Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Acessos Terapeuticos

No description
by

Rose Coelho

on 30 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Acessos Terapeuticos

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NOS ACESSOS TERAPEUTICOS
Relacionar os diferentes tipos de materiais de cateteres com o tempo de permanencia
Comparar e identificar diametros e comprimentos a fim de facilitar a escolha dos cateteres tornando os procedimentos mais seguros e eficazes

Objetivo
CLASSIFICAÇÃO DOS CATETERES
Quanto ao DIAMETRO
Quanto ao TIPO de MATERIAL
Quanto ao COMPRIMENTO
Quanto ao NÚMERO DE VIAS
Quanto a ponta do cateter

Tabela de Conversão

Necessária para efetuar a correta conversão das unidades de medidas (GAUGE, FRENCH, POLEGADA e MILÍMETRO).
Estas medidas são utilizadas para identificar diâmetros de cânulas, agulhas, cateteres, sondas e tubos.

LEMBRETES
Quanto maior o número do GAUGE mais fino é o cateter ou a agulha.
Portanto: 12G é mais grosso que 24G
Quanto maior o número do FRENCH mais grosso é o cateter ou sonda.
Portanto: 24F é mais grosso que 12F.

TIPO DE DIAMETRO
TEF – Teflon
FEP – Polietileno
PUR – Poliuretano
SIC - Silicone
PBAX E PTFE (polytetrafluroethylene)
QUANTO AO TIPO DE MATERIAL
TEF - TEFLON
Fácil implantação.
Baixo custo.
Baixa biocompatibilidade.
Baixa permanência: 72H.
Memória quando dobra.

FEP - POLIETILENO
Fácil implantação.
Baixo custo.
Melhor biocompatibilidade.
Ausência de memória quando dobra.
Baixa permanência: 72H
PUR - POLIURETANO RÍGIDO
Fácil implantação.
Alta biocompatibilidade.
Termossensível.
Permanência extendida: até 15 dias.
Ausência de memória quando dobra.
Custo elevado.

PUR - POLIURETANO EXTENDED USE
Alta biocompatibilidade e hemocompatibilidade.
Termossensível
Flexível.
Maior conforto ao animal.
Longa permanência: até 30 dias.
Ausência de memória quando dobra.
Custo mais alto.
Implantação pela técnica de Seldinger ou Pell way.

PUR - POLIURETANO LONG TERM
Alta biocompatibilidade e hemocompatibilidade
Termossensível.
Longa permanência: acima de 30 dias.
Ausência de memória quando dobra.
Maior conforto ao animal.
Implantação pela técnica de Seldinger ou Peel way.
Custo mais elevado
.

SIC - SILICONE
PTFE (Politetrafluoretileno)
Polietileno PEBAX (poliamida + poliester)
Alta biocompatibilidade
Ausência de memória quando dobra.
Inércia química
Custo elevado.
Baixa permanência: até 72H
Implantação pela técnica de Seldinger

PBAX e PTFE
Fácil implantação.
Baixo custo.
Baixa biocompatibilidade.
Baixa permanência: 72H.
Memória para dobra.

No cateter multilúmen as vias não se comunicam e podem apresentar diâmetros diferentes, facilitando a infusão de diferentes drogas.

O cateter pode ser monolúmen ou multilúmen.
O multilúmen é indicado para o uso de drogas incompatíveis, para fluidoterapia com coletas e etc.
QUANTO AO NUMERO DE VIAS
TIPO DE COMPRIMENTO
É importante escolher o sítio de implantação e o local onde vai ficar a extremidade distal do cateter para definir o comprimento.
Cateteres curtos podem sair do vaso e extravazar medicamentos.
Cateteres centrais devem posicionar no terço distal da veia cava cranial ou caudal.

INTERVALO...

15 min
CONSIDERAÇÕES
O médico veterinário necessita obter as informações técnicas dos acessos vasculares para decidir melhor a escolha do cateter de acordo com o quadro clínico do animal, a indicação terapeutica, considerando o tempo de tratamento, a solução infundida, a via de escolha e a condição do animal.
ACESSOS TERAPEUTICOS
Apresentar a diversidade de cateteres para acesso venoso periférico, central e arterial
Full transcript