Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O Quadro dos Mecanismos de Defesa

No description
by

Carlos Maciel

on 22 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Quadro dos Mecanismos de Defesa

Os Quadros dos Mecanismos de Defesa
Definição de mecanismos de defesa
Quais as razões para a pulsão emergente ser considerada perigosa?
Desenvolvimento da investigação dos mecanismos de defesa
As estruturas e os mecanismos de defesa
Os mecanismos de defesa
Outros Mecanismos de defesa
Sugestão para a Classificação Cronológica
Um primeiros teóricos a abordar os mecanismos de defesa foi Freud em 1894 ("
As Neuropsicoses de Defesa"
) - Recalcamento;

Descrever a luta do ego contra ideias e afetos dolorosos ou insuportáveis;

Em 1926 Freud reformula: “designação geral para todas as técnicas de que o Ego se serve em conflitos que possam redundar em neurose”;

"Inibições, sintomas e Ansiedade"
- Recalcamento, Regressão, Formação Reativa, Isolamento e Anulação;

"Certos Mecanismos Neuróticos do Ciúme, na Paranoia e Homossexualismo" -
Introjeção, Projeção;

"Instintos e suas Vicissitudes"
- Inversão contra o Ego e Reversão;
Em 1936, A. Freud numerou 9 mecanismos de defesa:
Regressão;
Reacalcamento;
Formação Reativa;
Isolamento;
Anulação;
Projeção;
Introjeção;
Voltar para si;
Reversão ao Contrário.

Posteriormente forma sendo desenvolvidos outros:
Deslocamento;
Sublimação;
Clivagem;
...
Freud: "a proteção do Ego contra as exigências pulsionais".

Bereget: os mecanismos de defesa são sistemas que mobilizam energias para a defesa das diversas instâncias psicológicas contra um conflito existente.

Podem assumir uma caracteristica patológica ou não, tendo em conta a eficácia, a flexibilidade e rigidez no recurso a um ou a vários mecanismos de defesa.
A. Freud defende que "é tarefa do analista praticante deacobrir até que ponto esses métodos provam ser eficazes nos processos de resistência do Ego e de formação de sintomas."

Mecanismo de defesa é um processo duplamente do Ego: são enviados dele, para sua própria defesa, defendendo-o das emergências pulsionais do Id.

Os mecanismos de defesa não servem apenas para proteção do Ego, servem para evitar que todas as pulsões conheçam o mesmo fim: a gratificação total e absoluta.
Os perigos pulsionas contra os quais o Ego se defende são os mesmos;

Mas os motivos pelos quais a pulsão emerge e é considerada perigos é que variam:
Angústia do Superego nas Neuroses de Adultos;
Angústia Objetiva na Neurose infantil;
Angústia Pulsional (Medo da força das pulsões);
Dor secundária.
Alguns mecanismos de defesa podem servir para controlar pequenas partes das pulsões, mas existem outros que pretendem controlar a maior parte possível;

Incidir sobre pulsões sexuais, mas também sobre pulsões agressivas;

Existem alguns que parecem surgir apenas como uma segunda vaga;

Parece que existem mecanismos de defesa que se denenvolvem de acordo com fases do desenvolvimento que vão sendo atingidas e com pulsões que vão surgindo com o desenvolvimento.

A. Freud, por exemplo, o Recalcamento consiste na manuntenção fora do Ego de uma pulsão. Tal só é possível quando o Ego e o Id não estão fundidos;

Tal como a Projeção que se encontra dependente da diferenciação entre o mundo exterior e o Ego;

Sublimação, implica o deslocamento da finalidade pulsional, em conformidade com os valores sociais mais elevados - Superego.

Indicação de que há mecanismos que apenas podem ser utilizados em estádios mais avançados;

Ou seja, verificam-se mecanismos de defesa primários (mais arcaicos - principio do prazer) e secundários (principio da realidade).
Estuturas Neuróticas:
O conflito é resultado das pulsões sexuais e das suas interdições;
Angústia da Castração e as defesas têm como objetivo diminuir a angustia relacionada com estas pulsões;
Neurose Osessiva; Histeria angústia/conversão;

Estruturas psicóticas:
O conflito é resultado do confronto com a realidade (ou o receio de perder o seu contacto);
Angústia de Fragmentação;
Esquizofrenia; Paranóia; Melancolia;

Estuturas Border:
Conflito surge na relação entre as pulsões sádicas e anais dirigidas a um objeto frustrante e a necessidade desse objeto reparar a sua falha narcísica
Angústia perda do objeto.
Regressão,
Recalcamento,
Formação reativa,
Isolamento,
Anulação,
Projeção,
Introjeção,
Voltar para si ,
Reversão ao contrário
Recusa
Identificação projetiva Projeção Introjeção
Clivagem do Ego
Regressão
Retirada apática
Afiliação
Clivagem do objeto
Recalcamento
Denegação

Anulação

retroativa

Contra-investimento Formação reativa
Reversão ao contrário
Isolamento
Identificação com o agressor
Retorno contra si próprio
Identificação
Ativismo

Intelectualização
Afastamento ou repressão
Ascetismo do adolescente
Refugio na rêverie
Antecipação
Altruísmo
Humor

Sublimação

Afirmação de si pela expressão dos sentimentos

Contra-Investimento
Psicóticos
Negação

Distorção
Imaturos
Clivagem

Externalização

Idealização

Projeção

Passagem ao ato
Neuróticos
Repressão

Deslocamento

Dissociação

Formação de reação

Racionalização
Maturos
Humor

Altruísmo

Sublimação

Supressão
P. Trepacz e R. Baker
Oposição ao investimento consciente de uma representação de uma pulsão que não é desejável, há um desinvestimento nessa representação ansiogénica;

Energia residual que irá ser reutilizada pelo Ego num processo de contra-investimento noutras representações pulsionais de aspeto diferente;

Representações proibidas são eliminadas do consciente em detrimento de outras representações contra-investidas e isentas de perigo.
Precoce e frágil;

Periodo da latência;

É contra-investimento da energia pulsional retirada às representações proibidas numa atitude autorizada;

Comportamentos que são o inverso do desejo recalcado;

Ex. Limpeza num obsessivo é uma formação reativa contra o desejo de se sujar.
Formação Reativa
Formação Substitutiva
Quando se verifica o recalcamento inconsciente da pulsão, o Ego tenta proporcionar uma gratificação através da substituição dessa representação, sem que deixe de evocar a pulsão recalcada.
Formação de Compromisso
Mais um retorno do Recalcado, onde este retorno é deformado e não substituido;
Procura aliar tanto os desejos inconscientes como as exigências que o proibem através de um compromisso;
Ex. Sonhos, alguns sintoas e realizações artisticas.
Recalcamento
Primeiro Mecanismo de defesa apresentado por Freud (1985) - jogo vivo, sempre em ação, de investimentos, desinvestimentos e contra-investimentos das mais variadas representações e afetos das pulsões desagradáveis para o Ego.

Relação muito próxima do inconsciente;

Absorve maioria das energias (quando utilizado isoladamente) uma vez que é capaz de "eliminar" grande parte da vida afetiva;

na sua conceção original está muito associado às pulsões sexuais;

É um mecanismo muito elaborado, dispendioso, mas eficaz;
Surge apenas após a distinção do inconsciente e consciente

Três níveis:
Recalcamento primário;
Recalcamento própriamente dito;
Retorno do recalcado;

Consiste num jogo de desinvestimento das representações e contra-investimento noutra representações autorizadas;

Não consegue evitar a reorganização das representações;
Identificação
Falso mecanismo de defesa, mas que pode assumir estas funções;

Identificação primária - incorporação oral;

Identificação Secundária - Édipo;

AS identificações secundárias vão completar e organizar genitalmente as identificações primárias, preparando o sujeito para as relações posteriores.
Identificação com o Agressor
Processo de transformação no sujeito (ou de parte de si) em algo que lhe metia meto, suprimindo assim o afeto, originando uma tranquilização;

Inversão de papeis (não patológico);

Introjeção total (forte probabilidade de ser patológico).
Identificação Projetiva
Fase esquizoparanóide de M. Klein;

Consiste num fantasma de projeção no interior do corpo materno para o dominar, possuir e até destruir ao querer controlar os maus objetos que lá se encontram projetados;

Se a mãe permite aceitar esses fantasmas daí saíra um sentimento da criança de reparação e de carinho.

Se pelo contrário lhe proibir essas fantasias assiste-se a uma reintrojeção na criança.
Projeção
Processo mais arcaico e elementar;

Trata material não passível de Recalcamento e que tem de ser elminado

Para Freud a Projeção funciona de acordo com uma sequência:
A representação incómoda é suprimida;
Conteúdo é deformado;
Regressa ao consciente sobre a forma de uma representação associada a um objeto externo;

Ego tenta utilizar mecanismos que apelam diretamente ao inconsciente (Recalcamento); Quando tal não é possível, coloca-os no exterior, enganando o inconsciente.
Introjeção
Mecanismos descrito por Ferenzi;

Movimento de fazer entrar no aparelho psíquico uma quantidade cada vez maior do mundo externo;

Se na criança vai enriquecer o Ego, no adulto pode se tornar patológico;

Para alguns teóricos surge contra a insatisfação da ausência de objeto (Ex. luto e melancolia);

Para M. Klein, a Projeção e Introjeção são pares inseparáveis, num jogo entre os mundos externos e internos, contribuindo para as boas relações objetais.
Anulação
Mecanismos muito regressivo;

Freud: "é um processo ativo em que se desfaz o que foi feito".

Pulsões cujas representações são tão incómodas que são consideradas como nunca terem existido;

Implica que o individuo empreende noutros atos, pensamentos ou comportam entoes cujo objetivo é o de apagar o que se encontra ligado às representações incómodas;

Ex.:obsessões. Um comportamento é anulado por outro com o objetivo de suprimir não só as consequências do comportamento original, mas do próprio comportamento "substituto".
Denegação
Muito arcaico;

Pulsão incómoda e que não é recalcada, surge no consciente;

Sujeito defende-se afirmando que não é sua.
Recusa
Semelhante à Denegação, mas quando a pulsão surge não é anulada nem recusado o reconhecimento, toda a relidade da perceção ligada a essa pulsão é recusada.

Mecanismo muito arcaico típico da Psicose e Perversões.
Isolamento
Freud: Mecanismo de separação da recresentação incómoda e do afeto. Acaba por acrescentar que esta representação permanece no consciente devido ao facto de nao ter ficado ligada;

O isolamento é um mecnaismo que não permite a relação angustiante entre o objeto e os pensamentos.
Deslocamento
Muito primitivo, mas muito simples;

Transferir uma representação incómoda para outra menos incomoda, mas ligada à primeira por algum elemento associativo;
Condensação
Muito primitivo, utilização de pouca energia e muito pouco eficáz;

Deslocamento de uma representação de forma a substituir muitas outras;

Resultado automático de várias linhas de associação de ideias em curso de deslocamento;

Freud: Brincar, nos atos falhados e nos jogos de palavras
Desdobramento do Ego
Defesa típica do Psicótico;

Num resquício de uma fase em que as relações primitivas com a mãe;

Uma parte do ego, permaneça em contacto com a realidade não embaraçosa, enquanto que outra parte vai perder todo o contacto com a realidade angustiante;
Desdobramento dos Imagos
Clivagem;

Típico dos Border e Psicóticos;

Numa linha kleiniana, o Ego vai atribuir ao objeto, um imago positivo e tranquilizador, mas em simultâneo, uma imagem negativa e assustadora, sem a possibilidade de os conciliar
Sublimação
"Único" mecanismo de defesa inteirmente bem sucedido;

A totalidade do objeto;

É abandonado em proveito de um novo objeto, autorizado pelo Superego;

Está fortemente associada ao Superego o que nos remete para um mecanismo mais evoluído, uma vez que pressupões, um Ego forte, um Id e Superego relativamente satisfeito e um Ideal de Ego bem integrado;

Fortemente associada à capacidade artística e criatividade.
Regressão
Não se limita a evitar desprazeres ou representações perigosas para o Ego, ela é também consoladora ou gratificante para o narcisismo e daí a dimensão reparadora da regressão;

Surge muitas vezes em situações traumáticas, tentando evitar o aparecimento da verdadeira neurose traumática;

Funciona como um retorno sobre um objeto familiar, ao qual acrescenta a vivência funcional do retorno sobre si mesmo pelo trajeto familiar que ai conduz.

O prazo incide não só sobre o prazer de percorrer um caminho conhecimento mas também de voltar a encontrar o objeto.
Ascetismo do adolescente – Atitude do adolescente de
renúncia a qualquer distração ou prazer corporal.

Antecipação – fantasia que prepara o sujeito sobre
a forma de pensamento, soluções ou resposta para uma situação angustiante e que desencadeará resposta emocionais.

Altruísmo – Evitamento de uma situação de angústia, através da dedicação a outra pessoa ou objeto.

Humor – consiste na expressão dos aspetos agradáveis e insólitos que se libertam de uma situação desagradável, permitindo uma economia em relação aos afetos dolorosos.

Afirmação de si pela expressão dos sentimentos – comunicação direta dos seus pensamentos e sentimentos, mesmo considerados negativos, sem qualquer tipo de agressividade ou manipulação.

Supressão - Mecanismo em que o sujeito adia uma ideia, impulso ou sentimento durante um período de tempo, de forma consciente. O sentimento não é definitivamente evitado nem negado, apenas adiado conscientemente para ser enfrentado noutra altura.


Retirada apática – reflexo de uma atitude de desprendimento afetivo, das relações sociais e atividades, com um abandono passivo aos acontecimentos, geralmente face a uma situação de perigo (mecanismo de fuga?).

Afiliação – procurar a presença de outrem pelo apoio e ajuda que podem dar.

Anulação retroativa – defesa através da qual o sujeito tenta aniquilar, apagar magicamente através de comportamentos ou pensamento, representações incómodas.

Reversão ao contrário: mecanismo através do qual a pulsão conflitual é substituída pela pulsão oposta.

Retorno contra si próprio – surge quando o sujeito recusa inconscientemente a sua agressividade, levando-o a dirigi-la contra si próprio.

Ativismo – em situações angustiantes o sujeito recorre em primeira instância à ação, em detrimento da reflexão.

Intelectualização – utilização da abstração e da generalização com o intuito de evitar certas representações, mas em particular a carga afetiva que as acompanha.

Afastamento ou repressão – processo através do qual o sujeito procura afastar conscientemente uma situação conflituosa.

Repressão - Processo através do qual o sujeito parece esquecer passivamente um afeto ou representação indesejável, impedindo assim que atinja a consciência. Geralmente, uma destas partes (afeto ou a representação) é enterrado no inconsciente, enquanto que outro pode estar aparente mas incompleto (ex. estar triste por algo mas não saber porquê)

Racionalização - Mecanismo de defesa onde o individuo pensa e analisa as ideias, mantendo-se afastado afetivamente, não reconhecendo as componentes sentimentais. Embora parece ser um mecanismo que permite uma visão clara dos problemas, tal não se verifica, uma vez que a componente afetivo é sempre negligenciada.

Passagem ao ato - Mecanismo de defesa em que o sujeito exprime uma pulsão inconsciente através de um ato motor, sem que tenha capacidade de o verbalizar, e nesse sentido tornar consciente (ex. da automutilação).


Casos práticos
Neurose Fóbica

Neurose Obsessiva

Psicose

Borderline

Perversão
Neurose Fóbica
Defesa contra a reinvindicação libidinal do Complexo de èdipo;
Angústia de Castração;
Formação de um sintoma perante a angustia;
Pulsão substituida por
Casos práticos
Neurose Fóbica

Neurose Obsessiva

A Psicose

Borderline

(Perversão)
Neurose Fóbica
Pequeno Hans
Reinvindação do complexo de Édipo;
Ameaça de Castração;
Formação Sintoma;
Substituição da pulsão pela angústia;
Ego inibe qualquer ação;
Proibição da pulsão (recalcamento);
A expressão substituida (deslocamento)
Colocação do perigo real no exterior (projeção - fuga e evitamento).
Neurose Obsessiva
Homem dos Ratos
Psicose
Borderline
Perversão
Reinvindação do complexo de Édipo;
Formação do sintoma e da agústia perante a ação do Superego;
Regressão das pulsões par a fase sádico-anal;
Sintoma: proibição e a satisfação substitutivas do sadismo anal;
Anulação Retroativa e Isolamento
Histeria de Conversão
Anna O
Reinvindação do complexo de Édipo;
Angústia perante a perda de amor do objeto;
Ameaça de Castração;
Formação Sintoma;
O conteúdo é esquecido e mantido fora da consciência;
Expressão substitutiva e a proibição da necessidade degratificação;
Recalcamento e a Formação de Sintoma.
Defesa ontra a realidade externa;
Angústia originada pelas pulsões destrutivas e de fragmentação;
Paranóia - Projeção (eu odeio-me, ele odeia-me);
Melancolia - Introjeção e identificação;

Outros: Recusa, Clivagem e Regressão
Problemática ao nível do narcisismo e da perda do objeto;
Objeto prmanece centrado na dependência do outro;
Sintoma: Depressão - Vivência infeliz (Narcísico);
Desdobramento do Ego e dos imagos; da omnipotência e na forclusão.
Retorno sobre si mesmo;
Reversão da pulsão;
Voyerismo e Exibicionismo.
OBRIGADO!!!
Esquizofrenia
Não há diferenciação do Ego;
Organização pulsional fixada na fase oral;
Angústia fragmentção;
Relação objetal - Esforço de recuperação narcísica primária
Relação simbiótica com a mãe.
Paranóia
Ego raramente diferenciad, ou muito rudimentar;
Organização pulsional fixada na fase Anal;
Angústia de fragmentação;
Relação objetal centra-se nas vivências persecutórias e na necessidade de controlo do objeto;
Fantasmas de armadilha, necessidade de controlo e do outro;
Mãe fálica e narcísica que é escondida e "perdoada".
Mecanismos de defesa:
Projeção;
Anulação Retroativa;
Denegação;
Retorno.
Mecanismos de defesa:
Recusa;
Deslocamento;
Condensação.
Melancolia
Falha do Ego e do Ideal do Ego;
Apesar de ter ultrapassado a fase fálica, a falha narcísica primária vai obrigar a regredir a um estádio pré-genital;
Angústia de fragmentação (anaclítica; fóbica);
Relação objetal: ambivalente com sentimentos hóstis e violentos;
Fantasmas associados ao luto do objeto;
Mãe ambivalente (não unificadora do bom e mau objeto).
Mecanismos de defesa:
Recusa;
Introjeção.
Neurose Obsessiva
Regressão do Ego do pensamento para o ato;
O ato, permite a defesa contra o pensamento latente;
Angústia castração;
Relação objetal: dominar o objeto sem estar muito perto ou muito afastado;
Fantasmas: afetos perturbadores são desligados e re-ligados, posteriormente, a situações mais securizantes;
Relação parental: Complexo de Édipo.
Mecanismos de defesa:
Recalcamento;
Isolamento;
Deslocamento;
Anulação;
Formação reativa..
Histérica de angústia
Regressão parcial libidinal;
Angústia de castração: medo de que a fantasia edipiana não se concretize;
Fobia:
Evitar contacto com o objeto ansiogéico;
Deixá-lo a disposição;
Fantasmas: concretização do desejo e afeto;
Relação parental: Ambivalência afetiva proporcionada pela excitação e a defesa contra a erotização.
Mecanismo de defesa:
Recalcamento;
Evitamento;
Deslocamento.
Histérica de Conversão
Regressão libidinal parcial;
Angústia de castração: erigo de realização do ato interdito;
Fantasmas: simbolismo que é criado como um ecrã contra a consciencialização da erotização;
Relação parental: complexo de Édipo, não completamente resolvido.
Mecanismo de defesa:
Recalcamento.
Estados-Limite
Traumatismo psíquico precoce (Édipo não resolvido);
Angústia de perda do objeto;


Mecanismos de defesa:
Clivagem;
Recusa;
Identificaço projetiva;
Manejo omnipotente do objeto.
Conclusão
Podem ter um caracter patológico ou não;

Há uma hierarquização;

Podem funcionar isolamente ou em parceria;

Permitem a adatação;

Os Mecanismos de defesa são um recurso fundamental uma vez quesão excelentes indicadores de diversos aspetos (problemáticas; estruturas, presença de patologia...);

Full transcript