Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Técnicas Laboratoriais de Reprodução Assistida

No description
by

Erika Caldas Silveira

on 1 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Técnicas Laboratoriais de Reprodução Assistida

Tempo de Infertilidade
Idade
Paridade
Caracterização do histórico menstrual
Caracterização do histórico sexual
Doenças da tireóide
Galactorréia
Doenças associadas e cirurgias
Tratamentos anteriores
Fertilidade prévia
Caracterização do histórico (traumas/infecção)
Hirsutismo
Dor abdominal ou pélvica
Dispareonia
Tamanho, forma, posição e mobilidade uterina
Infertilidade no Consultório : Mitos e Verdades

XXVIII Congresso Nordestino de Ginecologia e Obstetrícia

Dr. George Caldas

Infertilidade - 80 milhões de pessoas em todo mundo.
(WHO, 1991; NACHTIGALL, 2006)

Brasil – cerca de 2,1 milhões de casais acometidos de infertilidade constatada. (SENADO FEDERAL,2005)

Infertilidade Primária X Infertilidade Secundária

(LARSEN,2005; LUNENFELD & STEIRTEGHEM, 2004)
Infertilidade primária:

Significa que a mulher nunca concebeu, apesar da prática de coitos regulares sem anticoncepção por um período mínimo de “um ano”.

Infertilidade secundária:

refere-se à mulher que já concebeu anteriormente, todavia não volta a fazê-lo, apesar de manter atividade sexual regular sem anticoncepção por um período mínimo de “um ano”.
(manual de orientação de infertilidade conjugal da FEBRASGO)

-ESPOSA COM MENOS DE TRINTA ANOS ,MAIS DE DOIS ANOS DE VIDA SEXUAL ATIVA,SEM ANTICONCEPÇÃO

-ESPOSA COM MAIS DE TRINTA E MENOS DE TRINTA E CINCO , MAIS DE UM ANO DE VIDA SEXUAL ATIVA, SEM ANTICONCEPÇÃO

-ESPOSA COM MAIS DE TRINTA E CINCO , MAIS DE SEIS MESES DE VIDA SEXUAL ATIVA,SEM ANTICONCEPÇÃO

-CÔNJUGES QUE APRESENTAM VIDA SEXUAL ATIVA , SEM USO DE ANTICONCEPTIVOS, E POSSUEM UM FATOR IMPEDITIVO DE CONCEPÇÃO , INDEPENDENTEMENTE DO TEMPO DE UNIÃO

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL
INFÉRTIL

ABORDAGEM DESCRITIVA / CRÍTICA

1 – EXISTE OVULAÇÃO

2–EXISTE:INTEGRIDADE ANATÔMICA E FUNCIONAL UTERINA E TUBÁRICA

3 – EXISTE ANÁLISE SEMINAL ADEQUADA

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL
INFÉRTIL

Anamnese

Análise Seminal

ULTRASSONOGRAFIA TRANSVAGINAL

ANÁLISE SERIADA DO MUCO CERVICAL TESTE PÓS COITO

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL
VÍDEO - HISTEROSCOPIA

NOVAS TECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Coito Programado

Inseminação Intra-Uterina

Como e quando fazer ???

Técnicas de Reprodução de Baixa Complexidade

Para baixa complexidade:
2 ou 3 folículos viáveis

Quando suspender a indução:
Por excesso de resposta
Mais que 4 folículos maiores que 18mm
Mais que 3 folículos > 18 e mais que 3 > 14mm
Por falta de resposta
Nenhum folículo atingir 18 mm

Indução da Ovulação

INDUÇÃO DA OVULAÇÃO – Dinâmica folicular

Recrutar, selecionar e maturar folículos de forma sincrônica, determinando a formação de oócitos adequados a fertilização


Recrutamento Folicular
Pico Ovulatório

Coito Programado

Técnica que visa corrigir distúrbios da fisiologia reprodutiva através da estimulação ovariana controlada, orientando o casal a melhor época para a
atividade sexual.

INDICAÇÕES:
Distúrbios ovulatórios
Endometriose mínima
Infertilidade sem causa aparente
Fator masculino leve

Características dos ciclos:
grande poder de estimulação
estimulação ovariana competente
ação anti-estrogênica sobre o endométrio e muco cervical
demora a deflagrar o pico ovulatório


Citrato de Clomifeno
Taxa de Ovulação: 60 a 80%
( Ausência de obesidade )
Taxa de Gestação: 30 a 50%
Taxa de Gestação Múltipla: 5 – 10%
Taxa de Abortamento: 15-20%

Fatores preditivos de gestação:
Diâmetro dos folículos
Espessura endometrial
Idade feminina
Presença de aderências
Associação com fator masculino

 

Citrato de Clomifeno
Gonadotrofinas
(?) Fator cervical;
(?) Fator imunológico;
(?) Endometriose leve a moderada após correção;
(?) Obstrução tubária unilateral.


INDICAÇÕES:
Distúrbios ovulatório
Fator masculino ( 5 milhões pós –processamento seminal -TPS)
Infertilidade sem causa aparente


Inseminação Intra-Uterina
Farmacodinâmica:
Ação direta sobre os receptores foliculares
Promove aumento no número de folículos selecionados
Coordenação do complexo endométrio-folículo

Gonadotrofinas

Características dos ciclos:
estimulação potente
aumento da expressão dos receptores de
estrogênio
rápida correção da resposta endometrial
boas taxas de gravidez
altas taxas de cancelamento
altas taxas de gestação múltipla

Citrato de Clomifeno e Gonadotrofinas

Processamento seminal:
As taxas de gravidez clínica no CP e na IIU podem variar de 8 a 18% por ciclo e a taxa cumulativa por seis ciclos em até 50% dependendo dos critérios de indicação e preparo seminal.

Prognóstico Terapêutico

R. Matorras, T. Diaz, B. Corcosteghi, O. Ramon, , J.I. Pijoan and F. J. Rodrigues-Escudero. Human Reproductive Unit, Departament of Obstetrics and Gynecology and Clinical Epidemiology Unit, Pais Vasco University, Hosipital from Cruces, Baracaldo, Viscaya, Spain.

Ovarian stimulation in intrauterine insemination with donnor sperm: a randomized study comparing clomiphene citrate in fixed protocol versus highly purified urinary FSH

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL

Citrato de Clomifeno

ESTERILIDADE DE ORIGEM TUBÁRIA
IIU SEM SUCESSO-3 a 6


OLIGOSPERMIAS SEVERAS
RESERVA OVARIANA DIMINUÍDA
ENDOMETRIOSE
INFERTILIDADES INEXPLICADAS

Injeção Intracitoplasmática de
Espermatozóide (ICSI)
Citrato de Clomifeno e Gonadotrofinas

Características dos ciclos:
estimulação potente
aumento da expressão dos receptores de estrogênio
rápida correção da resposta endometrial
boas taxas de gravidez
altas taxas de cancelamento
altas taxas de gestação múltipla

Citrato de Clomifeno e Gonadotrofinas

FIV - INDICAÇÕES
2º Classificação Oocitária -
Quanto ao grau de Maturação do oócito
P I (Prófase): Presença de vesícula germinativa.
M I (Metáfase I): Ausência de corpúsculo polar e vesícula germinativa.
M II (Metáfase II): Presença de um corpúsculo polar
extruso (maduros).


Cultura Prolongada

Transferência Embrionária
Preenchimento do catéter

Congelamento de pré-embriões

PGD

georgecaldas@cemise.com.br

Obrigado !!!
georgecaldas@cemise.com.br
Análise Seminal Básica

- ANÁLISE MACROSCÓPICA

- CONCENTRAÇÃO

- MOTILIDADE ESPERMÁTICA

- MORFOLOGIA

- VITALIDADE

- ANÁLISE DE CÉLULAS REDONDAS

- ANÁLISE BIOQUÍMICA

- ANTICORPOS ANTI-ESPERMATOZÓIDES

Progresso Tecnológico
Novas Tecnologias Reprodutivas
Não usar:
- estrogenioterapia
- indução do pico ovulatório

Efeitos Colaterais:
- 10 % fogachos
- 5 % distensão abdominal
- 3 % náuseas, cefaléia, sintomas visuais

Valor Prognóstico
TESTE PROGNÓSTICO SEMINAL
> 5 x 106/ml – Coito Programado
2 a 5 x 106/ml – IIU
1 a 2 x 106/ml – FIV
< 1 x 106/ml – ICSI

DROGAS PARA ESTIMULAÇÃO OVARIANA
FiV/ ICSI
Drogas inibidoras do pico de LH:
- Análogos (agonistas e antagonistas) do GnRH.
Drogas indutoras do gatilho ovulatório:
- hCG.
- Agonistas do GnRH ( em ciclos usando antagonistas).
- LH recombinante .
Drogas para suporte da fase lútea:
- Progesterona Natural.
- hCG.

FIV
/Puregon 300

Nos EUA, o número total de mulheres inférteis, que era de 6,3 milhões em 2000, passará a 7,7 milhões em 2025.
Avaliação do Fator Tubário
Conceito de Reserva Ovariana
FSH e ESTRADIOL 3+
Contagem de Folículo Antral
AMH
Teste do Citrato de Clomifeno

1- > 35 anos
2- História familiar de menopausa precoce
3- Ovário único ou histórico de cirurgia , quimioterapia ou radioterapia prévia
4- Baixa resposta à gonadotrofima
5- Planejamento de RHA



Boekmans FJ, Kwee J, Hendriks DJ, Mol BW, Lambalk CB. A systematic re-view of tests predicting ovarian reserve and IVF outcome. Hum Reprod Up-date 2006;12:685–718.
CC + IIU

10% x 3,5% (150 ciclos)
Mitos E Verdades
Há limites na idade para estimular a ovulação ??

Há limite para indução quanto ao valor de FSH ???

10 25
Há limite para indução quanto ao peso / IMC ??
Há limite para indução quanto ao número de folículos antrais ??
42 - 7% IIU - 307 ciclos - > 40 anos
43- 5,4% 7% de gravidez
44- 1,9% 5% de gravidez clínica
3,6% de partos

Reindollar, ESHRE, BARCELONA, 2008
Boa respondedora :
< 35 anos
FSH < 10
Estradiol 50
CFA 4A15
IMC 18-25


Bhattacharya S, Clomifene citrate or unstimulated intrauterine insemination compared with expectant management for unexplained infertility: pragmatic randomized controlled trial. Fertil Steri. 2008.
ESCA

CC não é melhor do que o coito


Abu Hashim H, Ombar O, Abd Elaal I. Intrauterine insemination versus
timed intercourse with clomiphene citrate in polycystic ovary syndrome:
a randomized controlled trial. Acta Obstet Gynecol Scand 2011;90:
344–50
Patinha de caranguejo

Castanha de caju
MITO
Amendoim

Ovo de codorna

Full transcript