Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Introdução

No description
by

Julio Cesar

on 5 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Introdução

Definição de Ambulatório

Unidade destinada à apresentação de assistência em regime de não internação
ATENDIMENTO AMBULATORIAL
DEFINIÇÃO DE AMBULATÓRIO:

Unidade destinada à prestação de assistência em regime de não internação.
RDC n° 50 (Brasil 2002)
A IMPORTÂNCIA DO ATENDIMENTO

CLÍNICO AMBULATORIAL
Transição
nutricional
Início precoce de alimentos
ricos em açúcar, gorduras e sódio
Dificuldades
Acompanhamento
Consequências
Aumento das doenças crônicas não transmissíveis:
Obesidade, diabetes,
hipertensão, doenças cardiovasculares, entre outras
Diante desse cenário a nutrição clínica vem crescendo consideravelmente nos últimos anos. Em 1997 era de 31% passando para 43,6% em 2000 (CFN 2003).
O atendimento ambulatorial pode ser considerado um avanço na extensão do serviço nutricional, pois este tipo de atendimento era exclusivo aos hospitais e entidades como clínicas-escola, asilos, creches, indústrias, etc (NOGUEIRA, 2005).
OBJETIVOS

 Atendimento individualizado considerando as especificidades e necessidades.

 Avaliação e identificação de práticas alimentares inadequadas que possam representar riscos à saúde ou até mesmo o agravamento de alguma doença.

 Anamnese → conhecer hábitos alimentares, principalmente os cotidianos; fatores sociais, econômicos, psicológicos e culturais.

“A cultura de um povo é carregada de significados, por isso é imprescindível o envolvimento máximo do paciente na decisão sobre a adesão ao tratamento” (NOGUEIRA, 2005).

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NO ATENDIMENTO AMBULATORIAL
Conceito

Coleta, verificação e interpretação de dados

MÉTODOS DE AVALIAÇÃO:

Métodos objetivos

• Antropometria: Peso, estatura, pregas cutâneas, circunferências.

• Composição corpórea: Pregas cutâneas, bioimpedância elétrica (baixo custo). Há outros métodos, porém são de alto custo, inviáveis para aplicação na prática clínica.

• Parâmetros bioquímicos: Proteínas plasmáticas, Índice creatinina-altura (ICA), Avaliação de competência imunológica, Monitoração da terapia nutricional (Balanço nitrogenado).

• Consumo Alimentar: Recordatório 24hs, Questionário de frequência alimentar, história dietética (métodos retrospectivos). Registro alimentar estimado, registro alimentar pesado (métodos prospectivos).

Métodos subjetivos

• Exame físico: Cabelo, olhos, boca, pele, etc.. (sinais físicos que indicam desnutrição

• Avaliação global subjetiva: história clínica e exame físico (redução de peso nos últimos 6 meses, alterações na ingestão dietética, presença de sintomas gastrointestinais, etc..)

PREVALÊNCIA DE PERFIL DE ATENDIMENTO AMBULATORIAL
RELAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS SOLICITADOS PELO NUTRICIONISTA

Lei nº. 8.234/91
Resolução CFN nº 306/2003
Estado geral do paciente
Hemograma completo
Albumina sérica
Fósforo
Potássio
Sódio
Anemia
Ferro
Transferrina
Ferritina sérica
Saturação de transferrina
Ácido fólico
Vit B12
Diabetes
Glicemia em jejum
Hemoglobina glicada
Glicemia pós prandial
Dislipidemia
Colesterol
Frações
Tireoide
T3
T4 totais e livres
TSH
De acordo com alguns estudos, a prevalência de perfil de atendimento é caracterizado por pacientes: do sexo feminino com DCNT (Hipertensão, Diabetes, Hipercolesterolemia, etc..), com excesso de peso e Intolerantes (glúten, lactose).
TIPOS DE ATENDIMENTO NUTRICIONAL
Atendimento em grupo x Atendimento Individualizado
Atendimento Multidisciplinar
No atendimento ambulatorial em hospitais, algumas entidades, clínicas com atendimento multidisciplinar e UBSs (postos de saúde do governo), o nutricionista trabalha em conjunto com outros profissionais da saúde que atuam de maneira integrada com o objetivo de melhorar o tratamento da população com um olhar mais abrangente.
Os principais profissionais da saúde que atuam em conjunto com a nutrição são: Enfermeiros, Fisioterapeuta, fonoaudiólogo, educador físico, psicólogo, endocrinologista, gastroenterologista, terapeuta ocupacional, ginecologista e obstetra, pediatra, psiquiatra, geriatra e clinico médico.
RESULTADOS DESSA PARCERIA:

- Discussões de casos clínicos;
- Atendimento compartilhado
- Construção de projetos terapêuticos
- Ampliação das intervenções necessárias
- Compartilhando responsabilidades
- Aumento da qualidade do atendimento
para recuperação/controle das doenças.
A nutrição
tem colaborado bastante,
principalmente no serviço ambulatorial,
para mudança no quadro de saúde
de pessoas que já utilizam medicação,
mas muitas vezes não é o suficiente,
pois ainda continuam com os
hábitos alimentares, responsáveis pela
atual situação de saúde
(BRASIL, 2014).
COMO EDUCAR NO SERVIÇO AMBULATORIAL?
No atendimento clínico ambulatorial em nutrição, o conhecimento técnico é fundamental,
mas não é o suficiente.
É necessário olhar com calma para o outro, conhecê-lo, entendê-lo e intervir, para que os conhecimentos façam sentido ao paciente e o convença.

A atuação do nutricionista visa à mudança de hábitos alimentares de toda uma vida, por isso é necessário se envolver com o processo educativo, pois educar significa mostrar e conduzir o paciente para um caminho diferente.
A atuação do nutricionista visa à mudança de hábitos alimentares de toda uma vida, por isso é necessário se envolver com o processo educativo, pois educar significa mostrar e conduzir o paciente para um caminho diferente.
Educar também é uma ação do nutricionista e somente se efetiva
quando há relações de ensinar e aprender.
O processo de busca por uma alimentação saudável deve ser instruído constantemente pelo nutricionista. Assim, o nutricionista deve se encarregar do papel de
“tradutor da Ciência da Nutrição”
e ajudar o paciente se adaptar às mudanças necessárias (NOGUEIRA, 2005).
UM QUESTIONÁRIO DIFERENTE PARA CADA FASE DA VIDA.

- ATLETA
- CRIANÇA
- ADULTO
- GESTANTE
- IDOSO
- ADOLESCENTE

Consultas
(CFN nº 380/2005)
XVI. Consulta Inicial

– primeiro atendimento de Nutrição feito pelo nutricionista em unidade de ambulatório/consultório ou em domicílio, onde é realizada uma entrevista para coleta de dados pessoais, anamnese alimentar e avaliação do estado nutricional, para em seguida proceder ao diagnóstico nutricional, plano alimentar e orientação individualizada;

LXV. Retorno

atendimento prestado pelo nutricionista em consultório/ambulatório de
nutrição ou em domicílio, realizado após um primeiro atendimento, dentro de um prazo
determinado;

LXVI. Reconsulta –

atendimento prestado pelo nutricionista em consultório/ambulatório de nutrição ou em domicílio, como se fosse uma primeira consulta, devido ao longo tempo passado em relação à consulta anterior (reinício do tratamento);
OBRIGADA !

Francislene
Juliana Martins
Juliana Dias
Thamiris
Full transcript