Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CIPA

No description
by

Danielson Zamboti

on 19 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CIPA

TREINAMENTO DA CIPA HISTÓRIA
A CIPA teve sua origem em recomendação da OIT – Organização Internacional do Trabalho, não sendo uma instituição genuinamente Brasileira No Brasil a CIPA foi criada pelo decreto 7.036 de 10/11/1944 e, passando oficialmente a ser obrigatória, nas empresas regidas pela CLT – Consolidação das Leis do Trabalho, somente, a partir de 1945, através da portaria 229 do antigo DNT – Departamento Nacional do Trabalho (Ministério do Trabalho). NR 5 - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

OBJETIVO:
Prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

Portaria n° 8, de 23/02/1999. Retificação em 12/07/1999. NORMAS REGULAMENTADORAS TREINAMENTO:
1.1 Riscos ambientais
1.2 Introdução á Segurança do Trabalho
1.3 Inspeção de segurança
1.4 Investigação dos Acidentes
1.5 Análise dos Acidentes
1.6 Campanhas de segurança
1.7 Equipamento de proteção Individual
1.8 Princípios básicos da prevenção de incêndio
1.9 Estudo da NR 5
1.10 Reunião da CIPA
1.11 Primeiros Socorros. CONSTITUIÇÃO:
5.2 Devem constituir CIPA, por estabelecimento, e matê-la em regular funcionamento as empresas privadas, públicas, sociedades de economia mista, órgãos da administração direta e indireta, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, bem como outras instituições que admitam trabalhadores como empregados. ORGANIZAÇÃO:

5.6 A CIPA será composta por representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto no Quadro I. MASCOTE DIMENSIONAMENTO:

REGISTRO CNAE: 85.99-6
GRAU DE RISCO: 2
QUANTIDADE DE FUNCIONÁRIOS: 628 ATRIBUIÇÕES:
5.16 A CIPA terá por atribuição:
a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver;
b) elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho;
e) realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas em seu plano de trabalho e discutir as situações de risco que foram identificadas;
f) divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho; REUNIÕES DA CIPA:

As reunições ocorrem ordinariamente de acordo com calendário estabelecido:
Leitura da ata da reunião anterior, recordação das medidas sugeridas e leitura do registro dos acidentes mensais;
Exame de cada acidente ocorrido durante o mês e sugestões para eliminação de condições mecânicas perigosas;
Transcrição da ata e coleta de assinaturas dos membros participantes da reunião,
Informar demais trabalhadores sobre as atividades da CIPA. ACIDENTE COMISSÃO INTERNA DE
PREVENÇÃO DE ACIDENTES ATRIBUIÇÕES:
g) participar, com o SESMT, onde houver, das discussões promovidas pelo empregador, para avaliar os impactos de alterações no ambiente e processo de trabalho relacionados à segurança e saúde dos trabalhadores;
j) divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho, relativas à segurança e saúde no trabalho;
l) participar, em conjunto com o SESMT, onde houver, ou com o empregador, da análise das causas das doenças e acidentes de trabalho e propor medidas de solução dos problemas identificados;
o) promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho – SIPAT;
p) participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS. DEIXAR NO QUADRO DE AVISOS PARA QUE TODOS OS FUNCIONÁRIOS SEJAM INFORMADOS DAS AÇÕES E REUNIÕES DA CIPA CONCEITO LEGAL - Lei 8.213/91 - Art. 19.
“Ocorrer pelo exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão, perturbação funcional que cause a morte, perda, redução permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.” CONCEITO PREVENCIONISTA
“Ocorrência não programada, inesperada ou não, que interrompe no processo normal de uma atividade, ocasionando perda de tempo útil e/ou lesões nos trabalhadores e/ou danos materiais.” ACIDENTE ACIDENTE TÍPICO DOENÇA OCUPACIONAL ACIDENTE DE TRAJETO CLASSIFICAÇÃO DE ACIDENTES Durante horário de trabalho De casa para trabalho ACIDENTE CATASTRÓFICO INUNDAÇÃO, DESABAMENTO, ETC... LER/DORT 1º TEMPOS MODERNOS CONDIÇÕES INSEGURAS Condição do ambiente de trabalho, que oferece perigo ou risco ao trabalhador . CAUSA DE ACIDENTES ATO INSEGURO Praticado pelo homem, consciente ou não e que esta contra as normas de segurança. ATO INSEGURO VÍDEOS 96% DOS ACIDENTES, SÃO PROVENIENTES DE ATOS INSEGUROS 2º NÃO IMPROVISE ANÁLISE DE ACIDENTE CLASSIFICAÇÃO DE ACIDENTES:

Acidente sem afastamento
Acidente com afastamento
Incapacidade temporária
Incapacidade parcial e permanente
Incapacidade total e permanente LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR:

DIAS PERDIDOS:
Trata-se dos dias em que o acidentado não tem condições para o trabalho.

DIAS DEBITADOS:
Considerados nos casos em que ocorre incapacidade parcial permanente, ou incapacidade total permanente, ou morte. Isto significa que, a hora em que a empresa atingir 1.000.000 de horas-homens trabalhadas, se nenhuma providência for tomada ocorrerão 50 acidentes. C A T
A Comunicação de Acidente do Trabalho – CAT foi prevista inicialmente na Lei nº 5.316/67, com todas as alterações ocorridas posteriormente até a Lei nº 9.032/95, regulamentada pelo Decreto nº 2.172/97.

A Lei nº 8.213/91 determina no seu artigo 22 que todo acidente do trabalho ou doença profissional deverá ser comunicado pela empresa ao INSS, sob pena de multa em caso de omissão. COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE:
CAT: 24 HORAS PARA COMUNICAR O que fazia o trabalhador no momento imediatamente anterior à ocorrência?
Como aconteceu?
Quais foram as consequências físicas e materiais?
Quais as causas que contribuíram direta ou indiretamente para a ocorrência do acidente? Quando ocorreu?
Onde ocorreu ?
Quanto tempo de experiência na função tinha o acidentado? INVESTIGAÇÃO: A CIPA NÃO DEVE SER PERITA EM ANÁLISE DE ACIDENTES, E SIM EFICAZ NA PREVENÇÃO. NÃO PROCURE CULPADOS, BUSQUE SOLUÇÕES INSPEÇÃO PARCIAL: Feita em alguns setores

INSPEÇÃO GERAL: Feita em toda empresa

ROTINA: Preocupação de todos os funcionários.
PERIÓDICA: Em intervalos programados, para apontar riscos previstos, desgaste, fadiga, exposição a certas agressividades de máquinas e equipamentos.

EVENTUAL: Sem dia ou período estabelecido envolvendo o pessoal técnico. OFICIAL: Órgão governamental.

ESPECIAL: uso de equipamentos, como medição de ruídos, poeiras, caldeiras, vasos de pressão, etc... OBSERVAÇÃO: RELATÓRIO DE INSPEÇÃO ENCAMINHAMENTO ACOMPANHAMENTO RISCOS AMBIENTAIS RISCO FÍSICO RUÍDO, VIBRAÇÃO, FRIO, CALOR
PRESSÕES ANORMAIS RISCO QUÍMICO POEIRAS, FUMOS, GASES, VAPORES
SUBSTÂNCIAS E PRODUTOS QUIMICOS RISCO BIOLÓGICO Vírus, Bactérias, Fungos, Parasitas
Bacilos, Protozoários RISCO ERGONÔMICO

RISCO DE ACIDENTE RISCO LEVE RISCO MÉDIO RISCO ELEVADO CLASSIFICAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS 3º RISCO QUÍMICO E P I Equipamento de Proteção Individual é todo dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR

Tornar obrigatório seu uso;
Fornecer o EPI aprovado e adequado ao risco de acordo com o órgão nacional competente;
Orientar e treinar o trabalhador quanto a seu uso, guarda e conservação e substituir imediatamente quando extraviado ou danificado;
Responsabilizar-se por sua manutenção e esterilização;
Comunicar ao M T E qualquer irregularidade observada. OBRIGAÇÕES DO EMPREGADO

Usar, apenas para a finalidade a que se destina;
Responsabilizar-se por sua guarda e conservação;
Comunicar qualquer alteração que o torne impróprio para uso;
Cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado. LEGISLAÇÃO:
Os funcionários que não utilizarem os EPI e seguir as normas de segurança estão sujeitos a penalidades de acordo com a Lei - CLT.

ART 158. Parágrafo único - Constitui ato faltoso do empregado a recusa injustificada:
a) A observância das instruções expedidas pelo empregador;
b) Ao uso dos equipamentos de proteção individual fornecidos pela empresa. DÚVIDAS ?

PRÓXIMO MÓDULO.
PRIMEIROS SOCORROS
COMBATE AO PRINCÍPIO DE INCÊNDIO CANETA USA Produtos químicos
Agentes abrasivos
Temperatura Agentes abrasivos
Partículas volantes Ruído Agentes químicos
Vapores.
Full transcript