Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Requisitos Funcionais, Não Funcionais e Regras de Negócio

No description
by

Chris Ferreira

on 31 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Requisitos Funcionais, Não Funcionais e Regras de Negócio

Requisitos Funcionais, Não Funcionais e Regras de Negócio
Agenda
Requisitos
Requisitos Funcionais
Requisitos Não Funcionais
Regras de Negócios
Fontes
Requisitos
Ciclo de Vida do Software (SWEBOK 2004)
Importância
Requisitos são importantes para projetos de desenvolvimento de software, pois são a base para :

Análise de contratos;
Elaboração / análise de propostas;
Planejamento;
Estimativas;
Análise de riscos;
Gestão e controle;
Modelagem do sistema;
Desenvolvimento;
Testes.
“Os requisitos geralmente são categorizados em tipos dependendo da fonte e sua aplicabilidade... Geralmente, os requisitos são divididos em funcional e suplementar - conhecido como Não Funcional...”
A Engenharia de Requisitos trata do levantamento, modelagem, especificação, verificação e manutenção das propriedades que um produto ou serviço de software deve manifestar antes, durante e depois da sua realização.
Requisitos Funcionais
Descrição
Requisitos Funcionais descrevem explicitamente as funcionalidades e serviços de um sistema.

Documentam:
Como o sistema deve reagir a entradas específicas
Como deve se comportar em determinadas situações
O que o sistema NÃO deve fazer
Característica de Qualidade dos Requisitos Funcionais
Coesão:
Todos os requisitos, em um conjunto ou modelo, devem apoiar o seu propósito e escopo geral
Completude:
Descreve completamente a funcionalidade. Cada requisito está autocontido.
Consistência:
Requisitos individuais não conflitem entre si.
Correção:
Deve descrever corretamente a funcionalidade. Defeitos nos requisitos levam a defeitos na solução
Viabilidade:
Deve ser possível implementar a funcionalidade dentro da infraestrutura existente, dentro do prazo, orçamento existente, prazo e recursos disponíveis.
Ajustabilidade/Adaptação:
Requisitos inter-relacionados devem ser mantidos agrupados a fim de se tornarem modificáveis.
Sem ambiguidades:
Todos devem ser capazes de ter o mesmo entendimento
Testabilidade:
Deve poder ser testado, inspecionado, revisado, etc. Deve haver uma maneira de provar que o requisito foi atendido.
Requisitos Não Funcionais
Definem propriedades (tempo de resposta, armazenamento, etc) e restrições (capacidades dos dispositivos de E/S, etc)
Não possuem mapeamento direto as funcionalidades.
Não são fáceis de detectar.
Devem ser observados cuidadosamente ao longo do desenvolvimento
Se relacionam diretamente com o produto, com suas funções e/ou com o ambiente onde será implantado.
São requisitos que especificam as características desejadas que um sistema deve fornecer.
São restrições relacionadas ao processo de desenvolvimento do sistema.
São derivados do ambiente em que o sistema está sendo desenvolvido.

Requisitos não funcionais desempenham um papel crítico durante o desenvolvimento de sistemas e erros devido a não elicitação ou a elicitação incorreta estão entre os mais caros e difíceis de corrigir, uma vez que um sistema tenha sido implementado.
Taxonomia
Regras de Negócio
Sobre...
O conceito de "regras de negócio" começou a ser desenvolvido nos anos 1990, com a criação do GUIDE Business Rule Project, que posteriormente evoluiu para a criação do Business Rule Group. Sua declaração de princípios (Manifesto) diz que "regras de negócio definem a estrutura e controlam a operação das empresas". Representam uma mudança na forma como descrevemos uma organização, deixando de lado o foco nos dados que a empresa usa e a organização dos processos que executa, para se concentrar nas restrições sob as quais as empresas operam.

Uma "regra de negócio" é uma declaração que, explicitamente, define ou restringe um aspecto do funcionamento da empresa. Sob essa ótica, nada existe se não estiver definido em uma regra de negócio, e tudo é permitido se não houver uma restrição estabelecida em uma regra de negócio.

A OMG, uma organização sem fins lucrativos dedicada ao desenvolvimento de padrões e disseminação de conhecimento ligados à área de Tecnologia da Informação e sua integração com os negócios também atua no desenvolvimento de padrões voltados para a modelagem de negócios, onde se destacam os padrões BPMN, para descrição de processos e, mais recentemente, a SBVR (Semantics Of Business Vocabulary And Business Rules), para descrição de regras de negócio. Entre os padrões mais conhecidos publicados pela OMG estão a linguagem UML, o padrão CORBA para definição de objetos e a linguagem XML, para intercâmbio de dados entre aplicações.
Qual a regra de Negócio?
Você está dirigindo e o sinal fechou.

Sem “Regras de Negócio” = “FUD” (Fear, Uncertanty, Doubt)

De acordo com o BABOK 2.0
“Uma regra de negócio é uma diretiva específica, acionável, testável que está sobre o controle de uma organização e que suporta a política de negócio.”
O que é Regras de Negócio?
Regras de negócio descrevem, restringem ou controlam os dados ou atividades de um processo de negócio.
Um processo de negócio é um conjunto de um ou mais procedimentos, os quais coletivamente realizam um objetivo de negócio, normalmente dentro do contexto de uma estrutura organizacional.
Uma organização ou empresa opera de acordo com um conjunto de regras de negócio, tais como, regras jurídicas, regras de venda, regras de interação com o cliente, entre outras.
As regras expressam aspectos estáticos e dinâmicos do negócio.A automatização dos processos de negócio exige a automatização das regras que regem estes processos.
As regras são representadas em uma linguagem processável, com a finalidade de automatizá-las em um sistema.
Ambos capturam o conhecimento do negócio
Ambos esclarecem as necessidades e expectativas dos clientes
Ambos refletem as necessidades do negócio
Regras e Requisitos
Considerações e Exemplos
Regras de negócio têm vida totalmente independente de sistemas. Podem ser criadas e obedecidas sem uso de sistemas.

Exemplo: Uma microempresa totalmente desprovida de computadores ou qualquer tipo de automação de processos de negócio, definiu como política, que a venda a prazo só poderá ser feita para clientes adimplentes.

Note que essa política restringe as operações de venda da empresa e não precisa de sistema para ser atendida.
Como se vê, uma regra de negócio pertence somente ao domínio do negócio. Entretanto, nada impede que regras de negócio venham a ser automatizadas, isto é, seja realizada por um sistema. Neste caso deverá haver alguma funcionalidade, ou seja, algum requisito funcional que realizará a regra de negócio.

Exemplo: A administração da empresa (do nosso exemplo acima) resolveu automatizar o processo de vendas. Assim, o sistema deverá possuir uma funcionalidade que conterá uma condição (“IF THEN ELSE”) a qual irá verificar se o cliente é adimplente. Se for adimplente, então o sistema permitirá a venda. Caso contrário o sistema irá bloquear a venda para o cliente em foco.
Links
BABOK 2.0 - IIBA: http://www.iiba.org

Book - Getting It Right: Business Requirement Analysis Tools and Techniques - skilport: http://hp.skillport.com/skillportfe/login.action

HP ALM@ES Best Practices and Usage Model - RDP (Requirements Determination Process): http://ent21.sharepoint.hp.com/teams/HPEDGEPlatform/HP_ALM/Reference%20Materials/ALMUM/HelpContent index.htm#req_requirements_determination_process_rdp_overview.htm

International Requirements Engineering Board - IREB: http://www.ireb.org/en/home.html

Business Rule Group: http://www.businessrulesgroup.org/home-brg.shtml

OMG (Object Management Group): http://www.omg.org/spec/SBVR/1.0/
... “Requisitos incluem, mas não estão limitados a condições ou capacidades passadas, presentes e futuras em uma organização e descrições de estruturas organizacionais, papéis, processos, políticas, regras e sistemas de informação. Um requisito pode descrever o estado presente ou futuro de qualquer aspecto da organização.”...

Classificação:
Requisitos do Negócio
Requisitos das Partes Interessadas (“stakeholders”)
Requisitos da Solução (Requisitos Funcionais, Requisitos Não Funcionais)
Requisitos de Transição

Requisitos
Definem propriedades (tempo de resposta, armazenamento, etc) e restrições (capacidades dos dispositivos de E/S, etc)

Não possuem mapeamento direto as funcionalidades

Não são fáceis de detectar

Devem ser observados cuidadosamente ao longo do desenvolvimento

Se relacionam diretamente com o produto, com suas funções e/ou com o ambiente onde será implantado
Full transcript