Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Hudson Lopes

on 13 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

Side A
Side B
Tomás de Aquino:
O CONHECIMENTO HUMANO DAS LEIS

Quem foi
Tomás de Aquino?
Filosofia e Fé:
A centralidade de Deus , entendido como criador do ser enquanto tal e não apenas das formas do ser, constitui a linha condutora da filosodia de
Tomás de Aquino.
Teologia e Moral
O ser humano para
Tomás de Aquino
é um ser moral - conhece o fim das coisas. Mas, não pode conhecer de maneira imediata o fim último de todas as coisas, isto é, de Deus.
Por outro lado, o ser humano tem uma disposição natural para compreender o princípio das ações boas. Ele pode rejeitá-las.
Quatro tipos de Leis:
Tomás de Aquino nasceu em 1224 ou 1225 no castelo de Roccaseca, perto da cidade de Aquino, no reino da Sicília (hoje parte da Itália).
Na Universidade de Nápoles, entrou em contato com a obra de Aristóteles. Pouco depois, decidiu juntar-se à ordem mendicante dos frades dominicanos. Quando seus superiores o enviaram para a Universidade de Paris, os pais do noviço chegaram a sequestrá-lo no caminho.
Sua família era proprietária de um pequeno feudo e ligada politicamente ao imperador Frederico 2o. Tomás foi encaminhado ainda criança para o monastério de Monte Cassino, com o objetivo de seguir carreira religiosa.
Sua vida foi bastante simples, se resumindo à atividade acadêmica, com apenas uma interrupção de alguns anos para trabalhar como conselheiro da Cúria Papal, em Roma.
Perto do final de sua vida voltou a lecionar em Nápoles. Tomás de Aquino morreu em 1274 (apenas 53 anos), na abadia de Fossanova (hoje centro da Itália), onde havia se recolhido ao ficar doente durante nova viagem a Roma. Foi canonizado em 1323 e nomeado "doutor da Igreja" em 1567.
Quem é
Santo Tomás de Aquino?
Sua filosofia é considerada como preambulum fidei, isto é, como preparação para a fé.
É o representante máximo da "
escolástica
"
.
Escolástica ou escolasticismo
foi o método de pensamento crítico dominante no ensino nas universidades medievais européias de 1100 a 1500. Não tanto uma filosofia ou uma teologia, como um método de aprendizagem, a escolástica nasceu nas escolas monáticas cristãs.
A função apologética da obra de Tomás de Aquino permite discutir com quem não aceita "fé nenhuma".
AS CINCO PROVAS DA EXISTÊNCIA DE DEUS
Terceira Via (Prova):
Quarta Via (Prova):
Quinta Via (Prova):
TOMÁS
Um pouco da metafísica do gênio
Tomás de Aquino:
O fundamento: "Causando, a causa transmite-se a si mesma, de certo modo, ao causado".
Portanto, a
semelhança
não é uma qualidade adicional, um acidente que se acrescenta do exterior, mas é
co-essencial à natureza do efeito
, do qual nada mais é do que sinal externo.
Na teologia de Tomás de Aquino destacaM-se
"As Cinco Vias Para Provar a ExisTência de Deus"
:
O ponto de partida de cada via é muito marcado pela por elementos extraídos da
cosmologia aristotélica
, confiante de sua eficácia persuasiva, no momento em que o aristotelismo era a filosofia egemônica.
A força probatória dos agumentos, porém, é toda e sempre de
índole metafísica
.
Primeira Via (Prova):
Do movimento:
"Tudo aquilo que se move é movido por outro. É preciso então crer na existência de um 'primum movens', e este, justamente, é Deus.
Segunda Via (Prova):
Da causa:
Não é possível que exista uma série infinita de de causas. Existe uma primeira causa não-causada, e esta é Deus.
Da contingência:
As coisas são contingentes, ou seja, podem existir ou não existir. Mas aquilo que pode existir ou não existir, algum tempo não existiu. Isso implica em que houve um tempo em que nada existia. Mas se assim fosse também agora nunca deveria existir nada. Porque é impossível que aquilo que não existe comece a existir, a não ser por algo que já existe. E isso é Deus.
Do finalismo:
Existe um finalismo (fim) no cosmo, e isso implica a existência de uma causa inteligente e finalizante: justamente, Deus.
Dos graus de perfeição:
Existem diversos graus de perfeição, mas isso implica em um grau máximo ao qual referir-se. Esta suma perfeição é Deus.
LEX HUMANA
LEX AETERNA
Acima de todas estas está a
Para Tomás, o homem é natureza racional, um ser capaz de conhecer:
"ratio est potissima hominis natura"
("A razão mais importante é a natureza do homem").
LEX NATURALIS
LEX DIVINA
Enquanto
seres racionais
, os homens conhecem a
lei natural
, cujo núcleo essencial esté no preceito de que
"se deve fazer o bem e evitar o mal"
.
É racional porque vê o bonum e o malum mais do que como predicados, mas
o homem vê a lei como forma de racionalidade
.
A
lex humana
é a lei jurídica - deriva da lex naturalis - O direito positivo (leis feitas por homens). O ser humano faz leis para dissuadir a sociedade de fazer o mal.
É o plano racional de Deus, é a ordem do universo inteiro. São conhecidos por Deus e por alguns beatos.
A
lex naturalis
é parte da
lex aeterna
que é conhecida do homem enquanto racional. Por exemplo: "Fazer o bem e não o mal".
Lex divina
é a lei revelada, a lei positiva expressa pelos Evangelhos; guia a bem-aventurança à qual todo homem aspira.
ius gentium
deriva da lex naturalis por dedução. Por exemplo: A proibição do homicídio.
ius civile
deriva da lex naturalis por especificação. Por exemplo: Aplicar determinada pena para o homicídio.
O Estado pode encaminhar os homens para o bem comum e pode favorecer algumas virtudes, mas não permite ao homem alcançar o seu fim último, que é sobrenatural.
A lex naturalis e as leis positivas servem aos fins terrenos. Mas, o homem tem um fim sobrenatural. A lex naturalis e a lex humana não são suficientes para esse fim. Para tanto é necessária uma lex divina (sobrenatural) lei positiva de Deus que é o Evangelho.
A lex divina preenche as lacunas das imperfeições das leis humanas.
Para Tomás de Aquino "não parece que possa haver lei (direito) se ela não for justa (justiça).".
Se uma lei positiva estivesse em desacordo com a lei natural, então ela "não seria uma lei, mas uma corrupção da lei".
Full transcript