Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Distúrbios da escrita:

No description
by

Maria Carolina Lanes

on 9 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Distúrbios da escrita:

Distúrbios da escrita:
Disgrafia / Disortografia

DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM ESCRITA
• Disgrafia
• Deficiência em revisualização
• Deficiência de formulação e sintaxe
Nem sempre o homem escreveu. Foi a necessidade primitiva de registrar
Distúrbios de Linguagem Escrita
FASES DO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM
• Compreender e usar a palavra falada
• Linguagem escrita

Segundo Hughes
(1955) “... escrever requer conservar a idéia que se tem em mente... ordenar as idéias em alguma seqüência e relação... planejamento e esquematização para a colocação correta da palavra ou idéia no papel disponível ao indivíduo...”

A partir dos 6 anos de idade aproximadamente a criança já tem estrutura visual-motora para aprender a escrever.
Algumas crianças com capacidade mental normal podem não conseguir adquirir a linguagem escrita.

CRITÉRIOS PARA AVALIAR UM DISTÚRBIO DE LINGUAGEM ESCRITA:

Coordenação visual-motora;
• Memória visual;
• Leitura;
• Soletração;
• Sintaxe;
• Capacidade de formulação;
DISTÚRBIOS EM OUTRAS ÁREAS QUE INTERFEREM NA ESCRITA:
• Linguagem escrita e deficiência em compreensão auditiva.
• Linguagem escrita e deficiências em linguagem expressiva oral
• Linguagem escrita e distúrbios de leitura
DISGRAFIA
Gabrielle Saldanha
Maria Carolina Lanes

Pré-escola
Mão solta
a experiência humana e preservar a história do homem que deu início ao desenvolvimento da escrita.
Disgrafia
é uma deficiência na habilidade para escrever. Também chamada de letra feia. Isso acontece devido a uma incapacidade de recordar a grafia da letra. Ao tentar recordar este grafismo escreve muito lentamente o que acaba unindo inadequadamente as letras, tornando a letra ilegível.
CARACTERÍSTICAS:
• Lentidão na escrita.
• Letra ilegível.
• Escrita desorganizada.
• Traços irregulares: ou muito fortes que chegam a marcar o papel ou muito leves.
• Desorganização geral na folha por não possuir orientação espacial.
• Desorganização do texto, pois não observam a margem parando muito antes ou ultrapassando. Quando este último acontece, tende a amontoar letras na borda da folha.
• Desorganização das letras: letras retocadas, hastes mal feitas, atrofiadas, omissão de letras, palavras, números, formas distorcidas, movimentos contrários à escrita (um S ao invés do 5 por exemplo).
• Desorganização das formas: tamanho muito pequeno ou muito grande, escrita alongada ou comprida.
• O espaço que dá entre as linhas, palavras e letras são irregulares.
• Liga as letras de forma inadequada e com espaçamento irregular.
PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM RELACIONADOS À ARITMÉTICA:
• Dificuldade com a escrita dos números;
• Dificuldade com o alinhamento adequado dos números na pagina;
• Dificuldade de compreensão de conceitos relacionados a espaço - distancia e tempo;

Sugestões:
• Trabalhar com lápis de tamanho normal;
• Lápis curtos não devem ser usados;
• Modo de segurar o lápis;
• Instrução falada detalhando o que se deve fazer;
• Cinestesia;
• Posição do papel
• Postura

Roteiros típicos que devem ser utilizado com uma criança com disgrafia
• Do visual para o auditivo e para o visual-motor.
• Do Cinestésico para o visual-motor.
• Do Cinestésico para o auditivo e do auditivo para o visual-motor.
 DEFICIÊNCIAS EM REVISUALIZAÇÃO
PROCEDIMENTOS EDUCACIONAIS
• Seleção de materiais.
• Atenção.
• Modalidades auditivas
• Tarefas que auxiliam a minimizar as deficiências

Outras Recomendações:
• Trabalhar primeiramente os padrões de movimentos grosseiros para os refinados.
• Reforçar os padrões visuais-motores através da repetição
• Faça reforço com moldes, desenhos de estradas, traçar sobre as marcas de dobras na folha, traçar com papel de seda, unir pontos para fazer figuras, etc.
• Quando as crianças forem capazes de copiar desenhos e as formas de pré-letras, ensine a combinar movimentos e formar letras.
 DISTÚRBIOS DE FORMULAÇÃO E SINTAXE
• Requer um certo nível de conhecimento em leitura e soletração
• Linguagem é o ultimo sistema verbal aprendido pelas pessoas. (Demora)
• Linguagem oral elevada
• Compreensão da Leitura
• Copiar palavras
• Incapacidade de expressar suas idéias
• Segundo Vygotsky (1962), não conseguem expressar pensamentos puros devido a perdas na tradução dos pensamentos em símbolos.
• Demora para começar a escrever sentenças simples.
• Erros na escrita não são cometidos na linguagem falada.
Helmer Rudolph Myklebust
1910-2008 EUA
• Psicólogo
• Pesquisador pioneiro nos estudos sobre D.A
DIFICULDADE DE LEITURA E ESCRITA NÃO IMPLICAM EM
• Deficiências mentais
• Perturbações emocionais
• Déficits sensoriais.
Os quatro níveis de abstração:
• Concreto-Descritivo
• Concreto-Imaginativo
• Abstrato-Descritivo
• Abstrato-Imaginativo

Concreto-Descritivo
• Quando a linguagem de uma criança é severamente limitada.
• Tem como ênfase ajudar a criança a escrever de maneira simples e descritiva sobre coisas que ela vê.
Concreto-Imaginativo

• Ensinamos a criança a formar idéias a partir da gravura ou experiência dada como estimulo.
• Aprender a generalizar
Abstrato-Descritivo
• Desenvolvem-se histórias com mais detalhes e dá-se ênfase aos conceitos de tempo e de seqüência.
Abstrato-Imaginativo

• Neste momento as historias devem conter um enredo, uma situação imaginaria, ocasionais figuras de retórica, e alguma conotação de valores imaginaria, ocasionais figuras de retórica, e algumas conotações de valores morais. Deve também haver continuidade do começo ao fim da história.
Full transcript