983.
BURCH, J. G. Patterns of change in human mandibular arch width during jaw excursion. Arch Oral Biol. v.17, p.623 – 631, 1972.
CANNIZZARO, G.; FELICE, P.; GIORGI, A.; LAZZARINI, M.; FERRI, V.; LEONE, M.; ESPOSITO, M. Immediate loading of 2 (all-on-2) flapless-placed mandibular implants supporting cross-arch fixed prostheses: interim data from a 1-year follow-up prospective single cohort study. Eur J Oral Implantol, v. 5, n. 1, p. 49–58, 2012.
CRESPI, R.; VINCI, R.; CAPPARÉ, P.; ROMANOS, G. E.; GHERLONE.; A Clinical Study of Edentulous Patients Rehabilitated According to the “All on Four” Immediate Function Protocol. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants, v. 27, n. 2, p. 428 – 434, 2012.
CRESPI, R.; CAPPARÈ, P.; GASTALDI.; GHERLONE, E. F. Immediate Occlusal Loading of Full-Arch Rehabilitations: Screw-Retained Versus Cement-Retained Prosthesis. An 8-Year Clinical Evaluation. J Oral Maxillofac. v. 29, p. 1406-1411, 2014.
CORREIA, S. M. B. Acompanhamento longitudinal do sucesso das próteses suportadas por implantes osseointegrados do sistema NAPIO. 1999. 298f. Dissertação (Doutorado em Odontologia área de concentração em Periodontia) Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, 1999.
DRAGO, C.; HOWELL, K. Concepts for designing and fabricating metal implant frameworks for hybrid implant prostheses. J Prosthodont. v.21, n.5, p. 413-24, 2012.
ESPOSITO, M. et al. Differential diagnosis and treatment strategies for biologic complications and failing oral implants: A review of the literature. In J Oral Maxillofac Implants, v.14, p. 473-490, 1999.
ENGSTRAND, P.; NANNMARK, U.; MÅRTENSSON,L.; GALÉUS, I.; BRÅNEMARK, I.P.; Brånemark novum: Prosthodontic and Dental Laboratory Procedures for Fabrication of a Fixed Prosthesis on the Day of Surgery. The International Journal of Prosthodontics, v. 14, n. 4, p. 303-309, 2001.
GALLUCC, G. O.; DOUGHTIE, C. B.; HWANG, J. W.; FIORELLINI, J. P.; WEBER, H. P. Five-year results of fixed implantsupported rehabilitations with distal cantilevers for the edentulous mandible. Clin. Oral Impl. Res., v. 20, p. 601-607, dez, 2009.
GUIMARÃES, M.P.; NISHIOKA, R.S.; BOTTINO, M.A. Analysis of implant/abutment marginal fitting. Pós-Grad. Rev Fac Odontol Sao José dos Campos, São José dos Campos, v. 4, n. 2, p.12-19, maio/ago, 2001.
GOODACRE, C. J.; KAN, J. Y.; RUNGCHARASSAENG, K. Clinical complications of osseointegrated implants. J. Prosthet. Dent., v.81, n. 5, p. 537-52, 1999.
HATANO, N.; YAMAGUCHI, M.;· WATANABE, T. S. K. A modified method of immediate loading using Brånemark implants in edentulous mandibles. Odontology, v. 91, p. 37-42, jun, 2003.
HYLANDER, W.L. Stress and strain in the mandibular symphysis of primates: a test of competing hypotheses. Am J Phys Anthropol. v.64, n,1, p. 1-46, 1984.
Hobkirk, J. A.; SCHWAB, J. “Mandibular deformation in subjects with osseointegrated implants,” The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants, vol. 6, no. 3, pp. 319–328, 1991.
JOKSTAD, A.; ALKUMRU, H. Immediate function on the day of surgery compared with a delayed implant loading process in the mandible: a randomized clinical trial over 5 years. Clin. Oral Impl. Res. v. 25, p. 1325–1335, 2014.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
O B R I G A D O
Henrique Vanz Silva
INTRODUÇÃO
https://www.carlyledentistry.com/tooth-extraction-kinston/
PERDAS DENTÁRIAS E
REABSORÇÕES SEVERAS
(WEINSTEIN et al., 2012)
http://straumannproarch.com/
REVISÃO DE LITERATURA
Artigos científicos:
PUBMed;
MEDLINE;
Biblioteca Integrada USP.

Estudos clínicos retrospectivos e prospectivos;
de curto e longo acompanhamento;
complicações em mandíbula;
ou mandíbula e maxila no mesmo artigo.
INCLUSÃO
preparação do leito ósseo
instalação dos implantes
instalação dos abutments
instalação da prótese
https://www.straumann.com/neodent.html
OSSEOINTEGRAÇÃO
http://www.dentestet.ro/tratament/implant-dentar/implant-straumann-pro-arch/
KRENNMAIR, S.; SEEMANN, R.; WEINLÄNDER, M.; KRENNMAIR, G.; PIEHSLINGER, E. Immediately loaded distally cantilevered fixed mandibular prostheses supported by four implants placed in both in fresh extraction and healed sites: 2-year results from a prospective study. Eur Journal Oral Implantol, v. 7, n. 2, p. 173-184, 2014.
LINDQUIST, L. W.; CARLSSON, G. E.; JEMT, T. A. A prospective 15-year follow-up study of mandibular fixed prostheses supported by osseointegrated implants. Clinical results and marginal bone loss. Clin Oral Impl Res, v. 7, p. 329-336, 1996.
LOPES, A.; MALÓ, P.; NOBRE, M. N.; FERNÁNDEZ, E. S. The NobelGuide® All-on-4® Treatment Concept for Rehabilitation of Edentulous Jaws: A Prospective Report on Medium- and Long-Term Outcomes. Clinical Implant Dentistry and Related Research, v. 17, n. 2, p 406-416, 2015
MAILATH-POKORNY, G.; SOLAR, P. Biomechanics of endosseous implants. In: WATZEK, G. (ed). Endosseous implants: scientific and clinical aspects. Chicago: Quintessence, p. 291–318, 1996.
MALO, P.; DE ARAUJO, M. N.; LOPES, A.; MOSS, S. M.; MOLINA, G. J. A longitudinal study of the survival of All-on-4 implants in the mandible with up to 10 years of follow-up. J Am Dent Assoc. v. 142, n. 3, p. 310-20, março, 2011.
MALO, P.; NOBRE, M. A.; LOPES, A.; RODRIGUES. R. Double Full-Arch Versus Single Full-Arch, Four Implant-Supported Rehabilitations: A Retrospective, 5-Year Cohort Study. Journal of Prosthodontics, v. 24, p. 263–270, 2015.
MISCH, C.E. Implantes Dentais Contemporâneos v.1, n.3, p.139-343, jan, 2009.
ORTORP, A.; JEMT, T. CNC-Milled Titanium Frameworks Supported by Implants in the Edentulous Jaw: A 10-Year Comparative Clinical Study. Clinical Implant Dentistry and Related Research, v. 14, n. 1, p. 88-99, 2012.
OUZER, A. The Evolution and Fabrication o f Im p lan t-su p p o rted Full-arch Hybrid Prostheses From Conventional Casted M etal to an All-Ceramic Zirconia. The New York State Dental Journal, p. 44-49, nov, 2015.
PELISSER, A. Falhas mecânicas e biológicas das próteses sobre implantes. 2003. Dissertação (Pós-graduação em Implantodontia) Centro de Ensino e Pesquisa em Implantes Dentários, Universidade Federal de Santa Catarina, 2003.
PRIETZ, G.; SMITH, J.; WILSON, M. G. Implant survival and prosthetic complications of mandibular metal-acrylic resin implant complete fixed dental prostheses. J Prosthet Dent. v.111, n.6, p.466-75, jun, 2014.
PURCELL, B. A.; MCGLUMPHY, E. A.; HOLLOWAY, J. A.; BECK, F. M. Prosthetic Complications in Mandibular Metal-Resin Implant-Fixed Complete Dental Prostheses: A 5- to 9-Year Analysis. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants, v. 23, n. 5, p. 847-857, 2008.
ROCHA, V. P. Todos os passos da prótese sobre implante do planejamento ao controle posterior. Nova Odessa: São Paulo. Ed. Napoleão, c. 12, p. 488-516, 2012.
SADID-ZADEH, R.; KUTKUT, A.; KIM, H. Prosthetic failure in implant dentistry. Dent Clin North Am. v.59, n. 1, p.195-214, Jan 2015.
SCHWARZ, S.; GABBERT, O.; HASSEL, A. J.; SCHMITTER, M.; SÉCHÉ, C.; RAMMELSBERG, P. Early loading of implants with fixed dental prostheses in edentulous mandibles: 4.5-year clinical results from a prospective study. Clin. Oral Impl. Res., v. 21, p. 284–289, 2010.
SKALAK R. Biomechanical considerations in osseointegrated prostheses. J Prosthet Dent. V. 49, n. 6, p.843-8, Jun, 1983.
SANTIAGO JUNIOR, J. F.; LEMOS, C. A. A.; BATISTA, V. E. S; MELLO, C. C.; ALMEIDA, D. A. D.; LOPES, L. F. T. P.; VERRI, F. R.; PELIZZER, E. P. Manutenção em Próteses Implantossuportadas: Higiene Oral. Revista Odontológica de Araçatuba, v.34, n.1, p. 56-64, Janeiro/Junho, 2013
SAKAGUCHI, R.L.; BORGERSEN, S.E. Nonlinear contact analysis of preload in dental implant screws. Int J Oral Maxillofac Implants, v.10, n.3, p.295-302, May-Jun 1995.
SCHWARZ M.S. Mechanical complications of dental implants. Clin Oral Implant Res, v.11, n. 1, p.156-158, 2000.
TEALDO, T.; MENINI, M.; BEVILACQUA, M.; PERA, F.; CAPALBO, V.; PERA, P. Branemark Novum immediate loading rehabilitation of edentulous mandibles: 11-year retrospective study. Clinical. Oral Implants, v. 26, p. 83–89, 2015.
TELLES, D. Prótese total fixa sobre implantes. São Paulo. Ed. Quintessence, v.5 n.1, p. 160-176, 2014.
VENTURA, J.; CATELLANOS, E. J.; ROMERO, J.; ENRILE, F. Tooth Fractures in Fixed Full-Arch Implant-Supported Acrylic Resin Prostheses: A Retrospective Clinical Study. The International Journal of Prosthodontics, v. 29, n, 2, p. 161-165, 2016.
WEINBERG, L. A.; KRUGER, B. A comparison of implant/prosthesis loading with four clinical variables. Int J Prosthodont. v.8, p.421-33, 1995.
WEINSTEIN, R.; AGLIARDI, E.; FABBRO, M. D.; ROMEO, D.; FRANCETTI, L. Immediate rehabilitation of the extremely atrophic mandible with fixed full-prosthesis supported by four implants. Clin Implant Dent Relat Res. v. 14, n.3, p.434-441, 2012.
WRIGHT, P.S.; GLANTZ, P.O.; RANDOW, K.; WATSON, R. M. The effects of fixed and removable implant-stabilised prostheses on posterior mandibular residual ridge resorption. Clin Oral Implants Res. v.12, n.2, p.169-74, Apr, 2002.
ZARB, G. A.; BOLENDER, C. L. Tratamento protético para pacientes edêntulos. Próteses convencionais e implantossuportadas. São Paulo: Santos, c. 29, p. 516-527, 2006.
ZEQUETTO, M. M.; SILVA, E. M. M.; ZUIM, P. R. J.; ROCHA, E. P.; ASSUNÇÃO,W.G. Falhas no processo de fundição que levam ao insucesso das próteses parciais fixas. Rev Bras Odontol., v. 62, n. 1-2, p. 39-41, 2005.











10º
11º
12º
13º
de acordo com os estudos
FALHAS DAS PRÓTESES
FALHAS COMPONENTES
Aluno: Henrique Vanz Silva
Orientador: Prof. Dr. Érico Castaldin Fraga Moreira
volume para dar RS
acesso para higiene
exibição mínima de metal oclusal e vestibular
espaço protético para RT dentes/revestimento
(OUZER, 2015)
cuidados:
http://www.keywordlister.com
Os dentes anteriores parecem sofrer mais fratura
do que desgaste, comparado aos dentes posteiores.
Cargas oclusais nos dentes anteriores são proporcionalmente menores
que as dos dentes posteriores;

A diferença na direção dos
vetores de força;

Forças na região posterior = compressivas
Forças na região anterior = tensão e cisalhamento
(PURCEL et al., 2008)




e pacientes (TEALDO et al., 2015).



700
04
1999
Total e média de

pacientes por estudo.
83.2

Total de Implantes
11.108
estudos longitudinais
24
20
prospectivos
04
retrospectivos
anos do estudo mais

antigo e mais atual, com taxa

de sobrevida de e

respectivamente.
36
ADELL et al., 1981 e BACCHIOCHI e GUIDA, 2017
99%

92,9%
http://luisgustavoleite.com.br
As amostras variaram entre
(ADELL et al., 1981)



All-on- à All-on- mandibular
2 8

MALÓ, NOBRE E LOPES, 2011
All-on-four Aº
12 Afrouxamento de parafusos RT
02 Afrouxamento de pilar
01 Desgaste de dentes de acrílico
SOBREVIDA 100% -
NENHUMA DIFERENÇA
CRESPI et al., 2014
All-on-four Aº
05 Afrouxamento de parafusos de RT
02 Fraturas de revestimento acrílico
SOBREVIDA 100% -
NENHUMA DIFERENÇA
AGLIARDI et al, 2010
All-on-four Aº
SOBREVIDA 100%
NENHUMA DIFERENÇA


BARRIO et al., 2013
All-on-four Aº
01 fratura de implante inclinado (plataforma)
04 Afrouxamento de parafusos de retenção

01 Fratura de revestimento acrílico
13 Desadaptação de cilindros nos pilares
SOBREVIDA 93.7%
NENHUMA DIFERENÇA
AYUB et al., 2017
All-on-four Aº
03 Afrouxamento de parafusos de retenção e parafusos de pilares
01 Fraturas de dentes acrílico
SOBREVIDA 100% -
NENHUMA DIFERENÇA
?
Qual o número ideal de implantes
?
?
?
(TELLES, 2014)
3-49 22
meses à anos
Tempo de acompanhamento
26% 10
maior ou igual à anos
}
ão houve diferença significativa para + ou - implantes;

aior ocorrência de substituição dos dentes e revestimento
acrílico por conta dev desgaste ou fraturas (modo geral);

estudos técnica all-on-4, com taxas de sobrevida entre 86.6 e 100% (9 estudos 100%);

s PTFI sobre 3, 4, 5 e 6 implantes, obtiveram em pelo menos um estudo 100% de sobrevida,
Sobre 2 implantes obteve 97,2%
(CANNI
ZZ
ARO et al., 2014)
e no mesmo estudo
sobre 4, 5, 6, 7 e 8
(PRIEST, SMITH e WILSON, 2014)
a taxa global foi de 86.6% (sobre todos);

menor taxa de sobrevida
(separadamente)
foi um estudo all-on-5 de 89,2%
(SCHWARZ et al., 2010);

antagens do uso reduzido de implantes: redução dos custos de tratamento, tempo e trauma cirurgico
(HATANO, YAMAGUCHI e WATANABE, 2003)
.
N
16
M
A
A
V
O número
e a distribuição dos implantes influencia nos movimentos de flexão da prótese
(TEALDO et al., 2015)
Ausência de elementos de retenção mecânica
(VENTURA et al., 2016)
(ROCHA, 2012)
ASTRAND et al., 2008 (Tardia)
Perdeu 01 de 123 implantes
03 afrouxamento parafusos RT PTFI
04 troca dentes acrílico por desgaste

Apenas 01 prótese substituída
(sobrevida 99,7%) em 20 anos.


PURCELL et al., 2008 (Tardia)
28 fraturas e/ou substituição de dentes;
5 fratura revestimento acrílico
13 afroux. e 8 fraturas parafuso de RT;
5 afroux. e 2 fraturas parafuso pilar
necessidade de 37 reembasamentos
das dentaduras antagonistas;
informar pacientes das complicações
nenhuma substituição, sobrevida 100%
pré-carga inadequada ou interferências oclusais;
aperto excessivo (espanar);
sobrecarga oclusal por parafunção;
cantilévers excessivamente longos.
união inadequada ao acrílico (cera perdida);
ajuste oclusal inadequado, contatos anteriores prematuros por diminuição da DVO;
suporte insuficiente de revestimento.
Forças oclusais (300% segundo Mish, 2009);
Desgaste + rápido em comparação com as PTs;
Atividades parafuncionais (ESPOSITO et al., 1999);
Tipo de dente (alterar a superfície oclusal)
GALLUCCI et al., 2009 (Tardia)
20 fratura base/dentes de acrílico (ambos)
02 fraturas de infraestrutura
sobrevida 95.5% e 6 substituições
SCHWARZ et al., 2010 (Imediata)
9 de 28 pacientes fratura de revestimento acrílico
01 desgaste severo dos dentes

10 fraturas de infraestrutura
1 substituição de PTFI por implante perdido
3 modificações de PTFI por implante perdido
sobrevida 89.2% e 4 substituições
De acordo com os autores, os maxilares edêntulos com dentaduras antagonistas tiveram um efeito significativo no INSUCESSO dos implantes mandibulares e nas complicações mecânicas
perda óssea no primeiro ano foi significativamente maior na imediata
***Processo de cicatrização e remodelação óssea ainda não havia sido concluído.
Carga precoce funciona bem, porém esta associada a + complicações comparado a dois estágios.

Carga imediata recomendada com cautela.
ALFADDA, 2014 (Tardia x Imediata)
taxa de sucesso dos implantes
de 96% para ambos
nenhuma substituição
sobrevida protética 100%
RT parafusada = complicações fáceis de resolver
Diferença no módulo de deformação da infraestrutura e do acrílico por cantilevers
Sugerem reforço na PT
planejamento cuidadoso e uso de guias cirúrgicos;
número maior de reconsultas no primeiro ano
(SANTIAGO JUNIOR et al., 2013);
Controle de placa, estabilidade implantes, oclusão e radiografias (TELLES, 2014) nas consultas de controle.
AGLIARDI et al., 2010 (Imediata)
nenhuma substituição
sobrevida 100%
JOKSTAD e ALKUMRU, 2014 (Tardia x Imediata)
7 fraturas de dentes de acrílico (imediata)
9 fraturas de dentes de acrílico (tardia)
apesar disso, nenhuma substituição
sobrevida protética 100%
perda óssea para os dois grupos (média de 1,2mm em 5 anos).
***sem diferença estatística para carga tardia e imediata
Ao contrário de Schwart et al., (2010)
, a dentição oposta (naturais) causou maior número de fraturas do que PTs.
As fraturas de dentes são complicações mais frequentes;
Pacientes devem ser conscientizados (PURCELL et al., 2008)
Pode ser reduzida selecionando cuidadosamente os casos
(Schwart et al., 2010) e protegendo-os (ESPOSITO et al., 1999).
VENTURA et al., 2016 (Imediata e Tardia)
155 fraturas de dentes de
acrílico (imediata e tardia)
96 de 161 PTFI não houve fratura
nenhuma substituição, sobrevida 100%
Considerados procedimentos de manutenção normais.
No início do tratamento informaram aos pacientes e os mesmos aceitaram essas revisões e os custos envolvidos (PURCELL et al., 2008; MALÓ et al., 2011)
PRIEST, SMITH e WILSON, 2014 (Imediata e Tardia) 22 anos
2 implantes perdidos (tardia)
13 pacientes desgaste/fratura dentes

6 fraturas de infraestrutura
sobrevida 86.6%% e 6 substituições
Estudos mais antigos, conceito de
carga tardia
, obtendo uma média de
02 substituições
de PTFI
Na maioria, pertencentes ao conceito de
carga imediata
, ocorreu em média de
0,5 substituições
de PTFI
Nos casos mistos, onde
carga imediata
e
tardia
se misturaram, também houve
02 substituições
de PTFI
Carga tardia:
1º fratura/desgaste dos dentes de acrílico e 2º fratura do revestimento acrílico.
Carga imediata:
1º fratura de infraestruturas, 2º afrouxamento/perda de parafusos de fixação das PTFI
MALÓ et al., 2011 (Sobrevida: 99,2%)
Provisórias:
12 pacientes apresentaram

afrouxamento de parafuso
(resolvidos através de reapertos, controle da oclusão e dieta alimentar)
Definitivas:
2 pacientes apresentaram afrouxamento de pilar
(associados a hábitos parafuncionais, resolvidos com reaperto e placa miorrelaxante).
***Riscos de falhas no início do tratamento (PURCELL et al., 2008; PRIEST; SMITH; WILSON, 2014)
Programas de manutenção rigorosos para minimizar as falhas.
ALFADDA, 2014 e JOKSTAD E ALKUMRU, 2014
(Sobrevida 100%)
PT - carga imediata X PT aliviadas e forradas - tardia

Nenhuma falha de implantes e próteses

***Importância da instalação dos implantes na zona mandibular anterior, onde prognóstico + favorável (MISH, 2009)
CRESPI et al., 2014
(Sobrevida 100%)
PTFI parafusadas X cimentadas
04 parafusos de pilares provisórios afrouxaram

no grupo cimentado e 02 no grupo parafusado
02 fraturas mínimas de coroas de porcelana

em ambos os grupos

Parafusada
- pode não ter passividade
- pode causar tensão nos componentes
- reversibilidade
Cimentada
- passividade
- estética
- presença de umidade é crítica;
- risco de contaminação das superfícies;
-risco de escoamento = periimplantite
-facilidade de se ajustar a posições diversas
***Cuidado excesso cimento e reaperto nas consultas de manutenção
(SAKAGUCHI; BORGERSEN, 1995; SCHWARZ, 2000)
KRENNMAIR et al., 2014
(Sobrevida 100%)
PTFI imediata em alvéolos pós extração X cicatrizados
05 próteses provisórias imediatas fraturaram
(diminuição no reforço metálico comparado a infraestrutura das PTFI)
06 dentes de acrílicos fraturaram em 05 pacientes
04 próteses precisaram reembasar e/ou reduzir
09 fraturas dentárias nas PTFI definitivas
*** O aumento da formação de placa e cálculo para regiões pós-extração -maior profundidade de inserção; -maior profundidade de sondagem; - capacidade limpeza reduzida (paciente)
Os casos com menor número de substituições protéticas e com maior taxa de sucesso (média de 98%) foram com próteses imediatas (9 estudos),
porém, sem diferença significativa.
*
https://paradigmmodels.com
http://dentalimplants.uchc.edu
ORTORP e JEMPT, 2009 (Sobrevida 95%)
Infraestruturas fresadas em titânio (GT) X fundidas em liga de ouro (GC)
No GT: 02 PTFI substituídas

perda implantes

fratura infraestrutura
+ 01 infraestrutura

fraturou

(foi mantida mais curta)

No GC:
02 infraestruturas

fraturam


3 modificações das PTFI em cada grupo
reaproveitamento das PTFI;
diminuição de custos;
tempo e procedimentos laboratoriais.


CRESPI et al., 2012 -
(Sobrevida 100%)
PTFI acrílica COM X SEM infraestrutura (fundida)
SEM infraestrutura:
02 fraturas acrílico
(nenhuma precisou ser substituída)
COM infraestrutura:
nenhuma

***Vantagens de uma PTFI SEM reforço metálico:
Proporcionam às superfícies oclusais melhores propriedades de absorção impacto (SKALAK, 1983).
Reduzem a transmissão de tensão para a interface osso-implante e consequentemente < sobrecarga.
Não foram encontradas diferenças no uso ou não de uma infraestrutura metálica em PTFI
Mais estudos devem ser realizados (esclarecimento)
PRIEST, SMITH e WILSON, 2014 (Sobrevida 86.6%)
Ligas fresadas de titânio e metálicas fundidas
10 substituições das PTFI
por comprometimento ou fratura das infraestruturas (28 fresadas e 17 fundidas)

contra dentes naturais, PFs sobre dentes ou implantes;
geralmente com hábitos parafuncionais;
Falhas etapas laboratoriais (ZEQUETTO et al., 2015)
Técnicas cera perdida podem ser mais imprecisas, em relação a passividade necessitando de alguns cuidados específicos (Ouzer, (2015).

Liga titânio fresada x ligas fundidas
-Bloco único, sem soldas - Porosidades
-Melhor precisão (adaptação) - As vezes precisa solda

*** Sugerem implantes além do forame mentoniano.

impede movimentos de flexão mandibular;
desconforto muscular (abertura e protrusão);
distorção 0,8mm primeiro molar a primeiro molar (BURCH, 1972)
Retos ou incli
nados?
modelo trabalho
prova da infraestrutura
regularização do rebordo
instalação dos transferentes
guia multifuncional + registro mordida
Número Ideal ???
Carga Tardia ou Imediata
?
?
?
@drlucasfontanari
i n f r a e s t r u t u r a s
VENTURA et al., 2016
(Sobrevida 100%)
Estudo de fraturas dentes acrílico
Sem diferença entre ter um cantilever ou não

Fraturas dentárias:
mais vezes em próteses com cantilevers 10 mm do que que 10mm
***Severa atrofia mandibular posterior exige próteses mais volumosas = mais espaço para dentes e acrílico (ROCHA, 2012) + resistência
Espaço reduzido PTFI porcelana
Importante retenções mecânicas
MALÓ et al., 2015
(Sobrevida 100%)
PTFI Bimaxilar X Unimaxilar - barra em titânio
Maiores complicações PTFI em Bimaxilar
Fraturas de PTFI
ocorreram 41 casos em BI e 31 UNI

Afrouxamento parafuso do pilar
- 21 BI e 12 no UNI
Soltura de parafuso de retenção da PTFI
6 BI e 2 UNI

*** Falta de propriocepção pelo paciente e/ou a falta de capacidade de absorção de choque pela prótese, mas também a falha técnica no processo de fabricação (ZEQUETTO et al., 2015), falha no ajuste oclusal (TELLES, 2014) ou presença de hábitos parafuncionais (ESPOSITO et al., 1999).

As principais complicações mecânicas e mais frequentes foram:

1º fraturas e desgastes de dentes e revestimentos acrílico,

2º afrouxamento e/ou perda de parafusos de retenção das próteses
Os artigos
mostraram pesquisas
com uma grande variedade de números de implantes, e apesar de não existir um consenso, não foi possível demonstrar que a utilização de maior ou menor número de implantes foi responsável por um aumento ou diminuição de falhas, substituições e sobrevida
para próteses.
De forma similar
a literatura indica que:

a utilização de implantes angulados
não parece aumentar a incidência de falhas em comparação com implantes retos;


ou entre o uso de próteses provisórias imediatas daqueles que usaram carga tardia;

ou entre próteses cimentadas daqueles que usaram parafusadas;

ou entre próteses com infraestrutura fresada, fundida, cimentada
ou sem infraestrutura.
DIANTE DA LITERATURA APRESENTADA:
Mais estudos longitudinais específicos a respeito de falhas mecânicas devem ser realizados, com uma metodologia criteriosa e que incluam um levantamento maior de dados para facilitar a indicação do melhor material e técnica para o profissional, de acordo com cada caso individual.
fresada?
fundida?
com ou sem?
parafusada?
cimentada?
tchê acabou...
análogo do pilar
modelo de trabalho
infraestrutura
dentes de acrílico
CRESPI et al., 2014
(Sobrevida 100%)
PTFI parafusadas X cimentadas (provisórias e definivas)
02 implantes falharam no GP

04 parafusos oclusais afrouxaram em pilares provisórios no GC e 02 GP
02 fraturas mínimas de coroas de porcelana (GP e GC)
.

Não houve diferença estatística entre os níveis ósseos e
nem das falhas (entre eles)

As PTFIs são altamente previsíveis, biocompatíveis e esteticamente agradáveis e permitiram fácil manutenção, porém + estudos longitudinais
***84% bruxômanos
Intervalo consultas (PRIEST; SMITH; WILSON, 2014)
Placa protetora noturna (ESPOSITO et al., 1999)

revestimento acrílico
Prótese Provisória Imediata
https://idt.cdeworld.com
http://www.orientdl.com.sg/3d_implant_surgical.htm
http://roedentallab.blogspot.com
http://blog.brightonimplantclinic.co.uk/dental-bridge/
BARRIO et al, 2013 (Sobrevida 93,7%)
Cirugia guiada flaplass all-on-4
13 pacientes falha no assentamento dos cilindros

04 afrouxamento de parafuso protético

01 fratura de revestimento.
06 dos 64 implantes foram perdidos
Vantagens da técnica: redução do tempo cirúrgico, sangramento intraoperatório, desconforto pós-operatório, dor e edema.
Planejamento virtual (fabricação da prótese, antes da cirurgia, porém, tranferência real dos implantes
LOPES et al., 2015
(Sobrevida 100%)
PTFI de acrílico, zircônia e provisórias
07 fraturas de acrílico
definitivas
02 afrouxamento parafuso pilar

02 lascamento de PTFI cerâmica

04 solturas de dentes de acrílico.

Cirurgia minimamente invasiva;
Otimização do tempo clínico;
Reabilitação sem enxertos ósseos;
Baixo nível de complicações;
Limitações anatômicas (o volume ósseo, interferência de dentes, abertura insuficiente - 50mm)
MISH, 2009
BACCHIOCHI e GUIDA (2017) (Sobrevida 92,2%)
Técnica de soldagem intraoral - Ball Welding Bar (BWB)
Vantagens:
reabilitação imediata de pacientes edêntulos; c
custos limitados (sem passar por etapas laboratoriais)
introdução de materiais a base de
resina composta


-maior dureza comparado a resinas acrílicas;
-preservam a estabilidade oclusal;
-maior estética, naturalidade;
-facilidade de manutenção ou reparo.

03 fratura de infraestruturas
04 afrouxamento de pilares
Houveram outras complicações:
01 afrouxamento de parafuso de RT
-(GT)
04 fraturas de abutment
(GT) e
01
(GC)
13 fraturas simples revestimento
(GT) e
15
(GC)
37 fraturas severas
(GT) e
15
(GC)
3 desgastes de dentes de acrílico
(nos 2)
10 perdas da restauração obturadora
(GC)
***custo ouro x titanio
INFRAESTRUTURA
MISH, 2009 e TELLES, 2014, sugerem que a extensão do cantiléver mandibular seja entre 15 e 20mm, no entanto, não só comprimento deve se levar em conta mas também a oclusão oposta e o número e distribuição dos implantes (DRAGO et al., 2012).
?
?
?
?
?
https://www.dentalcrafters.net
JOKSTAD e ALKUMRU, 2014
All-on-four (retos)
7 fraturas de dentes (imediata)
9 fraturas de dentes (tardia)
SOBREVIDA 100%


ADELL et al., 1981
All-on-four (retos)
11 trocas PTFI por perda de implante
SOBREVIDA 99%


HATANO, YAMAGUCHI e WATANABE, 2003
All-on-tree (retos)
01 Afrouxamento Parafuso fixação
01 Desadaptação cilindro no pilar
SOBREVIDA 100%


SCHWARZ et al., 2010
All-on-five (retos)
10 fratura de infraestrutura
16 Fratura de revestimento acrílico
01 Desgaste dentes de acrílico
SOBREVIDA 89,9% - 4 substituições
Full transcript