Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Relactação e Lactação Induzida

No description
by

Patrícia Ferreira

on 17 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Relactação e Lactação Induzida


Fatores concorrentes
Indução da produção de leite
INDICAÇÕES ASSOCIADAS AOS PROTOCOLOS
Composição do leite
ACELERADO:

Pílula combinada 30 a 60 dias, juntamente com a 20mg de Domperidona 4x/dia
Se mudanças significativas dentro de 30 dias - parar pílula combinada e manter a Domperidona
Iniciar a estimulação com a bomba - de 3/3 horas e pelo menos 1x/noite
Recorrer a feno grego e cardo santo (3 cápsulas de cada 3x/dia
PROTOCOLOS
Farmacológicos:

Metoclopramida (Chaves, 2008; Bryant, 2006)

Domperidona (Chaves, 2008)

Cloropromazina (Chaves, 2008)

Sulpirida (Chaves, 2008)

Hormona libertadora de tireotropina (TRH) (Bryant, 2006)
GALACTOGOGOS
Relactação e Lactação Induzida
Fatores concorrentes
INDICAÇÕES PARA A RELACTAÇÃO
Feno-grego
Arruda-caprária
Cardo mariano
Aveia
Dentes de leão
Milho
Algas
Anis
Manjericão
Cardo santo
Sementes de erva doce
Outros
GALACTOGOGOS
TEMPO DE PRODUÇÃO:

O tempo que decorre entre o início da estimulação mamária e o aparecimento das primeiras gotas de leite parece ser, acima de tudo, uma questão individual.

A produção de leite materno é determinada pela correta estimulação da mama e do mamilo, pelo que quanto mais frequente é a estimulação, mais leite se produz.
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA
Ana Lisa Vieira
Carla Silva
Denise Cardoso
Filipa Oliveira
Iza Oliveira
Patrícia Ferreira

Pertinência
do tema

Objetivos
Conclusão
Bibliografia
O aumento da consciência e sensibilização social para os benefícios do leite materno:
Estas técnicas sejam opções válidas para as mulheres que querem retomar ou iniciar a amamentação.
Para um maior sucesso e satisfação são essenciais:
Motivação e suporte psicossocial;
Estimulação mamária adequada;
Suporte profissional adequado;

Compreender os conceitos de relactação e lactação induzida;
Perceber quais os fatores que influenciam o sucesso da relactação e da lactação induzida;
Aprofundar conhecimentos sobre as indicações e a prática da relactação e a lactação induzida;

(Montrone; Rose, 1996 cit por Marques, 2013; Giugliani, 2000 cit por Marques, 2013)
A lactação natural constitui a melhor opção do lactente até aos seis meses, pela sua superioridade nutricional, defesa imunológica e ausência de agressão físico-química.
A importância do leite humano como fator de proteção contra a morbimortalidade infantil e a identificação de formas efetivas de promoção do aleitamento natural é uma prioridade.
(Barros et al., 2002 cit por Marques, 2013)
Relactação, e a Lactação Induzida surgem como solução às situações onde a amamentação não pode ser efetuada de forma natural:
(Abejide, 1997; Ávila-Velásquez, 1991; Lawrence, 1987 cit por Fuenmayor et al., 2004)
• ACADEMY OF BREASTFEEDING MEDICINE – Clinical protocolo #9: use of galactogogues in initiating or augmenting the rate of maternal milk secretion. [Em linha]. Vol. 6, nº1 (2011) p.41-49. [Consult. 4 Mar 2014 ]. Disponível na Internet: < URL: http://www.bfmed.org/Media/Files/Protocols/Protocol%209%20-%20English%201st%20Rev.%20Jan%202011.pdf>
• AUERBACH, K. G.; AVERY, J. L. - Relactation: a study of 366 cases. Pedriatics. Nº 65 (1980), p. 236-242.
• BORDALO, Joana Daniel – Aleitamento materno: Relactação e lactação induzida. Covilhã: 2008. Dissertação de mestrado. [Em linha]. [Consult. 4 Mar 2014 ]. Disponível na Internet: < URL: http://www. https://ubithesis.ubi.pt/bitstream/10400.6/753/1/Aleitamento%20Materno%20%20Junho%202008%20%20Joana%20Bordalo%2015429.pdf>
• BRYANT, Cathy – Nursing the Adopted Infant. In JAM Board Fam Med. Vol. 19, n.º 4 (Jul-Aug 2006), p. 374-379.
• CHAVES, Roberto Gomes [et al.] - Uso de galactagogos na prática clínica para o manejo do aleitamento materno. Revista Médica de Minas Gerais. Nº18 (2008), p. 146-153.
• DENTON, Yvonne – Induced lactation in the nulliparous adoptive mother. British jornal of midwifery. [Em linha]. 2010. [Consult. 24 a Fev. 2014]. Disponível na Internet:URL:http://www.britishjournalofmidwifery.com/cgibin/go.pl/library/article.html?uid=46404;article=BJM_18_2_84
• FUENMAYOR, V. J. G. [et al.] - Relactancia metodo exitoso para reinducir el amamantamiento en madres que abandonaron la lactancia natural. Anales Venezolanos de Nutrición. Nº1 (2004).
• KING, F. S. – Como ajudar as mães a amamentar. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.
• MANNEL, R.; MARTENS, P.; WALKER, M. – Manual prático para consultores de lactação. Loures: Lusociência, 2008.

• MARIANO, Grasielly Jeronimo dos Santos – Relactação: Identificação de práticas bem sucedidas. Revista de Enfermagem Referência. IIIª série, n.º 3 (Mar 2011), p.163-170.
• MOHRBACHER, Nancy; STOCK, Julie – The Breastfeeding Answer Book. La Leche League International, 2003. [Consult. a 23 Mar. 2014]. Disponível na Internet: <URL: http://www.llli.org/faq/relactation.html>
• NEWMAN, Jack; GOLDFARB, Lenore – The Protocols for Inducing Lactation and maximizing milk production. [Em linha]. Nov 2002. [Consult. a 23 Mar. 2014]. Disponível na Internet: <URL:http://www.canadianbreastfeedingfoundation.org/induced/induced.shtml#toc_protocols>
• NEWMAN, Jack; KERNERMAN, Edith – Herbs for Increasing Milk Supply. [Em linha]. 2009. [Consult. a 23 Mar. 2014]. Disponível na Internet: <URL: http://www.canadianbreastfeedingfoundation.org/induced/herbs.shtml>
• ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE; UNICEF – Aconselhamento em Amamentação: Um curso de treino. Manual do participante. Edição revista. OMS/UNICEF, 1997.
• ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD. Departamento de Salud y Desarrollo del Niño y del Adolescente – RELACTACIÓN: Revisión de la experiencia y recomendaciones para la práctica. Ginebra: OMS, 1998. [Consult. a 24 Fev 2014]. Disponível na Internet: < URL:http://whqlibdoc.who.int/hq/1998/WHO_CHS_CAH_98.14_spa.pdf?ua=1
• SHIVA, Marzieh [et al.] – A successful induction of lactation in surrogate pregnancy with metoclopramide and review of lactation induction. [Em linha]. Vol. 3, nº4 (Fev-Mar 2010) p.191-194. [Consult. a 24 Fev 2014]. Disponível na Internet: < URL:http://humrep.oxfordjournals.org/content/16/3/581.full>
• SILVA, António Neirton dos Santos; CESTARI, Virma Ribeiro Feitosa; ROLIM, Karla Maria Carneiro – Assistência de enfermagem ao binómio mãe-filho: relactação. Anais do Congresso brasileiro de enfermagem neonatal. [Em linha]. Fortaleza, 2012. [Consult. a 24 Fev 2014]. Disponível na Internet: <URL: http://www.abenfoce.org.br/sites/default/files/ASSISTÊNCIA%20DE%20ENFERMAGEM%20AO%20BINÔMIO%20MÃE%20E%20FILHO%20%20RELACTAÇÃO.pdf>

• SILVA, Isília Aparecida – Enfermagem e aleitamento materno: combinando práticas seculares. Rev.Esc.Enf. USP. Vol. 34, n.º 4 (Dez 2000), p.362-369.
• SMEDBERG, Christina – Relactation after Breast Cancer: a case study. Leaven. [Em linha]. Vol. 43, nº 2 (Apr-May-Jun 2007), p. 27-29. [Consult. a 4 Mar. 2014]. Disponível na Internet: <URL:http://www.lalecheleague.org/llleaderweb/lv/lvaprmayjun 07p26.html>
• SMITH, Anne – Relactation and Adoptive Nursing. [Em linha]. Nov 2013. [Consult. a 4 Mar. 2014]. Disponível na Internet: URL:http://www.breastfeedingbasics. com/articles/relactation-and-adoptive-nursing
• THORLEY, Virginia; WORGAN, Ruth – Lactação induzida e relactação In Manual prático para consultores de lactação. 2ª edição. Lisboa: Lusodidacta, 2011. Cap. 32.
• WHORLD ORGANIZATION HEALTH – Baby-friendly hospital initiative: revised, updated and expanded for integrated care. Genève: WHO, 2009.

Relactação
Processo pela qual é restabelecida a amamentação nas mulheres que tenham interrompido a amamentação.
(Lawer e Shinshi 2000 cit. por Bordalo, 2008)
Lactação Induzida
(Charles-Siebeneler, 1999 cit. por Bordalo, 2008).
Estimulação do organismo da mulher para produzir leite, na ausência das alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez e parto.
Não se encontraram diferenças significativas no leite produzido o que se produz durante o puerpério. No entanto foram ainda publicados poucos estudos especificamente sobre a composição nutricional e imunológica.
(OMS, 1998; Lawrence & Lawrence, 2005 cit por Thorley; Worgan, 2011).
Kleinman et al., (1980) observaram que as mulheres que nunca estiveram grávidas não produzem colostro.
Fatores que influenciam a relactação
Fatores maternos que influenciam a lactação induzida
REGULAR:

Mínimo de 6 meses
Pílula combinada 5 meses antes do bebé chegar, juntamente com 20mg de Domperidona 4x/dia
Manter até 6 semanas antes da chegada do bebé
Iniciar a estimulação com a bomba de 3/3 horas, pelo menos 1x de noite, 5 a 7 min. (inicialmente a um ritmo moderado, parar para massajar as mamas, estimular com a bomba novamente 5 a 7 min. a um ritmo normal)
Já com o bebé - Domperidona 20mg pelo menos 4x/dia.
Com a amamentação estabelecida em livre procura, estimular com a bomba cerca de 10 minutos após cada mamada.
Manter as ervas e a Domperidona até a produção de leite ser adequada ao bebé.
MENOPAUSA

Pílula combinada 1x/dia e Domperidona 10mg 4x/dia - manter até mudanças significativas nas suas mamas.

Após no minino 60 dias - começar estimulação com a bomba (3/3 horas, pelo menos 1x/noite)
Pode iniciar a toma de Feno Grego e Cardo Santo
OUTROS PROTOCOLOS:

Tradicional

Avery

Extração com bomba

Ervas
Condicionantes:
Trombose
Problemas cardíacos
Hipertensão severa
Depressão
Intolerância aos ACO
Mulheres diabéticas ou com asma (Feno grego)
Extração com bomba:

Primeiras 48 horas
2/2 horas de dia
a cada 3 horas de noite

Duas semanas seguintes
8 a 12 x/dia
5-7 min. na potência baixa ou média
massajar e estimular suavemente a mama
Estimulação do reflexo de ejeção do leite:

Massajar a mama

Carícias suaves

Postura corporal
Tempo do procedimento - 15 min:

bombear com bomba dupla cada mama 5-7 min.

massagem e estimulação da mama

bombear cada mama 3-5 min.
Não Farmacológicos:

Fenogrego (
Trigonella foenumgraecum
) (Bryant, 2006; Newman e Kernerman, 2009)

Cardo santo (
Cnicus benedictus
) (Bryant, 2006; Newman e Kernerman, 2009)

Outras ervas
(Newman e Kernerman, 2009):
Alfafa;
Spirulina;
Folha de framboesa;
Funcho;
Levedura de cerveja;
Urtiga;
Shatavari

Alimentos
(Newman e Kernerman, 2009):
Comer aveia diariamente;
Alho com moderação;
Gengibre com moderação
(Newman e Goldfarb, 2012)
(Newman e Goldfarb, 2002)
(Newman e Goldfarb, 2002)
(Newman e Goldfarb, 2002)
(Newman e Goldfarb, 2002)
(Newman e Goldfarb, 2002)
(Newman e Goldfarb, 2002)
O equipamento de relactação, designado especificamente por sistema de nutrição suplementar, pode ajudar a resolver este problema, ao garantir que o esforço de sucção do bebé é recompensado.
Enquanto o processo de relactação está a decorrer é essencial garantir a alimentação adequada da criança.

Se estiver disponível, o leite materno extraído é a melhor alternativa.

Na maioria dos casos, será necessário usar leite artificial.

Conforme aumenta a produção de leite materno, a quantidade de leite administrada vai ser cada vez menor.
(ABM, 2011)
Não há evidência científica que estas substâncias possuam propriedades galactogogas. A OMS (1998) acrescenta que se a mulher e a sua família têm uma forte crença quanto à eficácia de uma substância tradicional, o seu uso pode ajudá-la na esfera psicológica.
(OMS, 1998)
(Thorley; Worgan, 2011; Smedberg, 2007)

RECOMENDAÇÕES PRÁTICAS
Jack Newman
Paula Prata
"There is more to breastfeeding than breastmilk"


"Amamentar é um ato de fé"

Full transcript