Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Relatório de Estágio: Análises Físico-Química da Água

Relatório que o aluno André Nascimento, do curso de Química-Industrial, apresenta à supervisão de estágio.
by

Andre Nascimento

on 18 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Relatório de Estágio: Análises Físico-Química da Água

ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICA EM AMOSTRAS DE ÁGUA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Conceito Análise do pH ANÁLISES CONCEITOS ENSAIO PRINCÍPIO DO
MÉTODO ATENTAR AOS TRÊS PARÂMETROS pH = - log AH3O+.
pH-metro - multímetro digital utilizado para determinar o pH das amostras. PRINCÍPIO DO MÉTODO O princípio básico da medida do pH é a determinação da atividade dos íons de hidrogênio (H+) pela medida potenciométrica usando um eletrodo vidro combinado.

MÉTODO SELETIVO - CAMADA DE GEL HIDRATADA ENSAIO Conceito PRINCÍPIO DO MÉTODO PRINCÍPIO DO MÉTODO ENSAIO ENSAIO Conceito A turbidez da água é atribuída principalmente às partículas em estado coloidal em suspensão, de natureza orgânica ou inorgânica e outros organismos microscópicos. Ela representa o grau de interferência da passagem da luz através da amostra de água que diminuem a claridade e reduzem a transmissão da luz no meio. Medidor de Condutividade – Equipamento que mede a condutância elétrica de soluções baseado em medidas de condutância específica. A condutância de uma solução depende do número de íons presentes, da sua carga e mobilidade.
Condutância Específica :

C = (A.K)/L O método Nefelométrico é baseado na comparação da intensidade da dispersão de um feixe de luz ao passar pela amostra com a dispersão de um feixe de igual intensidade ao passar por uma suspensão padrão. Quanto maior a intensidade da luz dispersa, maior será a turbidez. A condutividade mede a condutância elétrica de soluções, baseado em medidas de condutância específica. A condução de eletricidade através das soluções iônicas se dá através da migração de íons positivos e negativos com aplicação de um campo eletrostático que, aceleram os mesmos em direção à carga oposta. Onde, a velocidade da migração é limitada pela resistência do solvente ao movimento das partículas. Análise da Turbidez Análise do Condutividae (cc) image by nuonsolarteam on Flickr Análise de Cor Análise de alcalinidade Análise de sólidos Totais 104+/- 1 ºC Conceito Cor aparente - É a cor da amostra original sem filtração ou centrifugação.
Cor real - É a cor da amostra por eliminação da turbidez. Alcalinidade é a medida total das substâncias presentes numa água capaz de neutralizar ácidos. A alcalinidade é devida principalmente aos carbonatos e bicarbonatos e, secundariamente, a íons hidróxidos, silicatos, boratos, fosfatos e amônia.

pH > 4,5 Alcalinidade Parcial
4,5<pH<8,3 Alcalinidade parcial = Zero Possui alcalinidade Total
pH < 4,5 Alcalinidade Parcial e Total = zero Sólidos totais é o termo aplicado ao resíduo obtido de uma amostra após sua evaporação, e secagem subseqüente em estufa com temperatura definida.
O método se baseia no resíduo obtido de um volume conhecido de amostra bem homogeneizada e evaporada até a secura e secagem 104±1°C até peso constante. Conceito Conceito ENSAIO ENSAIO 1 PRINCÍPIO DO MÉTODO PRINCÍPIO DO MÉTODO ENSAIO Método Comparação visual - A cor é determinada pela comparação visual da amostra com concentrações conhecidas de uma solução colorida. A comparação também pode ser feita com os discos de vidros especiais, corretamente calibrados. O método platina-cobalto utilizado para medir a cor é o método padrão, a unidade de cor que é produzido é de 1 mg platina/L do íon de cloroplatina, esta relação é proporcional a cor de águas naturais. ENSAIO 2 (cc) image by nuonsolarteam on Flickr Análise de Amônia Análise de sílica Total Reativa Análise de Cloretos pelo Método Nefelométrico Ensaio 1 O princípio do método deve-se o fato de a sílica reagir com o molibdato de amônio formando um complexo de cor amarela. A intensidade da cor é proporcional à concentração de “molibdato-sílica”. O molibdato pode reagir com o grupo fosfato, formando um complexo interferente de ácido molidofosfórico que é semelhante ao complexo formado com a sílica, o ácido molibdosilicato. Utiliza-se o ácido oxálico com a finalidade de auxiliar na quebra das ligações do complexo formado pelos grupos fosfatos, eliminando assim, esta possível interferência.
A adição de ácido clorídrico tem a finalidade de correção de pH, proporcionando condições apropriadas para que o molibdato de amônio possa reagir. O cloreto, na fórmula do íon Cl-, é um dos principais anions inorgânicos na água e nos efluentes. Conceito ENSAIO 2 ENSAIO 1 PRINCÍPIO DO MÉTODO PRINCÍPIO DO MÉTODO PRINCÍPIO DO MÉTODO ENSAIO 1 O princípio do método deve-se ao fato do complexo de intensidade azul, indofenol ser formado pela reação da amônia, hipoclorito e fenol, catalisado pelo nitroprussioato de sódio. ENSAIO 1 Os íons hidroxila presentes na amostra reagem com a adição de ácido padronizado, como resultado de dissociação ou hidrólise do soluto. O cloreto é titulado com uma solução padrão de nitrato de prata utilizando-se cromato de potássio como indicador. No ponto final, quando a precipitação do cloreto for completa, o primeiro excesso de íons Ag+ vão ligar-se aos íons Cl- formando um precipitado branco de cloreto de prata e aos íons CrO4-2 formando um precipitado de cor levemente vermelha de cromato de prata, segundo as reações: Segue procedimento similar ao de amônia. 1. Correção do pH
2. Adicionar as soluções:
2.1 Solução fenólica
2.2 Solução Nitroprussiato
2.3 Solução oxidativa 1. Adiciona HCl (1+1)
2. Molibidato de Amônio 10%
3. Ácido oxálico

Onde:
VPm - Média dos volumes da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gastos nas titulações - [(VP1 +VP2) / 2];
VP1 - Volume da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gasto para alcalinidade parcial da alíquota A;
VP2 - Volume da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gasto para alcalinidade parcial da alíquota B
V amostra - Volume tomado da amostra;
- Fator do ácido;
N - Normalidade de HCl;
50000 – Equivalente grama do CaCO3 em mg/L. Onde:
VTm – Média dos volumes totais da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gastos nas titulações [(VT1 +VT2)/2];
VT1 - Volume total da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gasto para titulação da alíquota A (VP1 + V1);
VT2 - Volume total da solução padrão de ácido clorídrico 0,02 N gasto para titulação da alíquota B (VP2 + V2);
V amostra - volume tomado da amostra;
- Fator do ácido;
N - Normalidade da solução padrão de ácido clorídrico;
50000 – Equivalente grama do CaCO3 em mg/L. Obrigado! Aqui é o fim! Onde:
A = Volume da solução de nitrato de prata (AgNO3) 0,0141 N
gasto na titulação da amostra;
B = Volume da solução de nitrato de prata (AgNO3) 0,0141 N gasto na titulação do branco;
N = Normalidade da solução de nitrato de prata (AgNO3) 0,0141 N ;
ƒ= Fator da solução de nitrato de prata (AgNO3) 0,0141 N .
Full transcript