Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os maias capitulo xv

No description
by

Cindy Gois

on 13 April 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os maias capitulo xv

Análise
do
Capítulo XV O capítulo XV situa-se no desenvolvimento da acção e faz parte da intriga principal.
Neste capítulo são abordados:
A vida e educação de Maria Eduarda
O encontro de Maria Eduarda com Guimarães
O episódio da corneta do Diabo
O episódio no jornal "A tarde" A vida e educação
de
Maria Eduarda Nasceu em Viena; Nunca conheçeu seu pai; Viveu em Inglaterra, França (Tours e Paris); Sua mãe (Maria Monforte) meteu-a num convento até aos seus 16 anos , onde a chamavam madame triste coeur. A casa de sua mãe
era uma casa de jogo Conheceu Mac gren, de quem teve sua filha Rosicler; Episódio da
corneta do diabo Exerto da minissérie "os maias"
de 2001 exibida pela Rede Globo,
escrita por Maria Adelaide Amaral Passou muitas vezes por viúva para arranjar um trabalho, tinha trabalhos temporários como costuras, cópias de manuscritos,... Passou fome com a sua filha e sua mãe, até conhecer Castro Gomes; Maria Eduarda nunca tinha amado ninguém e, por isso, o seu corpo "permaneceu sempre frio, frio como mármore", até conhecer Carlos. Um dia Carlos recebeu uma carta do Ega que consistia apenas numa carta e dois números de jornal cintados. Nesse jornal (A Corneta do Diabo) havia sido publicada uma carta escrita por Dâmaso que insultava Carlos e expunha, em termos degradantes, a sua relação com Maria Eduarda Um dia Carlos recebeu uma carta do Ega que consistia apenas numa carta e dois números de jornal cintados. Nesse jornal (A Corneta do Diabo) havia sido publicada uma carta escrita por Dâmaso que insultava Carlos e expunha, em termos degradantes, a sua relação com Maria Eduarda Um dia Carlos recebeu uma carta do Ega que consistia apenas numa carta e dois números de jornal cintados. Nesse jornal (A Corneta do Diabo) havia sido publicada uma carta escrita por Dâmaso que insultava Carlos e expunha, em termos degradantes, a sua relação com Maria Eduarda A troco de cem mil réis Palma Cavalão o autor da carta a Carlos da Maia e João da Ega, mostrando a carta original com a letra de Dâmaso. Ega e Cruges, a pedido Carlos, vão a casa de Dâmaso exigindo como injuriado, uma reparação pelas armas ao Dâmaso (apresentando e pondo as provas que Cavalão lhes tinha dado em cima da mesa). Este acaba por fazer uma confissão por escrito dizendo que esse documento era todo incoerente e que foi escrito devido ao facto de se achar no momento no mais completo estado de embriaguez (doença de família por sinal). Episódio do
jornal "A tarde" Carlos deixa ao cuidado de Ega o documento escrito por Dâmaso para que ele fizesse aquilo que bem entendesse com este.
Ora Ega, com o ódio que tinha ao Dâmaso, dirigiu-se ao jornal A Tarde para publicar a carta que o Dâmaso tinha escrito, o director do jornal A Tarde, aceita publicar a carta na qual Dâmaso se retracta.
O capítulo termina com os amigos íntimos de Carlos a aprovarem a publicação da carta, carta essa que, dias depois, é esquecida com a redacção do jornal onde tinha sido publicada a carta a desejar em amáveis palavras uma boa viagem a Dâmaso Salcede.
Full transcript