Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teoria da adaptação - Callista Roy

Teorias de enfermagem
by

on 4 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teoria da adaptação - Callista Roy

Pressupostos da teoria:
Pessoa
Sister Callista Roy
Introdução
Biografia
Macroconceitos
2016/1
Teorias de Enfermagem
Introdução
Sister Callista Roy
Enfermeira
e também
socióloga
, atuou com assistência
pediátrica
.
Nessa prática
observou como as crianças possuíam uma capacidade para se adaptarem as mudanças em seu desenvolvimento, o que lhes permitia resolver a maioria de seus problemas de modo satisfatório.
Pensando na enfermagem, ela admitiu que o conceito de adaptação pudesse ser utilizado como eixo orientador para a sua prática.
A teoria da adaptação
Sister Callista Roy

Profª Cristiane Motta
Processo de Enfermagem
Ambiente
Macroconceitos
Meta de Enfermagem
Macroconceitos
Saúde
Macroconceitos
Estado e processo de ser total e integrado.
Depende da adaptação da pessoa ao ao ambiente que está em constante mudança.

Mundo interior ou exterior da pessoa.
Inclui as condições que afetam o comportamento da pessoa.
Modelo de Roy
Processo de Enfermagem
Modelo de Roy
Processo de Enfermagem
(Fonte: http://www.designinteligentebrasil.com.br/)
(Fonte: http://www.ricardogauchobio.com.br/extensivo/aula15/)
(fonte: Proprio autor)
(fonte: Proprio autor)
(fonte: Proprio autor)
(fonte: Proprio autor)
 • A pessoa é um ser biopsicossocial
• A pessoa está em constante interação com um meio em mudanças
• Para enfrentar a mudança do ambiente a pessoa usa tantos mecanismos inatos quanto adquiridos , quais são os biológicos,
psicológicos e sociais em sua origem.
• Saúde e doença são uma dimensão inevitável da vida da pessoa.
• Para responder positivamente as mudanças do meio, a pessoa precisa adaptar-se.
• A adaptação da pessoa é uma função do estímulo ao qual está exposta e do seu nível de adaptação.
• O nível de adaptação da pessoa é tal que compreende uma zona que indica uma série de estímulos que levará a uma
resposta positiva.
• A pessoa tem quatro modos de adaptação: necessidades fisiológicas, autoconceito, papel funcional e interdependência.
• A enfermagem aceita a abordagem humanística de valorizar as opiniões e pontoa de vista da pessoa.
• As relações interpessoais são uma parte integrante da enfermagem.
• Há um objetivo dinâmico para a existência humana com o objetivo último de dignidade e integridade.

 Nasceu em 1939 Los Angeles na Califórnia.
 Bacharel em artes na enfermagem - 1963
 Mestre de ciências na enfermagem pela Universidade da Califórnia – 1966
 Mestre em sociologia pela Universidade da Califórnia - 1973
 Doutora em sociologia pela Universidade da Califórnia – 1977
 Pós-doutorado pela Universidade da Califórnia – 1985
 Atuou em várias posições, incluindo a de membro da American Academy of Nursing e participa de organizações de
enfermagem como a North American Nursing Diagnosis Association (NANDA).


Indivíduo, família, comunidade, sociedade
Receptor
do cuidado
Célula (mundo interior e exterior)
Capacidade de criar mudanças para se adaptar ao ambiente.
Nível de adaptação
- habilidade e capacidade de criação dessas mudanças.
Ser
biopsicossocial
em constante interação- meio-mudança - adaptação.
Utiliza mecanismos
ADAPTATIVOS
MECANISMOS ADAPTATIVOS
REGULADOR
COGNITOR
OS DOIS ATUAM EM CONJUNTO PARA MANTER A INTEGRIDADE DA PESSOA, MAS
NÃO SÃO OBSERVÁVEIS, APENAS AS RESPOSTAS ( A ESTÍMULOS INTERNOS OU EXTERNOS).
MAL ADAPTATIVAS
ADAPTATIVAS
(NÃO FUNCIONAMENTO)
(EFETIVAS DIANTE DOS ESTÍMULOS)
SÃO PRODUZIDAS E MANIFESTADAS ATRAVÉS DE
4 MODOS ADAPTATIVOS:
Fim a que tende uma ação.
Resultado que pretende com a prática de enfermagem.
Promoção de respostas adaptativas em relação aos quatro modos adaptativos.
Quando uma ou mais funções estão comprometidas, aplica-se: processo de enfermagem.
Objetivo: promover adaptação positiva do indivíduo.
Contempla o ser humano na sua integridade biopsicossocial.
Enfermeiro deve ser capaz de identificar o nível de adaptação e as capacidades de resistência, identificar dificuldades e intervir para promover adaptação.
Abordagem para resolver problemas e para isso colhe dados, identifica necessidades das pessoas, seleciona e implementa abordagens para cuidados e avalia resultados.
Etapas:
Avaliação do comportamento
Avaliação dos estímulos
Diagnósticos de Enfermagem
Elaboração dos objetivos
Intervenção
Avaliação

modo FISIOLÓGICO
- resposta física presentada aos estímulos ambientais.
-
necessidade básica
designada
a integridade fisiológica
associada a:
oxigenação, nutrição, eliminação, atividades de repouso, proteção
(pele, cabelo, unha, sistema imunitário), barreira física contra gentes estranhos.
- processos complexos associados aos sentidos (fluídos, eletrólitos, função neurológica e endócrina).
- necessidades e processos formam a base para avaliação do comportamento.
- A necessidade básica
desse modo é designada a
integridade psíquica.
- Duas áreas:
Eu físico -
avaliação da pessoa do seu próprio ser físico
.
Inclui
sensação corporal
(como a pessoa se sente?) e
imagem corporal
(como a pessoa vê a si própria?)
Eu pessoal
Inclui
autoconsistência
(como a pessoa vê a si própria em relação ao desempenho real ou em resposta a situação,
autoideal
(o que uma pessoa espera ser e fazer relacionado com o que uma pessoa é capaz de ser ou fazer),
eu moral-ético-espiritual
(inclui o sistema de crenças da pessoa e avaliação de quem a pessoa é).



modo AUTOCONCEITO
modo DESEMPENHO DE PAPÉIS
- Incide especificamente sobre os papéis que a pessoa ocupa na sociedade. Integridade social.
- Papéis primários, secundários e terciários.
-
Componentes do modo
C
omportamentos instrumentais
(a pessoa desempenha como parte integrante do seu papel)

Comportamentos expressivos
(sentimentos e atitudes que a pessoa defende em relação ao seu papel e desempenho dele).
-
Requisitos para o comportamento do papel

(1) consumidor, (2) recompensa, (3) acesso a facilidade/conjunto de circunstâncias e (4)cooperação/colaboração.

modo INTERDEPENDÊNCIA
- Modo em que as necessidades afetivas são satisfeitas. Definida como as relações mais próximas das pessoas.
- Objetivo: alcançar adequação afetiva, que é o sentimento de segurança nas relações com os outros significativos.
- A necessidade básica é a necessidade de adequação afetiva e incorpora a necessidade de cuidar e ser cuidado.
-O resultado adaptável é a adequação afetiva sob a forma de relações mútuas satisfatórias ou isolamento.
- Os
comportamentos que demonstram necessidades de interdependência
são chamados de
comportamento de dar (cuidados)
e
comportamento de receber(cuidados).
-
As pessoas que buscam adaptação afetiva podem passar por períodos de isolamento, solidão e alienação.
- Os conceitos associados com a interdependência tem uma relevância particular na relação enfermeiro/paciente, pois será o enfermeiro que vai contribuir para a satisfação das necessidades de interdependência do paciente.
Modo fisiológico
Modo autoconceito
Modo desempenho de papéis
Modo de interdependência
Full transcript