Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Planejamento da pesquisa qualitativa

Comunicação oral apresentada no Núcleo de Estudos de Linguagem e Sociedade (NELiS-CEAM/UnB), como parte do Ciclo de Estudos sobre Métodos de Pesquisa Qualitativa, no 1º semestre de 2014.
by

Milena Fernandes da Rocha

on 28 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Planejamento da pesquisa qualitativa

Planejamento da pesquisa qualitativa
Ciclo de Estudos sobre Métodos de Pesquisa Qualitativa
O livro
Part I
Finding a focus and knowing where you stand
Designing a qualitative research
Ênfase nas escolhas metodológicas
Por uma boa prática de pesquisa
Avaliação da pesquisa qualitativa
Recorte do sumário da tese da prof.ª dr.ª Viviane Resende (2008).
Referências citadas e consultadas
BAUER, Martin W.; GASKELL, George (Ed.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2002.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Tradução Sandra Regina Netz. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Trad. Sandra Netz. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. 5. reimpr. São Paulo: Atlas, 2012.

MASON, Jennifer. Qualitative Researching. London: SAGE, 2002.

SCHÜKLENK, U. Ética na pesquisa: experiência de treinamento em países sul-africanos. In: DINIZ, D. GUILHEM, D. & SCHÜKLENK, U. (eds.). Brasília: Editora da UnB, 2005.

MOITA LOPES, L. P. Pesquisa interpretativista em linguística aplicada: a linguagem como condição e solução. D.E.L.T.A. 1(2), 1994. pp. 329-338.
Part II
Part III
Posicionando-se como um pesquisador ontológica e epistemologicamente; engendrando uma pesquisa qualitativa.
Organização dos dados; elaboração de argumentos convicentes a partir de dados qualitativos.
Recursos, métodos e técnicas; entrevistas; observação e participação; métodos visuais e documentos; amostra e seleção.
A perspectiva ontológica do pesquisador
1. Consciência de que não há uma compreensão universal da natureza e essência das coisas no mundo social.
2. A escolha de princípios ontológicos não deve ser dogmática nem arbitrária.
3. O pesquisador deve ter em mente as implicações de escolher uma ou mais perspectivas ontológicas.
Qual é a essência e a natureza dos fenômenos e das entidades do mundo social?
Identificar pela diferença/exclusão.
Mundo social existe independentemente do homem.
Monopólio da verdade científica.
Concepções ontológicas
Positivismo
Concepções ontológicas
Interpretativismo
Mundo social existe na dependência do homem.
Atribuição e manutenção dos significados.
Poder, ideologia, história e subjetividade.
Existência de várias realidades.
Pluralidade de vozes.
O posicionamento epistemológico do pesquisador
1. Consciência de que há mais de uma perspectiva epistemológica.
2. O posicionamento epistemológico deve ser coerente com a perspectiva ontológica adotada pelo pesquisador.
Como os fenômenos sociais podem ser identificados e investigados e como o conhecimento a seu respeito pode ser demonstrado.
Especificação de uma área de interesse e delimitação do assunto central da pesquisa
O tópico deve ser coerente com a ontologia e a epistemologia adotadas.
Geralmente, o tópico revela parcialmente a ontologia e a epistemologia adotadas.
"Intellectual puzzle"
Deve ser significativo ontologicamente e explicável epistemologicamente.
Tipos:
Developmental puzzles

Mechanical puzzles
Comparative puzzles

Causal/predictive puzzles
Perguntas
What
,
Why
,
How
.
Questões de pesquisa
Claramente formuladas; intelectualmente relevantes; pesquisáveis quanto à epistemologia e quanto a questões práticas.
São recursos para orientar a essência da pesquisa qualitativa e a construção/geração/interpretação de explicações/argumentos.
O pesquisador deve evitar perguntas que lhe sejam convenientes se respondidas apenas de uma maneira.
Devem manter um diálogo com as demais pesquisas relacionadas no mesmo tema ou área, para evitar a simples reprodução do conhecimento.
O propósito da pesquisa
Esfera intelectual e acadêmica.
Contexto sociopolítico em que a pesquisa foi desenvolvida.
Desconstrução da crença na "distância saudável" entre pesquisador e pesquisa.
É possível investigar o mundo social e é possível fazê-lo por meio de pesquisas empíricas, e não apenas por teorizações abstratas.
O pesquisador deve ter uma postura ativa, crítica e reflexiva.
Ontologia
Epistemologia
Metodologia
Relação dialética ontologia-epistemologia-metodologia
Elencar o maior número de métodos criativos o máximo possível.
Relacionar os métodos com as questões de pesquisa elaboradas anteriormente. Levar em consideração questões de praticidade e questões éticas.
Estratégia metodológica:
formular abordagens metodológicas para responder as questões de pesquisa;
reconhecer que há outras abordagens possíveis;
justificar por que as outras foram rejeitadas.
Exigências externas:
financiamento e credibilidade;
funcionalidade;
descrever objetivos e proposta;
submeter a processos de seleção.
Exigências internas:
facilitar o desenvolvimento coerente e rigoroso do projeto.
Rigidez
versus
negligência: o caminho para a flexibilidade.
A integração de métodos: por quê?
(i) as questões de pesquisa podem ser abordadas a partir de diversos ângulos, sugerindo uma variedade de possibilidades para os métodos.
(ii) cada questão de pesquisa pode reivindicar um método diferente para sua elucidação.
(iii) triangulação: uso de mais de um método com o fim de que um corrobore com o outro.
"O uso de múltiplos métodos, ou da triangulação, reflete uma tentativa de assegurar uma compreensão em profundidade do fenômeno em questão" (DENZIN; LINCOLN, 2006, p. 19).
Triangulação
dos dados
do investigador
da teoria
dos métodos
A integração de métodos: como?
Integração técnica
Integração ontológica
Integração epistemológica:
no nível do conhecimento e da evidência
no nível da explicação
Antecipação do processo de análise dos dados
Decisões tomadas no estágio inicial da pesquisa quanto à análise dos dados.
O pesquisador deve ter consciência, por exemplo, das consequências das restrições impostas pelas questões práticas.
Evidência, qualidade e substância
Validade
Potencial de generalização
Confiabilidade
Qualitativa de qualidade
Formas de (garantir e) avaliar a qualidade de uma pesquisa qualitativa:

abordagem autocrítica, falível e passível de críticas;

explicação metodológica reflexiva.
Questões éticas
“Todas as teorias éticas são, em alguma medida, reflexo de nossas próprias convicções morais”
(SCHÜKLENK, 2005, p. 43).
Objetivo geral da ética
Nortear as ações e proporcionar subsídios racionais para justificar a conduta em uma situação específica.
A ética utilitarista
Nossas ações devem sempre maximizar a utilidade para a maioria das pessoas envolvidas.
Os benefícios prováveis devem compensar os riscos possíveis.
Questões práticas
Recursos
Tempo
Dinheiro
Equipamento
Transporte
Fontes de dados disponíveis
Habilidades pessoais
Necessidade de treinamento e capacitação
Probabilidade de ter acesso a fontes de dados importantes.
Isabela Cristina Barros Cardoso
(isabela.cardoso.ic@gmail.com)

Milena Fernandes da Rocha
(milenafdarocha@hotmail.com)
Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília (PPGL/UnB)
O projeto de pesquisa qualitativa é um processo que requer pensamento criativo e crítico.
Operacionalização de variáveis e conceitos:
processo que sofre uma variável/conceito a fim de se encontrarem os correlatos empíricos que possibilitem sua mensuração ou classificação.
A pesquisa não deve ser algo absolutamente particular, mas deve poder ser aplicada a contextos mais amplos e diversos.
Precisão dos métodos e técnicas de pesquisa utilizados.
A pesquisa qualitativa reinterpreta os "instrumentos" de medição de sua qualidade, mas não os abandona.
Pesquisa quantitativa
Fidedignidade
Validade
Representatividade (aleatória ou numérica)
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa: critérios alternativos
Validade e "realismo sutil" (HAMMERSLEY, 1992 apud FLICK, 2004, p. 233).
Indução analítica e "análise de casos negativos" (LINCOLN; GUBA, 1985 apud FLICK, 2004).
Generalização: a transferência entre contextos.
Plausibilidade seletiva.
Confiabilidade.
Obrigadas!
"Um pluralismo metodológico se origina como uma necessidade metodológica" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002).
A "science war"
Não há quantificação sem qualificação
"Se alguém quer saber a distribuição de cores num jardim de flores, deve primeiramente identificar o conjunto de cores que existem no jarim; somente depois disso pode-se começar a contar as flores de determinada cor" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 24).
Não há análise estatística sem interpretação
"Os dados não falam por si mesmos, mesmo que sejam processados cuidadosamente, com modelos estatísticos sofisticados" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 24).
"A grande conquista da discussão sobre métodos qualitativos é que ela, no que se refere à pesquisa e ao treinamento, deslocou a atenção da análise em direção a questões referentes à qualidade e à coleta dos dados" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 24).
"Muitas vezes, é esse 'distanciamento emocional', e não tanto os números em si, que leva pesquisadores com outras convicções a não se sentirem bem com a pesquisa quantitativa" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 25).
A formalização da pesquisa
"Dê um martelo a uma criança, e todas as coisas no mundo devem ser marteladas" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 26).
"Métodos quantitativos e qualitativos são mais que apenas diferenças entre estratégias de pesquisa e procedimentos de coleta de dados. Esses enfoques representam, fundamentalmente, diferentes referenciais epistemológicos para teorizar a natureza do conhecimento, a realidade social e os procedimentos para se compreender esses fenômenos" (FILSTEAD, 1979 apud BAUER; GASKELL, 2002, p. 29).
"A prontidão dos pesquisadores em questionar seus próprios prestos e as interpretações subsequentes de acordo com os dados, juntamente com o modo como os resultados são recebidos e por quem são recebidos, são fatores muito mais importantes para a possibilidade de uma ação emancipatória do que a escolha da técnica empregada" (BAUER; GASKELL; ALLUM, 2002, p. 35).
A monologia metodológica
"Apelar para a triangulação de perspectivas e métodos téoricos (Flick, 1992) é um modo de institucionalização do processo de reflexão em um projeto de pesquisa" (BAUER; GASKELL, 2002, p. 483).
Verstehen
Full transcript