Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Esquizofrenia

No description
by

Inês Melo Gouveia

on 18 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Esquizofrenia

Esquizofrenia
• No final século XIX foi dada como doença por Emil Kraepelin.
• É a doença psiquiátrica mais angustiante e incapacitante.
• Afecta a forma de pensar, a vida emocional e o
comportamento em geral.
• Os doentes não têm qualquer ideia de que estão a sofrer
da doença.
• Um por cento da população tanto mundial como
portuguesa sofre de esquizofrenia.
É hoje encarada não como doença, mas sim como um transtorno mental, podendo atingir pessoas de quaisquer idade, género, raça, classes sociais e país.
Causas:
Causas Genéticas:
O estudo em genética molecular tem ajudado a ligar vários genes á esquizofrenia e a predisposição para a doença á interacção de vários genes. No entanto muitos destes genes resultam de mutações e não de heranças familiares.
Provas genéticas da causa desta doença são a ligação entre familiares que sofrem de esquizofrenia:
Concluindo, a genética é importante na incidência da doença, mas não é determinante. E não existe apenas um gene que predispõe para a esquizofrenia.
Causas Ambientais:
Fatores ambientais – são todos os fatores não genéticos que contribuem para a doença.
Uma das teorias é que a doença é causada por alterações bioquímicas e estruturais do cérebro. Isto pode ser causado por:
-Fatores pré-natais;
-Uso de certas substâncias psicoativas;
-Transtornos sociais e ambientais durante a infância.
http://psychcentral.com/quizzes/schizophrenia.htm
Tratamentos no Passado
Tratamentos no Presente
Não há cura para a esquizofrenia, existem dois tipos de tratamento que ajudam a controlar os sintomas:
medicação e tratamentos psicossociais.
- Medicação:
Existem vários tipos de medicação anti psicótica. Escolhida de acordo com as necessidades do paciente.
- Tratamentos psicossociais:
Tratamentos que ajudam os pacientes a lidar com a sua doença no dia-a-dia, incluem:
Educação familiar
Reabilitação
Grupos de auto-ajuda
Terapia

• Pessoas ditas “anormais” devido a doenças mentais, atrasos mentais supunha-se que estas pessoas estavam “possuídas” por um demónio. Desde tratamentos completamente inofensivos até tratamentos extremamente perigosos
• A esquizofrenia era, também, tratada com internação prolongada ou com electrochoque.
Isolamento social, o comportamento excêntrico, emoções pouco apropriadas e pensamentos ilógicos.
Esquizofrenia desorganizada:
Inicio mais tardio. Alucinações e enganos. Tipo mais comum e de tratamento com melhor prognóstico.
Esquizofrenia indiferenciada:
Tipos de Esquizofrenia
Existem doentes que não se podem classificar em nenhum dos grupos. A estes doentes atribui-se este tipo de esquizofrenia.
Esquizofrenia residual:
Começa na adolescência.
Emoções irregulares, isolamento social, mudança de personalidade e terminando em depressão. Pouco frequente.
Esquizofrenia simples:
Esquizofrenia paranóide:
Discurso desorganizado, comportamento desorganizado. É o tipo que tem tratamento mais complicado.
Esquizofrenia catatónica
Actividade motora excessiva, extremo negativismo, paralisia corporal momentânea, repetição de uma palavra, frase ou movimento que outra pessoa acabou de fazer. Necessita cuidadosa observação. O tratamento é complicado.
É um tipo raro de esquizofrenia. Os primeiros sintomas surgem entre os 6 e 7 anos de idade. É bastante severa, tendo sintomas mais intensos e um tratamento mais difícil. Falta de interesse, baixo QI e outras anormalidades.
Esquizofrenia infantil
Impacto na vida do doente e dos familiares
As pessoas com esquizofrenia:
• Perdem oportunidades de carreira e de relacionamento
• Sentem-se isoladas estigmatizadas
• Têm incapacidade em falar sobre a suas doenças

Por isto passam a maior parte de seu tempo com a suas famílias. Esta doença pode interferir nas relações familiares, provocar sentimentos negativos, como raiva medo e angustia.

Algumas Reacções comuns entre os familiares:
• Negação ou subestimação
• Sentimento de culpa
• Sentimento de revolta
• Superprotecção
A terapia de família é um dos tratamentos complementares de maior eficácia;
Para a famíla:
• Reduzir o stress
• Trabalhar melhor seus sentimentos
• Identificar soluções para os problemas quotidianos.
Para o paciente:
• Redução de recaídas e de hospitalizações
• Melhorar a qualidade de vida e autonomia
Os principais padrões emocionais encontrados em familiares de esquizofrénico
• Hipercrítica
• Hostilidade
• Permissividade
• Superprotecção
• Demasiado envolvimento afectivo
Quando poderá surgir?
Nos homens - 15 e 25 anos de idade
Nas mulheres - 25 e 35 anos de idade
Perfil não uniforme: não se pode prever o seu aparecimento e a forma como se revela.
Evolução da esquizofrenia pode ser caracterizada por dois estádios
Súbito - a doença manifesta-se rapidamente e tem uma evolução em dias ou semanas
Lento - o diagnóstico precoce mais difícil, pode levar vários meses ou anos até que se detecte. A esquizofrenia no grupo dos jovens adultos pode mesmo ser confundida com as chamadas crises de adolescência e por isso é desvalorizada. Desta forma, o isolamento, a quebra de rendimento escolar ou as alterações de comportamento são vistas pelos pais e professores como normais e passageiras.

O diagnóstico depende:
Exclusão de outras causas que possam originar sintomas semelhantes aos da esquizofrenia.
Sintomas
Experiências auto-relatadas da pessoa
Anormalidades no comportamento relatado por familiares, amigos ou colegas de trabalho
Avaliação clínica por um psiquiatra, assistente social, psicólogo clínico ou outro profissional de saúde mental

Como a esquizofrenia é uma doença mental não existem meios imagiológicos (TAC, ressonâncias, RX, etc.) nem analíticos que permitam diagnosticar esta doença.
Sintomas
Positivos
Negativos
Alucinações;
Delírios;
Pensamento e linguagem desorganizada;
Comportamentos agressivos e impulsivos.
Apatia e Indiferença emocional;
Isolamento social;
Falta de motivação;
Pobreza do discurso e pensamento
Outros Sintomas
São vários e afetam principalmente os processos cognitivos, as emoções e os comportamentos; causando distúrbios no pensamento, linguagem, perceção da realidade e do próprio doente.
Existem 2 tipos de sintomas ligados á esquizofrenia:
Sintomas Positivos
Sintomas Negativos
Causas
As causas da esquizofrenia não são completamente conhecidas/compreendidas. Acredita-se que a doença surja de uma combinação de factores genéticos e ambientais, no entanto estes fatores não determinam a doença, apenas a influenciam.
A probabilidade de uma pessoa sofrer de esquizofrenia sem ter os fatores genéticos ou sem ser influenciado pelos fatores ambientais negativos é reduzida.
Resumindo, pode-se dizer a doença é determinada de uma forma multifatorial.
Esquizofrenia
Diagnóstico
(tais como abuso de drogas, epilepsia, tumores cerebrais e disfunção tiroideia)
Estão em desenvolvimento testes genéticos que podem prever a probabilidade de um individuo desenvolver esquizofrenia:
Combinação de diferentes estudos para identificar um grupo de genes associado a esta doença.
Estes genes combinados podem determinar se um individuo tem maior ou menor probabilidade de desenvolver a doença

Niculescu, um dos psiquiatras e investigador no Richard L. Roudebush Veterans Affairs Medical Center, afirma: “Pela primeira vez chegámos a uma lista que mostra os genes envolvidos na esquizofrenia.”
O Futuro!
Para que se possa estabelecer um diagnóstico formal, os sintomas devem estar presentes durante pelo menos seis meses.
1 - Tipo de esquizofrenia em que o caracterizada pela actividade motora excessiva e repetição constantes de palavras frases ou movimentos.
2 - Sintoma negativo da esquizofrenia.
3 -Psiquiatra alemão que descreveu a esquizofrenia pela primeira vez.
4 - Uma forma de tratamento da esquizofrenia.
5 - Sintomas positivo da esquizofrenia.
6 - Tipo de esquizofrenia em predominam os sintomas positivos como as alucinações.
Full transcript