Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sociedades Internas

Apresentação
by

Haroldo Peyneau

on 2 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sociedades Internas

1 I IPBVIT UCP UPA UMP SAF UPH SOCIEDADES INTERNAS 2 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS PALAVRA DO PRESIDENTE DO SUPREMO CONCILIO “De antemão, em primeiro lugar, registro que é para mim um privilégio, e uma grata alegria, como Presidente do Supremo Concílio de nossa amada Igreja Presbiteriana do Brasil, dirigir-me as Sociedades Internas da Igreja. Em segundo lugar, entendo que o crescimento (qualitativo, quantitativo e orgânico) e o despertamento da IPB, tão sonhado e desejado pelos crentes que verdadeiramente a amam, tem que ser harmônico e acontecer concomitantemente em todos os níveis da Igreja (local, regional e nacional), a partir da 3 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS Igreja local, através de suas Sociedades Internas. Estou certo de que a força institucional da IPB está na Igreja local. As bençãos que desejamos para Igreja nacional fluirão a partir da Igreja local, no momento em que nossa estrutura de Sociedades Internas for priorizada e valorizada, bem assim, quando os Presbiterianos, de modo geral, amarem e se comprometerem fielmente com a Igreja Presbiteriana do Brasil”.
REV. ROBERTO BRASILEIRO 4 I IPBVIT MANUAL UNIFICADO Art. 1º - A UPH (União Presbiteriana de Homens); a SAF (Sociedade Auxiliadora Feminina); a UMP (União de Mocidade Presbiteriana); a UPA (União Presbiteriana de Adolescentes) e a UCP (União de Crianças Presbiterianas) são Sociedades Internas da Igreja Presbiteriana do Brasil, que congregam seus sócios sob o critério de sexo e idade, sob a orientação, supervisão e superintendência do Conselho da Igreja, com o qual se relacionam por meio de um Conselheiro. 5 I IPBVIT MANUAL UNIFICADO 6 I IPBVIT Art. 2º - São objetivos específicos das Sociedades Internas:

a) cooperar com a Igreja, como parte integrante da mesma, nos seus objetivos de servir a Deus e ao próximo em todas as suas atividades, promovendo a plena integração de seus membros; MANUAL UNIFICADO 7 I IPBVIT b) incentivar o cultivo sadio de atividades espirituais, evangelísticas, missionárias, culturais, artísticas, sociais e desportivas;

c) promover uma salutar convivência com os outros Departamentos e Organizações da IPB e também com denominações evangélicas fraternas. É COISA PENSADA:

- Até hoje não apareceu nada melhor para colocar no lugar ! NÃO É:
- MODISMO
- CÓPIA
- MODERNIDADE 8 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS 9 I IPBVIT REFLEXÃO

As Sociedades Internas sempre foram a cara da IPB.
As Sociedades Internas sempre expressaram a força da organização presbiteriana e reforçaram a federalidade da nossa denominação. 10 I IPBVIT Muitas Igrejas Presbiterianas nasceram através do dinamismo das Sociedades Internas. Muitos outros grandes projetos evangelísticos, missionários e sociais surgiram a partir deste dinamismo de jovens, homens e mulheres organizados em Sociedades Internas, e comprometidos com o evangelho e a denominação 11 I IPBVIT Além disto, muitos de nossos líderes – Pastores, Presbíteros, Diáconos – descobriram sua vocação em reuniões e Congressos de Sociedades Internas. As Federações e Confederações reuniram centenas de jovens em Congresso por todo o país. 12 I IPBVIT As Sociedades Internas nasceram a partir de inquietações de membros de Igrejas, inflamados pelo desejo de contribuir com a obra de Deus nas Igrejas locais. As Sociedades Internas nasceram não como um fim em si mesmas, mas com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento das igrejas locais. COMO AS SOCIEDADES INTERNAS CONTRIBUEM PARA O SERVIÇO NA IGREJA 13 I IPBVIT


As SOCIEDADES INTERNAS são importantes instrumentos para Evangelização 3) Para o trabalho da Igreja, na participação de eventos e programas especiais 2) Treinamento e preparação para a liderança 1)Desenvolvimento dos dons e ministérios As Sociedade Internas são importantes ferramentas para: 14 I IPBVIT COMO AS SOCIEDADES INTERNAS CONTRIBUEM PARA O SERVIÇO NA IGREJA 6) para as atividades espirituais, evangelisticas, missionárias, sociais, culturais e esportivas da Igreja 5) para os relacionamentos na Igreja, para fazer laços de amizades 4) Para integração da família no trabalho da Igreja As Sociedade Internas são importantes ferramentas para: 14 I IPBVIT COMO AS SOCIEDADES INTERNAS CONTRIBUEM PARA O SERVIÇO NA IGREJA RESOLUÇÃO CE-SC/ 2010: 21 I IPBVIT Então podemos concluir que:

As Sociedades Internas são as forças de trabalho da Igreja.
Trabalha a criança, trabalha o adolescente, trabalha o jovem, trabalha a mulher e trabalha o homem. 20 I IPBVIT COMO FUNCIONA
-MANUAL UNIFICADO – Orientação
-DIRETORIA - Comando
SECRETÁRIOS E CONSELHEIROS - Suporte
CONGRESSOS - Avaliação (Federação / Sinodal / Nacional )

SIMBOLOS - HINO – MOTO – LOGOMARCA – SITE – REVISTA –LEMA - BANDEIRA 22 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS 22 I IPBVIT Art. 73 - Para alcançar seus objetivos, a Diretoria poderá nomear Secretários de Atividades e Relatores, de acordo com a sua estrutura e conveniências.
. 23 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS a) espiritualidade; b) evangelização;
c) missões; d) música;
e) ação social; f) causas da IPB;
g) causas locais e h) comunicação e sociabilidade; marketing
i) estatística; j) esporte e recreação;
l) cultura; m) outras SECRETARIAS 24 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS FAIXA ETÁRIA
6 A 11 ANOS BATALHANDO POR CRISTO
LUTANDO COM AMOR
SOU UM SOLDADO DE NOSSO SENHOR MOTO 1940 25 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS AO MESTRE SEJAMOS FIEIS
NAS TREVAS SEJAMOS LUZ
NAS LUTAS SEJAMOS FORTES
SERVINDO AO SENHOR JESUS MOTO FAIXA ETÁRIA
12 A 17 ANOS 1967 26 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS ALEGRES NA ESPERANÇA,
FORTES NA FÉ
DEDICADOS NO AMOR
UNIDOS NO TRABALHO MOTO FAIXA ETÁRIA
18 A 35 ANOS 1936 UNIÃO DE MOCIDADE PRESBITERIANA 27 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS SAF “SÊ TU UMA BENÇÃO “ LEMA SEJAMOS VERDADEIRAS AUXILIADORAS
IRREPREENSÍVEIS NA CONDUTA,
INCANSÁVEIS NA LUTA
FIRMES NA FÉ
VITORIOSAS POR CRISTO JESUS MOTO 1884 SOCIEDADE AUXILIADORA FEMININA 28 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS “E VOS FAREI PESCADORES DE HOMENS” LEMA CONFIANÇA EM JESUS
ENTUSIASMO NA AÇÃO
UNIÃO FRATERNAL MOTO UPH 1966 UNIÃO PRESBITERIANA DE HOMENS 29 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS SI CONSELHEIRO IGREJA FEDERAÇÃO SECRETARIO
PRESBITRIAL PRESBITÉRIO CONFEDERAÇÃO
SINODAL SECRETARIO
SINODAL SÍNODO CN SECRETARIO
GERAL SUPREMO CONCILIO NOSSA ORGANIZAÇÃO 30 I IPBVIT EBF - Evangelismo LAZER ACAMPAMENTOS INTERCÂMBIOS COM OUTRAS IGREJAS REUNIÃO DE ORAÇÃO PALESTRAS E ESTUDOS BÍBLICOS OPORTUNIDADES 31 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS ENCONTROS SOCIAIS LAZER ACAMPAMENTOS - Evangelismo INTERCÂMBIOS COM OUTRAS IGREJAS REUNIÃO DE ORAÇÃO PALESTRAS E ESTUDOS BÍBLICOS OPORTUNIDADES 32 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS VIAGENS MISSIONÁRIAS ACAMPAMENTOS - Evangelismo REUNIÃO DE ORAÇÃO JOVENS EM AÇÃO EVANGELISMO DE RUA OPORTUNIDADES 33 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS COMEMORAÇÕES DE DATAS ESPECIAIS 24 HORAS DE ORAÇÕES PALESTRAS E FORUNS DE DEBATES JANTAR DE CONFRATENIZAÇÃO - Evangelismo REUNIÃO DE ORAÇÃO VISITAÇÃO - Evangelismo CAFÉ DA MANHÃ / EVANGELISMO OPORTUNIDADES 35 I IPBVIT SOCIEDADES INTERNAS BREVE HISTÓRICO DA ENTRADA DA IGREJA PRESBITERIANA NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO Textos: Deut. 6.20-25
Salmo. 78.1-8 DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO ATÉ VITÓRIA O Presbitério Minas-Espirito Santo (SME) reunido na cidade de São José do Calçado, vendo a necessidade de expansão do Evangelho no Estado do Espirito Santo, resolveu enviar para Vitória, capital do Estado, um "Missionário" para que começasse um trabalho Presbiteriano O Presbitério não tinha recursos para mandar um Pastor para Vitória.
1 – SEMINARIO DO CENTENÁRIO – 1965 - 1969

2 – MOVIMENTO DE RENOVAÇÃO ESPIRITUAL (MARANATA) - 1970

3 – CISÃO IPU - 1974 TEMPOS DIFÍCEIS - Marco dos 100 anos da IPB

- Localização

Parceria com Igreja Americana do Sul USA

Liberalismo Teológico (Governo Militar) SEMINARIO DO CENTENARIO
1 – Igreja influenciadas (ecumenismo, Liberalismo teológico)

Rev. Miltom Leitão – Igreja de Itaciba

Repercursão na Igreja de Vila Velha

Nasce a Igreja “Cristã Presbiteriana”- Maranata MOVIMENTO RENOVAÇÃO ESPIRITUAL (1970) Rev. Boanerges Ribeiro – Presidente do Supremo Concilio – eleito para o terceiro mandato em BH
Assembléia na I IPVIT – Alteração de estatutos – ilegalidade
Exclusão 36 membros (Boletim da Igreja n. 23 de 01 de Dezembro de 1974)
Supremo Concilio dissolve Sinodo do Espirito Santo (Rebeldia dos Pastores contra a direção da Igreja) CISÃO – IPB X IPU SC Jurisdiciona Presbitério de Vitória ao Sínodo de São Paulo
Sínodo de São Paulo Dissolve o Presbitério de Vitória e Despoja 14 pastores. (Fatos marcantes: Igreja de Paul / Igreja de Santo Antonio)

SC jurisdiciona as Igrejas de Vitória ao Presbitério de BH
Pastores que permaneceram fiéis a IPB: Rev. José Francisco de Jesus Filho e Rev. Francisco Neto. CISÃO – IPB X IPU Templos perdidos: I de Vitória, II de Vitória (Santo Antônio), III de Vitória (Maruipe), Ibes e Ataíde.

PBBH - Rev. Denoel Nicodemos Eller, Rev, Magner Martins e Pb. Messias – Fundamentais na recuperação CISÃO – IPB X IPU Estaca 0 – Começar tudo de novo

Pessoas importantes no processo de restauração: Rev. José Francisco, Rev. Francisco Neto, Pb. Hermes Peyneau, Pb. Elias Bussinger, Pb. Durval Conti PROCESSO DE RESTAURAÇÃO 1903 – São José do Calçado
1928 – I Vitória (23 anos após)
1941 – II de Vitória (Santo Antonio – 13 anos)
1950 – III de Vitória (Maruipe – 9 anos)
1960 – (3) - Velha
Ilha do Principe
Paul CRESCIMENTO DO SCE 1970 - (8) Itacibá
Afonso Claudio
Andorinhas
Ataíde
Ibes
Jardim América
Iª Linhares
Cobilândia CRESCIMENTO DO SCE 1980 – (6) - Aracruz
Iª Campo Grande
IIª de Linhares
Colorado
Gloria
I Guarapari CRESCIMENTO DO SCE 1990 (11) - Coqueiral
Bairro de Fatima
José de Anchieta
Mata da Praia
Central de C. Grande
Carapina
Laranjeiras
Porto Canoa
Porto Santana
Santana
Serra CRESCIMENTO DO SCE 2000 - (36)
IIª de Aracruz Barcelona Barra de Jucu
Betel Betesda Campo Verde
João Neiva Filadelfia Feu Rosa
Flexal II Goiabeiras Itaparica
Jardim Oliveiras Jacaraipe Manancial
Nova Brasilia Nova Jerusalém Praia do Canto
Praia do Itapuã Praia do Morro Rio Marinho Santa Monica São Geraldo Santa Cruz
Serra Dourada I Tabuazeiro Iª Viana
Vila Isabel Novo Horizonte Araças
Aribiri Fundão Universal
Eldorado Barcelona Jardim Camburi CRESCIMENTO DO SCE RESUMO

100 ANOS DE IGREJA: 65 Igrejas Organizadas

3 Igrejas perdidas: Ilha do Principe
Maruipe
Ibes
- 6,5 Igrejas organizadas a cada 10 anos (média). CRESCIMENTO DO SCE 1928 – Organizada a Primeira Igreja
1968 – Crise
1970 - Maranata
1974 – Dissolvido SES e PVTR
1976 – Criado PCES – Jurisidicionado SME
1989 – Desdobramento do SME
Criado SCE: PCES / PRVV / PSES HISTÓRICO (Resumo – Grande Vitória) 1994 – Desdobramento do PCES :
PCES / PRVV / PSES / PRNL / PRSE

1998 – Desdobramento do PSES:
PCES / PRVV / PSES / PRNL / PRSE /
PRGU / PRCE

2008 – Desdobramento do PCES:
PCES / PRVV / PSES / PRNL / PRSE /
PRGU / PRCE / Novo HISTÓRICO (Resumo – Grande Vitória) SES (1950) SCE(2000) SCE(2012)
1.- IGREJAS 15 61 76
2.- CONGREGAÇÕES 28 54 52
3.- PASTORES 7 70 101
3.- MEMBROS C 3.484 9.083 11.073
4. – MEMBROS NC 1.245 3.105 3.442 ESTATÍSTICA 15 Igrejas produziram 46 novas Igrejas em 50 anos, logo, produziram 0,92 Igrejas por ano.

Na mesma proporção 61 Igrejas deveriam produzir 3,74 Igrejas por ano. No entanto, produziram apenas 1,25 novas Igrejas.

Estamos defasado em 2,49 Igrejas por ano, logo 2,49 x 12 = 30 Igrejas ESTATÍSTICA – AVALIAÇÃO (por numero de Igrejas) 15 Igrejas produziram 46 novas Igrejas em 50 anos, logo, produziram 0,92 Igrejas por ano.

Na mesma proporção 61 Igrejas deveriam produzir 3,74 Igrejas por ano. No entanto, produziram apenas 1,25 novas Igrejas.

Estamos defasado em 2,49 Igrejas por ano, logo 2,49 x 12 = 30 Igrejas ESTATÍSTICA – AVALIAÇÃO (por numero de Igrejas) 3.484 irmãos produziram 5.599 novos irmãos em 50 anos, logo produziram 112 irmãos por ano.

Na mesma proporção 9.083 deveriam produzir 292 novos irmãos, no entanto só produziram 165 novos irmãos.

Estamos defasado em 127 novos irmãos por ano, logo, 127 x 12 = 1.524 novos convertidos. ESTATÍSTICA – AVALIAÇÃO (por numero de Igrejas) Porque isto está acontecendo ? 1 – Reafirmar todas as decisões anteriores do SC e sua CE que destacam a responsabilidade dos Conselhos na criação, incentivo e supervisão das Sociedades Internas nos termos da CI-IPB Art. 83, alinea “h”.
SB - COMISSÃO X – Forças de Integração CE-SC/IPB-2010 – DOC. CXLV – Quanto ao documento 100 – Ementa: Permissão de funcionamento das Sociedades Internas. A CE-SC/IPB 2010 RESOLVE: CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 CE/1995 – DOC. 114: 1. Recomendar aos Presbitérios e Sínodos que façam gestões no sentido de que as Sociedades Internas da Igreja e suas Federações e Confederações, nas áreas onde foram abolidas, revejam o assunto e envidem providências no sentido de haver a possibilidade de retorno destas sociedades, bem como evitar sua extinção e estimular a organização onde porventura não teham sido criadas. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 2 . Lamentar que em algumas áreas da Igreja, tenham sido extintas estas Sociedade Internas.

SC/IPB-99E-DOC. XLVIII: 1. a dinâmica do trabalho departamental desenvolvido ao longo do tempo pelas diversas Sociedades Domésticas das Igrejas Presbiterianas; 2. que o trabalho das Sociedades Domésticas no sistema presbiteriano encontra-se estruturado pelos Concílios da IPB, em decorrência do seu natural crescimento, expansão e intensidade. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 3. Que as atividades das Sociedades Internas, se bem orientadas, planejadas e aconselhadas, não conflitam com outras atividades da Igreja, antes, as reforçam e criam ambiente propicio à sua expansão, o SC/IPB resolve: CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 1 – Tomar conhecimento, 2 – declarar que a luz do Art.83, letra “h”da CI/IPB, RI dos Presbitérios. Art 5, letra “b”, 16, 17 e 18, as Sociedades Internas integram o sistema presbiteriano, como uma Federação de Igrejas e por via de consequência, uma Federação de Sociedades Internas. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 3 – explicitar o seu integral apreço à organização e trabalho das Sociedades Domésticas nas igrejas presbiterianas, conforme normas vigentes.
4 – recomendar aos Concílios inferiores especial atenção e carinho no apoio, incentivo e assistência ao trabalho das Sociedades Domésticas. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 SC/2002 – DOC. 90 1. Reafirmar que, nos termos do Artigo 83 letras ä”e “h” da CI/IPB, é de competência privativa do Conselho exercer o governo espiritual e administrativo da Igreja sob sua jurisdição e superitender a obra da União Presbiteriana de Mocidade. 2. Reafirmar que o modelo de organização do Trabalho da IPB nas áreas de mulheres, homens, moços, adolescentes e crianças é aquele resultante da existência de Sociedades Internas, Fedrações e Confederações. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 CE-SC/IPB-2008 – DOC. CXXIII
As Sociedades Internas integram o Sistema Presbiteriano e são eficazes no fortalecimento e expansão das igrejas
Remeter a matéria ao SC-IPB 2010 para que estude a possibilidade de medidas mais efetivas com a finalidade de que Igrejas locais incentivem e encorajem a criação e o trabalho das Sociedades Internas. CE-SC/2010
MACKENZIE – TAMBORÉ / SP
22 A 25/3/2010 DECISÕES DA CE-SC HISTÓRIA IPB - ES
Full transcript