Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

It`sa me! Mario!

Mario History
by

Bruno Giordano

on 4 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of It`sa me! Mario!

A primeira aparição de Mario, originalmente conhecido como "Jumpman". Originalmente, sua profissão era a de Carpinteiro. Ossan Mr. Video Jumpman Mario A Nintendo chegou a ser processada pela Universal Studios em 1982, alegando infrigir direitos de propriedade intelectual sobre King Kong. Porém, a própria Universal havia processado RKO Pictures em 1975, provando que a história de King Kong era de domínio público O primeiro jogo da série "Mario Bros.", bem como o primeiro a mostrar Luigi, o irmão do Mario (o mesmo sprite do Mario, com cores trocadas). Há um jogo para Game & Watch também chamado Mario Bros., aonde Mario e Luigi preparam bolos sobre uma esteira.
A música que toca no início da fase 1 é "Eine kleine Nachtmusik" de Mozart. O primeiro jogo da série situado no "Mushroom Kingdom", marcando assim as primeiras aparições de Bowser (Koopa King), Peach (Princess Toadstool), Goombas e outros personagens da série. Durante a fase de produção, os testes eram feitos utilizando um quadrado sobre um fundo preto. Em um destes testes Miyamoto sugeriu fazer também outro jogo com uma engine parecida com a que estavam utilizando. Nasce então The Legend of Zelda. O jogo causou um impacto tão grande na cultura pop que diversas homenagens foram e são feitas, como o caso de uma avenida em Zaragoza, na Espanha. Os controles originalmente diferiam da versão final do jogo, como pode se perceber na imagem e na entrevista com os desenvolvedores:
Iwata - The buttons weren't round yet, right? And for movement, you...huh? It says you're supposed to push up on the D-pad to jump!
Miyamoto - Oh, um...
Nakago - You're right!
Iwata - The A button is for attacking with items... Could this be for The Legend of Zelda?
Nakago - Huh?
Miyamoto - That's strange. It says, "Press the D-pad left and right to control Mario at two speeds..."
Nakago - No, it's for Super Mario Bros.
Tezuka - (laughs)
Iwata - And it says the A button is for kicking when empty-handed and also for using a rifle and a beam gun. Is this really for Super Mario Bros.?! (laughs)
Everyone - (laughs)
Miyamoto - He was going to use a beam gun when he flew on a cloud.
Iwata - Ever since the beginning, you imagined him flying in the sky?
Miyamoto - Yes. But at the time, it wasn't on a cloud, but on a rocket.
Iwata - Huh? Mario flying on a rocket?! (laughs) Oh right, that's on another page.
Miyamoto - I decided to divide the actions between ground and sky. I think I was still puzzling it out. Even though it was only six months before completion. (laughs)
Iwata - Still, I'm surprised that early on you didn't use the A button to jump.
Miyamoto - I didn't remember either!
Everyone - (laughs) Possui graficos semelhantes ao primeiro Super Mario Bros., porém com uma engine levemente alterada, uma nova AI para os inimigos e novas fases.
Neste jogo aparecem os Poison Mushrooms, Pipes de ponta-cabeça e Warp Zones que levam o jogador para fases anteriores. A Nintendo of America decidiu por não lançar o Super Mario Bros. 2 original por considerá-lo muito difícil e comercialmente inviável. Com isto, um novo jogo foi "feito", ao mudar as sprites de um jogo para o Famicom Disk System, chamado Yume Kojo - Doki Doki Panic!. Era um jogo feito pela Nintendo japonesa em parceria com a Fuji Television, e com grande participação de Miyamoto. O jogo deu origem a diversos personagens da série, como Shy-Guy, Bob-omb e Birdo.
O modo de jogo diferia dos jogos anteriores por não permitir que o jogador derrote inimigos ao pular sobre eles, mas sim arremessar itens pegos do chão ou arremessar outros inimigos. Na estória original de Doki Doki Panic, Wart sequestra duas crianças, que a família de protagonistas quer salvar. O manual original utilizou erroneamente alguns sprites de Doki Doki Panic que diferiam do SMB2, como a Magic Lamp, que deveria ser uma Magic Potion. É considerado uns dos melhores jogos da série Mario Bros. devido à sua complexidade, ao grande trabalho de level design e aos novos power-ups. Segundo Tezuka Takashi, "when we were making Super Mario Bros. 3, it was important to add in lots of new elements, but I also think Super Mario Bros. has stayed popular precisely because we have preserved the original foundation". Na versão americana, ao pegar um power-up após ter pego um Super Mushroom mas levar dano, Mario volta à sua forma Super, enquanto que na versão japonesa qualquer dano volta o Mario a sua forma Mini.
Marcou a primeira aparição do personagem Boo e dos Koopalings.
Segundo o Guinness Book of World Records 2008, Super Mario Bros. 3 foi o jogo de video game que mais vendeu. Foi o primeiro jogo da série no SNES, sendo também o primeiro jogo aonde Yoshi aparece. Também foi o jogo de SNES com maior número de vendas, superando 20 milhões de cópias. O gameplay segue semelhante aos seus antecessores, com a adição de novos elementos (notadamente a possibilidade de montar o Yoshi e usar suas habilidades) 16 pessoas estiveram envolvidas na produção do jogo, com 3 anos de desenvolvimento. O nome original japonês era "Super Mario Bros. 4". A versão Beta continha muitos elementos do SMB3, como o Raccoon Mario, retirados na versão final. É o jogo favorito de Shigeru Miyamoto. Pode ser completado em apenas 11 fases. Foi lançado nos EUA junto com Sonic, da SEGA, dando início à rivalidade e comparações, incluindo uma propaganda da própria SEGA que fazia comparações entre os jogos. O último jogo da série lançado para SNES, sendo situado cronologicamente antes de Super Mario Bros., além de dar início à série de jogos do Yoshi. Neste jogo, controla-se Yoshi, com o objetivo de resgatar Baby Luigi, ao mesmo tempo em que se deve proteger Baby Mario dos inimigos. The is a lie! O primeiro jogo 3D da série Mario Bros., lançado juntamente com o Nintendo 64 e alcançando a marca de 11 milhões de cópias vendidas, a melhor marca de um jogo do N64. Seria originalmente um jogo para o SNES, porém o hardware trouxe muitas dificuldades para a produção de tal jogo, sendo então movido para o N64. É possível mover a câmera livremente em torno de Mario, podendo inclusive deixá-la em um modo "1st Person". Uma sequência "Super Mario 64 2" chegou a ser planejada, mas foi cancelada. Não foi o primeiro jogo aonde Charles Martinet dublou Mario, mas sim Mario FUNdamentals (Mario's Game Gallery), para MS-DOS. É o jogo preferido de Charles Martinet. Uma placa no jardim do castelo possui a inscrição "L IS REAL 2401", o que gerou rumores de que Luigi seria jogável. Isto só ocorreu no remake para DS. Esta placa aparece também em The Legend of Zelda: Ocarina of Time. O segundo jogo 3D da série, feito para o GameCube, porém o primeiro a não acompanhar o lançamento de um console. É o primeiro e único jogo da série que possui o Mario vestindo uma camiseta de manga curta, devido ao clima tropical em que se passa o jogo. Introduz na série a utilização de um acessório, no caso o F.L.U.D.D, uma jarra d'água multifuncional, permitindo inclusive a utilização como um jet-pack ("Rocket Nozzle"). É o único jogo 3D que não possui Goombas como inimigos, não mostra o castelo de Peach e também não possui um item de invencibilidade. Pode-se dizer que este jogo é um remake de Super Mario Bros., mas introduz diversos novos elementos à série. Possui gameplay semelhante, com a TouchScreen do DS indicando elementos como pontuação, vidas, mundo atual e posição no mapa atual, além de permitir utilizar um item guardado. Quando a música de fundo toca um "Wah!", alguns elementos do jogo movem de acordo com a batida da música, como os Koopas que dançam e Goombas que pulam. A música tema (Overworld) difere da originalmente produzida para o jogo devido a limitações no hardware do DS. Se o jogador terminar uma fase com os dois últimos dígitos do tempo iguais (ex. 122), a musica original da fase no Super Mario Bros. tocará. O primeiro jogo da série para o Wii, não tendo acompanhado também o lançamento do console. Recebeu diversas notas excelentes e reviews positivos. Situa-se no espaço, com Mario percorrendo diversos planetóides e alguns planetas distribuídos em galáxias. Introduz muitos novos elementos à série, como a gravidade diferente de alguns planetas, novos power-ups, novos inimigos e o controle utilizando-se do sensor de movimentos do Wii Remote. Marca também a aparição de Rosalina. NSMB Wii trás de volta à série nos consoles o Sidescrolling, além de adicionar o novíssimo modo multiplayer, aonde até quatro jogadores podem jogar simultaneamente. É uma sequência do New Super Mario Bros DS, trazendo novos itens, personagens e novas fases. Não é necessário nada em especial para adicionar ou retirar jogadores, e as fases são as mesmas sem importar o número de jogadores que a estão percorrendo. Miyamoto queria fazer um jogo multiplayer da série Super Mario Bros. desde SMB3, porém sempre encontrava problemas com o hardware, que de alguma forma não suportava este modo. Só agora com o Wii é que finalmente foi possível a criação deste modo. Há um modo chamado "Super Guide", que ativa-se automaticamente caso o jogador perca oito vidas em uma mesma fase. Neste modo um Luigi percorre a fase automaticamente, com um frame verde indicando o caminho, e caso o jogador não o interrompa pressionando o botão "+", a fase será completada automaticamente. Este jogo dá sequência a Super Mario Galaxy, possuindo o mesmo gameplay e história semelhante. A diferença fica na quantidade de novos elementos adicionados, desde novos power-ups, novos inimigos e 7 novas galáxias. Também é possível jogar utilizando Yoshi, que possui power-ups destinados a ele. Durante o início do desenvolvimento de SMG2, o jogo era chamado de SMG1.5, porém, com a quantidade de novos elementos, Miyamoto decidiu lançar um novo jogo, como uma sequência, ao invés de relançar SMG1. Miyamoto deixou claro que o foco foi nos novos elementos, deixando a história de lado, que permaneceu basicamente a mesma. O jogo recebeu notas ainda melhores que seu antecessor, sendo considerado até o momento o melhor jogo para Wii.
Full transcript