Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tarsila do Amaral

A Musa do Modernismo
by

Vera Neves

on 4 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral
A Musa do Modernismo

por Vera Neves Acima, Abaporu, de 1928. A pintora era avançada
para sua época, mas seu estilo e ideias parecem sob
medida para o Brasil do século 21 Tarsila – a personagem e sua obra – sobreviveu
ao tempo, expressando valores que soam pertinentes até hoje. O quadro Carnaval em Madureira, de 1924,
uma representação do subúrbio carioca, traz ao centro, ironicamente, uma Torre Eiffel­. Cartão-Postal, de 1929, exibe
uma floresta com bichos exóticos – uma brincadeira talvez com os pintores viajantes do século 17, que acrescentavam à fauna local animais que existiam apenas na Europa e na África. Os macacos lembram os bichos antropofágicos que tornaram a pintora célebre. Talvez uma brincadeira com os viajantes do século 17, que pintavam animais que não pertenciam à nossa
fauna. Eis que surge uma moça linda, talentosa, inteligente, espirituosa, culta,
rica e recém-chegada da Europa, onde havia tomado contato com os
grandes mestres das vanguardas, dizendo: “Sou profundamente
brasileira e vou estudar o gosto e a arte dos nossos caipiras. Espero, no interior, aprender com os que ainda não foram corrompidos pela academia”. O Mamoeiro, de 1925. Ela ousou...Floresta, de 1929,
de Tarsila do Amaral. Formas e cores originais apresentavam o Brasil de um jeito inédito até então. Esta imagem colorida e surpreendente do país serviu para divulgar o modernismo, e é forte no país ainda hoje Para historiadora de arte Maria Alice Millie:
“Tarsila é um marco da imagética nacional. A partir dela, a arte brasileira caminhou para encontrar uma voz própria”. ...e ele seguiu!Floresta Tropical, de 1938, de Alberto Guignard. Quase dez anos depois de Tarsila, o pintor recorre a recursos mais conservadores para executar uma tela com o mesmo motivo. É evidente sua ligação com a escola clássica europeia Acima, Manteau Rouge, auto-retrato de 1923. Antropofagia Tarsila do Amaral é a artista que melhor traduziu o que
mais tarde seria chamado de “espírito de brasilidade”. Antropofagia ...Cartão-Postal, de 1929, de Tarsila . Otimismo... O interior do Brasil visto por
Tarsila do Amaral é colorido, com crianças correndo, frutos no pé e roupas estendidas no varal. Não deixa de ter também vestígios de progresso, como a ponte e o poste A pintora era avançada para sua época, mas seu estilo e ideias
parecem sob medida para o Brasil do século 21
Full transcript